HC Turquel - 50 anos

413 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
413
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

HC Turquel - 50 anos

  1. 1. 50 Anos de HC Turquel 17 24 | Agosto | 2012 Turquel: milhares de anos de história numa freguesia que não esquece o passado A história de Turquel é ante- da terra. Em 1314 Frei Pedro rior à fundação da nacionali- Nunes concede-lhe a primeira dade portuguesa. Achados ar- Carta de Povoação e é D. Ma- queológicos em diversas gru- nuel I quem lhe concede Foral tas que existem na freguesia, Novo em 1514, chamando-se como peças de barro, macha- Villa Nova de Turquel. Foi umaHC Turquel, o sonho de um menino de 13 anos dos e facas, atestam a passa- gem do homem neolítico por das vilas que compunham os Coutos de Alcobaça e entre aquelas terras há cerca de oito 1352 e 1836 foi concelho, agre- Foi em 1957, ainda com 13 anos, bicicletas. Foi lá que Martinho, ir- mil anos. Lanças e machados gando a freguesia da sede eque Luís D’Avó Ribeiro se dirigiu a mão mais novo de Luís, encontrou de cobre dão conta da presen- parte da Benedita. O concelhoum grupo de adultos e lhes disse um par de patins à venda por 12 ça dos povos Indo-Europeus na de Turquel acabaria por ser ex-que Turquel devia ter uma equipa escudos, que não hesitaram em Idade do Cobre. tinto pouco tempo depois dede hóquei em patins a jogar a sé- comprar. Mais tarde, terão sido os Cel- António de Aguiar, ministro dario e a andar de avião, como fazi- Luís D’Avó Ribeiro lembra-se que tas a trazer o ferro para a re- justiça de então, abolir das or-am as grandes equipas de então. correu as eiras à procura de uma gião. Num documento elabora- dens religiosas, em 1834.“Eles riram-se e foram embora construída com cimento liso, que do recentemente pela Assem- Dos tempos históricos restasem me dar resposta” recorda. resposta”, desse para patinar. Busca sem bleia de Freguesia de Turquel ainda o património mais signifi- Vindo de uma família de classe sucesso. Porém tudo se parecia afirma-se que os Celtas trou- cativo da freguesia: o pelourinhomédia, filho de um afamado relo- conjugar a favor do Luís. Ainda em xeram ainda “toda uma cultu- datado de meados do século XVIjoeiro, António Alves Ribeiro, Luís 1955 era inaugurado em Turquel o ra que geminada com a dos Ibe- e a Igreja de Nossa Senhora daD’Avó Ribeiro sempre teve electri- Centro Paroquial, cujo pátio, apru- ros, que já se tinham instala- Conceição, mandada construircidade em casa e uma das poucas mado e de superfície lisa, era ide- do, que foi a génese daquilo em 1520 pelo Cardeal Henrique.telefonias que havia na terra àque- al para patinar. E foi aí que come- que nós hoje somos. (…) Não O adro da igreja, bem como ola época. Eram tempos de glória çaram. falando na influência cristã, seu interior, serviram durantedo hóquei patinado português, na A mesada dos dois irmãos, “que Aos 69 anos Luís D’Avó Ribeiro é um homem realizado que viria cerca de 1.500 anos algum tempo de cemitério. Asdécada de 50, que só encontrava funcionava como uma só” subli- só”, pelo fenómeno que o seu sonho de menino se tornou depois, foi este povo que nos ossadas que ali repousavam fo-rival em Espanha. nha Luís, era quase toda direccio- imprimiu seguramente o culto ram colocadas num ossário em A sala da família D’Avó Ribeiro nada para o hóquei. Compraram, ram inspiradas numa ida do grupo trito de Leiria, e dois sticks e uma dos mortos”. Uma teoria refor- finais do século XX, quando oenchia-se para ouvir os relatos do algum tempo depois, o primeiro de amigos ao Estádio da Luz para bola de hóquei. Foi concebido por çada pela existência de sepul- templo foi remodelado.célebre Torneio de Montreux, na par de patins novo. “Custou 150 ver o encontro de futebol entre Luís D’Avó Ribeiro e desenhado por turas em diversos locais, den- Ali bem perto encontra-se aSuíça. Algo que Luís tem bem vivo escudos e era uns Glória, ainda de Benfica e Tottenham, na caminha- José Mateus, outro dos pioneiros tro das quais foram encontra- Capela do Sr. Jesus do Hospi-na memória. “As finais eram qua- atar ao sapato, não me lembro da dos encarnados para o primei- do clube. dos artigos em barro e de uso tal, que funcionava como igre-se sempre entre Portugal e Espa- para qual de nós foi” conta Luís. foi”, ro título europeu. “Fomos ao Es- pessoal “fazendo crer que se ja da Antiga Misericórdia denha, os jogos eram vividos pelas Quando somaram o suficiente ad- tádio da Luz ver esse jogo e gos- SETE ANOS PARA acreditava na vida além-túmu- Turquel. Fundada em 1762, a ca-pessoas com muita emotividade quiriram o segundo par. Os usa- tei da farda dos árbitros, propus CONCRETIZAR UMA IDEIA lo”. pela terá acolhido S. Franciscoe chorava-se de alegria quando dos ficavam para os amigos. aos companheiros e foi aceite” aceite”, “Herdámos