26/06/13 1
26/06/13 2Site Oficialhttp://www.ciciliaperuzzo.pro.brCicilia Maria Krohling PeruzzoCicilia Maria Krohling PERUZZO nasceu ...
26/06/13 3INTRODUÇÃO•O que caracteriza uma comunidade no mundo atual?•O que são comunidades virtuais?•Introduzir a noção d...
26/06/13 4ASPECTOS ORIGINÁRIOS DOS CONCEITOS DE COMUNIDADES•O termo COMUNIDADE passa a ser utilizado para referenciar qual...
26/06/13 5UTILIZAÇÃO DO TERMO “COMUNIDADE”•É todo movimento que constroi a partir do local de moradia ou de outras identid...
26/06/13 6GRANDES CONTRIBUIÇÕES•TÖNNIES – Desvendou as distinções entre comunidade e sociedade!“Unidade e a possibilidade ...
26/06/13 7GRANDES CONTRIBUIÇÕES•EM R. M. MACIVER & C. PAGE ENCONTRAMOS:Comunidade existe “onde quer que os membros de qual...
26/06/13 8GRANDES CONTRIBUIÇÕES•NISBET E HILLARY:a)Um processo de vida em comum através de relacionamentos e interaçao int...
26/06/13 9COMUNIDADES VIRTUAISDistanciamento espacial não mais implicava o distanciamento temporal;Novo modo de comunicaçã...
26/06/13 10COMUNIDADES VIRTUAIS“Virtualidade e Atualidade sao apenas dois modos diferentes da realidade”As comunidades vir...
26/06/13 112. Empregados de alguma instituiçao que desejam estabelecer uma forma de trabalhocooperativo, com apoio de comp...
26/06/13 12Para uma rede configurar-se enquanto uma comunidade virtual há necessidade de portarcaracteristicas que condize...
26/06/13 13Caracteristicas inovadoras:•A passagem de açoes individualistas para açoes de interesse coletivo;•Desenvolvimen...
26/06/13 14a) Participação: a pessoa participa direta e ativamente da vida da comunidade. É sujeito. Emalguns casos a p...
26/06/13 15
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Comunidades em tempo de redes

257 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • 26/06/13 Prof. Dr. Roberto Elisio Aula: Teoria da Comunicação
  • Comunidades em tempo de redes

    1. 1. 26/06/13 1
    2. 2. 26/06/13 2Site Oficialhttp://www.ciciliaperuzzo.pro.brCicilia Maria Krohling PeruzzoCicilia Maria Krohling PERUZZO nasceu em 6 de junho de1950 na cidade de Domingos Martins, Espírito Santo.Graduou-se no ano de 1978 em relaçoes Publicas pelaUniversidade Anhembi-Morumbi. Obteve o grau deMestre em Comunicação Social, no período de 79 a 81,pela Universidade Metodista de São Paulo (Umesp) como seguinte título de tese: “Relações Públicas no Modo deProdução Capitalista”. Iniciando em março de 1987,iniciou seu Doutorado pela USP com o título da tese de“A Participação na Comunicação Popular”, conquistandoo grau de Doutora em Ciências da Comunicação.
    3. 3. 26/06/13 3INTRODUÇÃO•O que caracteriza uma comunidade no mundo atual?•O que são comunidades virtuais?•Introduzir a noção de novos tipos de comunidades surgidas no contexto dos movimentossociais.•Partir dos conceitos classicos de comunidade para, a partir deles, tentar entender asalterações que os mesmos vem passando na sociedade contemporânea.
    4. 4. 26/06/13 4ASPECTOS ORIGINÁRIOS DOS CONCEITOS DE COMUNIDADES•O termo COMUNIDADE passa a ser utilizado para referenciar qualquer tipo de agregaçãosocial, servindo mais como termo ou expressão decorativa visando chamar a atenção oupassar um “ar” de atualidade;•Tem sido usado na tentativa de explicar fenômenos;•É empregado como sinônimo de socidade, organização social, grupos sociais, ou sistemasocial;•Também utilizado para designar segmentos sociais como por exemplo, comunidadeuniversitaria, comunidade negra, comunidade religiosa, comunidade de informação,comunidade científica, comunidade dos artistas, etc.•E ainda para caracterizar agrupamentos sociais situados emespaços geograficos de proporçoes limitadas (bairros, vila,lugarejo);•E para designar grupos de interesses afins,interconectados na rede mundial de computadores, chamadosde “comunidades virtuais”.
