SlideShare uma empresa Scribd logo
Preconceito  Contra a Mulher
Ao longo da história A imagem de fragilidade e submissão sempre esteve ligado à mulher na história, principalmente na Antiguidade, Idade Média e Moderna.
[object Object]
Na Antiguidade muitos pensadores, teólogos e filósofos contribuíram para aumentar sua posição de inferioridade, mas o que não impediu que muitas mulheres se rebelassem contra tal atitude em todos os tempos.  “ Os homens covardes que foram injustos durante sua vida, serão provavelmente transformados em mulheres quando reencarnarem”. (Platão) “ A fêmea é fêmea em virtude de certas faltas de qualidade”. (Arostóteles)
Na Idade Média as mulheres foram classificadas de três formas: como prostitutas, bruxas ou santas servindo como modelo à virgem Maria. As prostitutas eram as que se entregavam aos vícios da carne e utilizavam seus corpos para saciar os desejos ou para ganho. As mulheres bruxas eram as que de alguma forma iam contra os dogmas da Igreja, muitas mulheres que tinham de alguma forma acesso as artes, as ciências ou a literatura padeceram nas mãos da santa inquisição.
Buscar alguma forma de conhecimento custou à vida de milhares de mulheres. As mulheres da Idade Média tinham que ser moldes de virtudes da Virgem Maria, dóceis, puras e devotadas aos seus maridos.   “ Ela era um ser acidental e falho e que seu destino é o de viver sob a tutela de um homem, por natureza é inferior em força é dignidade”. (São Tomas de Aquino  )
Na Idade Moderna não foi muito diferente, renomados pensadores tiverem sua parcela de contribuição nas justificativas de sexo frágil.  “ A mulher é um ser destinado ao casamento e a maternidade” (Rosseau) “ A mulher é nossa propriedade e nos não somos propriedade dela”. (Napoleão) “ Cabelos longos inteligência curta”. (Schopenhauer) “ Pouco dotada intelectualmente, caprichosa indiscreta e moralmente fraca”. (Kant)
No dia 8 de março de 1857, nos EUA, Nova York,129 operárias morrem queimadas pela força policial, numa fábrica têxtil Cotton, em Nova York. Elas ousaram reivindicar redução da jornada de trabalho de 14 para 10 horas diárias e o direito à licença-maternidade. Em 1910, o Congresso Internacional das Mulheres Socialistas institui o 8 de março como Dia Internacional da Mulher, em homenagem a essas mulheres.
Olympe de Gouges, revolucionária francesa, lançou o manifesto “Declaração dos Direitos da Mulher”, denunciando a Declaração dos Direitos do Homem como instrumento de cidadania restrita apenas a pessoas do sexo masculino. Questiona o direito de as mulheres irem ao cadafalso se não podem subir à tribuna. É decapitada.
Na política Brasileira, a mulher só teve direito ao voto, em 1932, mas a conquista não foi completa.  Apenas mulheres casadas, viúvas e solteiras com renda própria poderia votar.  Em 1934, todas as mulheres poderia votar, porém, o voto não era obrigatório, o que ocorreu apenas em 1946.
Na década de 1940 cresceu a incorporação da força de trabalho feminina no mercado de trabalho, havendo uma diversificação do tipo de ocupações assumidas pelas mulheres. Porém, no Brasil, foi na década de 1970 que a mulher passou a ingressar de forma mais acentuada no mercado de trabalho.
No final dos anos 1970 surgem movimentos sindicais e movimentos feministas no Brasil. A desigualdade de classe juntou os dois sexos na luta por melhores condições de vida. O movimento sindical começou a assumir a luta pelos direitos da mulher. Na década de 1980, quando nasceu a CUT, a bandeira das mulheres ganhou mais visibilidade dentro do movimento sindical. Surgiu na década de 1980 a Comissão Nacional da Mulher Trabalhadora, na CUT.
A luta pela democratização das relações de gênero persistiu e com a Constituição Federal de 1988 a mulher conquistou a igualdade jurídica. O homem deixou de ser o chefe da família e a mulher passou a ser considerada um ser tão capaz quanto o homem.
Exemplos são o que não faltam na história de preconceitos contra o gênero feminino, como alguns que continuam a resistir ao tempo e vem mascarado, a exemplo temos a música, que cada vez mais traz em suas letras “piriguetes, safadonas, cachorronas, mulheres melâncias, maçãs, enfim mulheres frutas”, rótulos que acabam fazendo sucesso entre o público masculino, mas que limitam as mulheres ao culto de seus corpos.