do povo Celta a Xavier “antes da sua partidaganhávamos” recorda.ganhávamos”, O ‘projecto’ HCT tinha, para recorda Luís, que faz questão de Daquela conversa, em 55, que o arte e a imaginação e, ao mes- para a Índia, aquando da sua Foi o despertar de uma paixão além dos dois irmãos, mais um dizer que era o líder do grupo, mas grupo de adultos considerou dis- mo tempo, a técnica de cons- deslocação da Pederneira (Na-que levou aquele menino a querer grande aliado, Luís Santos Roxo, nunca impôs nada aos amigos. paratada, ao primeiro jogo dispu- trução de artefactos (charru- zaré) para Santarém, por terfundar um clube na terra. “Tinha como faz questão de sublinhar Luís O nome do clube era ‘apadri- tado com as cores do HCT dista- as, espadas, objectos de uso feito um desvio no seu percur-noção que o hóquei era mais viá- D’Avó Ribeiro, e foi evoluindo com nhado’ por dois dos melhores clu- ram sete anos. Esse jogo, disputa- doméstico), sobretudo de bron- so para conhecer a zona dosvel numa aldeia que o futebol, o tempo. bes da época, em Portugal o Hó- do por seis turquelenses - Luís ze e ferro. (...) Tornámo-nos monges de Cister”. Junto aoporque é mais acessível, são pre- Rifavam bolos de ferradura à quei Clube de Sintra e na Suíça o D’Avó Ribeiro e o seu irmão Marti- ferreiros graças a eles”, adian- Largo do Pelourinho há a Casacisos menos jogadores e o trans- saída da missa para angariar di- Montreaux Hockey Club. nho, os irmãos Luís e Adelino Roxo, ta ainda o documento. da Câmara, onde funcionavamporte é mais fácil” explica. Ideia fácil”, nheiro para comprar patins para O símbolo, desmonta o funda- Viriato Oliveira e José Mateus - foi Não obstante o peso de to- os serviços do poder local e queque ainda hoje mantém. quem não tinha, para mandar fa- dor, tem uma armadura exterior realizado em Alcobaça, contra o dos estes povos na história de actualmente é propriedade Apesar da troça dos adultos, o zer balizas e o equipamento. Os com bicos. Em baixo para se fixar Ginásio, em Maio de 1962 e termi- Turquel, a presença dos Mon- particular.sonho daquele miúdo de 13 anos sticks eram feitos de paus de lou- à terra, em busca de firmeza, dos nou com a derrota dos turquelen- ges de Cister que habitavam o Hoje, a freguesia de Turquelnão esmoreceu e depressa tratou reiro. As bolas eram trapos. Nun- lados e por cima para impedir de ses por 7-1. Mas para o HCT o que Mosteiro de Alcobaça foi de- estende-se por uma área dede trabalhar para o tornar reali- ca tinham visto um jogo ao vivo, ser atacado. A forma de mola ser- estava ali em jogo era muito mais cisivo para o desenvolvimento Continua>>>>>dade. por isso era a imaginação e um ve para dar sensação de impulso que o resultado, era a fundação. Naquele ano de 1955 António livrinho de regras da Federação e elevação da terra. O emblema Nesta altura já o grupo tinhaAlves Ribeiro comprava uma ouri- Portuguesa de Patinagem que aju- contém o escudo nacional, com as chamado a atenção de Joaquimvesaria em Alcobaça, por coinci- davam a aperfeiçoar a técnica. cores do clube, preto e branco, Guerra, o Dr. Guerra, como é co-dência ao lado de uma oficina de As cores da indumentária fo- duas flores de Liz, alusivas ao dis- Continua>>>>> Era uma vez uma aldeia… no início da década de 60… A Europa cicatrizara as feri- a Rússia terminara por ceder e alguns americanos. de 1957! das da catástrofe da II Grande retirar os mísseis de Cuba, quan- As casas mais altas de Tur- Com a electricidade chegara Guerra e arrancava para época do John Kennedy esticara a cor- quel ficavam-se nos 2 pisos, com a Turquel a televisão, canal úni- de grande crescimento. da ao máximo. Até parecia que a adega por baixo. co estatal, só com uma sessão Portugal mantinha o atraso nas rampas de lançamento dos Ao sábado à noite o patrão vi- de poucas horas à noite, de má endémico desde o fim da Épo- intercontinentais aqueciam mo- nha pagar as jornas, ao domingo definição, a preto e branco, que ca dos Descobrimentos, desca- tores… vestia-se o fato de ir à missa, à nós íamos ao domingo à noite pitalizado desde a perca do ouro Ventos de mudança percorri- tarde ou se ia jogar o chinquilho, ver na Casa do Rapaz. do Brasil… am o Mundo. ou se ouviam os relatos de fute- Os rapazes turquelenses do O analfabetismo, a baixa fre- O Papa João XXIII convocara o bol, ou se acompanhavam as ra- pontapé na bola, da década de quência dos estudos universi- Concílio Vaticano II. parigas nas idas à fonte…ou se 50, estavam a reformar-se. tários, grande parte da popula- A corrida ao Espaço, entre ia para a taberna! Em Turquel As condições estavam cria- ção agarrada à terra, como os americanos e russos, acelerava. não havia cafés, muito menos das. Pub. antigos servos da gleba. Na “Caverna” de Liverpool um pastelarias ou supermercados. A hora