Apropriação
A Literatura como ponto de partida
Autoria
Contextualização do termo ‘apropriação’
Referências culturais histó...
A MORTE DO AUTOR
Roland Barthes
[Texto publicado em: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004]
Na sua novela Sar...
A MORTE DO AUTOR
Roland Barthes
[Texto publicado em: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004]
“A escrita é a de...
O QUE É UM AUTOR?
Michel Foucault
[Texto publicado no Bulletin de la Societé Française de Philosophic, 63º ano, nº 3, julh...
O mundo é um grande banco de dados_
http://deniseagassi.wordpress.com/art-works/vista-on-vista-off-ii_labmis/
Apropriação
Apropriação
Apropriação
Apropriação
Apropriação
Apropriação
Apropriação
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apropriação

403 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
403
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apropriação

  1. 1. Apropriação A Literatura como ponto de partida Autoria Contextualização do termo ‘apropriação’ Referências culturais históricas Casos contemporâneos de apropriação em novas mídias
  2. 2. A MORTE DO AUTOR Roland Barthes [Texto publicado em: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004] Na sua novela Sarrasine, Balzac, falando de um castrado disfarçado de mulher, escreve esta frase: “Era a mulher, com os seus medos súbitos, os seus caprichos sem razão, as suas perturbações instintivas, as suas audácias sem causa, as sua bravatas e a sua deliciosa delicadeza de sentimentos.” QUEM FALA ASSIM? • Será o herói da novela, interessado em ignorar o castrado que se esconde sob a mulher? • Será o individuo Balzac, provido pela sua experiência pessoal de uma filosofia da mulher? • Será o autor Balzac, professando idéias «literárias» sobre a feminilidade? • Será a sabedoria universal? • A psicologia romântica?
  3. 3. A MORTE DO AUTOR Roland Barthes [Texto publicado em: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004] “A escrita é a destruição de toda a voz.” “O autor é criação moderna.” “Um código não se pode destruir, podemos apenas jogá-lo.” “Um texto é um tecido de citações saídas dos mil focos da cultura.” O autor é um leitor que inscreve citações [que o precedem]. O autor não existe fora ou anterior à linguagem, é imitador de um gesto ou palavra anteriores a ele, sendo seu único poder o de mesclar escritas.
  4. 4. O QUE É UM AUTOR? Michel Foucault [Texto publicado no Bulletin de la Societé Française de Philosophic, 63º ano, nº 3, julho- setembro de 1969, ps. 73-104] • Na antiguidade o anonimato não era um problema. • Textos científicos eram validados por sua autoria, mas após os séculos XVII e XVIII passaram a ser validados por um conjunto de verdades demonstráveis. • Instituição do sistema de propriedade privada no final do século XVIII e correr do XIX a autoria constituiu um Bem. • Texto impresso > Distanciamento autor-leitor > Incontestabilidade da obra > Textos inalteráveis > Mercado editorial > Códigos de direitos autorais. • Literatura convertida em Produto / bem de consumo.
  5. 5. O mundo é um grande banco de dados_
  6. 6. http://deniseagassi.wordpress.com/art-works/vista-on-vista-off-ii_labmis/

×