Mesmo com a implacável perseguição ao longo dos séculos, que colocou as mulheres em uma posição de inferioridade, houve uma mudança cultural dos papéis atribuídos às mulheres. Muitas mulheres tiveram um papel essencial para tais mudanças e acabaram colocando seus nomes na história entre elas se destacam:
Anita Garibaldi “a heroína de dois mundos”,  Betty Friedam norte – americana uma das precursoras do feminismo escreveu vários livros sobre o tema,  Caroline Herschel astrônoma e matemática alemã,  Frida Kahlo pintora mexicana,  Katharine Graham jornalista americana foi a primeira mulher poderosa da mídia e presidente do The Washington Post,  Cleópatra,  Elizabeth I, Evita Perón,  Indira Gandhi,  Lady Di,  Madre Teresa de Calcutá,  Marilyn Monroe, entre outras tiveram grande importância em diversas áreas.
Hatshepsut Primeira faraó da história. No começo de seu reinado não exigiu as regalias reservadas aos faraós. Aos poucos foi testando até onde iam os limites impostos pela sociedade egípcia às mulheres. Hatshepsut promoveu a inovação administrativa e a expansão comercial. Enviou várias expedições para a costa africana, no Mar Vermelho, em busca de ouro, marfim, pele de animais, entre outros.
Camille Claudel Camille era aprendiz do escultor Auguste Rodin. Esculpiu obras belíssimas e dotadas de perfeição, mas o preconceito existia também aí, pois eram constantes os questionamentos sobre suas obras.  Especulava-se que era Rodin o verdadeiro escultor de tais obras.
Cleópatra ,[object Object]
Coco Chanel Coco Chanel foi uma importante estilista francesa, que estava a frente de seu tempo. Revolucionou os guarda-roupas dos anos 20, libertando as mulheres de trajes desconfortáveis, criando as primeiras calças femininas e saias mais curtas. Chanel ainda lutou para que a mulher não fosse um simples manequim, incentivando a independência.
Joana D’Arc ,[object Object]
Maria Bonita Era mulher de Lampião e foi a primeira mulher a participar de um grupo de cangaceiros. Teve coragem e resistência para enfrentar todos os tipos de dificuldades da vida no cangaço, durante oito anos, e foi ferida apenas uma vez. A vida difícil de Maria Bonita no cangaço pode ser considerada uma representação da força e coragem da mulher brasileira.
Marie Curie ,[object Object]
Joanne Kathleen Rowling Escritora de Harry Potter, mais conhecida como J.K. Rowling, foi obrigada a abreviar o nome pela editora, que admitiu que “garotos não iriam ler a obra se deduzissem que era escrita por uma mulher” Hoje, ela é a segunda mulher mais rica da Inglaterra (perdendo para a rainha), apenas com os livros dessa saga, em cerca de 14 anos de história.
Dandara ,[object Object],[object Object],[object Object]
Rosie, a Rebitadeira Rosie surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, quando as mulheres foram obrigadas a ocupar papéis mais ativos na sociedade e na família, trabalhando em indústrias para ajudar a família e nos esforços da guerra, ou como enfermeiras ou operadoras de rádio a favor das tropas. Apesar de ser uma personagem fictícia, Rosie é um perfeito exemplo do envolvimento feminino na guerra, e que a mulher pode ser forte e corajosa sem perder sua feminilidade.
Maria da Penha Vítima de atentados praticados por seu ex-marido, sua luta e história inspiraram a lei de proteção das mulheres em casos de violência doméstica. Devido as agressões sofridas, ficou paraplégica. Hoje é coordenadora da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência.
Madonna Madonna sempre foi muito polêmica e grande revolucionária da atitude feminina. Através de suas músicas e atitudes, defendia que todos devem se expressar e não devem se reprimir, encorajando assim muitas mulheres que tinham muito a dizer, mas não o faziam por medo e não conseguiam o que queriam.
“ Como Se Sente Uma Garota” “ Garotas podem usar jeans E cortar os cabelos curtos Usar camisas e botas Porque é legal ser um garoto Mas para um garoto se parecer com Uma garota é degradante Pois acha que ser uma garota é degradante Mas secretamente você adoraria saber como é Não adoraria?... ” Madonna
Exemplos não faltam. Mulheres importantes, mas menosprezadas, na maioria das vezes, vítimas do preconceito através de toda a história. Não faça parte disso, também .  Diga não ao preconceito.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Movimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/Piauí
Movimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/PiauíMovimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/Piauí
Movimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/PiauíCarol Alves
 