chegara, criara-se o O Estado apenas detinha os grupo de 4 rapazes cabeludos O Benfica, só com jogadores ambiente e as condições para o hospitais centrais de Lisboa, compunham uma série de músi- portugueses, treinava-se para se Desporto medrar. Rebentou Porto e Coimbra. Os hospitais cas com que iam enlouquecer sagrar campeão europeu. A se- para o lado do hóquei em pa- distritais não tinham nascido, multidões. lecção nacional de futebol ainda tins. Os “teen agers” turquelen- muitos dos Hospitais das Mise- Os ares enchiam-se de aviões pouco ganhava, mas no hóquei ses de então avançaram, os ricórdias praticavam Medicina Dakotas e Superconstellation, alternávamos com Espanha uma apoios vieram. do início do Século. que os jactos ainda não voavam supremacia incontestada. Como Passaram 50 anos. 5 gerações O “ano horribilis” do Estado entre os comerciais. gostávamos de ouvir emociona- de “teen-agers” turquelenses Novo tinha sido 1961: rebentara Em Portugal, as estradas, sem dos os relatos do Torneio de perpetuaram. E de que manei- a guerra no Ultramar, aumen- tracejados, estreitas e esbura- Montreux! ra…! tara o nosso isolamento diplo- cadas, viam aparecer entre os No entanto, algum progresso Multiplicaram-se em núme- mático, evidenciado na ONU, o carros de bois, as carroças e os chegara à nossa freguesia. Não ro, em trabalho e dedicação. “Santa Maria” tinha sido se- burros, muitas motorizadas, com tínhamos esgotos nem água ca- O Hóquei Clube de Turquel questrado, em Dezembro a Ín- alguns Minis, Fiats 600, “caro- nalizada, na verdade a maior cresceu, tem 50 anos. Muitas dia ocupou Goa, Damão e Diu. chas”, Opeis e Taunus, ainda sem parte das casas não tinham casa mais gerações virão. A emigração encaminhava-se cintos de segurança nem limites de banho, nem torneiras …e foram felizes para sem- para França e Alemanha. de velocidade. Não havia carros havia…mas já tínhamos estrada pre! A Guerra Fria atingia o auge, japoneses, mas era possível ver alcatroada e electricidade des- Manuel Guerra
  2. 2. 18 50 Anos de HC Turquel24 | Agosto | 2012HC Turquel, o sonho de um menino de 13 anos Pub.<<<< continuação 25 de Julho de 1964, data oficial danhecido na terra. Os seus dois fi- fundação do HCT.lhos, António e Manuel, também Luís D’Avó Ribeiro seria o sóciojá patinavam. número 1, seguido dos seus com- O Dr. Guerra deu-lhes o que fal- panheiros de caminhada, mastava: construiu um rinque com como nenhum deles era maior debalneários. “Ele soube do nosso idade - na altura a maioridade erajogo e disse-nos que não tinha sido atingida aos 21 anos -, era precisouma derrota, tinha sido uma vitó- um adulto para assinar os docu-ria” lembra Luís.ria”, mentos e também em homena- A 26 de Agosto de 1962, as equipas do HCT e do O rinque era inaugurado a 26 de gem ao apoio prestado, todos Ginásio perfiladas antes do jogoAgosto de 1962, data que cumpre avançaram um número para que50 anos este domingo, com novo Joaquim Guerra ficasse como só- jogador e depois só como dirigen- ter pregado rasteiras noutrosjogo contra o Ginásio. Aos seis jo- cio número um. te, até aos 31 anos, quando se es- campos, no âmbito desportivo égadores juntavam-se os dois filhos O sonho estava concretizado. tabeleceu como empresário, um homem realizado.do Dr. Guerra. O resultado foi, des- Joaquim Guerra foi o primeiro pre- abrindo uma fábrica de relojoaria. “Aos 13 anos sonhei com umta vez, 2-7. sidente da direcção, Martinho “Quando passei a ser entidade clube ganhador, o HCT tem o me- Oficializar o clube, em pleno re- D’Avó Ribeiro era o vice-presiden- patronal era muita responsabili- lhor palmarés no distrito no hó-gime ditatorial, foi o passo seguin- te e Luís secretário. dade e o clube estava bem entre- quei em patins, é actualmente ote e também não foi tarefa fácil. O clube começou, de imediato, gue” sustenta. gue”, clube mais completo a nível naci-“Foi um processo longo e moroso, a entrar nas competições regionais, De resto, Luís adianta que só onal e temos vários jogadores in-tudo era filtrado pela PIDE e por funcionando com grande apoio da deixou o HCT quando estava já ternacionais, desde o Honório aosisso tivemos que seleccionar as população desde o dia um, num feita a transição para a geração irmãos Rafael” completa. Rafael”,pessoas, porque não podia haver modo que Luís D’Avó Ribeiro clas- seguinte. “Do nosso grupo todos Considera-se o pai do clube,a hipótese de se confundir políti- sifica de “amadorismo rural” rural”. casaram numa idade normal, eu mas “ninguém faz um filho sozi-ca com desporto” ressalva Luís desporto”, As receitas eram angariadas casei com 34 anos porque prepa- nho, o HCT foi feito com o esforçoD’Avó Ribeiro. sobretudo através da organização rei outra geração para substituir e o trabalho de muita gente e tem Os documentos necessários de eventos, como