SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
1
Projeto de Resolução Nº 1537/XII
Em defesa da sustentabilidade do rio Tejo
O rio Tejo caracteriza uma parte fundamental do nosso território, une vários distritos de Portugal e é
elemento marcante da região do Ribatejo. É um recurso fundamental para o ambiente, um elemento
central da nossa cultura, um notável recurso turístico, mas também um elemento decisivo para a
agricultura da região e para a atividade piscatória das centenas de profissionais e amadores da
região.
Os utilizadores e “cuidadores” do Tejo têm uma preocupação séria com a sustentabilidade do rio,
com a manutenção das suas características e com o bem-estar das suas espécies haliêuticas e de
toda a flora que o circunda.
Deputados dos mais diversos grupos parlamentares têm demonstrado a sua preocupação com
diferentes situações relacionadas com a sustentabilidade do rio, com a qualidade dos seus recursos,
com a estabilidade do seu percurso e com a segurança das suas margens.
São comuns os relatos de eventos de poluição ao longo do rio Tejo, que incluem baixo caudal, água
escura e com mau aspeto, presença de espumas, mau cheiro, mortalidade de peixes e
consequente apodrecimento e degradação de matéria orgânica por atividade bacteriana, o que leva à
depleção de oxigénio, o florescimento de algas e microalgas, que tal como os peixes, morrem e
apodrecem, piorando ainda mais a situação. Estas questões não são pontuais, já que as queixas são
frequentes e recorrentes, e têm impacto elevado nas atividades que dependem do rio, como sendo a
pesca, o turismo, a qualidade balnear e o bem-estar das populações. Parece haver uma clara
necessidade de requalificar o rio, restabelecer os ecossistemas e o equilíbrio das espécies mais
afetadas para garantir que o Rio Tejo continua a ser estratégico em termos de desenvolvimento
regional.
Trata-se também de um potencial problema de saúde pública, uma vez que estas situações podem
ser acompanhadas da elevada presença de bactérias, vírus e toxinas libertadas pelos organismos, já
para não falar dos produtos químicos muitas vezes descarregados ilegalmente.
A gestão dos caudais de um rio é um tema bastante complexo pela enorme diversidade de
condicionantes que envolve. No caso do Tejo, a quantidade de água depende de vários fatores
como: a variabilidade das condições atmosféricas (precipitação e temperatura, entre outros); da
quantidade de água que nos chega de Espanha (regulada pela Convenção de Albufeira - Resoluções
da Assembleia da República números 66/99 e 62/2008); a regulação dos caudais que é feita em
território nacional pelas barragens e açudes existentes, necessários para a produção de energia, a
rega e o consumo público, entre outros usos.
2
Tendo em conta que:
a) Nos últimos meses se tem verificado a baixa generalizada do caudal do rio Tejo, , tal como
foi por diversas vezes alertado pelos autarcas do Médio Tejo, por pescadores e amigos do
“Tejo”;
b) Se observaram focos de poluição ao longo do percurso do rio, com maior evidência recente
junto à barragem de Ortiga/Belver com o aparecimento de várias manchas de poluição e a
comprovada morte de um elevado número de peixes;
c) Ocorreu um incidente grave junto ao açude de Abrantes, que segundo relatos da própria
autarquia, e da comunicação social, provocou a morte de cerca de uma tonelada de peixes,
situação provocada por uma conjugação de fatores relacionados com o baixo caudal do rio e
com o deficiente funcionamento, e adequação ao local, da escada de passagem de peixes
do açude construído pela autarquia de Abrantes;
d) Têm ocorrido diversas alterações das margens do Tejo ao longo do seu percurso, em
particular o seu colapso em alguns concelhos dos distritos de Santarém e de Lisboa na
sequência de intervenções feitas junto ao rio, mas também provocadas pela normal erosão