    5. 5. 26/06/13 5UTILIZAÇÃO DO TERMO “COMUNIDADE”•É todo movimento que constroi a partir do local de moradia ou de outras identidades,sejam elas simbólicas, espirituais, etc.“Mudanças vividas na sociedade e que tem contribuido para constituir novas formas deorganização social e de sociabilidade, alteram determinados paradigmas e indicam anecessidade de revisitar e repensar os conceitos de comunidade.”Exemplo: Noção de territorialidade.•Cientistas apontam cada vez mais caracteristicas bastantes rigorosas para que umdeterminado agrupamento seja tomado como COMUNIDADE, mas não há consenso entreos mesmos quanto a natureza de “comunidade”.•Falar em comunidade significa falar em fortes laços, de reciprocidades, de sentido coletivodos relacionamentos.
    6. 6. 26/06/13 6GRANDES CONTRIBUIÇÕES•TÖNNIES – Desvendou as distinções entre comunidade e sociedade!“Unidade e a possibilidade de uma comunidade das contades humanas se apresentamimediata, nos laços de sangue; em segundo lugar, na proximidade espacial e finalmente,para os homens, na proximidade espiritual”Ele entende comunidade a partir dos laços de sangue, de vizinhança e por afinidadeespiritual!Elementos essenciais para Tönnies no processo comunitario: vontade comum,compreensão, direito natural, lingua e concórdia!“Uma comunidade humana é um agregado de pessoas funcionalmente relacionadas quevivem numa determinada localização geográfica, em determinada época, partilham decultura comum, estão inseridas numa estrutura sociale revelam uma consciência de sua singularidade e identidadeDistinta como grupo.”
    7. 7. 26/06/13 7GRANDES CONTRIBUIÇÕES•EM R. M. MACIVER & C. PAGE ENCONTRAMOS:Comunidade existe “onde quer que os membros de qualquer grupo, pequeno ou grande,vivam juntos de tal modo que partilham, não deste ou daquele interesse, mas dascondições básicas de uma vida comum (…) O que caracteriza comunidade é que a vida dealguém pode ser vivida totalmente dentro dela. Portanto o critério basico da comunidade,esta em que todas as relações sociais de alguém podem ser encontradas dentro dela.”•MACLVER E PAGE:Alertam de que as comunidades não precisam ser auto-suficientes. Eles apontam comobases de uma comunidade:a)Localidade – área territorialb)Sentimento de comunidade – co-participação
    8. 8. 26/06/13 8GRANDES CONTRIBUIÇÕES•NISBET E HILLARY:a)Um processo de vida em comum através de relacionamentos e interaçao intensos entreseus membros;b)Auto-suficiênciac)Cultura Comumd)Objetivos Comunse)Identidade natural e espontânea entre os interesses de seus membrosf)Consciência de suas singularidades identificativas;g)Sentimento de pertencimento;h)Participação ativa de seus membros na vida da comunidade;i)Locus territorial específico;j)Linguagem Comum.SHIRLEY PAIOTTIPorém tais conceitos se aplicados de forma rigida,impediriam enxergar as novas configurações decomunidade na atualidade. Principalmente no que serefere a “Territorialidade” e “auto-suficiência”
    9. 9. 26/06/13 9COMUNIDADES VIRTUAISDistanciamento espacial não mais implicava o distanciamento temporal;Novo modo de comunicação ao transformar radicalmente as dimensões do espaço e dotempo, também possibilitou a vivência de eventos simultâneos, sem a necessidade de seestar num mesmo lugar o que outrora eram ao mesmo tempo, em uma mesma localizaçaogeografica;Nao a mais necessidade de interaçao face a face, ou de estar em um mesmo territoriogeografico para que se realize um processo comunitario;CMC – Comunicação Mediada por Computadores“Agregaçoes sociais que emergem na internet quando um numero de pessoas conduzdiscussoes publicas por um tempo determinado, com suficientes sentimento humano paraformar teias de relaçoes humanas no ciberespaço.”“um conjunto de relaçoes sociais unidas por interessescomuns ou circunstâncias compartilhadas”
    10. 10. 26/06/13 10COMUNIDADES VIRTUAIS“Virtualidade e Atualidade sao apenas dois modos diferentes da realidade”As comunidades virtuais vao se caracterizando pelo relacionamento, essencialmente,porém nao esclusivamente, através de redes de computadores, ou da CMC, podendo aspessoas estarem conectadas desde o local de existência, no âmbito do territorio nacionalou abranger diferentes países, agregando-se ainda as dimensoes de partilha de interessescomuns de sentimento de pertença e de aceitaçao mutua de regras e de linguagem.Nem todas as agregaçoes eletronicas sao comunidades virtual, pois muitas delas seconstituem apenas como redes de contatos ou grupos de interesse sem chegar aconstituirem-se em comunidades.REDESSegundo Suzana Finquelievich, referindo-se a estudos deBarry Wellman e Janet Salaff, apresenta três tipos de redes:1.Redes nas quais as pessoas querem se relacionar emNivel global com “almas gêmeas”;