o torneio de fut- a minha à frente do HCT” explica. HCT”, sido muito bem dirigido, com opara oficializar o clube, incluindo sal que teve nove edições conse- Deixou o dirigismo, mas nunca trabalho com a juventude naos estatutos redigidos à máquina cutivas, cujos jogos eram segui- deixou de acompanhar a realida- base”. base”por Luís, foram entregues ao Go- dos de bailes. Foram organizadas de do seu HCT, mesmo que a saú-vernador Civil em 1963. Apenas um também garraiadas. de não lhe permita assistir aos jo- Joel Ribeiroano depois vieram aprovados, a O fundador ficou no clube, como gos, e diz que, apesar da vida lhe jribeiro@gazetacaldas.comTurquel: milhares de anos de história numa freguesia que não esquece o passado <<<< continuação do centro de saúde de Alcobaça, ção musical a muita gente. acções de promoção do patrimó-mais de 40 quilómetros quadra- assegura os cuidados de saúde Já o Rancho “Mira Serra” dos nio arquitectónico, ambiental edos e abrange os lugares de Ar- básicos à população, cifrada em Louções leva os trajes, os costu- cultural da freguesia.dido, Azambujeira (repartido com 4.563 habitantes. mes, as danças e os cantares de A história da vila está regista-Évora de Alcobaça), Cabeça Alta, São 19 as associações de âmbi- outros tempos a diversos locais da no livro “Turquel - Patrimó-Carvalhal, Casal de Baixo, Casal tos diversificados que promovem de aquém e além-fronteiras. Fun- nio, suas terras, suas gentes”,da Lagoa, Casal de Vale de Ven- as artes, a música, o desporto, a dado há 25 anos, “merece um lançado em Agosto de 2011 portos, Chão do Galego, Charneca cultura e a etnografia da fregue- carinho muito especial de toda a António Fraga de Oliveira, com odo Rio Seco, Covão do Milho, Fei- sia. A Sociedade Filarmónica Tur- comunidade”. apoio da ADEPART, da Câmaratosa, Frazões, Gaiteiros, Lagoa quelense é uma das mais antigas. Mais recente, a Associação de Alcobaça e Junta de Turquel,das Talas, Louções, Moita do Fundada em 1913, teve início com para a Defesa do Património de bem como de diversas empresasPoço, Orjo, Poço das Vinhas, Re- uma fanfarra, que depressa cres- Turquel (ADEPART) também me- locais.dondas, Silval e Turquel. A Uni- ceu para uma filarmónica “que rece destaque. Uma associaçãodade de Cuidados de Saúde Per- hoje muito honra a freguesia de nascida em 2000 e que desde Joana Fialhosonalizados D. Nuno, extensão Turquel” e que assegura forma- então se tem desdobrado em jfialho@gazetacaldas.comPub.
  3. 3. 50 Anos de HC Turquel 19 24 | Agosto | 2012Turquel é a “Aldeia portuguesa do hóquei” há 50 anosO Hóquei Clube de Turquel (HCT) começou há 50 que constitui a principal activi- já aconteceu no passado. dade, e perto de 300 na totali- É tudo isto que permite cons-anos a jogar de forma oficiosa, e desde então dade. tactar que o epíteto “Aldeia por-tornou-se um verdadeiro fenómeno a nível nacional. A principal força do clube são tuguesa do hóquei em patins”Instalado numa freguesia de 4544 habitantes [dados as pessoas da terra, que man- não podia estar melhor aplica-provisórios dos Censos 2011] o clube turquelense têm com ele uma relação de do a Turquel. grande proximidade. “É a famí-movimenta cerca de 300 atletas, dos quais mais de lia do HCT” exclama o presiden- HCT”, A SURPRESA DAS DANÇAS DEmetade dedicados ao hóquei em patins, a sua te. SALÃOgrande força, cobrindo todos os escalões de forma- É assim nos jogos, que têm lotação esgotada sem excepção Há sete anos o Hóquei Clubeção e equipas de seniores masculinos e femininos. nas últimas temporadas. “A ní- Turquel inaugurou uma novaArrasta ainda uma legião de adeptos que fim-de- vel nacional não há nada assim. secção que começou por ser umasemana a fim-de-semana esgotam a capacidade do Chegamos a ter jogos às 21 ho- actividade lúdica para depressa ras e meia hora antes já não se transformar numa modalida- O actual presidente, Tiago Guerra, diz que a força dopavilhão para ver jogar a equipa principal. Na época HCT são as pessoas da terra cabe mais ninguém, e não são de com grande dinâmica. Aspassada conseguiu um histórico regresso à I Divisão só pessoas de cá, vêm pessoas danças de salão do clube jun- vilhão, de âmbito nacional, que Outra solução passaria porNacional, onde em tempos já brilhou, aliado a uma de outras terras ver os jogos, tam já 35 pares no total, abran- juntou mais de 100 pares. Por um pavilhão na futura escola deépoca de grande nível dos restantes escalões, Caldas”, inclusivamente das Caldas” gendo uma larga faixa etária, isso está nas cogitações do clu- Turquel, eu chegou a ser pensa- assegura Tiago Guerra. constituindo assim um sucesso be organizar uma prova regu- do, mas que à partida não irádestacando o título nacional da equipa feminina e o É também aasim nos eventos tanto em adesão, como em re- lar, seja de âmbito nacional