1 Possui graduação em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Cruzeiro do Sul (2009) e Bacharelado em Geografia ...
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente? 
Trate-se de propor uma breve reflexão e introdução às experiências ...
O que é mais importante 
Separar ou integrar o conhecimento em busca da especialização e do saber? 
Para aprender e ensina...
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Alice e o Gato de Cheshire, ilustrações originais de John Tenniel, publicadas na primeira edição da obra. 
QUAIS OS OBJETI...
O ato de ensinar e aprender se dá a cada momento, de formas variadas e em todos os lugares, pois: A natureza humana não é ...
Breve história da Educação: mudando paradigmas na educação, por Sir Ken Robinson 
O fracasso escolar no Brasil (PATTO, 199...
Em mais de um século de vivência escolar, a percepção que se mantém é a de que todos aqueles que não se adaptam a esta ins...
Excursões a museus, bibliotecas, fábricas, entre outros lugares com potencial empírico na formação dos estudantes. 
Franci...
Escola Moderna número 1 de São Paulo 
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Vivência pedagógica significativa e dinâmica 
Valorizacão da atuacão do estudante pesquisador e do professor enquanto medi...
Aprofundar essas temáticas em sala de aula desencadeava boas situações de aprendizado de leitura e escrita. 
“Passeios” co...
Século XX 
John Dewey e Celestin Freinet 
Anísio Teixeira 
Manoel Bergström Lourenço Filho 
Monteiro Lobato 
Instituições ...
A relacão que construímos 
com o meio está repleta 
de possibilidades de 
APRENDIZAGEM 
ç 
“[...] a gente aprende no pé”. ...
Julio Verne levou-me a Humboldt, e depois à Geografia e as demais ciências físicas e sociais. Foi o aperitivo. Entreabriu-...
A variedade de cores e ilustrações está presente em todas as obras desta coleção, que foi especialmente desenvolvida para ...
A história se passa na década de 1940, 
Catarina Roque é uma professora com 
práticas pedagógicas consideradas 
“avançadas...
Método Montessori 
essência de UM NOVO paradigma educacional 
EDUCAÇÃO VIVA E ATIVA 
1.Salas de aula com crianças de idade...
Pedagogia Waldorf 
É uma pedagogia que tem como ponto de partida o conhecimento da criança e de seu desenvolvimento em div...
Pedagogia Waldorf 
Organizada a partir de um profundo conhecimento do ser humano, a educação Waldorf fundamenta-se na Antr...
A Logosofia tem seu próprio método de conhecimento interno e propõe uma pedagogia que considera as conexões entre experiên...
A Educação em casa ou sem educação escolar, é um movimento que se tornou popular nas últimas décadas, mas ao contrário dos...
Educação Popular 
Paulo Freire cunhou o termo EDUCAÇÃO BANCÁRIA, para descrever o sistema de ensino alienante, onde os jov...
Quebrar com o modelo de educação bancária 
"Eis aí a concepção “bancária” da educação, em que a única margem de ação que s...
UMA ESCOLA DIFERENTE? 
Quando? 24/10/2013, quinta-feira. 
Qual horário? Das 10:30 às 17:00. 
Quanto? R$ 25,00 
OBS: Trata-...
COTIA – SP 
PROFESSOR 
JOSÉ PACHECO 
A educação é por definição INTEGRAL à medida que deve atender a todas as dimensões do...
Práticas 
Pedagogias 
alternativas 
Não existe um 
único método 
adequado, mas a 
possibilidade de se 
recriar e reinventa...
valorizar a diversidade cultural 
Elemento que pode acrescentar experiência e aprendizado 
formação da cidadania participa...
conhecimento científico 
Conhecimento da realidade escolar 
redução das desigualdades educacionais e sociais 
+ 
= 
Sobre ...
Se faz urgente reinventar as formas de ensinar e aprender, há muitas experiências ricas e significativas pelo Brasil e pel...
O filme foi produzido em 2012 de forma colaborativa e mostra mais de 45 experiências educativas alternativas, isto é, não ...
