David Kupfer Grupo de Indústria e Competitividade GIC-IE/UFRJ Diálogos Capitais O  Brasil e os Desafios do Novo Ciclo de D...
Onde estamos <ul><li>Círculo  virtuoso  do crescimento: das exportações para o consumo interno e para o investimento  – co...
Extraído de Berger, S. (2009)  “Industry and Globalization: Two Decades of Structural Transformation”. A ameaça
PIB relativo e Participação da Indústria no PIB, 1950-2005  (em %, a partir de US$ PPP constantes de 1990,  EUA=100) Fonte...
Brasil x Mundo
Fonte: WTO database Comércio Exterior por Países e Regiões  US$ bilhões e variação em %, 2000 to 2008
Indústria Brasileira: Da diversificação para a especialização GH = 100 (máximo) equivale a Especialização total Especializ...
... com avanço dos setores baseados em recursos naturais, manutenção (com desadensamento) dos setores de maior conteúdo te...
... e rápido crescimento da participação dos produtos baseados em recursos naturais nas exportações
Taxas de Câmbio: Brasil, China, Japao e Euro
MMCâmbio – Média Móvel 12 meses da Taxa de Câmbio Real Efetiva, média de 1994=100, Fonte: BC MMPCCX – Média Móvel 12 meses...
Desafios do estágio intermediário de desenvolvimento <ul><li>Novo paradigma da  universalização  do padrão de consumo </li...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação do professor David Kupfer

1.447 visualizações

Publicada em

Slides mostrados no seminário Diálogos Capitais sobre 2011-2014: O Brasil e os desafios do novo ciclo de desenvolvimento

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.447
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação do professor David Kupfer

  1. 1. David Kupfer Grupo de Indústria e Competitividade GIC-IE/UFRJ Diálogos Capitais O Brasil e os Desafios do Novo Ciclo de Desenvolvimento Rio de Janeiro 6 de dezembro de 2010
  2. 2. Onde estamos <ul><li>Círculo virtuoso do crescimento: das exportações para o consumo interno e para o investimento – como manter? </li></ul><ul><li>Círculo virtuoso no mercado de trabalho: dos programas de transferência de renda e do aumento do salário mínimo para a formalização do emprego – como estender? </li></ul><ul><li>Círculo vicioso da fragilização da indústria: da especialização regressiva para a perda de densidade nas cadeias produtivas, lenta evolução da produtividade e aumento do hiato tecnológico – como reverter? </li></ul>
  3. 3. Extraído de Berger, S. (2009) “Industry and Globalization: Two Decades of Structural Transformation”. A ameaça
  4. 4. PIB relativo e Participação da Indústria no PIB, 1950-2005 (em %, a partir de US$ PPP constantes de 1990, EUA=100) Fonte: GGDC database
  5. 5. Brasil x Mundo
  6. 6. Fonte: WTO database Comércio Exterior por Países e Regiões US$ bilhões e variação em %, 2000 to 2008
  7. 7. Indústria Brasileira: Da diversificação para a especialização GH = 100 (máximo) equivale a Especialização total Especialização Setorial da Indústria Brasileira Fonte: GIC-IE/UFRJ, a partir de IBGE, vários anos
  8. 8. ... com avanço dos setores baseados em recursos naturais, manutenção (com desadensamento) dos setores de maior conteúdo tecnológico e recuo dos setores tradicionais Fonte: GIC-IE/UFRJ, a partir de IBGE, vários anos Composição do Valor Adicionado por Tipo de Setor (%)
  9. 9. ... e rápido crescimento da participação dos produtos baseados em recursos naturais nas exportações
  10. 10. Taxas de Câmbio: Brasil, China, Japao e Euro
  11. 11. MMCâmbio – Média Móvel 12 meses da Taxa de Câmbio Real Efetiva, média de 1994=100, Fonte: BC MMPCCX – Média Móvel 12 meses de US$ Exportações Mensais de Setores Resource-Based / US$ Exportações Mensais da Indústia (exclusive Petróleo), média de 2004=100, Fonte SECEX MMPINX – Média Móvel 12 meses de US$ Exportações Mensais de Setores Maior Conteúdo Tecnológico / US$ Exportações Mensais da Indústia (exclusive Petróleo), média de 2004=100, Fonte SECEX MMPITX – Média Móvel 12 meses de US$ Exportações Mensais de Setores Tradicionais/ US$ Exportações Mensais da Indústia (exclusive Petróleo), média de 2004=100, Fonte SECEX
  12. 12. Desafios do estágio intermediário de desenvolvimento <ul><li>Novo paradigma da universalização do padrão de consumo </li></ul><ul><li>Novo estágio da integração produtiva internacional </li></ul><ul><li>Novos requisitos para o adensamento e enraizamento da estrutura produtiva </li></ul><ul><li>Do Brasil para fora </li></ul><ul><ul><li>Energia e alimentos: um novo primário-exportador? </li></ul></ul><ul><ul><li>Efeito China: o Brasil no córner </li></ul></ul><ul><ul><li>Internacionalização de empresas brasileiras, inserção nas cadeias globais e e integração produtiva sul-americana </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades da agenda da sustentabilidade </li></ul></ul><ul><li>Do Brasil para dentro </li></ul><ul><ul><li>Distribuição de renda e potencial do mercado interno </li></ul></ul><ul><ul><li>Armadilha juros-câmbio: doença holandesa (custos) ou doença brasileira (heterogeneidade) </li></ul></ul><ul><ul><li>Triplo papel da infraestrutura e da Economia do Conhecimento: demanda, oferta e foco estratégico para o adensamento e enraizamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Da Competitividade para a Competência : Desenvolvimento de capacitação institucional (pública e privada) e o salto para a produtividade, a competitividade e a “inovatividade” </li></ul></ul>

×