Aula6 biomas

7.418 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.418
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
632
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula6 biomas

  1. 1. BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS PROFESSORA: ANDRÉA RODRIGUES MONITORA: MARINA BARROS Aula 6: ECOSSISTEMAS E ECOSSITEMAS AQUÁTICOS
  2. 2. Biomas: Definição São regiões de grande extensão onde se desenvolveu, predominantemente, um determinado tipo de vida, as quais são, em grande parte, distribuídas pela superfície do planeta em função da latitude, uma vez que o clima varia de acordo com ela. Além do clima, o solo também é um importante fator de distribuição dos biomas, mas é difícil estabelece causa e efeito nessa distribuição, pois os três fatores – SOLO, CLIMA e VEGETAÇÃO – se inter-relacionam intimamente, um afetando o outro. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  3. 3. Clima Refere-se às condições médias do tempo em uma área – especialmente temperatura e pressão – durante um longo período. • O clima de uma região é determinado pela radiação solar, pelos padrões globais de movimento do ar e água, pelos gases na atmosfera e pelas principais características da superfície terrestre. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  4. 4. Clima A localização dos biomas terrestres, tais como, desertos, campos e florestas, é determinada principalmente pelo clima e pelas atividades humanas que removem ou alteram a vegetação: Radiação solar Movimento do ar e água Gases na atmosfera Principais características da superfície terrestre Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  5. 5. Clima 60ºN Desertos Frios Zonas de Ventos do Oeste Florestas Alísios do Nordeste 30ºN Desertos quentes Florestas 0º Equador Alísios de sudeste Desertos quentes Zonas de Ventos do Oeste Desertos frios Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS 30ºs Florestas 60ºS
  6. 6. Clima Os ventos predominantes retiram a umidade dos Oceanos. Do lado a montante da cordilheira, o ar sobe resfria-se e libera umidade Do lado jusante da cordilheira, o ar desce, aquece-se e libera pouca umidade. Habitats Secos Habitats Úmidos Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  7. 7. Distribuição dos biomas no planeta Floresta pluvial Campos Floresta temperada Deserto Chapada Trunda Taiga Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  8. 8. Distribuição dos biomas no planeta Polar Tundra Subpolar Temperado Coniferous forest Deserto Floresta decídua Campo Chaparral Tropical Deserto Savana Floresta Pluvial Floresta Tropical Sazonal Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Vegetação Arbústica
  9. 9. Distribuição dos biomas no planeta Altitude Gelo e Neve da montanha Tundra Floresta de Coníferas Floresta Decícua Latitude Floresta Tropical Floresta Tropical Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Floresta Decídua Floresta de Coníferas Tundra Gelo e neve da montanha
  10. 10. Biomas terrestres Características principais A água é um dos principais fatores limitantes Grandes vegetais providos de raízes – principais produtores Os consumidores apresentam grande diversidade e são importantes na modificação do solo e do clima Os decompositores são basicamente constituídos por fungos e bactérias Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  11. 11. Principais biomas terrestres Tundra Ecossistema simples Gelos permanentes Solo esponjoso e acidentado Ausência de árvores Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  12. 12. Principais biomas terrestres Taiga (Floresta de Coníferas) Pouca diversidade pinheiros Árvores verdes/folhas afiladas Clima frio Solos ácidos e pobres Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  13. 13. Taiga (Floresta de Coníferas) Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  14. 14. Principais biomas terrestres Florestas Temperadas Europa e América do Norte Japão e Austrália Ocorre em regiões de clima moderado Flora composta por árvores que perdem suas folhas no inverno Arbustos bem desenvolvidos e diversificados Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  15. 15. Floresta Temperada Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  16. 16. Principais biomas terrestres Florestas Tropicais Ocorrem em regiões isoladas, sempre a baixas altitudes e próximas ao Equador. São encontradas nas bacias do rio Amazonas, Congo, Niger e Zambebe e na Indo-Malásia. Temperatura praticamente invariável ao longo do ano e não há distinção entre verão e inverno. A flora característica é composta por árvores de grande porte e densa folhagem, pequena quantidade de espécies arbustivas e herbáceas, e presença de epífitas. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  17. 