Antônio Abujamra entrevista o educador Rubem Alves 
Programa exibido em 3 de maio de 2011 
A Educação que, nas palavras de...
Vídeos selecionados 
Mudando paradigmas na educação 
A estrutura escolar – Pedagogia: cotidiano escolar 
Trechos do filme:...
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 14ª Ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 
FRE...
OBRIGAda A TOD@S! 
CATARINA TROIANO 
PROFESSORACATARINA66@GMAIL.COM 
FIM 
Pedagogias alternativas: a escola pode ser difer...
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?

1.797 visualizações

Publicada em

A proposta básica desta oficina, considerando seu caráter predominantemente iniciador, é apresentar outras formas de ensinar e aprender que, excepcionalmente, fogem as regras da escola tradicional, a qual frequentamos todos os dias. Trate-se de uma breve reflexão e introdução a experiências pedagógicas alternativas no Brasil e em outros países da Europa e América Latina.
Além disso, pretende-se discutir se é mais importante separar o conhecimento em busca da especialização, ou se existe uma correlação entre os saberes. Para aprender e ensinar é preciso integrar, pois entre as partes e o todo há um eterno diálogo. Parafraseando Rubem Alves, é preciso fazer ciência fazer sentido, logo, o conhecimento tem que ser símbolo que ilumina o mundo e a vida, daí a primeira inspiração deste projeto.

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.797
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?

  1. 1. 1 Possui graduação em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Cruzeiro do Sul (2009) e Bacharelado em Geografia pela mesma instituição (2010). Atualmente é pesqui- sadora independente, professora da rede pública municipal de São Caetano do Sul – SP, EME Professora Alcina Dantas Feijão, e ingressante no curso de Pedagogia da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Secretaria municipal de Educação Centro de Capacitação dos Profissionais da Educação PEDAGOGIAS ALTERNATIVAS: A ESCOLA PODE SER DIFERENTE? Professora Catarina Troiano1
  2. 2. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente? Trate-se de propor uma breve reflexão e introdução às experiências pedagógicas e metodologias alternativas de ensino-aprendizado praticadas na atualidade no Brasil e em outros países da Europa e América Latina. apresentar outras formas de ensinar e aprender Proposta básica desta oficina PRÁTICAS DIFERENCIADAS DA escola tradicional Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  3. 3. O que é mais importante Separar ou integrar o conhecimento em busca da especialização e do saber? Para aprender e ensinar é preciso integrar, pois entre as partes e o todo há um eterno diálogo (MORIN, 2011, [1999]). Parafraseando Rubem Alves, é preciso fazer ciência fazer sentido, logo, o conhecimento tem que ser símbolo que ilumina o mundo e a vida, daí a primeira inspiração deste projeto. Abordar as pedagogias alternativas e as novas experiências de ensino-aprendizado OBJETIVO Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  4. 4. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  5. 5. Alice e o Gato de Cheshire, ilustrações originais de John Tenniel, publicadas na primeira edição da obra. QUAIS OS OBJETIVOS DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM? ONDE PRETENDEMOS CHEGAR? — Gato de Cheshire [...], poderia me dizer, por favor, que caminho devo tomar para ir embora daqui? — Depende bastante de para onde você quer ir — respondeu o Gato. — Não me importa muito para onde — disse Alice. — Então não importa que caminho tome — disse o Gato. — Contanto que eu chegue a algum lugar — Alice acrescentou à guisa de explicação. — Oh, isso certamente irá conseguir — afirmou o Gato — desde que ande o bastante. Lewis Carrol, Alice no país das maravilhas, 1865. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  6. 