A construção de uma esfera pública na internet

247 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
247
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A construção de uma esfera pública na internet

  1. 1. A construção de uma esfera púbica de discussão na internet: a abordagem dessa temática nos congressos da Intercom e ABCiber entre 2008 e 2012 Carolina Lima PPGCOM/UFJF Out. 2013
  2. 2. Introdução • Mapeamento do “estado da arte”: Artigo busca mapear estudos que mostraram correlação com temática esfera pública e ciberespaço nos trabalhos apresentados nos últimos cinco anos em duas sociedades científicas brasileiras: Intercom e ABCiber. • Justificativa: Importante investigar papel que novas mídias têm assumido na reconfiguração das esferas de participação política na sociedade, com a prática de uma comunicação horizontal e dialógica.
  3. 3. Metodologia • Recorte metodológico por ano, objeto empírico analisado, metodologia e autores mais citados. Critério de seleção: pelas palavras-chave “redes sociais”; “participação política”. • Justificativa: somente a partir de 2010 a Intercom disponibilizou a consulta por GP, antes trabalhos eram organizados em núcleos de pesquisa (Nupecom). Congresso Quantidade de artigos Intercom 29 ABCiber Total 06 34
  4. 4. Metodologia • Dificuldade para acessar banco de dados de congressos anteriores da ABCiber, site pouco navegável, busca feita pelo Google, encontrando artigos apenas no ano de 2009. • Embora foco específico sejam redes sociais, nossa análise abarcou papers que trataram das mídias
  5. 5. Quadro demonstrativo Objetos Interco empíricos m 2012 Interco m 2011 Interco m 2010 Interco m 2009 Interco m 2008 ABCiber TOTAL 2009 Redes 5 sociais (blog, Facebook , Orkut, Twitter Youtube, Ning) Sites/ 6 Avaaz.or g 1 2 5 1 2 16 1 1 2 2 1 13 * cinco artigos exploratórios, de revisão bibliográfica, não entraram nessa tabela.
  6. 6. Diagnóstico preliminar • Aumento do interesse gradativo pelo tema, com foco no estudo de redes sociais a partir de 2009 e aumento exponencial em 2012, com quase a metade dos pesquisadores elegendo como objeto empírico sites de redes sociais como Facebook, Twitter, além da Ning, uma plataforma online que permite a criação de redes sociais individualizadas.
  7. 7. 2008: Objeto de estudo: pesquisadores focavam no estudo de sites para compreender a intricada relação entre construção de esfera pública através das Tecnologias de Comunicação. Isso é explicado no contexto da web 1.0 em que internet baseava-se em blogs de conteúdo e sites estáticos, sem interação com usuário. Metodologias preferidas: entrevista e pesquisa descritivo-exploratória. Demonstra necessidade de mapear interação internet/participação política, revelando busca por traçar primeiros pilares na construção do campo. Autores eleitos: Castells e Pierre Lévy, pioneiros no
  8. 8. Habermas é citado pela maioria dos pesquisadores, que se apropriam de sua noção de “esfera pública” para defender a revitalização dessa esfera de discussão pública após o advento da Internet.
  9. 9. 2009: Objetos de estudo: aumento dos estudos relacionados a redes sociais, porém ainda com a presença de artigos sobre sites/blogs. Metodologias preferidas: surgem mais qualiquantitativas, com predomínio de análise de conteúdo para mapear regularidades em sites, blogs, orkut. Com web 2.0 que popularizou ferramentas de produção de conteúdo, estas passaram a receber mais atenção dos pesquisadores. Autores eleitos: Há a utilização de autores nacionais como André Parente, Alex Primo e André Lemos, além de Raquel Recuero, demonstrando uma certa
  10. 10. 2010 e 2011: Objetos de estudo: Somente uma pesquisa aborda o Twitter, as outras dão ênfase a sites e blogs. Percepções: - Há ainda muita indefinição entre os termos mídias sociais e redes sociais, não havendo padronização a respeito do assunto. Segundo Alterman (2013) mídias sociais abrangem espaços onde os indivíduos apenas postam informações ou arquivos, sem gerar relacionamento direto
  11. 11. Autores eleitos: Permanecem os mesmos, com acréscimo de Eugênio Trivinho, Tim O´Reilly, além de pesquisadores da linha de estudos culturais como Stuart Hall e Canclini.
  12. 12. 2012: Objetos de estudo: Blogs, sites e redes sociais. Metodologias: Análise de conteúdo e análise de discurso para estudo das postagens de blogs, sites e redes sociais. Equilíbrio no estudo de mídias e de redes sociais, com destaque para manifestações políticas em Facebook e Twitter. Autores eleitos: Rousiley Maia,
  13. 13. Conclusão - No ano inicial da pesquisa percebemos falta de amadurecimento com muitos trabalhos exploratórios que tentaram fazer um mapeamento e chegar a algumas conclusões sobre o campo. - Anos seguintes pesquisas foram se consolidando com aplicação de metodologias quali-quantitativas para entender essa relação. - Indefinição acerca dos critérios que devem ser adotados para categorização dessas ferramentas. - Campo ainda precisa se consolidar mais, haja vista eleições de 2014 que serão campo fértil para entendimento de como redes sociais podem ser importantes ferramentas para fortalecimento
  14. 14. Obrigada pela atenção! carolimsilva@hotmail. com

×