SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Exercícios Anaeróbicos
 O termo Anaeróbico se refere ao processo de
respiração celular sem a presença de oxigênio;
 São exercícios que trabalham o aumento da
resistência e da forma muscular;
 Tem a característica de pouca duração e maior
aplicação da forma;
 Gastam predominantemente glicose (açúcar) como
fonte de energia;
 São esses exercícios que deixam o corpo mais forte.
O que é?
 Corrida de 100m
 Natação,
 Levantamento de peso
 Flexão
 Agachamento
 Pilates
 Yoga
 Ginástica olímpica
 Salto
Exemplos de exercícios Anaeróbicos
• Observação
Comumente chamado de Musculação ou de Exercícios Resistidos, esta
modalidade de exercício beneficia aqueles que pretendem ganhar massa magra
(músculos), ou até mesmo implementar a massa dos músculos (hipertrofia) e
também acelerar o metabolismo e reduzir o peso. Bastante conhecido pelos
Bodybuilders(fisiculturistas), os quais através da musculação aumentam a massa
muscular para participar de campeonatos e apresentações.
•O que é Hipertrofia Muscular?
Hipertrofia muscular é um aumento do diâmetro do músculo, esse aumento
pode ser metabólico (sarcoplasmática) ou tensional (miofibrilar). Isso ocorre
devido há estímulos, gerando mais força para suportar cargas maiores. Fica
óbvio que a hipertrofia muscular ajuda no ganho de força, sem falar da tão
sonhada estética.
• Mulher com
Hipertrofia
na imagem
abaixo.
A fisiologia do Exercício Anaeróbico acontece através
de dois sistemas, o primeiro denominado Sistema
Anaeróbio Alático, pela combinação do ATP (Adenosina
Trifosfato) e CP (Creatina Fosfato), gera e armazena
energia nos músculos. E o Sistema Anaeróbico Lático ou
Glicólise Anaeróbica, o qual processa a substância
alimentar denominada carboidrato, em ácido lático, que
por sua vez será utilizado nos músculos em forma de
glicogênio.
Sistemas Anaeróbicos
 Ajuda a prevenir problemas de saúde;
 Mantem a massa muscular magra;
 Aumenta a força e densidade dos ossos;
 Impulsiona o metabolismo;
 Remodela o seu corpo e melhora sua aparência
Benefícios dos Exercícios Anaeróbicos
Cuidados com exercícios Anaeróbicos
Os Exercícios Anaeróbicos estão suscetíveis a fadiga muscular
(cansaço do músculo e perda de força), devido a atividade física
prolongada e repetitiva. A causa da fadiga é uma dieta escassa
em açucares, denominada hipoglicídica; tal efeito faz o
glicogênio hepático e muscular diminuir, o que reduz o
desempenho do exercício. Para evitar a fadiga muscular se faz
necessário a ingestão de carboidratos como cereais e pão,
nutrientes que transformam hidratos de carbono em
glicogênio.
 O sedentarismo é caracterizado pela falta de
atividade física no ser humano, não somente no
caráter da prática desportiva, mas em toda sua
amplitude, fazendo com que a saúde da pessoa entre
em declínio e esteja mais suscetível ao surgimento de
patologias.
Sedentarismo
Liberação de energia através da fermentação
A fermentação é um processo de liberação de energia
que ocorre sem a participação do oxigênio (processo
anaeróbio). A fermentação compreende um conjunto
de reações enzimaticamente controladas, através das
quais uma molécula orgânica é degradada em
compostos mais simples, liberando energia. A glicose é
uma das substâncias mais empregadas pelos
microrganismos como ponto de partida na
fermentação.
Fermentação
É importante perceber que as reações químicas da
fermentação são equivalentes às da glicólise. A
desmontagem da glicose é parcial, são produzidos
resíduos de tamanho molecular maior que os
produzidos na respiração e o rendimento em ATP é
pequeno.
 Na glicólise, cada molécula de glicose é desdobrada
em duas moléculas de piruvato (ácido pirúvico), com