ou avançar.quarto lugar do escalão de iniciados. que o clube organiza para an- sultados, tendo somado já vári- regional. O futsal do HCT começou na gariar receitas. “Quando faze- os títulos regionais e nacionais época 2003/04, tem uma partici- Tiago Guerra, actual presiden- I Divisão. Nos tempos das ‘vacas mos um evento começamos (confirmar). LIMITAÇÃO DE ESPAÇO NÃO pação na II Divisão distrital, nate do clube, é dirigente do HCT gordas’ havia dinheiro para ir com 10 pessoas a trabalhar e A história das danças de sa- DEIXA O FUTSAL CRESCER qual foi vice-campeão, cinco nahá cerca de 20 anos, lembra-se buscar jogadores profissionais a quando chega ao dia somos 30 lão no HCT começou pela extin- I Divisão com três subidas à Di-do clube lhe dar muitas alegrias Lisboa e o clube conseguia ou 40, são de um voluntariado ção da patinagem artística, num A modalidade com menor di- visão de Honra, a mais impor-mas nunca como este ano. “Subi- aguentar-se algum tempo na di- muito grande” afiança o presi- grande”, desentendimento entre o profes- mensão no Hóquei Clube Tur- tante no distrito, tendo conse-mos à I Divisão, o que perseguía- visão principal. Épocas em que dente. Que dá ainda como exem- sor e os dirigentes, numa altura quel em número de atletas é o guido pela primeira a manuten-mos há três anos, as meninas fo- apenas uma empresa podia pa- plo um grupo de senhoras que de interregno de Tiago Guerra futsal. O clube tem apenas uma ção nesta divisão na temporadaram campeãs nacionais, os inici- gar toda a época do clube. no Carnaval faz filhós a favor como presidente do clube. equipa sénior masculina a com- passada.ados estiveram na Final Four e Foi, contudo, com um traba- do clube. “Em dois dias fizeram “A patinagem artística tinha petir. Este é um projecto que setemos quase todas as equipas nos lho semelhante ao de hoje, na 1800 euros, imagine quantas fi- algum sucesso, chegámos a ter tem vindo a consolidar em ter- COMEMORAÇÕES DOS 50nacionais” descreve.nacionais”, década de 80, que o HCT teve as lhós é preciso fazer, a 50 cênti- um par campeão nacional, mas mos desportivos, com a equipa ANOS DURANTE DOIS ANOS Um momento de euforia con- suas maiores glórias. António Li- mos cada uma” sublinha. uma”, mandaram o professor embora estável na principal divisão aoseguido com um trabalho de vramento, um dos nomes mais Numa altura em que o apoio e não conseguiram outro, por nível do distrito, mas as limita- Só recentemente a actual ge-continuidade. Há pouco mais de sonantes do hóquei patinado empresarial, embora importan- extinta”, isso acabou por ser extinta” ções de espaço impedem que se ração que comanda o Hóquei10 anos o clube iniciou uma nova português, iniciou em Turquel a te, não chega para cobrir os cer- conta Tiago Guerra. expanda também para os esca- Clube de Turquel tomou conhe-fase da sua história com um pro- carreira como treinador, apostan- ca de 130 mil euros que o clube Quando regressou ao clube, lões de formação, como era von- cimento da história da sua fun-jecto virado para dentro, apos- do na prata da casa. Subiu a equi- gasta por ano, são os eventos deparou-se com a necessidade tade dos dirigentes. dação e que o clube já jogavatando forte na formação de jo- pa à I Divisão e conseguiu dois que garantem a estabilidade de preencher o vazio deixado por “Gostava de fazer no futsal o antes de estar totalmente for-gadores de qualidade que ali- apuramentos para a Taça Ceres que o HCT se orgulha de ter. essa extinção, até porque, se- mesmo que temos no hóquei, malizado.mentassem a equipa sénior. - uma competição europeia. Festas como Carnaval, cujo gru- gundo a legislação, as rapari- começar com as escolinhas e Foi a 26 de Agosto de 1962 que Um trabalho levado a cabo “Agora os tempos são outros, po musical, a Charanga Vicenti- gas só podiam jogar hóquei com por aí em diante para termos os Turquel recebeu o seu primeiropor João Simões, actual Coor- mas já provámos este ano na na, é composto por elementos os rapazes até aos 13 anos “e escalões de formação a alimen- jogo de hóquei, dia da inaugu-denador Técnico, que define Taça de Portugal [n.d.r.: chegou da direcção e custa zero, a fes- tínhamos que ter outra modali- tar a equipa sénior” adianta o ração do rinque de patinagem, sénior”,uma filosofia e um sistema de às meias-finais depois de ultra- ta de Natal, um torneio de Pás- dade para elas” acrescenta. elas”, presidente Tiago Guerra. O pro- e é por isso nesta data que sejogo comum a todas as equipas, passar várias formações da I Di- coa que se repete todos os anos Foi o gosto pelas danças, quer blema é que o pavilhão está vão iniciar as comemorações.desde a iniciação aos seniores. visão] que os nossos atletas sa- com as melhores equipas do do próprio presidente, quer de completamente lotado. “Vamos começar a 26 de “Este trabalho está agora a bem jogar diz Tiago Guerra, jogar”, país, o almoço de convívio que outro dirigente, Dinis Vicente, “Começamos os treinos às Agosto os festejos, os jogado-dar frutos” regista o presiden- frutos”, confiante que a equipa vai con- se segue à Missa de Nossa Se- que apontou o caminho. 