17. Principais biomas terrestres Florestas Tropicais A fauna é rica em espécies, desenvolve-se principalmente nas árvores, com poucas espécies que descem ao solo ou vivem exclusivamente no mesmo. A decomposição e reciclagem de nutrientes acontece com grande rapidez. O solo é pobre e raso; o grande reservatório de minerais se concentra na matéria orgânica morta e viva da floresta, sendo ínfima a quantidade armazenada no solo. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  18. 18. Principais biomas terrestres Florestas Tropicais Graças à fragilidade desse ecossistema e sua grande importância para a vida e o clima na Terra, as florestas tropicais devem ser motivo de constante preocupação quanto a sua conservação e a de sua fauna Uma devastação geraria enormes desertos, provocando alterações climáticas, ecológicas e econômicas muito desfavoráveis ao planeta e ao homem Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  19. 19. Florestas Tropicais Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  20. 20. Florestas Tropicais Harpia Camada Emergente Tucano Altura (m) Dossel Sub-bosque Cuíca Lanosa Anta Pittasoma Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Camada arbustiva Camada do solo
  21. 21. Principais biomas terrestres Campos São ecossistemas nos quais predominam a vegetam herbácea, geralmente baixa. Persistem em razão da combinação de aridez sazonal, pastagens e incêndios ocasionais. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  22. 22. Principais biomas terrestres Campos ou pradarias Eles se dividem em dois tipos principais – ESTEPES e SAVANAS ESTEPES Caracteriza-se pelo domínio das gramíneas. SAVANA Sua vegetação inclui também arbustos e pequenas árvores, herbívoros e carnívoros de grande porte, além de aves corredoras; apresentam temperaturas quentes, duas estações secas prolongadas e chuva abundante o resto do ano. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  23. 23. Campos ou pradarias Substituição de um campo biologicamente diversificado por uma lavoura de monocultura na Califórnia. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  24. 24. Principais biomas terrestres Desertos São regiões áridas de vegetação rara e espaçada, nas quais predomina o solo nú. Ocorrem em regiões de baixa precipitação ou em locais de maior precipitação, mas mal distribuída ao longo do ano, porém com altas taxas de evaporação. Localizam-se atrás de altas cadeias montanhosas litorâneas, que barram os ventos úmidos, ou em altitudes muito elevadas. A combinação de pouca chuva e diferentes temperaturas médias cria os desertos TROPICAIS, TEMPERADOS e FRIOS. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  25. 25. Principais biomas terrestres DESERTOS TROPICAIS São quentes e secos na maior parte do ano; têm pouquíssimas plantas e uma superfície áspera, castigada pelo vento e coberta por pedras e areia (Saara, Sul da África). DESERTOS TEMPERADOS As temperaturas do dia são altas no verão e baixas no inverno e há mais precipitação do que nos desertos tropicais (Mojave, Sul da Califórnia). DESERTOS FRIOS os invernos são frios, os verões são mornos ou quentes e a precipitação é baixa (Gobi, China). Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  26. 26. Desertos Mojave, Sul da Califónia Atacama, Chile Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Gobi, China Saara, Sul da África
  27. 27. Biomas Brasileiros Floresta Amazônica Costeiros Caatinga Cerrado Pantanal Mata Atlântica Pampas Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  28. 28. Biomas Brasileiros Floresta Amazônica Considerada a maior floresta tropical do mundo com uma rica biodiversidade. Está presente nos estados Amazonas, Roraima, Acre, Rondônia, Amapá, Maranhão e Tocantins. É o habitat de milhares de espécies vegetais e animais. Caracteriza-se pela presença de árvores de grande porte, situadas bem próximas umas das outras (floresta fechada). Como o clima na região é quente e úmido, as árvores possuem folhas grandes e largas. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  29. 29. Biomas Brasileiros Floresta Tropical - Amazônica Diversidade de fauna e flora
  30. 30. Biomas Brasileiros Costeiros O Brasil possui diversos tipos de biomas nestas áreas. Na região Norte destacam-se as matas de várzea e os mangues no litoral Amazônico. No Nordeste, há a presença de restingas, falésias e mangues. No Sudeste destacam-se a vegetação de mata Atlântica e também os mangues, embora em pouca quantidade. Já no sul do país, temos os costões rochosos e manguezais.
  31. 31. Biomas Brasileiros Costeiros Costões Rochosos Praias Arenosas Dunas Corais Mangues Restingas
  32. 32. Biomas Brasileiros Caatinga Presente na região do sertão nordestino (clima semi-árido), caracteriza-se por uma vegetação de arbustos de porte médio, secos e com galhos retorcidos. Há também a presença de ervas e cactos.