liberação de hidrogênio e energia, por meio de várias
reações químicas.
O hidrogênio combina-se com moléculas
transportadores de hidrogênio (NAD), formando
NADH + H+, ou seja NADH2.
Glicólise
Glicólise
Levedura - Fungo unicelular utilizado na fabricação de pães,
bebidas alcoólicas em geral.
A fermentação é um processo utilizado na fabricação de
bebidas alcoólicas, pães e outros alimentos. Hoje sabemos
que os processos fermentativos resultam da atividade
de microrganismos, como as leveduras e certas bactérias.
Diferentes organismos podem provocar a fermentação de
diferentes substâncias. O gosto rançoso da manteiga, por
exemplo, se deve a formação de ácido butírico causado pelas
bactérias que fermentam gorduras. Já as leveduras
fermentam a glicose e as bactérias que azedam o leite
fermentam a lactose.
Tipos de Fermentação
 As leveduras e algumas bactérias fermentam
açucares, produzindo álcool etílico e gás carbônico
(CO2), processo denominado fermentação alcoólica.
Na fermentação alcoólica, as duas moléculas de ácido
pirúvico produzidas são convertidas em álcool etílico
(também chamado de etanol), com a liberação de
duas moléculas de CO2 e a formação de duas
moléculas de ATP.
Fermentação Alcoólica
Fermentação Alcoólica
Esse tipo de fermentação é realizado por diversos
microrganismos, destacando-se os chamados “fungos
de cerveja”, da espécie Saccharomyces cerevisiae. O
homem utiliza os dois produtos dessa fermentação:
o álcool etílico empregado há milênios na fabricação de
bebidas alcoólicas (vinhos, cervejas, cachaças etc.), e
o gás carbônico importante na fabricação do pão, um
dos mais tradicionais alimentos da humanidade. Mais
recentemente tem-se utilizado esses fungos para a
produção industrial de álcool combustível.
Os fungos que fermentam também são capazes de
respirar aerobicamente, no caso de haver oxigênio no
meio de vida. Com isso, a glicose por eles utilizada é
mais profundamente transformada e o saldo em
energia é maior, 38 ATP, do que os 2 ATP obtidos na
fermentação.
Fermentação lática
 Os lactobacilos (bactérias presentes no leite)
executam fermentação lática, em que o produto
final é o ácido lático. Para isso, eles utilizam
como ponto de partida, a lactose, o açúcar do
leite, que é desdobrado, por ação enzimática que
ocorre fora das células bacterianas, em glicose e
galactose. A seguir, os monossacarídeos entram
nas células, onde ocorre a fermentação.
Cada molécula do ácido pirúvico é convertido em
ácido lático, que também contém três átomos de
carbono.
Fermentação Lática
O sabor azedo do leite fermentado se deve ao ácido lático
formado e eliminado pelos lactobacilos. O abaixamento do pH
causado pelo ácido lático provoca a coagulação das proteínas do
leite e a formação do coalho, usado na fabricação de iogurtes e
queijos.
Fermentação Láctica nos Homens
Você já deve ter ouvido que é comum a produção de ácido lático
nos músculos de uma pessoa, em ocasiões que há esforço
muscular exagerado. A quantidade de oxigênio que as células
musculares recebem para a respiração aeróbia é insuficiente para
a liberação da energia necessária para a atividade muscular
intensa.
Nessas condições, ao mesmo tempo em que as células
musculares continuam respirando, elas começam a fermentar
uma parte da glicose, na tentativa de liberar energia extra.
O ácido láctico acumula-se no interior da fibra muscular
produzindo dores, cansaço e cãibras.
Depois, uma parte desse ácido é conduzida pela corrente
sanguínea ao fígado onde é convertido em ácido pirúvico.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade física e saúde escola
Atividade física e saúde  escolaAtividade física e saúde  escola
Atividade física e saúde escola
NetKids
 