das margens, o que tem acarretado preocupações de segurança para os seus utilizadores e
para a população em geral;
e) Os problemas de assoreamento, de queda de margens e de alteração de caudal podem pôr
em causa a segurança das bases dos diques de proteção contra cheias do rio Tejo;
f) Os recentes alertas do “Movimento pelo Tejo” que se referem a um aumento dos volumes de
água represados nas barragens portuguesas, além das espanholas, o que no seu entender
também contribui para a baixa dos caudais.
Reconhecendo o esforço e preocupação das autarquias dos concelhos banhados pelo Tejo, dos
cidadãos que se têm empenhado na defesa do rio, o empenho permanente da Agência Portuguesa
do Ambiente e do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia.
Tendo conhecimento da recente aprovação pelo Governo de um novo regime de contraordenações
ambientais e do ordenamento do território mais penalizador, mais ágil, que reforça os mecanismos
destinados a garantir maior eficácia à execução de sanções, como as que alargam a
responsabilidade pela infração aos administradores e gestores das pessoas coletivas, tornando a
responsabilização mais evidente e as coimas mais dissuasoras.
Sabendo que está em curso o processo de revisão dos Planos de Gestão de Região Hidrográfica, o
que representa uma excelente oportunidade para equacionar, prevenir e garantir a solução de vários
problemas aqui relatados.
Nesse sentido, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os Grupos
Parlamentares do PSD e do CDS-PP propõem que a Assembleia da República recomende ao
Governo:
3
1. Proceda a uma avaliação do cumprimento dos acordos com a Espanha através da
monitorização dos caudais à entrada de Portugal. Caso se confirme o cumprimento do
acordo, o Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e da Energia, deverá avaliar
a atualidade do acordo em vigor e verificar se esses caudais são suficientes para garantir a
manutenção da boa qualidade ecológica dos ecossistemas portugueses.
2. Avaliar as condições dos contratos de concessão e definição de caudais ecológicos com as
empresas concessionárias das barragens ou definição de soluções alternativas que garantam
o Bom Estado Ecológico do rio.
3. O Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia efetue uma investigação
urgente aos incidentes de poluição recentemente ocorridos bem como às condições em que
empresas e outras entidades situadas ao longo do rio, fazem as suas descargas ou de
qualquer outro modo contribuem para a poluição do rio Tejo.
4. A Agência Portuguesa do Ambiente apoie tecnicamente a Câmara Municipal de Abrantes nas
alterações necessárias a realizar na estrutura do açude do rio Tejo em Abrantes, em
particular no melhoramento do sistema de passagem de peixes, bem como na preparação de
eventuais candidaturas ao PT2020 para financiamento dos investimentos necessários.
5. Elabore um Plano de Vigilância, Prevenção, Controlo e Mitigação, uma vez que são
frequentes estas ocorrências, especialmente nos meses/anos menos chuvosos, considera-se
útil um plano que incluísse a monitorização e inspeção visual da qualidade da água, a
fiscalização das atividades na bacia hidrográfica e um programa de medidas de minimização
para quando não pode ser evitado que os casos ocorram quer de forma acidental quer
natural. O financiamento das ações referidas neste ponto podem ter enquadramento no
Portugal 2020.
6. Se proceda à “caracterização e quantificação do grau de degradação dos sistemas fluviais”
do rio Tejo, em particular nas zonas com margens mais degradas, incluindo a avaliação de
eventuais intervenções a fazer no sentido de reforçar a sua estabilidade para prevenir cheias,
acidentes ou desmoronamentos que possam colocar em causa a segurança das pessoas e
das explorações agrícolas.
Palácio de S. Bento, 16 de Junho de 2015
Os Deputados,