16h30 e só paramos perto da res dessa partida ainda estãote, quer na equipa sénior, quer seguir manter-se entre os gran- nhora da Conceição, a 8 de De- “Arranjámos professores, co- meia-noite, e as duas salas que quase todos vivos e queremosna formação, permitindo ao clu- des. zembro, e junta meio milhar de meçou por ser uma actividade temos até servem para as equi- fazer uma brincadeira com eles,be a ter equipas competitivas em pessoas, ou ainda a Gala anual, lúdica mas hoje já vão compe- pas que iniciarem o seu aqueci- porque lhes devemos a existên-quase todas as faixas etárias. UM CLUBE ÚNICO NO PAÍS que também lota o pavilhão com tir ao estrangeiro” observa. estrangeiro”, mento antes de entrarem para cia do clube, e vamos continu- “A nossa única dificuldade é todos os atletas e seus familia- A dinâmica desta modalida- optimizar o tempo” descreve Ti- ar os festejos até 25 de Julho de tempo”,nos juniores, porque a universi- O HC Turquel é hoje um fenó- res. de acabou por surpreender o ago Guerra. 2014, quando o clube completadade leva-os para os grandes meno que ultrapassa as dimen- Nesta gala, Tiago Guerra con- presidente do clube, quer a ní- Existe um pavilhão em Évora oficialmente os 50 anos” adi- anos”,centros…” acrescenta.centros…”, sões da própria freguesia. Mo- ta que obriga os atletas a virem vel interno, como na expansão sem utilização, contudo isso im- antou Tiago Guerra. No seu percurso como dirigen- vimenta um total de 170 atletas vestidos a rigor para que não que tem a nível nacional. Tiago plicaria sair da localidade, o quete, Tiago Guerra conheceu vári- só no hóquei em patins, a mo- haja mesmo hipótese deles que- Guerra recorda uma prova or- não está nos planos da colecti- Joel Ribeiroas subidas da equipa principal à dalidade que lhe deu origem e rerem ajudar no serviço, como ganizada pelo clube no seu pa- vidade. jribeiro@gazetacaldas.com“Desporto é oportunidade para a freguesia”, diz presidente da Junta Quando, em Outubro de 2009, guesia que estava muito atra- XXI, Turquel acolheu muita gen- dita que a oportunidade para aJosé Carlos Tereso foi eleito, nível”. sada a esse nível” te vinda das freguesias vizinhas, freguesia está no desporto, quepelo PSD, presidente da Junta Mas há muito por fazer. “Ao como Vimeiro, Évora de Alcoba- “tem crescido muito nos últimosde Freguesia de Turquel, “nem nível de estradas, por exemplo, ça e, sobretudo, Benedita, “por- anos” O Hóquei Clube de Tur- anos”.sequer tinha noção do que é ser temos uma necessidade muito que as vivendas e os aparta- quel assume uma importânciapresidente da Junta” Dois anos Junta”. grande” diz o autarca, apontan- grande”, mentos eram mais baratos no- acrescida no futuro da fregue-e meio depois, o turquelense do que a freguesia tem mais de támos mais gente” A par com o gente”. sia, impulsionada pela projec-garante que se tem deparado 40 quilómetros quadrados com aumento demográfico, também ção que o clube tem tido e pelocom “muitas dificuldades, mui- a habitação dispersa. E há pro- a actividade económica permi- facto de as suas instalaçõestas mesmo” mas que a “boa mesmo”, messas por cumprir, como a fei- tiu o crescimento da vila, com acolherem muita gente de fora,relação mantida com a Câmara ta em tempo de campanha elei- especial incidência para a indús- não só do país, mas também dede Alcobaça” e o empenho do toral por Paulo Inácio, actual tria pecuária, a extracção de Espanha e Angola, entre outrasexecutivo tem permitido a con- presidente da Câmara de Alco- pedra e diversas empresas de equipas que por ali já passaram.cretização de alguns investimen- baça, de construir em Turquel construção civil. “É sempre casa cheia, a po-tos, mesmo em tempos em que um centro escolar. “Turquel Mas a economia turquelense pulação apoia isto a 100%. Tem Eleito há dois anos e meio, José Carlos Tereso lamentao dinheiro escasseia. “As ver- merece, a escola está já a pre- não escapou à crise, e se a pe- sido uma grande instituição, a falta de verbas que permitam mais obras na freguesiabas não dão para fazer muito, cisar de obras” diz José Carlos obras”, dra ainda vai continuando de com 200 ou 300 jovens envolvi- combinado e prometido pela se faz esperar. “Gostava de vermas vamos fazendo alguma coi- Tereso. boa saúde e a ser exportada dos no desporto, não só no hó- Câmara Municipal de Alcoba- uma freguesia muito mais bemsita” diz.sita”, Outra aspiração do presiden- para mercados longínquos, pou- quei, mas também noutras mo- ça” salvaguarda, acrescentan- ça”, estruturada, tanto