Alongamento muscular
Alongamento  muscularAlongamento  muscular
Alongamento muscular
lcinfo
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Silvia Arrelaro
 
Musculação para o adolescente.
Musculação para o adolescente.Musculação para o adolescente.
Musculação para o adolescente.
Marcelo Souza
 
Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3
Isabel Teixeira
 
Slides avaliação física
Slides avaliação físicaSlides avaliação física
Slides avaliação física
Ana Lucia Costa
 
Metodologia da musculação teste de força
Metodologia da musculação   teste de forçaMetodologia da musculação   teste de força
Metodologia da musculação teste de força
washington carlos vieira
 
Atividade física e saúde
Atividade física e saúdeAtividade física e saúde
Atividade física e saúde
Fatima Costa
 

Mais procurados (20)

Atividade física e saúde escola
Atividade física e saúde  escolaAtividade física e saúde  escola
Atividade física e saúde escola
 
Educação Física e Lazer
Educação Física e Lazer Educação Física e Lazer
Educação Física e Lazer
 
Alongamento muscular
Alongamento  muscularAlongamento  muscular
Alongamento muscular
 
Condicionamento físico
Condicionamento físicoCondicionamento físico
Condicionamento físico
 
Alongamento
AlongamentoAlongamento
Alongamento
 
Aula 3 Metabolismo E Exercicio
Aula 3   Metabolismo E ExercicioAula 3   Metabolismo E Exercicio
Aula 3 Metabolismo E Exercicio
 
Aula 2 - Bioenergetica - Fisiologia do exercício
Aula 2   - Bioenergetica - Fisiologia do exercícioAula 2   - Bioenergetica - Fisiologia do exercício
Aula 2 - Bioenergetica - Fisiologia do exercício
 
Desvios posturais
Desvios posturaisDesvios posturais
Desvios posturais
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescência
 
Slide de educação fisica
Slide de educação fisicaSlide de educação fisica
Slide de educação fisica
 
Inclusão de pessoas com deficiência por meio do esporte - As relações entre a...
Inclusão de pessoas com deficiência por meio do esporte - As relações entre a...Inclusão de pessoas com deficiência por meio do esporte - As relações entre a...
Inclusão de pessoas com deficiência por meio do esporte - As relações entre a...
 
Musculação para o adolescente.
Musculação para o adolescente.Musculação para o adolescente.
Musculação para o adolescente.
 
Fisiologia do exercício 03
Fisiologia do exercício 03Fisiologia do exercício 03
Fisiologia do exercício 03
 
Slides ginástica
Slides ginásticaSlides ginástica
Slides ginástica
 
Fisioterapia no trabalho
Fisioterapia no trabalhoFisioterapia no trabalho
Fisioterapia no trabalho
 
Apresentação Estágio 5º Período
Apresentação Estágio 5º PeríodoApresentação Estágio 5º Período
Apresentação Estágio 5º Período
 
Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3
 
Slides avaliação física
Slides avaliação físicaSlides avaliação física
Slides avaliação física
 
Metodologia da musculação teste de força
Metodologia da musculação   teste de forçaMetodologia da musculação   teste de força
Metodologia da musculação teste de força
 
Atividade física e saúde
Atividade física e saúdeAtividade física e saúde
Atividade física e saúde
 

Destaque

Ginástica aeróbica e anaeróbica
Ginástica aeróbica e anaeróbicaGinástica aeróbica e anaeróbica
Ginástica aeróbica e anaeróbica
Ninho Cristo
 
Sedentarismo se combate na escola.
Sedentarismo se combate na escola.Sedentarismo se combate na escola.
Sedentarismo se combate na escola.
Marcelo Souza
 
Metabolismo e energia
Metabolismo e energiaMetabolismo e energia
Metabolismo e energia
emanuel
 
Obesidade Completo
Obesidade CompletoObesidade Completo
Obesidade Completo
profanabela
 
Antropometria medidas antropometricas
Antropometria  medidas antropometricasAntropometria  medidas antropometricas
Antropometria medidas antropometricas
Cláudia Rosa
 
Trabalho Power point
Trabalho Power point Trabalho Power point
Trabalho Power point
Helena13dias
 
Medidas Antropométricas
Medidas AntropométricasMedidas Antropométricas
Medidas Antropométricas
nAyblancO
 

Destaque (20)

Ginástica aeróbica e anaeróbica
Ginástica aeróbica e anaeróbicaGinástica aeróbica e anaeróbica
Ginástica aeróbica e anaeróbica
 
Fermentação e respiração
Fermentação e respiraçãoFermentação e respiração
Fermentação e respiração
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Mais da metade da população brasileira tem excesso de peso, revela pesquisa V...
Mais da metade da população brasileira tem excesso de peso, revela pesquisa V...Mais da metade da população brasileira tem excesso de peso, revela pesquisa V...
Mais da metade da população brasileira tem excesso de peso, revela pesquisa V...
 
Cadeia respiratória
Cadeia respiratóriaCadeia respiratória
Cadeia respiratória
 
Sedentarismo slide shared
Sedentarismo slide sharedSedentarismo slide shared
Sedentarismo slide shared
 
Sedentarismo se combate na escola.
Sedentarismo se combate na escola.Sedentarismo se combate na escola.
Sedentarismo se combate na escola.
 