    11. 11. 26/06/13 112. Empregados de alguma instituiçao que desejam estabelecer uma forma de trabalhocooperativo, com apoio de computadores, sem as dificuldades de distâncias geograficas oudeslocamentos:3. Organizaçoes que incrementam redes de trabalho a distância como forma de reduzircustos e administraçao, espaços dos escritorios e tempos de viagens;4. As organizaçoes comunitarias ou intermediarias, que obtém informaçoes dao a conhecerseu trabalho e adquirem força social por meio de redes informatizadas, fundamentalmentea autopista eletronica ou internet;Há também, Redes de base acadêmica, uma redes sistematica de cosmovisao, que tornou-se uma rede de redes, pois agrega grupos com perfis especificos, tais como redesinstitucionais, de grupos de interesse e de grupos tematicos.Fernando Mires fala de dois tipos de redes:Redes de IdentificaçaoRedes de Cooperaçao
    12. 12. 26/06/13 12Para uma rede configurar-se enquanto uma comunidade virtual há necessidade de portarcaracteristicas que condizem com os conceitos de comunidade o que descartaria aquelasde relacionamentos ocasionais, dispersos e de pouca organicidade.COMUNIDADES NA PERSPECTIVA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS“ As pessoas resistem ao processo de individualizaçao e atomizaçao, tendendo a agrupar-seem organizaçoes comunitarias que ao longo do tempo, geram um sentimento de pertençae, em ultima analise, em muitos casos, uma identidade cultural, comunal.”Varias formas de agregaçao:-Carater comunitario, na perspectiva de resgate dos valores humanitarios e de construçaode uma sociedade solidaria;A realidade brasileira, testemunha diferentes experiências de uma sociedade em açao pelarecuperaçao da dignidade de vida ds setores marginalizados;Entao vao desenvolvendo elementos de uma nova culturapolitica, na qual passa a existir uma busca pela justiça socialE participaçao dos cidadão.
    13. 13. 26/06/13 13Caracteristicas inovadoras:•A passagem de açoes individualistas para açoes de interesse coletivo;•Desenvolvimento de processos de interaçao;•A confluência em torno de açoes, tendo em vista alguns objetivos comuns;•Constituiçao de identidades culturais em torno do desenvolvimento de aptidõesassociativasa em prol do interesse publico;•Participaçao popular ativa e direta e, maior conscientização das pessoas sobre a realidadeem que estão inseridas.•Utilizaçao das redes de computadores, como um ambiente nos quais podem sedesenvolver seus processos de interaçao e de comunicaçao.COMUNIDADES HOJE•A mudança mais significativa é no que tange a territorialidade geografica;•Sentimento de pertencimento desencaixa-se da localizaçao: é possivel pertencer adistância;•Dimensoes de objetivos, cultura auto-suficiência e vida emcomum em proporçoes altamente acentuadas.
    14. 14. 26/06/13 14a) Participação: a pessoa participa direta e ativamente da vida da comunidade. É sujeito. Emalguns casos a participação chega a ser exercitada na partilha do poder de decisão.b) Sentimento de pertença. É sentir-me membro, parte importante do processo e como talcontribuir para a coesão interna.c) Caráter cooperativo e de compromisso.d) Confiança, aceitação de princípios e regras comuns e senso de responsabilidade peloconjunto.e) Identidades: não apenas no sentido de “natural e espontaneamente” como está emTönnies, mas que podem advir de um universo simbólico e/ou ideológico comum ou dascondições de existência em comum.f) Reconhecer-se como comunidade.g) Alguns objetivos e interesses comuns. Na sociedade contemporânea não se identificauma comunidade em que todos os objetivos de seus membros sejam em comum a todos.Mas, alguns objetivos em comum são passíveis de existir, principalmente aqueles queconstituem a razão de ser da comunidade.h) Alguns tipos de comunidades são voltados para o bem-estar social e ampliação dacidadania. São portadores de algo em comum: igualdade e justiça social. Há, neste sentido,movimentos em torno da construção de um projeto novo de sociedade.i)Interação: através de sistema intenso de comunicação e de troca entre os membros.j) Com ou sem lócus territorial específico. Ao mesmo tempo em que existem ascomunidades virtuais, persistem aquelas de base territorial.l) Possui uma linguagem comum.
    15. 15. 26/06/13 15

    ×