6. O ato de ensinar e aprender se dá a cada momento, de formas variadas e em todos os lugares, pois: A natureza humana não é dada ao homem, mas é por ele produzida sobre a base da natureza biofísica. Consequentemente, o trabalho educativo é o ato de produzir, direta e intencionalmente, em cada indivíduo singular, a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens. (SAVIANI, 2008, p. 07) . Daí a importância e relevância dos estudos das práticas pedagógicas para a educação, que através do conhecimento científico, busca trazer a luz aspectos para contribuir para o pleno desenvolvimento das pessoas. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  7. 7. Breve história da Educação: mudando paradigmas na educação, por Sir Ken Robinson O fracasso escolar no Brasil (PATTO, 1992) VIRADA DO SÉCULO XIX PARA O XX Ciência Eugenia, que baseou-se na "hierarquia das raças humanas" (SCHWARCZ, 1993) para indicar a incapacidade de certos indivíduos de continuar no sistema escolar. DOS ANOS DE 1930 ATÉ A DÉCADA DE 1970 Razões biopsicológicas, isto é, problemas cognitivos e motoros explicavam a derrota do rendimento escolar e a evasão. DESSE PERÍODO, ATÉ OS NOSSOS DIAS A teoria da Carência Cultural ou Diferença Cultural, a qual explicava que as faltas de condições materiais e intelectuais seriam as principais causas do choque entre as propostas da escola e aqueles que desistiam dela. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  8. 8. Em mais de um século de vivência escolar, a percepção que se mantém é a de que todos aqueles que não se adaptam a esta instituição é que são os culpados de seu fracasso, nas teorias e análises de destaque a ESTRUTURA DO SISTEMA DE ENSINO NÃO É QUESTIONADA. Pelo contrário, criou-se no senso comum, a partir do pensamento científico, a ideia de que é diferente ensinar ricos e pobres, e mais, que a família e os estudantes é que são os únicos responsáveis pelo sucesso escolar (PATTO, 1992). OS CULPADOS PELO DESINTERESSE SÃO OS ESTUDANTES, NÃO A ESTRUTURA ESCOLAR. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  9. 9. Excursões a museus, bibliotecas, fábricas, entre outros lugares com potencial empírico na formação dos estudantes. Francisco Ferrer y Guardia (1859-1909). ESCOLAS ANARQUISTAS Século XX Em 13 de outubro de 1909, o educador Francisco Ferrer y Guardia foi acusado de ter sido o mentor intelectual da revolta popular espanhola e assassinado a mando do Estado e da Igreja. Escola Moderna de Barcelona, 1901 sistematização das experiências pedagógicas de campo Práticas alternativas Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  10. 10. Escola Moderna número 1 de São Paulo Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  11. 11. Vivência pedagógica significativa e dinâmica Valorizacão da atuacão do estudante pesquisador e do professor enquanto mediador do conhecimento O meio é um verdadeiro ambiente de aprendizagem Além dos muros da escola Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  12. 12. Aprofundar essas temáticas em sala de aula desencadeava boas situações de aprendizado de leitura e escrita. “Passeios” com os estudantes pela região de Bar-sur-loup, na França Século XX Célestin Freinet (1896-1966) ampliar a vivência experimentar A investigação da cidade, tanto do meio urbano quanto do meio rural, levantava temas de real interesse para seus educandos. Escola Nova Aula passeio JORNAL FICHÁRIO COLETIVO Percebeu o desinteresse de seus alunos Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  13. 13. Século XX John Dewey e Celestin Freinet Anísio Teixeira Manoel Bergström Lourenço Filho Monteiro Lobato Instituições periescolares (SOARES, 2007) O movimento era inspirado em impulsos críticos, radicais, sedento por mudanças estruturais, ativista e internacional. Defendia a progressiva autonomia da criança estimulando o desenvolvimento de atividades lúdicas, a imaginação e a leitura livre ao invés da orientada. A ação e a experimentação eram o motor do processo de aprendizagem. (TEIXEIRA, 1933) Escola Nova (década de 1930) Estudo do próprio meio escolar (FREINET, 1969) Ensino público e de qualidade Práticas extramuros da escola Associação de Pais e Mestres Bibliotecas Municipais Cinema Educativo Teatro e Museus Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  14. 