Avaliação da resistência lática
Avaliação da resistência láticaAvaliação da resistência lática
Avaliação da resistência lática
 
Album seriado vida_saudavel
Album seriado vida_saudavelAlbum seriado vida_saudavel
Album seriado vida_saudavel
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
 
Metabolismo e energia
Metabolismo e energiaMetabolismo e energia
Metabolismo e energia
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Sedentarismo
SedentarismoSedentarismo
Sedentarismo
 
Sedentarismo
SedentarismoSedentarismo
Sedentarismo
 
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida SaudávelEducação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
 
Obesidade Completo
Obesidade CompletoObesidade Completo
Obesidade Completo
 
Antropometria medidas antropometricas
Antropometria  medidas antropometricasAntropometria  medidas antropometricas
Antropometria medidas antropometricas
 
Trabalho Power point
Trabalho Power point Trabalho Power point
Trabalho Power point
 
Medidas Antropométricas
Medidas AntropométricasMedidas Antropométricas
Medidas Antropométricas
 

Semelhante a Ppt Biologia - exercícios anaeróbicos

Nutrição e actividade física
Nutrição e actividade físicaNutrição e actividade física
Nutrição e actividade física
e.ferreira
 
Nutrição e actividade física
Nutrição e actividade físicaNutrição e actividade física
Nutrição e actividade física
e.ferreira
 
NUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃO
NUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃONUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃO
NUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃO
marcostrainer7
 
Metabolismo anaeróbico
Metabolismo anaeróbicoMetabolismo anaeróbico
Metabolismo anaeróbico
Paulo Faria
 
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptxUFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
Nome Sobrenome
 
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptxUFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
Nome Sobrenome
 
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Marcialila
 
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Felipe Machado
 
Carboidratos por Marco Antônio M. Menezes
Carboidratos por Marco Antônio M. MenezesCarboidratos por Marco Antônio M. Menezes
Carboidratos por Marco Antônio M. Menezes
somemarco
 

Semelhante a Ppt Biologia - exercícios anaeróbicos (20)

Nutrição e actividade física
Nutrição e actividade físicaNutrição e actividade física
Nutrição e actividade física
 
Nutrição e actividade física
Nutrição e actividade físicaNutrição e actividade física
Nutrição e actividade física
 
NUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃO
NUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃONUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃO
NUTRIÇÃO APLICADA A MUSCULAÇÃO
 
Whey protein: luciano sousa
Whey protein: luciano sousaWhey protein: luciano sousa
Whey protein: luciano sousa
 
Metabolismo enérgético
Metabolismo enérgético Metabolismo enérgético
Metabolismo enérgético
 
Alimentos energéticos trabalho
Alimentos energéticos trabalhoAlimentos energéticos trabalho
Alimentos energéticos trabalho
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Aula substratos metabolicos
Aula substratos metabolicosAula substratos metabolicos
Aula substratos metabolicos
 
Apostila é hora de praticar esportes
Apostila é hora de praticar esportes Apostila é hora de praticar esportes
Apostila é hora de praticar esportes
 
Metabolismo anaeróbico
Metabolismo anaeróbicoMetabolismo anaeróbico
Metabolismo anaeróbico
 
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptxUFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
 
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptxUFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
UFCD - 6575 -Cuidados Alimentação e Hidratação.pptx
 
Apresentaçao
ApresentaçaoApresentaçao
Apresentaçao
 
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
Aula 2 e_3_-_carboidratos,_glicólise, _ciclo_de_krebs_e_via_das_pentoses (1)
 
nutricao
 nutricao  nutricao
nutricao
 
Aula 1 metabolismo
Aula 1  metabolismoAula 1  metabolismo
Aula 1 metabolismo
 
Palestra Emagrecimento Produtivo
 Palestra Emagrecimento Produtivo  Palestra Emagrecimento Produtivo
Palestra Emagrecimento Produtivo
 
Palestra Emagrecimento Produtivo
 Palestra Emagrecimento Produtivo Palestra Emagrecimento Produtivo
Palestra Emagrecimento Produtivo
 
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
 
Carboidratos por Marco Antônio M. Menezes
Carboidratos por Marco Antônio M. MenezesCarboidratos por Marco Antônio M. Menezes
Carboidratos por Marco Antônio M. Menezes
 

Mais de carseleia (16)

Apc 3 ano
Apc 3 anoApc 3 ano
Apc 3 ano
 
Apc 2 ano
Apc 2 anoApc 2 ano
Apc 2 ano
 
Apc 1 ano
Apc 1 anoApc 1 ano
Apc 1 ano
 
Câmara escura de orifício
Câmara escura de orifícioCâmara escura de orifício
Câmara escura de orifício
 
Jornal 1º b
Jornal 1º bJornal 1º b
Jornal 1º b
 
Oficina Texto Multimodal
Oficina Texto MultimodalOficina Texto Multimodal
Oficina Texto Multimodal
 