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vazão Ecologica - Yvonilde Medeiros
Vazão Ecologica - Yvonilde MedeirosVazão Ecologica - Yvonilde Medeiros
Vazão Ecologica - Yvonilde MedeirosCBH Rio das Velhas
 
Workshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo Pinto
Workshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo PintoWorkshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo Pinto
Workshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo Pintoportodeaveiro
 
Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009
Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009
Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009Agência Peixe Vivo
 
Livro10 Calculos hidrologicos
Livro10 Calculos hidrologicosLivro10 Calculos hidrologicos
Livro10 Calculos hidrologicosGrazi Ruas
 
ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...
ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...
ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...Gabriella Ribeiro
 
MSc thesis presentation
MSc thesis presentationMSc thesis presentation
MSc thesis presentationSonia Mena
 
Workshop “Gestão de Dragagens” – Paulo Silva
Workshop “Gestão de Dragagens” – Paulo SilvaWorkshop “Gestão de Dragagens” – Paulo Silva
Workshop “Gestão de Dragagens” – Paulo Silvaportodeaveiro
 
DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...
DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...
DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...Gabriella Ribeiro
 
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grandeLaura Magalhães
 
20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira
20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira
20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio JunqueiraCBH Rio das Velhas
 
CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...
CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...
CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...Gabriella Ribeiro
 
usos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piaui
usos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piauiusos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piaui
usos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piauijulianamariamorais
 
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...Gabriella Ribeiro
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiaNilton Goulart
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ slides-mci
 

Mais procurados (20)

Vazão Ecologica - Yvonilde Medeiros
Vazão Ecologica - Yvonilde MedeirosVazão Ecologica - Yvonilde Medeiros
Vazão Ecologica - Yvonilde Medeiros
 
Workshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo Pinto
Workshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo PintoWorkshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo Pinto
Workshop “Gestão de Dragagens” – Celso Aleixo Pinto
 
Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009
Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009
Minuta Da MoçãO Cbh Velhas Nº 01 2009
 
Livro10 Calculos hidrologicos
Livro10 Calculos hidrologicosLivro10 Calculos hidrologicos
Livro10 Calculos hidrologicos
 
ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...
ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...
ANÁLISE DOS PONTOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE ARA...
 
CDP-PP - Rio Vizela
CDP-PP  - Rio VizelaCDP-PP  - Rio Vizela
CDP-PP - Rio Vizela
 
MSc thesis presentation
MSc thesis presentationMSc thesis presentation
MSc thesis presentation
 
Workshop “Gestão de Dragagens” – Paulo Silva
Workshop “Gestão de Dragagens” – Paulo SilvaWorkshop “Gestão de Dragagens” – Paulo Silva
Workshop “Gestão de Dragagens” – Paulo Silva
 
PSD - Rio Vizela
PSD - Rio VizelaPSD - Rio Vizela
PSD - Rio Vizela
 
DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...
DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...
DUPLA DOMINIALIDADE DAS ÁGUAS NO BRASIL: ENTRAVES LEGAIS PARA O ADEQUADO GERE...
 
A dança da água
A dança da águaA dança da água
A dança da água
 
Fmp inea
Fmp ineaFmp inea
Fmp inea
 
PCP - Rio Vizela
PCP - Rio VizelaPCP - Rio Vizela
PCP - Rio Vizela
 
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
 
20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira
20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira
20 anos da Lei das Águas no Brasil - José Claudio Junqueira
 
CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...
CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...
CARTA GEOTÉCNICA DE SUSCETIBILIDADE A PROCESSOS GEOAMBIENTAIS E RISCO POTENCI...
 
usos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piaui
usos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piauiusos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piaui
usos-multiplos-da-agua-na-bacia-do-rio-guaribas-piaui
 
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA SEDIMENTAR DO ARA...
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
 

Destaque

Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02
Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02
Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02Peter Fungai Sande Pifusa
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiamundica broda
 
Conceitos De Sociologia politica II
Conceitos De Sociologia politica IIConceitos De Sociologia politica II
Conceitos De Sociologia politica IILaguat
 
2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologiaFelipe Hiago
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaColegio GGE
 
Conceitos básicos de sociologia.filé
Conceitos básicos de sociologia.filéConceitos básicos de sociologia.filé
Conceitos básicos de sociologia.filéFabio Salvari
 
Quadro dos clássicos da sociologia
Quadro dos clássicos da sociologiaQuadro dos clássicos da sociologia
Quadro dos clássicos da sociologiaroberto mosca junior
 
Sociologia - Relações Sociais
Sociologia - Relações SociaisSociologia - Relações Sociais
Sociologia - Relações SociaisPaulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOS
SOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOSSOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOS
SOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOSUniceuma
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaGilmar Rodrigues
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à SociologiaAlison Nunes
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Over Lane
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?guest6a86aa
 

Destaque (15)

Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02
Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02
Conceitosbsicosdesociologia 110917195725-phpapp02
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologia
 
Conceitos De Sociologia politica II
Conceitos De Sociologia politica IIConceitos De Sociologia politica II
Conceitos De Sociologia politica II
 
O conceito de sociologia
O conceito de sociologiaO conceito de sociologia
O conceito de sociologia
 
O cenário histórico do surgimento da sociologia
O cenário histórico do surgimento da sociologiaO cenário histórico do surgimento da sociologia
O cenário histórico do surgimento da sociologia
 
2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia2014 conceitos básicos sociologia
2014 conceitos básicos sociologia
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologia
 
Conceitos básicos de sociologia.filé
Conceitos básicos de sociologia.filéConceitos básicos de sociologia.filé
Conceitos básicos de sociologia.filé
 
Quadro dos clássicos da sociologia
Quadro dos clássicos da sociologiaQuadro dos clássicos da sociologia
Quadro dos clássicos da sociologia
 
Sociologia - Relações Sociais
Sociologia - Relações SociaisSociologia - Relações Sociais
Sociologia - Relações Sociais
 
SOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOS
SOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOSSOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOS
SOCIOLOGIA CONCEITOS BASICOS
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologia
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?
 