  33. 33. Biomas Brasileiros Caatinga Sertão Nordestino
  34. 34. Biomas Brasileiros Cerrado Este bioma é encontrado nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins. Com uma rica biodiversidade, caracteriza-se pela presença de gramíneas, arbustos e árvores retorcidas. As plantas possuem longas raízes para retirar água e nutrientes em profundidades maiores.
  35. 35. Biomas Brasileiros Cerrado Chapada dos Guimarães, MT
  36. 36. Ecossistemas Brasileiros Pantanal Está presente nos estados de Mato-Grosso e MatoGrosso do Sul. Algumas regiões do pantanal sofrem alagamentos durante os períodos de chuvas. Presença de gramíneas, arbustos e palmeiras. Nas regiões que sofrem inundação, há presença de árvores de floresta tropical.
  37. 37. Biomas Brasileiros Pantanal Diversidade de fauna e flora Interação entre os ecossistemas aquático e terrestre
  38. 38. Biomas Brasileiros Mata Atlântica Neste bioma há a presença de diversos ecossistemas. No passado, ocupou quase toda região litorânea brasileira. Com o desmatamento, foi perdendo terreno e hoje ocupa somente 7% da área original. Rica biodiversidade, com presença de diversas espécies animais e vegetais. A floresta é fechada com presença de árvores de porte médio e alto.
  39. 39. Biomas Brasileiros Mata Atlântica
  40. 40. Ecossistemas Brasileiros Pampas Também chamado de Campos do Sul ou Campos Sulinos este bioma é constituído principalmente por vegetação campestre e no Brasil o Pampa só esta presente do estado do Rio Grande do Sul. O Bioma caracteriza-se pela grande riqueza de espécies herbáceas e várias tipologias campestres, compondo em algumas regiões, ambientes integrados com a floresta de araucária.
  41. 41. Biomas Brasileiros Pampas e Matas de Araucária
  42. 42. Ecossistemas Aquáticos Diferenças básicas entre ecossistemas aquáticos e terrestres, além do substrato que os envolve AQUÁTICOS TERRESTRES Em ecossistemas marinhos, a luz é um A água é, muitas vezes, o fator limitante fator limitante Variações de temperatura mais amenas Variações de T mais pronunciadas O oxigênio, as vezes, é um fator A circulação do ar provoca uma rápida limitante distribuição e reciclagem de gases O meio aquático requer esqueletos Esqueletos dos habitantes mais rígidos, menos rígidos dos seus habitantes uma vez que o empuxo do ar é bem inferior ao da água Biomassa vegetal menor alimentares maiores Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS e cadeias Biomassa vegetal maior alimentares menores e cadeias
  43. 43. Ecossistemas aquáticos Tipos de zonas de vida aquática • Os equivalentes aquáticos dos biomas são chamados zonas de vida aquática. aquática. • A salinidade da água é um fator de grande importância na distribuição dos seres aquáticos, uma vez que algumas espécies são estritamente marinhas e outras estritamente de água doce. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  44. 44. Ecossistemas aquáticos • As zonas de vida aquática são classificadas em dois grupos principais: Água doce Lagos e lagoas, riachos e rios e áreas interiores alagadiças Água salgada ou marinha Estuários, litorais, recifes de corais, pântanos costeiros, mangues e oceanos Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  45. 45. Ecossistemas aquáticos Lagos Rios Recifes/corais Mangues Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  46. 46. Ecossistemas de água doce Zonas de vida em águas doce • As zonas de vida em água doce ocorrem onde a água, com uma concentração de sal dissolvido menor que 1% por volume, acumula ou circula através de biomas terrestres. • Os exemplos incluem os sistemas lênticos (água parada) de água doce como lagos, lagoas e áreas interiores alagadiças e sistemas lóticos (água corrente), como riachos e rios. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  47. 47. Ecossistemas de água doce Lagoas Lagos Ambientes LÊNTICOS Rios Ambientes LÓTICOS Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Corredeiras
  48. 48. Ecossistemas de água doce Lagos • Os lagos são grandes corpos naturais de água doce parada formados quando precipitação, escoamento ou infiltração de águas subterrâneas enchem depressões da superfície terrestre. • Os lagos são abastecidos com água da chuva, derretimento de neve e riachos que drenam as bacias da vizinhança. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  49. 49. Ecossistemas de água doce Luz solart Tartaruga Rã Lagos Marreco Rato almiscarado Caracol Zona Litoral Zona limnética Besouro Plâncton Zona profunda Zona Bêntica Perca amarela Poliqueta Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Lúcio
