Ppt Biologia - exercícios anaeróbicos

137 visualizações

Publicada em

BIOLOGIA- EXERCÍCIOS ANAERÓBICOS

1ºC E.M – Matutino
Alunos: Alan, Raul, Mateus, Thalys, João Vinícius e Michael.
Professora Orientadora: Maria Margarida Calixto

Objetivo deste trabalho é identificar ao que se refere o termo anaeróbico como: exemplos de exercícios, benefícios deste tipo de atividade, sedentarismo, glicólise, tipos de fermentação. Os alunos utilizaram como fonte de pesquisa os sites http://www.sobiologia.com.br/ e http://www.infoescola.com/.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
137
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt Biologia - exercícios anaeróbicos

  1. 1. Exercícios Anaeróbicos
  2. 2.  O termo Anaeróbico se refere ao processo de respiração celular sem a presença de oxigênio;  São exercícios que trabalham o aumento da resistência e da forma muscular;  Tem a característica de pouca duração e maior aplicação da forma;  Gastam predominantemente glicose (açúcar) como fonte de energia;  São esses exercícios que deixam o corpo mais forte. O que é?
  3. 3.  Corrida de 100m  Natação,  Levantamento de peso  Flexão  Agachamento  Pilates  Yoga  Ginástica olímpica  Salto Exemplos de exercícios Anaeróbicos
  4. 4. • Observação Comumente chamado de Musculação ou de Exercícios Resistidos, esta modalidade de exercício beneficia aqueles que pretendem ganhar massa magra (músculos), ou até mesmo implementar a massa dos músculos (hipertrofia) e também acelerar o metabolismo e reduzir o peso. Bastante conhecido pelos Bodybuilders(fisiculturistas), os quais através da musculação aumentam a massa muscular para participar de campeonatos e apresentações. •O que é Hipertrofia Muscular? Hipertrofia muscular é um aumento do diâmetro do músculo, esse aumento pode ser metabólico (sarcoplasmática) ou tensional (miofibrilar). Isso ocorre devido há estímulos, gerando mais força para suportar cargas maiores. Fica óbvio que a hipertrofia muscular ajuda no ganho de força, sem falar da tão sonhada estética.
  5. 5. • Mulher com Hipertrofia na imagem abaixo.
  6. 6. A fisiologia do Exercício Anaeróbico acontece através de dois sistemas, o primeiro denominado Sistema Anaeróbio Alático, pela combinação do ATP (Adenosina Trifosfato) e CP (Creatina Fosfato), gera e armazena energia nos músculos. E o Sistema Anaeróbico Lático ou Glicólise Anaeróbica, o qual processa a substância alimentar denominada carboidrato, em ácido lático, que por sua vez será utilizado nos músculos em forma de glicogênio. Sistemas Anaeróbicos
  7. 7.  Ajuda a prevenir problemas de saúde;  Mantem a massa muscular magra;  Aumenta a força e densidade dos ossos;  Impulsiona o metabolismo;  Remodela o seu corpo e melhora sua aparência Benefícios dos Exercícios Anaeróbicos
  8. 8. Cuidados com exercícios Anaeróbicos Os Exercícios Anaeróbicos estão suscetíveis a fadiga muscular (cansaço do músculo e perda de força), devido a atividade física prolongada e repetitiva. A causa da fadiga é uma dieta escassa em açucares, denominada hipoglicídica; tal efeito faz o glicogênio hepático e muscular diminuir, o que reduz o desempenho do exercício. Para evitar a fadiga muscular se faz necessário a ingestão de carboidratos como cereais e pão, nutrientes que transformam hidratos de carbono em glicogênio.
  9. 9.  O sedentarismo é caracterizado pela falta de atividade física no ser humano, não somente no caráter da prática desportiva, mas em toda sua amplitude, fazendo com que a saúde da pessoa entre em declínio e esteja mais suscetível ao surgimento de patologias. Sedentarismo
  10. 10. Liberação de energia através da fermentação A fermentação é um processo de liberação de energia que ocorre sem a participação do oxigênio (processo anaeróbio). A fermentação compreende um conjunto de reações enzimaticamente controladas, através das quais uma molécula orgânica é degradada em compostos mais simples, liberando energia. A glicose é uma das substâncias mais empregadas pelos microrganismos como ponto de partida na fermentação. Fermentação