Semelhante a Defesa da sustentabilidade do rio Tejo

Aquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia AAquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia AAna Barros
 
Bacias hidrográficas 2
Bacias hidrográficas 2Bacias hidrográficas 2
Bacias hidrográficas 2Idalina Leite
 
Geografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BEGeografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BEBiblioteia
 
Recursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no BrasilRecursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no BrasilRodrigo Mesquita
 
A Gestão da Zona Costeira Portuguesa
A Gestão da Zona Costeira PortuguesaA Gestão da Zona Costeira Portuguesa
A Gestão da Zona Costeira PortuguesaCláudio Carneiro
 
O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo
O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo
O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo Cláudio Carneiro
 
Sebenta de Geo A_ Evolução do litoral continental
Sebenta de Geo A_ Evolução do litoral continentalSebenta de Geo A_ Evolução do litoral continental
Sebenta de Geo A_ Evolução do litoral continentalIdalina Leite
 
As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...
As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...
As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...Cláudio Carneiro
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guanduJoão Silva
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guanduJoão Silva
 
T.I.G - Apresentação rio guandu
T.I.G - Apresentação  rio guanduT.I.G - Apresentação  rio guandu
T.I.G - Apresentação rio guanduJoão Silva
 
Apresentação rio guandu - T.I.G
Apresentação  rio guandu - T.I.GApresentação  rio guandu - T.I.G
Apresentação rio guandu - T.I.GJoão Silva
 

Semelhante a Defesa da sustentabilidade do rio Tejo (20)

Edital v costa-final
Edital v costa-finalEdital v costa-final
Edital v costa-final
 
Aquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia AAquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia A
 
Bacias hidrográficas 2
Bacias hidrográficas 2Bacias hidrográficas 2
Bacias hidrográficas 2
 
ApresentaçãO
ApresentaçãOApresentaçãO
ApresentaçãO
 
Geografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BEGeografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BE
 
Recursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no BrasilRecursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no Brasil
 
Plano Integrado Porto Cidade - São Sebastião
Plano Integrado Porto Cidade - São SebastiãoPlano Integrado Porto Cidade - São Sebastião
Plano Integrado Porto Cidade - São Sebastião
 
Informativo insp 70
Informativo insp   70Informativo insp   70
Informativo insp 70
 
A Gestão da Zona Costeira Portuguesa
A Gestão da Zona Costeira PortuguesaA Gestão da Zona Costeira Portuguesa
A Gestão da Zona Costeira Portuguesa
 
Manifesto campanha manguefazadiferenca_vsa
Manifesto campanha manguefazadiferenca_vsaManifesto campanha manguefazadiferenca_vsa
Manifesto campanha manguefazadiferenca_vsa
 
Geografia A
Geografia AGeografia A
Geografia A
 
O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo
O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo
O Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo
 
Sebenta de Geo A_ Evolução do litoral continental
Sebenta de Geo A_ Evolução do litoral continentalSebenta de Geo A_ Evolução do litoral continental
Sebenta de Geo A_ Evolução do litoral continental
 
Informativo insp 4 f
Informativo insp   4 fInformativo insp   4 f
Informativo insp 4 f
 
Gestao Recursos Hídricos
Gestao Recursos HídricosGestao Recursos Hídricos
Gestao Recursos Hídricos
 
As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...
As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...
As Águas de Lastro e os desafios colocados à Gestão Ambiental das Actividade ...
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guandu
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guandu
 
T.I.G - Apresentação rio guandu
T.I.G - Apresentação  rio guanduT.I.G - Apresentação  rio guandu
T.I.G - Apresentação rio guandu
 
Apresentação rio guandu - T.I.G
Apresentação  rio guandu - T.I.GApresentação  rio guandu - T.I.G
Apresentação rio guandu - T.I.G
 