14. A relacão que construímos com o meio está repleta de possibilidades de APRENDIZAGEM ç “[...] a gente aprende no pé”. Ariovaldo Umbelino de Oliveira, 1991, p. 144. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  15. 15. Julio Verne levou-me a Humboldt, e depois à Geografia e as demais ciências físicas e sociais. Foi o aperitivo. Entreabriu-me as cortinas do mundo como coisa viva, pitoresca, composta de paisagens e dramas. De posse dessa visão, e esporeada pela imaginativa, a inteligência “compreendeu e quis saber”. (LOBATO, 1946 [1923], p. 8. Entre aspas, grifo do autor). "desliteraturizar a literatura" Despertar o interesse pela leitura a partir do conhecimento. Da experiência prática, vivida. (SOARES, 2007). O "truque" para atrair o público infantil Gabriel Jules Verne, “A volta ao mundo em 80 dias” Lobato fez sua primeira "viagem ao redor do mundo" com este autor. Em Mundo da Lua [1923], escreveu como Verne havia chamado sua atenção para o conhecimento: Monteiro Lobato O ENSINO e a literatura: aprender e viajar
  16. 16. A variedade de cores e ilustrações está presente em todas as obras desta coleção, que foi especialmente desenvolvida para crianças. As concepções de Lobato sobre as origens históricas dos problemas sociais e econômicos são passadas para as crianças através da transmissão/aquisição do conhecimento das ciências e das artes e suas diversas linguagens e estilos: tais características possuem presença marcante da Escola Nova. Fonte: Acervo da BIML, São Paulo, 2010. O ENSINO e a literatura: aprender e viajar A sala de aula pode ser do tamanho do mundo! escola como um instrumento de renovação social Biblioteca pedagógica brasileira década de 1930
  17. 17. A história se passa na década de 1940, Catarina Roque é uma professora com práticas pedagógicas consideradas “avançadas” para sua época. VONTADE DE ENSINAR E APRENDER AMOR ESTUDO DO MEIO ENTUSIASMO CRIATIVIDADE LÚDICO
  18. 18. Método Montessori essência de UM NOVO paradigma educacional EDUCAÇÃO VIVA E ATIVA 1.Salas de aula com crianças de idades entre 3 e 6 anos 2.Liberdade para o aluno escolher entre as atividades propostas 3.Blocos ininterruptos de trabalho, em média 3 horas 4.Um modelo construtivista, onde as crianças aprendem trabalhando com os materiais ao invés de instruções diretas 5.Materiais educacionais especializados, desenvolvidos por Maria Montessori e seus colaboradores 6.Liberdade para movimentar-se dentro da sala de aula pedagogia construtivista ESCOLA NOVA Equilíbrio entre liberdade e disciplina Foi educadora, médica, pedagoga e feminista italiana. Maria Montessori ✩1870 - ✝1952 Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  19. 19. Pedagogia Waldorf É uma pedagogia que tem como ponto de partida o conhecimento da criança e de seu desenvolvimento em diversos aspectos. Embasada na concepção de ser humano e mundo desenvolvida pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner Waldorf (1861-1925), essa pedagogia tem como objetivo o cultivo das potencialidades individuais. Leva em consideração a diversidade cultural e se compromete com princípios éticos humanos amplos e gerais. Antroposofia é a "ciência espiritual" Relação entre fé e ciência e a busca pela verdade “Qual é a meta do homem na vida? A resposta do monismo é: aquela que ele dá a si mesmo. Minha missão na vida não é previamente determinada, mas é aquela que eu escolho. Não entro na vida com um caminho já traçado” (STEINER, 2000, p. 129). Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  20. 20. Pedagogia Waldorf Organizada a partir de um profundo conhecimento do ser humano, a educação Waldorf fundamenta-se na Antroposofia. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  21. 