Trabalho sobre direitos humanos
Trabalho sobre direitos humanosTrabalho sobre direitos humanos
Trabalho sobre direitos humanosgrazivig
 
Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)Conceição Amorim
 
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedadeFeminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedadeClaudio Henrique Ramos Sales
 
Direitos das mulheres
Direitos das mulheresDireitos das mulheres
Direitos das mulheresbejr
 
Dia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência NegraDia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência NegraPaulo Medeiros
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherTCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherMarcia Oliveira
 
Dia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência NegraDia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência NegraPaulo Medeiros
 
Apresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalApresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalGreice Keli
 
ONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da Penha
ONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da PenhaONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da Penha
ONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da PenhaUNIFEM Brasil
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasilProfessor
 

Mais procurados (20)

Movimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/Piauí
Movimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/PiauíMovimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/Piauí
Movimento de Mulheres (Feminismo) Brasil/Piauí
 
Dia Internacional da Mulher
Dia Internacional da MulherDia Internacional da Mulher
Dia Internacional da Mulher
 
Trabalho sobre direitos humanos
Trabalho sobre direitos humanosTrabalho sobre direitos humanos
Trabalho sobre direitos humanos
 
Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)Dados da Violência Contra a Mulher (1)
Dados da Violência Contra a Mulher (1)
 
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedadeFeminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
 
Direitos das mulheres
Direitos das mulheresDireitos das mulheres
Direitos das mulheres
 
Dia das mulheres
Dia das mulheresDia das mulheres
Dia das mulheres
 
Dia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência NegraDia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência Negra
 
TCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulherTCF sobre Violência contra a mulher
TCF sobre Violência contra a mulher
 
Dia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência NegraDia Da Consciência Negra
Dia Da Consciência Negra
 
Apresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalApresentação feminismo final
Apresentação feminismo final
 
ONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da Penha
ONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da PenhaONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da Penha
ONU Mulheres - Quebre Esse Ciclo - Lei Maria da Penha
 
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores ClimáticosClima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
 
Homofobia
HomofobiaHomofobia
Homofobia
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
 
Lei Maria da Penha
Lei Maria da PenhaLei Maria da Penha
Lei Maria da Penha
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
 
racismo
racismoracismo
racismo
 

Destaque

Os direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanosOs direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanosVanessa Ribeiro
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.interatividade
 
Dia Internacional da Mulher
Dia Internacional da MulherDia Internacional da Mulher
Dia Internacional da Mulherunivsenior
 
O Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da MulherO Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da MulherJoaquim Almeida
 
Apresentação dia da mulher
Apresentação dia da mulherApresentação dia da mulher
Apresentação dia da mulherGlayson Sombra
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulherMAIEVS2
 