Mais de Paulo Matos

Assembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo Matos
Assembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo MatosAssembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo Matos
Assembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo MatosPaulo Matos
 
Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020
Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020
Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020Paulo Matos
 
Esta é a hora de ser um pai presente
Esta é a hora de ser um pai presenteEsta é a hora de ser um pai presente
Esta é a hora de ser um pai presentePaulo Matos
 
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSDDiscurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSDPaulo Matos
 
2015 0808 testes ao consumo energético
2015 0808 testes ao consumo energético 2015 0808 testes ao consumo energético
2015 0808 testes ao consumo energético Paulo Matos
 
Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015
Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015
Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015Paulo Matos
 
Boletim informativo v3
Boletim informativo v3Boletim informativo v3
Boletim informativo v3Paulo Matos
 
Comunicado maio 2015 PSD Gavião - Saúde
Comunicado maio 2015 PSD Gavião - SaúdeComunicado maio 2015 PSD Gavião - Saúde
Comunicado maio 2015 PSD Gavião - SaúdePaulo Matos
 
Nota de imprensa saúde 1-2015
Nota de imprensa saúde 1-2015Nota de imprensa saúde 1-2015
Nota de imprensa saúde 1-2015Paulo Matos
 
Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015
Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015
Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015Paulo Matos
 
Sócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícito
Sócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícitoSócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícito
Sócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícitoPaulo Matos
 
O principe dos comunistas
O principe dos comunistasO principe dos comunistas
O principe dos comunistasPaulo Matos
 
Comunicado cidados
Comunicado cidadosComunicado cidados
Comunicado cidadosPaulo Matos
 
Psd agradecimento profª maria josé
Psd agradecimento profª maria joséPsd agradecimento profª maria josé
Psd agradecimento profª maria joséPaulo Matos
 
Boletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviaoBoletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviaoPaulo Matos
 
Pm direito resposta_alto_alentejov6
Pm direito resposta_alto_alentejov6Pm direito resposta_alto_alentejov6
Pm direito resposta_alto_alentejov6Paulo Matos
 
Exame fevereiro 2014 pedro miguel Belver
Exame fevereiro 2014 pedro miguel BelverExame fevereiro 2014 pedro miguel Belver
Exame fevereiro 2014 pedro miguel BelverPaulo Matos
 
Comunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge Martins
Comunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge MartinsComunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge Martins
Comunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge MartinsPaulo Matos
 
Ata n18 2013 Câmara Gaviao
Ata n18 2013 Câmara GaviaoAta n18 2013 Câmara Gaviao
Ata n18 2013 Câmara GaviaoPaulo Matos
 
Reuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul Pereira
Reuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul PereiraReuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul Pereira
Reuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul PereiraPaulo Matos
 

Mais de Paulo Matos (20)

Assembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo Matos
Assembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo MatosAssembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo Matos
Assembleia municipal Gavião 11 setembro 2020 Paulo Matos
 
Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020
Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020
Reuniao Pessoal Paulo Matos Assembleia Municipal Junho 2020
 
Esta é a hora de ser um pai presente
Esta é a hora de ser um pai presenteEsta é a hora de ser um pai presente
Esta é a hora de ser um pai presente
 
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSDDiscurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
Discurso paulo matos gaviao camara vereador PSD
 
2015 0808 testes ao consumo energético
2015 0808 testes ao consumo energético 2015 0808 testes ao consumo energético
2015 0808 testes ao consumo energético
 
Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015
Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015
Testes consumo energetico de Sistemas de Informação - PSTQB 2015
 
Boletim informativo v3
Boletim informativo v3Boletim informativo v3
Boletim informativo v3
 
Comunicado maio 2015 PSD Gavião - Saúde
Comunicado maio 2015 PSD Gavião - SaúdeComunicado maio 2015 PSD Gavião - Saúde
Comunicado maio 2015 PSD Gavião - Saúde
 
Nota de imprensa saúde 1-2015
Nota de imprensa saúde 1-2015Nota de imprensa saúde 1-2015
Nota de imprensa saúde 1-2015
 
Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015
Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015
Gavião paulo matos distrital do psd eleicões 2015
 
Sócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícito
Sócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícitoSócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícito
Sócrates foi contra a lei do enriquecimento ilícito
 