Oficina Texto Multimodal
Oficina Texto MultimodalOficina Texto Multimodal
Oficina Texto Multimodal
 
Oficina Texto Multimodal
Oficina Texto MultimodalOficina Texto Multimodal
Oficina Texto Multimodal
 
Texto Multimodal Inglês
Texto Multimodal InglêsTexto Multimodal Inglês
Texto Multimodal Inglês
 
Países que falam Língua Espanhola na América Latina
Países que falam Língua Espanhola na América LatinaPaíses que falam Língua Espanhola na América Latina
Países que falam Língua Espanhola na América Latina
 
Jogo da memoria turma 3f ... daniel kempner.rarielly steffany .jessica cabrei...
Jogo da memoria turma 3f ... daniel kempner.rarielly steffany .jessica cabrei...Jogo da memoria turma 3f ... daniel kempner.rarielly steffany .jessica cabrei...
Jogo da memoria turma 3f ... daniel kempner.rarielly steffany .jessica cabrei...
 
Quijote
QuijoteQuijote
Quijote
 
Ppt don quijote
Ppt don quijotePpt don quijote
Ppt don quijote
 
Libro 1° año
Libro 1° añoLibro 1° año
Libro 1° año
 
Cervantes y el Quijote
Cervantes y el QuijoteCervantes y el Quijote
Cervantes y el Quijote
 
falsos cognatos
falsos cognatosfalsos cognatos
falsos cognatos
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 