  50. 50. Ecossistemas de água doce Riachos e Rios • A precipitação que não penetra na terra nem evapora é água de superfície. Ela se torna córrego quando flui para riachos. • O fluxo descendente de água de superfície e das águas subterrâneas das montanhas para o mar normalmente se dá em três zonas aquáticas caracterizadas por diferentes condições ambientais: zona fonte, zona de transição e zona de várzea. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  51. 51. Ecossistemas de água doce Chuva e neve Lago Geleira Correnteza Cachoeira Tributário Lago Pântano de água salgada Delta Oceano Sedimento depositado Zona Fonte Zona de transição Zona Fonte abriga as nascentes dos rios, zona de transição abriga riachos mais largos e de menos elevação e zona de várzea que abrigam os rios que deságuam no oceano. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Zona Várzea Água Sedimento
  52. 52. Ecossistemas de água doce Áreas Alagadiças • As áreas alagadiças são terras cobertas com água doce a maior parte do tempo (excluindo os lagos, reservatórios e riachos) e que estão distantes de áreas costeiras. • Eles incluem pântanos, brejos, caldeirões de pradarias (depressões cavadas pelas geleiras), várzeas e a tundra ártica alagada no verão. • Algumas áreas alagadiças não enormes outras são pequenas. Algumas são cobertas por água o ano todo e outras permanecem com água por um curto período do ano. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  53. 53. Ecossistemas de água doce Sistemas de água doce • Embora os sistemas de água doce cubram menos de 1% da superfície terrestre , eles prestam vários serviços ecológicos e econômicos importantes. Serviços Ecológicos Amenização do clima Ciclagem de nutrientes Alimento Tratamento e diluição de detritos Água potável Controle de enchentes Recarga de águas subterrãneas Habitat para espécies aquáticas e terrestre Água para irrigação Hidréltrica Corredores de transporte Recreação Recursos genéticos e biodiversidade Informações científicas Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Serviços Econômicos Emprego
  54. 54. Ecossistemas de água salgada Zonas de vida marinha (OCEANOS) São de importância vital para todos os ecossistemas do planeta Influencia as características climáticas e atmosféricas da Terra, além de sua importância nos ciclos minerais (exemplo – ciclo do carbono) Sua temperatura diminui com a profundidade, variando, em regiões mais profundas, entre 1ºC e 3ºC A região mais bem conhecida e estudada dos oceanos é a PLATAFORMA CONTINENTAL, a qual se estende até a profundidade de 200m, seguindo um relevo com suave declínio. É de grande valor econômico para o homem, pois nela se localizam as mais ricas regiões de pesca do planeta. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  55. 55. Ecossistemas de água salgada Maré baixa Zona costeira Mar aberto Sol Nível do Mar Fotossíntese Maré alta Zona eufótica Zona de estuário Luz Fraca Plataforma Continental Zona Batial Escuridão Zona abissal Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  56. 56. Ecossistemas de água salgada Estuários É um corpo de água litorâneo semifechado com livre acesso para o mar, onde as águas marinhas se misturam com a água doce proveniente do continente. Ele pode ser considerado zona de transição entre água doce e salgada, mas com características próprias. A salinidade apresenta uma grande variação durante o ano, por isso as espécies possuem uma grande tolerância a tais variações. A comunidade é composta por espécies exclusivas, além das espécies que vêm do oceano e aquelas que migram do oceano para os rios e vice-versa Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  57. 57. Estuários Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  58. 58. Ecossistemas de água salgada Pântanos São áreas planas de abundante vegetação berbácea e/ou arbustiva, que permanecem grande parte do tempo inundadas. O surgimento dos pântanos geralmente ocorre em áreas onde o escoamento das águas se torna lento. Assim o entulho ocasionado pela massa orgânica além de se decompor, ocasiona mais represamento da vazão da bacia hidrográfica. Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS
  59. 59. Pântanos Pântanos Parte do material dessa aula foi gentilmente cedido pelas Profª Kénia Barros Aula 6: BIOMAS E ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS

×