ao nível de “Temos feito algumas obras, te da Junta é ter na freguesia cas são as empresas de pecuá- dalidades, como as danças de do que “o presidente da Câma- alcatroamento, como do centropenso que 90% das pessoas es- uma zona de lazer para miúdos ria e de construção que se man- salão” Ainda no desporto, é in- salão”. ra sabe que o desporto é muito escolar, e com mais alguns gim-tão contentes com este execu- e graúdos. “Queríamos criar na têm a laborar. “Temos alguma contornável falar na União Des- importante não só para a fre- nodesportivos para o lado dotivo” afiança José Carlos Tere-tivo”, envolvente do mercado um par- dificuldade ao nível do empre- portiva de Turquel, dedicada guesia de Turquel, mas para hóquei, porque este vai crescerso, apontando como apostas que verde, com um parque in- go. Há aqui três ou quatro fábri- unicamente ao futebol. Uma concelho”. todo o concelho” muito na freguesia e no conce-mais significativas a compra de fantil, para as crianças passa- cas de peso, mas havia de ha- modalidade que José Carlos Te- Quando perguntamos a José lho” lho”.um trator, obras de melhoria rem os seus tempos livres com ver outras três ou quatro” diz o quatro”, reso diz que vai contar, dentro Carlos Tereso como gostava denalguns locais e trabalhos de avós”. os pais e os avós” autarca. de dois anos, com um piso sin- ver a sua freguesia dentro de Joana Fialholimpeza, “porque era uma fre- Nos primeiros anos do século Hoje, José Carlos Tereso acre- tético. “Pelo menos é o que está duas décadas, a resposta não jfialho@gazetacaldas.com
  4. 4. 20 50 Anos de HC Turquel24 | Agosto | 2012A.C. XXI: grupo económico familiar num negócio sobre rodas Fundado em Maio de 2003, componente social impor-o grupo A.C.XXI integra um t a n t e ” diz a administrado- ”,total de oito empresas de- ra, apontando como exem-dicadas à comercialização e plo o apoio dado ao Hóqueiassistência de veículos pe- Clube de Turquel e aos Bom-sados, aos seguros e ao alu- beiros Voluntários da Bene-guer de viaturas. Está pre- dita, aos quais foram já do-sente nos distritos de Leiria, adas várias viaturas.Coimbra, Aveiro, Viseu, No ano passado, e depoisGuarda e Santarém, onde é de se ter afirmado em Por-distribuidor oficial da mar- tugal, o grupo internaciona-ca alemã MAN. lizou-se, com uma empresa Na génese do grupo está em Moçambique. Um passoa empresa A. Coelho SA, importante para uma empre-fundada por António Coelho sa que tem na “sobrevivên-há mais de quatro décadas. cia à crise” o maior desafioHoje, são os filhos Elsa, Pau- actual. “Há um grande em- Elsa Coelho assegura, juntamente com os irmãos, a A empresa turquelense conquistou já a região centrolo e João Coelho que admi- penho dos administradores administração de um grupo que assegura 120 postos de do país e em 2011 expandiu os seus negócios para onistram o grupo nascido em em manter o máximo de trabalho mercado moçambicanoTurquel, que em 2011 regis- postos de trabalho no gru- problema com o qual diz li- como”. custos nem como” andar atrás e não das em- uma grande ajuda, porquetou um volume de negócios p o ” bem como a manuten- ”, dar diariamente, ao qual se Mas há outra luta que a presas que cumprem e dão acabamos por ter sempre asna ordem dos 12 milhões de ção das dez oficinas que tem junta o mau funcionamento administração diz travar di- país”. emprego neste país” oficinas cheias. Foi umaeuros. “ F o m o s c r i a d o s n o espalhadas pelo país. da justiça. “ A s e m p r e s a s ariamente. A “concorrência Não obstante, a família aposta que não sendo pen-comércio junto com os nos- Uma luta diária que esbar- não conseguem ser saudá- desleal é feita por parte de Coelho recusa baixar os bra- sada na crise, agora nos estásos pais e ficou-nos o bichi- ra muitas vezes na dificul- veis num país onde a justi- oficinas de vão de escada, ços. “Estamos a lutar. A nos- ultrapassá-la”. a ajudar a ultrapassá-la”n h o ” explica Elsa Coelho. ”, dade de acesso ao financia- ça não funciona” lamenta. funciona”, muitas das quais abertas por sa ideia é prosseguir e man- Para o futuro, aposta-se no Em Portugal, o A.C.XXI ga- mento e em entraves buro- Numa altura em que o de- pessoas que saem das em- termo-nos firmes e vamos mercado moçambicano, “ d i -rante mais de uma centena cráticos. “Os nossos gover- semprego bate recordes no presas propositadamente consegui-lo de certeza, mas namizando a empresa e ode postos de trabalho, 40 nantes têm descurado mui- país, a administradora apon- para receber subsídio de de- apoio”, tem que haver mais apoio” país através das exporta-dos quais nas instalações de to as necessidades financei- ta ainda o dedo aos serviços semprego e que ficam a tra- pede a responsável. ções”. ções”Turquel. “Somos uma empre- ras das empresas” queixa- empresas”, de