O principe dos comunistas
O principe dos comunistasO principe dos comunistas
O principe dos comunistas
 
Comunicado cidados
Comunicado cidadosComunicado cidados
Comunicado cidados
 
Psd agradecimento profª maria josé
Psd agradecimento profª maria joséPsd agradecimento profª maria josé
Psd agradecimento profª maria josé
 
Boletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviaoBoletim final psd_gaviao
Boletim final psd_gaviao
 
Pm direito resposta_alto_alentejov6
Pm direito resposta_alto_alentejov6Pm direito resposta_alto_alentejov6
Pm direito resposta_alto_alentejov6
 
Exame fevereiro 2014 pedro miguel Belver
Exame fevereiro 2014 pedro miguel BelverExame fevereiro 2014 pedro miguel Belver
Exame fevereiro 2014 pedro miguel Belver
 
Comunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge Martins
Comunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge MartinsComunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge Martins
Comunicado PSD Gaviao Atribuição de Medalha Jorge Martins
 
Ata n18 2013 Câmara Gaviao
Ata n18 2013 Câmara GaviaoAta n18 2013 Câmara Gaviao
Ata n18 2013 Câmara Gaviao
 
Reuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul Pereira
Reuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul PereiraReuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul Pereira
Reuniao executivo camara 06_11_2013 fora ordem Saul Pereira
 