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra   homofobia e escola - alexandre araripePalestra   homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra homofobia e escola - alexandre araripefanny71
 
Direito das mulheres
Direito das mulheresDireito das mulheres
Direito das mulheresAK47J
 
A Discriminação de Género
A Discriminação de GéneroA Discriminação de Género
A Discriminação de GéneroESAG
 
preconceito
preconceitopreconceito
preconceitobsilva73
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiWAGNER OLIVEIRA
 
8 poemas 8 mulheres 8 imagens 8
8 poemas 8 mulheres 8 imagens 88 poemas 8 mulheres 8 imagens 8
8 poemas 8 mulheres 8 imagens 8Clara Veiga
 
Conflito sexual
Conflito sexualConflito sexual
Conflito sexualunesp
 

Destaque (20)

Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Os direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanosOs direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanos
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
 
Direitos das mulheres
Direitos das mulheresDireitos das mulheres
Direitos das mulheres
 
Dia Internacional da Mulher
Dia Internacional da MulherDia Internacional da Mulher
Dia Internacional da Mulher
 
O Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da MulherO Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da Mulher
 
Apresentação dia da mulher
Apresentação dia da mulherApresentação dia da mulher
Apresentação dia da mulher
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulher
 
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra   homofobia e escola - alexandre araripePalestra   homofobia e escola - alexandre araripe
Palestra homofobia e escola - alexandre araripe
 
Direito das mulheres
Direito das mulheresDireito das mulheres
Direito das mulheres
 
Projeto mulheres e cidadania
Projeto mulheres e cidadaniaProjeto mulheres e cidadania
Projeto mulheres e cidadania
 
A Discriminação de Género
A Discriminação de GéneroA Discriminação de Género
A Discriminação de Género
 
preconceito
preconceitopreconceito
preconceito
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
 
Homenagem ao dia internacional da mulher apresentação
Homenagem ao dia internacional da mulher   apresentaçãoHomenagem ao dia internacional da mulher   apresentação
Homenagem ao dia internacional da mulher apresentação
 
8 poemas 8 mulheres 8 imagens 8
8 poemas 8 mulheres 8 imagens 88 poemas 8 mulheres 8 imagens 8
8 poemas 8 mulheres 8 imagens 8
 
El sexismo violenta
El sexismo violentaEl sexismo violenta
El sexismo violenta
 
Loira sequestradora
Loira sequestradoraLoira sequestradora
Loira sequestradora
 
Conflito sexual
Conflito sexualConflito sexual
Conflito sexual
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 

Semelhante a Preconceito contra a Mulher

Aula - Protagonismo Feminino na História.pdf
Aula - Protagonismo Feminino na História.pdfAula - Protagonismo Feminino na História.pdf
Aula - Protagonismo Feminino na História.pdfNomedenome
 
Texto para apresentação seminário 19 de setembro
Texto para apresentação seminário 19 de setembroTexto para apresentação seminário 19 de setembro
Texto para apresentação seminário 19 de setembromarinathebaldi
 
Mulher na sociedade brasileira
Mulher na sociedade brasileiraMulher na sociedade brasileira
Mulher na sociedade brasileiraid080790
 
Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro
Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro
Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro Cassia Barbosa
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxDaiani Wagner
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxDaiani Wagner
 
REVISTA FLAWLESS
REVISTA FLAWLESSREVISTA FLAWLESS
REVISTA FLAWLESSYan Gurgel
 
O outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdf
O outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdfO outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdf
O outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdfHildaDePaula1
 
Novos temas nas aulas de história
Novos temas nas aulas de históriaNovos temas nas aulas de história
Novos temas nas aulas de históriaFabio Santos
 
Trabalho de redação
Trabalho de redaçãoTrabalho de redação
Trabalho de redaçãoThiago Vieira
 
Período Moderno: contos e mentalidade
Período Moderno: contos e mentalidade Período Moderno: contos e mentalidade
Período Moderno: contos e mentalidade Juliana
 
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53Valter Gomes
 
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICOA EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICODanillo Rodrigues
 
A Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / Summary
A Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / SummaryA Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / Summary
A Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / SummaryUNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO
 

Semelhante a Preconceito contra a Mulher (20)

Aula - Protagonismo Feminino na História.pdf
Aula - Protagonismo Feminino na História.pdfAula - Protagonismo Feminino na História.pdf
Aula - Protagonismo Feminino na História.pdf
 
A marca do batom
A marca do batomA marca do batom
A marca do batom
 
Texto para apresentação seminário 19 de setembro
Texto para apresentação seminário 19 de setembroTexto para apresentação seminário 19 de setembro
Texto para apresentação seminário 19 de setembro
 
Mulher na sociedade brasileira
Mulher na sociedade brasileiraMulher na sociedade brasileira
Mulher na sociedade brasileira
 
21 mulheres (1)
21 mulheres (1)21 mulheres (1)
21 mulheres (1)
 
Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro
Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro
Entre a emancipa ca o e a dependencia as mulheres na revisa o Cruzeiro
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docx
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docx
 
REVISTA FLAWLESS
REVISTA FLAWLESSREVISTA FLAWLESS
REVISTA FLAWLESS
 
Apresentação 12.pdf
Apresentação 12.pdfApresentação 12.pdf
Apresentação 12.pdf
 
O outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdf
O outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdfO outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdf
O outro lado da moeda_Cleonora Hudson.pdf
 
Novos temas nas aulas de história
Novos temas nas aulas de históriaNovos temas nas aulas de história
Novos temas nas aulas de história
 
Trabalho de redação
Trabalho de redaçãoTrabalho de redação
Trabalho de redação
 
Período Moderno: contos e mentalidade
Período Moderno: contos e mentalidade Período Moderno: contos e mentalidade
Período Moderno: contos e mentalidade
 
Mito ou realidade
Mito ou realidadeMito ou realidade
Mito ou realidade
 
A década da utopia
A década da utopiaA década da utopia
A década da utopia
 
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 53
 
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICOA EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
 
Nisia apresentacao
Nisia apresentacaoNisia apresentacao
Nisia apresentacao
 
A Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / Summary
A Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / SummaryA Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / Summary
A Serpente Emplumada - D.H. Lawrence / Summary
 

Mais de carolpixel

Mais de carolpixel (8)

Alquimia
AlquimiaAlquimia
Alquimia
 
Fenilcetonúria
FenilcetonúriaFenilcetonúria
Fenilcetonúria
 
Poluição do Ar
Poluição do ArPoluição do Ar
Poluição do Ar
 
Simple present
Simple presentSimple present
Simple present
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Judaísmo
Judaísmo Judaísmo
Judaísmo
 
Surrealismo Obras
Surrealismo ObrasSurrealismo Obras
Surrealismo Obras
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 