Finanças, que “fazem um balhar em casa e em barra- Quanto à forma de com-sa que dinamiza a região, se Elsa Coelho, apontando ataque cerrado às empresas cões clandestinos” Era des- clandestinos”. bater a crise, Elsa Coelho diz Joana Fialhonão só porque damos empre- que “todo o apoio que tem que cumprem. Tentam de tes casos, defende, que “ o que a aposta feita nos últi- jfialho@gazetacaldas.comgo a bastantes pessoas, mas sido dado aos bancos não todas as formas ganhar di- Estado e nomeadamente a mos anos em vender o máxi-também porque temos uma c h e g a à s e m p r e s a s ” Um ”. nheiro, não interessa a que ASAE e as Finanças deviam mo de camiões “está a darPadaria Lérias: mais de 100 anos dedicados ao pão Fundada em 1898, a Pada- Todos nós fazemos um boca-ria Lérias conta já com mais tudo”. dinho de tudo”de um século de história, de- Dos tempos mais antigosdicada a pôr o melhor pão na mantém-se o processo de co-mesa dos turquelenses. Nas- zedura do pão caseiro, feitocido no edifício ao lado, a Pa- apenas com farinha, água, saldaria Lérias está há largas e fermento, “mais nada” Mas nada”.décadas no local onde ainda para agradar a todos os gos-hoje se encontra, no número tos e satisfazer os clientes12 da Rua Principal de Tur- mais exigentes, a Padaria foiquel. inovando nos formatos e nos Os irmãos Ana e Pedro Luís, tipos de pão que confeccio-que actualmente estão à na, seja integral, de semen-frente do negócio, represen- tes, de forma, entre muitastam a quarta geração da fa- outras variedades. “ N o e n -mília dedicada às lides do pão tanto, continuamos a fazere projectam para o futuro o todo o tipo de pão sem qual- Ana Luís é um dos elementos da quarta geração da família Iniciada na casa ao lado, a Padaria Lérias mantém-selegado deixado pela sua bi- quer adição de gordura, nem e, juntamente com o irmão, gere actualmente o negócio há muitos anos na Rua Principal de Turquelsavó. Ao seu lado têm a mãe, conservantes” afiança Ana conservantes”,Maria dos Anjos, que apesar Luís, garantindo “um fabrico gunda loja na vizinha fregue- gião. Uma vertente do negó- balho” São 15 os funcionári- balho”. que não temos ninguém” ex- ninguém”,dos seus 70 anos ainda conti- com uma base ainda muito sia da Benedita. “Nós tínha- cio que tem resistido à pas- os que diariamente garantem plica Ana Luís.nua a trabalhar. tradicional”. tradicional” mos muitos clientes da Be- sagem do tempo, mas que é o fabrico de pão e bolos, o Sem prever a abertura de Ana Luís não consegue Ao pão juntam-se os pro- nedita que iam a Turquel pro- ameaçado pela mudança de funcionamento das duas pas- novos estabelecimentos, Anaapontar o segredo para a lon- dutos de pastelaria também positadamente porque gosta- hábitos de vida das pessoas telarias, a distribuição, 365 Luís promete uma luta diáriagevidade da Padaria Lérias. confeccionados nas instala- vam do nosso pão” explica pão”, e pelo aumento dos combus- dias por ano (apenas a loja da para “manter as pessoas, queTalvez a resposta esteja no ções de Turquel. Bolos secos, Ana Luís, garantindo que a tíveis. “Vamos levar a casa Benedita fecha em dias festi- são o mais importante” E importante”.“empenho muito grande que coscurões, ferraduras, bolos opção por “rentabilizar o fa- das pessoas, vendemos pelo vos, sendo que a de Turquel para isso, há que adaptar oexistiu sempre por parte das de aniversário e pastelaria brico e chegar mais perto da- mesmo preço mas o encargo se mantêm aberta mesmo no negócio aos “novos hábitospessoas que aqui trabalha- diária que habitualmente se quele que era já o nosso cli- é cada vez maior” explica. maior”, Dia de Natal e de Ano Novo). de consumo” dos portugue-ram” ou no facto de ter havi- vê nas vitrinas de qualquer ente” foi uma aposta ganha. Numa altura em que a con- “Neste momento temos pes- ses. “Temos de nos adaptar ado sempre alguém da família estabelecimento e doces de Mas os clientes da Padaria juntura económica não permi- soal a laborar 22 horas por dia. essa nova realidade, paramuito ligado ao negócio, “uma origem conventual, nos quais não se ficam só por estas te grandes aventuras, Ana Luís Só das 22h00 às 0h00, desde depois pensarmos o que que- isto”.espécie de viver para isto” a família tem vindo a apos- duas freguesias. De segunda diz que o projecto da Padaria que sai a última pessoa que remos fazer no futuro” diz. futuro”,A responsável acredita que “ é tar. a sábado, três carrinhas ga- Lérias passa por “conseguir limpa a loja em Turquel até àpreciso não se ser só geren- Há cerca de uma década, a rantem a entrega ao domicí- manter as vendas por forma a entrada dos primeiros que co- Joana Fialhote ou director da empresa. Padaria Lérias abriu uma se- lio em diversos locais da re- manter todos os postos de tra- meçam a trabalhar no pão, é jfialho@gazetacaldas.comPub.

×