Defesa da sustentabilidade do rio Tejo

  • 1. 1 Projeto de Resolução Nº 1537/XII Em defesa da sustentabilidade do rio Tejo O rio Tejo caracteriza uma parte fundamental do nosso território, une vários distritos de Portugal e é elemento marcante da região do Ribatejo. É um recurso fundamental para o ambiente, um elemento central da nossa cultura, um notável recurso turístico, mas também um elemento decisivo para a agricultura da região e para a atividade piscatória das centenas de profissionais e amadores da região. Os utilizadores e “cuidadores” do Tejo têm uma preocupação séria com a sustentabilidade do rio, com a manutenção das suas características e com o bem-estar das suas espécies haliêuticas e de toda a flora que o circunda. Deputados dos mais diversos grupos parlamentares têm demonstrado a sua preocupação com diferentes situações relacionadas com a sustentabilidade do rio, com a qualidade dos seus recursos, com a estabilidade do seu percurso e com a segurança das suas margens. São comuns os relatos de eventos de poluição ao longo do rio Tejo, que incluem baixo caudal, água escura e com mau aspeto, presença de espumas, mau cheiro, mortalidade de peixes e consequente apodrecimento e degradação de matéria orgânica por atividade bacteriana, o que leva à depleção de oxigénio, o florescimento de algas e microalgas, que tal como os peixes, morrem e apodrecem, piorando ainda mais a situação. Estas questões não são pontuais, já que as queixas são frequentes e recorrentes, e têm impacto elevado nas atividades que dependem do rio, como sendo a pesca, o turismo, a qualidade balnear e o bem-estar das populações. Parece haver uma clara necessidade de requalificar o rio, restabelecer os ecossistemas e o equilíbrio das espécies mais afetadas para garantir que o Rio Tejo continua a ser estratégico em termos de desenvolvimento regional. Trata-se também de um potencial problema de saúde pública, uma vez que estas situações podem ser acompanhadas da elevada presença de bactérias, vírus e toxinas libertadas pelos organismos, já para não falar dos produtos químicos muitas vezes descarregados ilegalmente. A gestão dos caudais de um rio é um tema bastante complexo pela enorme diversidade de condicionantes que envolve. No caso do Tejo, a quantidade de água depende de vários fatores como: a variabilidade das condições atmosféricas (precipitação e temperatura, entre outros); da quantidade de água que nos chega de Espanha (regulada pela Convenção de Albufeira - Resoluções da Assembleia da República números 66/99 e 62/2008); a regulação dos caudais que é feita em território nacional pelas barragens e açudes existentes, necessários para a produção de energia, a rega e o consumo público, entre outros usos.
  • 2. 2 Tendo em conta que: a) Nos últimos meses se tem verificado a baixa generalizada do caudal do rio Tejo, , tal como foi por diversas vezes alertado pelos autarcas do Médio Tejo, por pescadores e amigos do “Tejo”; b) Se observaram focos de poluição ao longo do percurso do rio, com maior evidência recente junto à barragem de Ortiga/Belver com o aparecimento de várias manchas de poluição e a comprovada morte de um elevado número de peixes; c) Ocorreu um incidente grave junto ao açude de Abrantes, que segundo relatos da própria autarquia, e da comunicação social, provocou a morte de cerca de uma tonelada de peixes, situação provocada por uma conjugação de fatores relacionados com o baixo caudal do rio e com o deficiente funcionamento, e adequação ao local, da escada de passagem de peixes do açude construído pela autarquia de Abrantes; d) Têm ocorrido diversas alterações das margens do Tejo ao longo do seu percurso, em particular o seu colapso em alguns concelhos dos distritos de Santarém e de Lisboa na sequência de intervenções feitas junto ao rio, mas também provocadas pela normal erosão das margens, o que tem acarretado preocupações de segurança para os seus utilizadores e para a população em geral; e) Os problemas de assoreamento, de queda de margens e de alteração de caudal podem pôr em causa a segurança das bases dos diques de proteção contra cheias do rio Tejo; f) Os recentes alertas do “Movimento pelo Tejo” que se referem a um aumento dos volumes de água represados nas barragens portuguesas, além das espanholas, o que no seu entender também contribui para a baixa dos caudais. Reconhecendo o esforço e preocupação das autarquias dos concelhos banhados pelo Tejo, dos cidadãos que se têm empenhado na defesa do rio, o empenho permanente da Agência Portuguesa do Ambiente e do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia. Tendo conhecimento da recente aprovação pelo Governo de um novo regime de contraordenações ambientais e do ordenamento do território mais penalizador, mais ágil, que reforça os mecanismos destinados a garantir maior eficácia à execução de sanções, como as que alargam a responsabilidade pela infração aos administradores e gestores das pessoas coletivas, tornando a responsabilização mais evidente e as coimas mais dissuasoras. Sabendo que está em curso o processo de revisão dos Planos de Gestão de Região Hidrográfica, o que representa uma excelente oportunidade para equacionar, prevenir e garantir a solução de vários problemas aqui relatados. Nesse sentido, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os Grupos Parlamentares do PSD e do CDS-PP propõem que a Assembleia da República recomende ao Governo:
  • 3. 3 1. Proceda a uma avaliação do cumprimento dos acordos com a Espanha através da monitorização dos caudais à entrada de Portugal. Caso se confirme o cumprimento do acordo, o Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e da Energia, deverá avaliar a atualidade do acordo em vigor e verificar se esses caudais são suficientes para garantir a manutenção da boa qualidade ecológica dos ecossistemas portugueses. 2. Avaliar as condições dos contratos de concessão e definição de caudais ecológicos com as empresas concessionárias das barragens ou definição de soluções alternativas que garantam o Bom Estado Ecológico do rio. 3. O Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia efetue uma investigação urgente aos incidentes de poluição recentemente ocorridos bem como às condições em que empresas e outras entidades situadas ao longo do rio, fazem as suas descargas ou de qualquer outro modo contribuem para a poluição do rio Tejo. 4. A Agência Portuguesa do Ambiente apoie tecnicamente a Câmara Municipal de Abrantes nas alterações necessárias a realizar na estrutura do açude do rio Tejo em Abrantes, em particular no melhoramento do sistema de passagem de peixes, bem como na preparação de eventuais candidaturas ao PT2020 para financiamento dos investimentos necessários. 5. Elabore um Plano de Vigilância, Prevenção, Controlo e Mitigação, uma vez que são frequentes estas ocorrências, especialmente nos meses/anos menos chuvosos, considera-se útil um plano que incluísse a monitorização e inspeção visual da qualidade da água, a fiscalização das atividades na bacia hidrográfica e um programa de medidas de minimização para quando não pode ser evitado que os casos ocorram quer de forma acidental quer natural. O financiamento das ações referidas neste ponto podem ter enquadramento no Portugal 2020. 6. Se proceda à “caracterização e quantificação do grau de degradação dos sistemas fluviais” do rio Tejo, em particular nas zonas com margens mais degradas, incluindo a avaliação de eventuais intervenções a fazer no sentido de reforçar a sua estabilidade para prevenir cheias, acidentes ou desmoronamentos que possam colocar em causa a segurança das pessoas e das explorações agrícolas. Palácio de S. Bento, 16 de Junho de 2015 Os Deputados,