Ppt Biologia - exercícios anaeróbicos

  • 2.  O termo Anaeróbico se refere ao processo de respiração celular sem a presença de oxigênio;  São exercícios que trabalham o aumento da resistência e da forma muscular;  Tem a característica de pouca duração e maior aplicação da forma;  Gastam predominantemente glicose (açúcar) como fonte de energia;  São esses exercícios que deixam o corpo mais forte. O que é?
  • 3.  Corrida de 100m  Natação,  Levantamento de peso  Flexão  Agachamento  Pilates  Yoga  Ginástica olímpica  Salto Exemplos de exercícios Anaeróbicos
  • 4. • Observação Comumente chamado de Musculação ou de Exercícios Resistidos, esta modalidade de exercício beneficia aqueles que pretendem ganhar massa magra (músculos), ou até mesmo implementar a massa dos músculos (hipertrofia) e também acelerar o metabolismo e reduzir o peso. Bastante conhecido pelos Bodybuilders(fisiculturistas), os quais através da musculação aumentam a massa muscular para participar de campeonatos e apresentações. •O que é Hipertrofia Muscular? Hipertrofia muscular é um aumento do diâmetro do músculo, esse aumento pode ser metabólico (sarcoplasmática) ou tensional (miofibrilar). Isso ocorre devido há estímulos, gerando mais força para suportar cargas maiores. Fica óbvio que a hipertrofia muscular ajuda no ganho de força, sem falar da tão sonhada estética.
  • 6. A fisiologia do Exercício Anaeróbico acontece através de dois sistemas, o primeiro denominado Sistema Anaeróbio Alático, pela combinação do ATP (Adenosina Trifosfato) e CP (Creatina Fosfato), gera e armazena energia nos músculos. E o Sistema Anaeróbico Lático ou Glicólise Anaeróbica, o qual processa a substância alimentar denominada carboidrato, em ácido lático, que por sua vez será utilizado nos músculos em forma de glicogênio. Sistemas Anaeróbicos
  • 7.  Ajuda a prevenir problemas de saúde;  Mantem a massa muscular magra;  Aumenta a força e densidade dos ossos;  Impulsiona o metabolismo;  Remodela o seu corpo e melhora sua aparência Benefícios dos Exercícios Anaeróbicos
  • 8. Cuidados com exercícios Anaeróbicos Os Exercícios Anaeróbicos estão suscetíveis a fadiga muscular (cansaço do músculo e perda de força), devido a atividade física prolongada e repetitiva. A causa da fadiga é uma dieta escassa em açucares, denominada hipoglicídica; tal efeito faz o glicogênio hepático e muscular diminuir, o que reduz o desempenho do exercício. Para evitar a fadiga muscular se faz necessário a ingestão de carboidratos como cereais e pão, nutrientes que transformam hidratos de carbono em glicogênio.
  • 9.  O sedentarismo é caracterizado pela falta de atividade física no ser humano, não somente no caráter da prática desportiva, mas em toda sua amplitude, fazendo com que a saúde da pessoa entre em declínio e esteja mais suscetível ao surgimento de patologias. Sedentarismo
  • 10. Liberação de energia através da fermentação A fermentação é um processo de liberação de energia que ocorre sem a participação do oxigênio (processo anaeróbio). A fermentação compreende um conjunto de reações enzimaticamente controladas, através das quais uma molécula orgânica é degradada em compostos mais simples, liberando energia. A glicose é uma das substâncias mais empregadas pelos microrganismos como ponto de partida na fermentação. Fermentação
  • 11. É importante perceber que as reações químicas da fermentação são equivalentes às da glicólise. A desmontagem da glicose é parcial, são produzidos resíduos de tamanho molecular maior que os produzidos na respiração e o rendimento em ATP é pequeno.
  • 12.  Na glicólise, cada molécula de glicose é desdobrada em duas moléculas de piruvato (ácido pirúvico), com liberação de hidrogênio e energia, por meio de várias reações químicas. O hidrogênio combina-se com moléculas transportadores de hidrogênio (NAD), formando NADH + H+, ou seja NADH2. Glicólise
  • 14. Levedura - Fungo unicelular utilizado na fabricação de pães, bebidas alcoólicas em geral. A fermentação é um processo utilizado na fabricação de bebidas alcoólicas, pães e outros alimentos. Hoje sabemos que os processos fermentativos resultam da atividade de microrganismos, como as leveduras e certas bactérias. Diferentes organismos podem provocar a fermentação de diferentes substâncias. O gosto rançoso da manteiga, por exemplo, se deve a formação de ácido butírico causado pelas bactérias que fermentam gorduras. Já as leveduras fermentam a glicose e as bactérias que azedam o leite fermentam a lactose. Tipos de Fermentação
  • 15.  As leveduras e algumas bactérias fermentam açucares, produzindo álcool etílico e gás carbônico (CO2), processo denominado fermentação alcoólica. Na fermentação alcoólica, as duas moléculas de ácido pirúvico produzidas são convertidas em álcool etílico (também chamado de etanol), com a liberação de duas moléculas de CO2 e a formação de duas moléculas de ATP. Fermentação Alcoólica
  • 17. Esse tipo de fermentação é realizado por diversos microrganismos, destacando-se os chamados “fungos de cerveja”, da espécie Saccharomyces cerevisiae. O homem utiliza os dois produtos dessa fermentação: o álcool etílico empregado há milênios na fabricação de bebidas alcoólicas (vinhos, cervejas, cachaças etc.), e o gás carbônico importante na fabricação do pão, um dos mais tradicionais alimentos da humanidade. Mais recentemente tem-se utilizado esses fungos para a produção industrial de álcool combustível.
  • 18. Os fungos que fermentam também são capazes de respirar aerobicamente, no caso de haver oxigênio no meio de vida. Com isso, a glicose por eles utilizada é mais profundamente transformada e o saldo em energia é maior, 38 ATP, do que os 2 ATP obtidos na fermentação.
  • 19. Fermentação lática  Os lactobacilos (bactérias presentes no leite) executam fermentação lática, em que o produto final é o ácido lático. Para isso, eles utilizam como ponto de partida, a lactose, o açúcar do leite, que é desdobrado, por ação enzimática que ocorre fora das células bacterianas, em glicose e galactose. A seguir, os monossacarídeos entram nas células, onde ocorre a fermentação. Cada molécula do ácido pirúvico é convertido em ácido lático, que também contém três átomos de carbono.
  • 21. O sabor azedo do leite fermentado se deve ao ácido lático formado e eliminado pelos lactobacilos. O abaixamento do pH causado pelo ácido lático provoca a coagulação das proteínas do leite e a formação do coalho, usado na fabricação de iogurtes e queijos.
  • 22. Fermentação Láctica nos Homens Você já deve ter ouvido que é comum a produção de ácido lático nos músculos de uma pessoa, em ocasiões que há esforço muscular exagerado. A quantidade de oxigênio que as células musculares recebem para a respiração aeróbia é insuficiente para a liberação da energia necessária para a atividade muscular intensa. Nessas condições, ao mesmo tempo em que as células musculares continuam respirando, elas começam a fermentar uma parte da glicose, na tentativa de liberar energia extra. O ácido láctico acumula-se no interior da fibra muscular produzindo dores, cansaço e cãibras. Depois, uma parte desse ácido é conduzida pela corrente sanguínea ao fígado onde é convertido em ácido pirúvico.