21. A Logosofia tem seu próprio método de conhecimento interno e propõe uma pedagogia que considera as conexões entre experiências e valores pessoais como ponto de partida para a aprendizagem e o crescimento. PECOTCHE GONZÁLEZ ✩1901 - ✝1963 Grande importância é dada para o que acontece na vida de cada estudante. Argentina Quanto antes se aprende, mais rápido e melhor se aprende Concepção do sujeito bio-psico-espiritual Originalidade Individualidade Do ser TRANSFORMAÇÃO Pedagogia logosófica parte de uma compreensão filosófica do homem como um ser espiritual Respeita as fases de crescimento Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  22. 22. A Educação em casa ou sem educação escolar, é um movimento que se tornou popular nas últimas décadas, mas ao contrário dos outros, não é uma instituição. A Home-schooling fornece uma alternativa para a instituição da escola, e acredita que o melhor ambiente para a educação está em casa. Ensino doméstico ou domiciliar Home-Schooling 1.Realizado em casa e os tutores ou professores são pessoas da própria família ou comunidade, regra geral os pais. 2.Este ensino pode ou não ser auxiliado por uma escola, que fornece explicações para os pais-tutores, ou um ambiente social para que a criança possa passar algumas horas da semana com outras crianças da mesma idade que frequentam a escola. 3.Encontros de home-schoolings 4.O currículo pode ser dirigido, sendo bastante semelhante ao existente nas escolas, ou os pais-tutores podem seguir um currículo livre, ou mesmo a ausência de currículo, permitindo à criança que aprenda de forma auto didática. 1977 Crescendo sem a escolarização educador americano John Holt (1923–1985) Revista Growing Without Schooling unschooling ("des-escolarizar") Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  23. 23. Educação Popular Paulo Freire cunhou o termo EDUCAÇÃO BANCÁRIA, para descrever o sistema de ensino alienante, onde os jovens são vistos como produtos incompletos, onde o adulto impõe seu olhar, seu conhecimento, sua visão do Banco Mundial. Freire propõe uma pedagogia que se centra na vida do sujeito, o jovem. Aprender com as experiências, as experiências de nossas histórias pessoais, desenvolvendo uma PEDAGOGIA DA LIBERTAÇÃO, a qual os sujeitos são responsáveis pelo seu próprio ser e guiam seu próprio destino. PEDAGOGIA DA LIBERTAÇÃO Paulo freire ✩1921 - ✝1997 Ao propor a escola como o lugar da ciência e, partindo da premissa de que o conhecimento é um processo coletivo ao qual, todos fazem parte e por isso devemos compartilhar sua organização, entendimento e compreensão, construiremos uma escola que desperte o interesse de seus alunos e que garanta o sonho, a poesia, a dúvida e a liberdade de criação! (FREIRE, 1996). Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  24. 24. Quebrar com o modelo de educação bancária "Eis aí a concepção “bancária” da educação, em que a única margem de ação que se oferece aos educandos é a de receberem os depósitos, guardá-los e arquivá-los. [...] Na visão “bancária” da educação, o “saber” é uma doação dos que se julgam sábios aos que julgam nada saber. Doação que se funda numa das manifestações instrumentais da ideologia da opressão – a absolutização da ignorância, que constitui o que chamamos de alienação da ignorância, segundo a qual esta se encontra sempre no outro“ (FREIRE, 1987, p. 58-59). Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  25. 25. UMA ESCOLA DIFERENTE? Quando? 24/10/2013, quinta-feira. Qual horário? Das 10:30 às 17:00. Quanto? R$ 25,00 OBS: Trata-se do valor do almoço (R$ 10,00) e da passagem (R$ 15,00), ônibus que terá seu ponto de saída e chegada na EME Professora Alcina Dantas Feijão. A dinâmica de visitação consistirá em: 1 – Almoço + Recepção. 2 – Visitar o espaço acompanhado por educandos. 3 – Observar os diferentes espaços de aprendizagem (sem interferir no trabalho das crianças e educadores). 4 – Roda de conversa com um dos educadores do Projeto (eventualmente outros educadores e/ou educandos podem participar). Estamos formando um grupo de 30 pessoas, entre estudantes e professores, para visitar o projeto Âncora em Cotia, que tem a finalidade de educar para a cidadania ativa, solidária e responsável, em parceria com a escola, a família e a comunidade. Por que é preciso repensar a reforma e reformar o pensamento por uma escola livre.