  11. 11. É importante perceber que as reações químicas da fermentação são equivalentes às da glicólise. A desmontagem da glicose é parcial, são produzidos resíduos de tamanho molecular maior que os produzidos na respiração e o rendimento em ATP é pequeno.
  12. 12.  Na glicólise, cada molécula de glicose é desdobrada em duas moléculas de piruvato (ácido pirúvico), com liberação de hidrogênio e energia, por meio de várias reações químicas. O hidrogênio combina-se com moléculas transportadores de hidrogênio (NAD), formando NADH + H+, ou seja NADH2. Glicólise
  13. 13. Glicólise
  14. 14. Levedura - Fungo unicelular utilizado na fabricação de pães, bebidas alcoólicas em geral. A fermentação é um processo utilizado na fabricação de bebidas alcoólicas, pães e outros alimentos. Hoje sabemos que os processos fermentativos resultam da atividade de microrganismos, como as leveduras e certas bactérias. Diferentes organismos podem provocar a fermentação de diferentes substâncias. O gosto rançoso da manteiga, por exemplo, se deve a formação de ácido butírico causado pelas bactérias que fermentam gorduras. Já as leveduras fermentam a glicose e as bactérias que azedam o leite fermentam a lactose. Tipos de Fermentação
  15. 15.  As leveduras e algumas bactérias fermentam açucares, produzindo álcool etílico e gás carbônico (CO2), processo denominado fermentação alcoólica. Na fermentação alcoólica, as duas moléculas de ácido pirúvico produzidas são convertidas em álcool etílico (também chamado de etanol), com a liberação de duas moléculas de CO2 e a formação de duas moléculas de ATP. Fermentação Alcoólica
  16. 16. Fermentação Alcoólica
  17. 17. Esse tipo de fermentação é realizado por diversos microrganismos, destacando-se os chamados “fungos de cerveja”, da espécie Saccharomyces cerevisiae. O homem utiliza os dois produtos dessa fermentação: o álcool etílico empregado há milênios na fabricação de bebidas alcoólicas (vinhos, cervejas, cachaças etc.), e o gás carbônico importante na fabricação do pão, um dos mais tradicionais alimentos da humanidade. Mais recentemente tem-se utilizado esses fungos para a produção industrial de álcool combustível.
  18. 18. Os fungos que fermentam também são capazes de respirar aerobicamente, no caso de haver oxigênio no meio de vida. Com isso, a glicose por eles utilizada é mais profundamente transformada e o saldo em energia é maior, 38 ATP, do que os 2 ATP obtidos na fermentação.
  19. 19. Fermentação lática  Os lactobacilos (bactérias presentes no leite) executam fermentação lática, em que o produto final é o ácido lático. Para isso, eles utilizam como ponto de partida, a lactose, o açúcar do leite, que é desdobrado, por ação enzimática que ocorre fora das células bacterianas, em glicose e galactose. A seguir, os monossacarídeos entram nas células, onde ocorre a fermentação. Cada molécula do ácido pirúvico é convertido em ácido lático, que também contém três átomos de carbono.
  20. 20. Fermentação Lática
  21. 21. O sabor azedo do leite fermentado se deve ao ácido lático formado e eliminado pelos lactobacilos. O abaixamento do pH causado pelo ácido lático provoca a coagulação das proteínas do leite e a formação do coalho, usado na fabricação de iogurtes e queijos.
  22. 22. Fermentação Láctica nos Homens Você já deve ter ouvido que é comum a produção de ácido lático nos músculos de uma pessoa, em ocasiões que há esforço muscular exagerado. A quantidade de oxigênio que as células musculares recebem para a respiração aeróbia é insuficiente para a liberação da energia necessária para a atividade muscular intensa. Nessas condições, ao mesmo tempo em que as células musculares continuam respirando, elas começam a fermentar uma parte da glicose, na tentativa de liberar energia extra. O ácido láctico acumula-se no interior da fibra muscular produzindo dores, cansaço e cãibras. Depois, uma parte desse ácido é conduzida pela corrente sanguínea ao fígado onde é convertido em ácido pirúvico.

×