Preconceito contra a Mulher

  • 2. Ao longo da história A imagem de fragilidade e submissão sempre esteve ligado à mulher na história, principalmente na Antiguidade, Idade Média e Moderna.
  • 3.
  • 4. Na Antiguidade muitos pensadores, teólogos e filósofos contribuíram para aumentar sua posição de inferioridade, mas o que não impediu que muitas mulheres se rebelassem contra tal atitude em todos os tempos. “ Os homens covardes que foram injustos durante sua vida, serão provavelmente transformados em mulheres quando reencarnarem”. (Platão) “ A fêmea é fêmea em virtude de certas faltas de qualidade”. (Arostóteles)
  • 5. Na Idade Média as mulheres foram classificadas de três formas: como prostitutas, bruxas ou santas servindo como modelo à virgem Maria. As prostitutas eram as que se entregavam aos vícios da carne e utilizavam seus corpos para saciar os desejos ou para ganho. As mulheres bruxas eram as que de alguma forma iam contra os dogmas da Igreja, muitas mulheres que tinham de alguma forma acesso as artes, as ciências ou a literatura padeceram nas mãos da santa inquisição.
  • 6. Buscar alguma forma de conhecimento custou à vida de milhares de mulheres. As mulheres da Idade Média tinham que ser moldes de virtudes da Virgem Maria, dóceis, puras e devotadas aos seus maridos. “ Ela era um ser acidental e falho e que seu destino é o de viver sob a tutela de um homem, por natureza é inferior em força é dignidade”. (São Tomas de Aquino )
  • 7. Na Idade Moderna não foi muito diferente, renomados pensadores tiverem sua parcela de contribuição nas justificativas de sexo frágil. “ A mulher é um ser destinado ao casamento e a maternidade” (Rosseau) “ A mulher é nossa propriedade e nos não somos propriedade dela”. (Napoleão) “ Cabelos longos inteligência curta”. (Schopenhauer) “ Pouco dotada intelectualmente, caprichosa indiscreta e moralmente fraca”. (Kant)
  • 8. No dia 8 de março de 1857, nos EUA, Nova York,129 operárias morrem queimadas pela força policial, numa fábrica têxtil Cotton, em Nova York. Elas ousaram reivindicar redução da jornada de trabalho de 14 para 10 horas diárias e o direito à licença-maternidade. Em 1910, o Congresso Internacional das Mulheres Socialistas institui o 8 de março como Dia Internacional da Mulher, em homenagem a essas mulheres.
  • 9. Olympe de Gouges, revolucionária francesa, lançou o manifesto “Declaração dos Direitos da Mulher”, denunciando a Declaração dos Direitos do Homem como instrumento de cidadania restrita apenas a pessoas do sexo masculino. Questiona o direito de as mulheres irem ao cadafalso se não podem subir à tribuna. É decapitada.
  • 10. Na política Brasileira, a mulher só teve direito ao voto, em 1932, mas a conquista não foi completa. Apenas mulheres casadas, viúvas e solteiras com renda própria poderia votar. Em 1934, todas as mulheres poderia votar, porém, o voto não era obrigatório, o que ocorreu apenas em 1946.
  • 11. Na década de 1940 cresceu a incorporação da força de trabalho feminina no mercado de trabalho, havendo uma diversificação do tipo de ocupações assumidas pelas mulheres. Porém, no Brasil, foi na década de 1970 que a mulher passou a ingressar de forma mais acentuada no mercado de trabalho.
  • 12. No final dos anos 1970 surgem movimentos sindicais e movimentos feministas no Brasil. A desigualdade de classe juntou os dois sexos na luta por melhores condições de vida. O movimento sindical começou a assumir a luta pelos direitos da mulher. Na década de 1980, quando nasceu a CUT, a bandeira das mulheres ganhou mais visibilidade dentro do movimento sindical. Surgiu na década de 1980 a Comissão Nacional da Mulher Trabalhadora, na CUT.
  • 13. A luta pela democratização das relações de gênero persistiu e com a Constituição Federal de 1988 a mulher conquistou a igualdade jurídica. O homem deixou de ser o chefe da família e a mulher passou a ser considerada um ser tão capaz quanto o homem.
  • 14. Exemplos são o que não faltam na história de preconceitos contra o gênero feminino, como alguns que continuam a resistir ao tempo e vem mascarado, a exemplo temos a música, que cada vez mais traz em suas letras “piriguetes, safadonas, cachorronas, mulheres melâncias, maçãs, enfim mulheres frutas”, rótulos que acabam fazendo sucesso entre o público masculino, mas que limitam as mulheres ao culto de seus corpos.