  26. 26. COTIA – SP PROFESSOR JOSÉ PACHECO A educação é por definição INTEGRAL à medida que deve atender a todas as dimensões do desenvolvimento humano. VILA DAS AVES, PORTUGAL Comunidades de aprendizagem Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  27. 27. Práticas Pedagogias alternativas Não existe um único método adequado, mas a possibilidade de se recriar e reinventar novas práticas a cada momento. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  28. 28. valorizar a diversidade cultural Elemento que pode acrescentar experiência e aprendizado formação da cidadania participativa e crítica agir e pensar sobre a realidade Transformar Construção de uma sociedade mais justa Processo histórico social educação ciência Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  29. 29. conhecimento científico Conhecimento da realidade escolar redução das desigualdades educacionais e sociais + = Sobre o que é possível realizar e construir em cada comunidade escolar orientações Currículo planejado e elaborado Realidade concreta Práticas no/do ambiente escolar Reflexões e pesquisas teóricas escola Objeto de discussão processo coletivo Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  30. 30. Se faz urgente reinventar as formas de ensinar e aprender, há muitas experiências ricas e significativas pelo Brasil e pelo mundo que podem contribuir para resignificar a escola e a educação, para inspirar outras práticas com estruturas mais humanizadas e que respeitem o tempo e a curiosidade de cada um (PACHECO, 2012). Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  31. 31. O filme foi produzido em 2012 de forma colaborativa e mostra mais de 45 experiências educativas alternativas, isto é, não convencionais, em oito países: Espanha, Catalunha, Equador, Colômbia, Argentina, Uruguai, Chile e Peru. Além de apresentar práticas e métodos diferenciados de ensino aprendizado. A Educação Proibida Quando sinto que já sei O documentário registra práticas educacionais inovadoras que estão ocorrendo pelo Brasil. A obra reúne depoimentos de pais, alunos, educadores e profissionais de diversas áreas sobre a necessidade de mudanças no tradicional modelo de escola.
  32. 32. Antônio Abujamra entrevista o educador Rubem Alves Programa exibido em 3 de maio de 2011 A Educação que, nas palavras de Abujamra, anda tão “machucada”, foi o norte do trabalho de Rubem em vida. “Eu sou educador não por dar aula, eu sou educador por escrever”, disse ele. Responsável por publicações de crônicas, contos e ensaios voltados para o público infanto-juvenil, Rubem deixa claro que seu maior interesse está nas pessoas, porque são elas que buscam pela aquisição de conhecimento e, por isso, podem ser educadas.
  33. 33. Vídeos selecionados Mudando paradigmas na educação A estrutura escolar – Pedagogia: cotidiano escolar Trechos do filme: Uma professora muito maluquinha Professor José Pacheco A Escola da Ponte e o Projeto Âncora Ferrer y Guardia, uma vida para a liberdade Colégio Logosófico - Enquanto ensina faz feliz Por que Waldorf? Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  34. 34. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 14ª Ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 31ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987, p. 58-59. FREINET, Célestin. Para uma escola do povo: guia prático para a organização material, técnica e pedagógica da escola popular. Lisboa: Presença, 1969. LOBATO, José Bento Monteiro. Mundo da lua. In: Obras completas. São Paulo: Brasiliense, 1946, [1923]. OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. A agricultura camponesa no Brasil. São Paulo: Contexto, 1991. MORIN, Edgar. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução Eloá Jacobina. 19ª Edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011. PACHECO, José. Dicionário de valores . 1ª Ed. São Paulo: Edições SM, 2012. PATTO, Maria Helena Souza. A família pobre e a escola pública: anotações sobre um desencontro. In: Revista Psicologia USP, v. 3. São Paulo, p. 107-121, 1992. SAVIANI, Dermeval. O Plano de Desenvolvimento da Educação: análise do projeto do MEC. In: Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100 - Especial, p. 1231- 1255, out. 2007. SCHWARCZ, Lília Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. SOARES, Gabriela Pelegrino. Semear Horizontes: Uma história da formação de leitores na Argentina e no Brasil, 1915- 1954. Minas Gerais: Editora UFMG, 2007. TEIXEIRA, Anísio. Educação progressiva: uma introdução à filosofia da educação. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1933. Referências bibliográficas e fontes de pesquisa Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  35. 35. OBRIGAda A TOD@S! CATARINA TROIANO PROFESSORACATARINA66@GMAIL.COM FIM Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?
  36. 36. Pedagogias alternativas: a escola pode ser diferente?

×