  • 15. Mesmo com a implacável perseguição ao longo dos séculos, que colocou as mulheres em uma posição de inferioridade, houve uma mudança cultural dos papéis atribuídos às mulheres. Muitas mulheres tiveram um papel essencial para tais mudanças e acabaram colocando seus nomes na história entre elas se destacam:
  • 16. Anita Garibaldi “a heroína de dois mundos”, Betty Friedam norte – americana uma das precursoras do feminismo escreveu vários livros sobre o tema, Caroline Herschel astrônoma e matemática alemã, Frida Kahlo pintora mexicana, Katharine Graham jornalista americana foi a primeira mulher poderosa da mídia e presidente do The Washington Post, Cleópatra, Elizabeth I, Evita Perón, Indira Gandhi, Lady Di, Madre Teresa de Calcutá, Marilyn Monroe, entre outras tiveram grande importância em diversas áreas.
  • 17. Hatshepsut Primeira faraó da história. No começo de seu reinado não exigiu as regalias reservadas aos faraós. Aos poucos foi testando até onde iam os limites impostos pela sociedade egípcia às mulheres. Hatshepsut promoveu a inovação administrativa e a expansão comercial. Enviou várias expedições para a costa africana, no Mar Vermelho, em busca de ouro, marfim, pele de animais, entre outros.
  • 18. Camille Claudel Camille era aprendiz do escultor Auguste Rodin. Esculpiu obras belíssimas e dotadas de perfeição, mas o preconceito existia também aí, pois eram constantes os questionamentos sobre suas obras. Especulava-se que era Rodin o verdadeiro escultor de tais obras.
  • 19.
  • 20. Coco Chanel Coco Chanel foi uma importante estilista francesa, que estava a frente de seu tempo. Revolucionou os guarda-roupas dos anos 20, libertando as mulheres de trajes desconfortáveis, criando as primeiras calças femininas e saias mais curtas. Chanel ainda lutou para que a mulher não fosse um simples manequim, incentivando a independência.
  • 21.
  • 22. Maria Bonita Era mulher de Lampião e foi a primeira mulher a participar de um grupo de cangaceiros. Teve coragem e resistência para enfrentar todos os tipos de dificuldades da vida no cangaço, durante oito anos, e foi ferida apenas uma vez. A vida difícil de Maria Bonita no cangaço pode ser considerada uma representação da força e coragem da mulher brasileira.
  • 23.
  • 24. Joanne Kathleen Rowling Escritora de Harry Potter, mais conhecida como J.K. Rowling, foi obrigada a abreviar o nome pela editora, que admitiu que “garotos não iriam ler a obra se deduzissem que era escrita por uma mulher” Hoje, ela é a segunda mulher mais rica da Inglaterra (perdendo para a rainha), apenas com os livros dessa saga, em cerca de 14 anos de história.
  • 25.
  • 26. Rosie, a Rebitadeira Rosie surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, quando as mulheres foram obrigadas a ocupar papéis mais ativos na sociedade e na família, trabalhando em indústrias para ajudar a família e nos esforços da guerra, ou como enfermeiras ou operadoras de rádio a favor das tropas. Apesar de ser uma personagem fictícia, Rosie é um perfeito exemplo do envolvimento feminino na guerra, e que a mulher pode ser forte e corajosa sem perder sua feminilidade.
  • 27. Maria da Penha Vítima de atentados praticados por seu ex-marido, sua luta e história inspiraram a lei de proteção das mulheres em casos de violência doméstica. Devido as agressões sofridas, ficou paraplégica. Hoje é coordenadora da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência.
  • 28. Madonna Madonna sempre foi muito polêmica e grande revolucionária da atitude feminina. Através de suas músicas e atitudes, defendia que todos devem se expressar e não devem se reprimir, encorajando assim muitas mulheres que tinham muito a dizer, mas não o faziam por medo e não conseguiam o que queriam.
  • 29. “ Como Se Sente Uma Garota” “ Garotas podem usar jeans E cortar os cabelos curtos Usar camisas e botas Porque é legal ser um garoto Mas para um garoto se parecer com Uma garota é degradante Pois acha que ser uma garota é degradante Mas secretamente você adoraria saber como é Não adoraria?... ” Madonna
  • 30. Exemplos não faltam. Mulheres importantes, mas menosprezadas, na maioria das vezes, vítimas do preconceito através de toda a história. Não faça parte disso, também . Diga não ao preconceito.