Sociologia em movimento Capítulo 2

5.759 visualizações

Publicada em

A sociologia e a relação entre o indivíduo e a sociedade

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.759
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
143
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sociologia em movimento Capítulo 2

  1. 1. 1 SOCIOLOGIA em mOVImeNTO DVD do professor ANOTAçõeS em Au LA Unidade 1 Sociedade e conhecimento: a realidade social como objeto de estudo Capítulo 2 A sociologia e a relação entre o indivíduo e a sociedade Ação individual e estrutura social • Estrutura social: conjunto de regras que nos regem independentemente da consciência que temos delas; são os princípios segundo os quais não pensamos ao agir e falar, mas sem os quais não estabelecemos relações sociais, não nos comunicamos. • O conceito de estrutura foi desenvolvido a partir da análise da influência da organização social sobre as maneiras de agir e pensar individuais e das diferentes formas de coerção social que regulam o com- portamento dos indivíduos. • Outra linha de pensamento encontrou na ação individual, e no sentido a ela atribuído pelo agente social, a única variável capaz de ser observada para a construção da ciência sociológica. • A sociologia contemporânea preocupa-se em analisar a influência recíproca entre sociedade e indivíduo. INDIVÍDUO AGENTE AÇÃO SOCIAL SOCIEDADE ESTRUTURA SISTEMA SOCIAL
  2. 2. SOCIOLOGIA em mOVImeNTO DVD do professor ANOTAçõeS em Au LA Unidade 1 Sociedade e conhecimento: a realidade social como objeto de estudo Capítulo 2 A sociologia e a relação entre o indivíduo e a sociedade 2 Arelaçãoentre indivíduoesociedade:perspectivas sociológicas clássicas Relação A sociedade determina os indivíduos Os indivíduos determinam a sociedade A sociedade e os indivíduos determinam-se reciprocamente Teórico Émile Durkheim Max Weber Karl Marx Principais conceitos Fato social Conjunto de normas e regras coletivas que orientam e condicionam a ação individual. Têm por característica serem exteriores aos indivíduos, coercitivos e gerais. Solidariedade social Laços que unem os indivíduos à coletividade. Podem ser construídos por meio das semelhanças entre as consciências individuais, gerando a solidariedade mecânica; ou pela interdependência entre os indivíduos, que gera a solidariedade orgânica. Anomia Ausência ou redução da capacidade do tecido social para regular a conduta dos indivíduos. Pode causar risco à coesão social e levar a sociedade ao fim. Ação social Unidade mínima de análise da sociedade. Pode ser classificada a partir de 4 tipos ideais: • tradicional: motivada por um hábito arraigado ou um costume. • afetiva: determinada por afetos ou estados emocionais. • racional orientada a valores: determinada pela crença consciente em um valor importante para o indivíduo. • racional orientada a fins: determinada pelo cálculo racional que estabelece fins objetivos e organiza os meios necessários para alcançá-los. Classe social Posição que um grupo de indivíduos ocupa no processo de produção: de um lado, os proprietários dos meios de produção e, de outro, os produtores. Marx elegeu a classe social como unidade de análise sociológica que permite pensar a relação entre indivíduo e sociedade de maneira recíproca. Não é possível pensar no indivíduo sem levar em conta sua inserção em uma classe social. Do mesmo modo, não é possível pensar na sociedade sem compreendê-la como resultado de um processo histórico. Luta de classes Conflito fundamental que move a história da humanidade.
  3. 3. SOCIOLOGIA em mOVImeNTO DVD do professor ANOTAçõeS em Au LA Unidade 1 Sociedade e conhecimento: a realidade social como objeto de estudo Capítulo 2 A sociologia e a relação entre o indivíduo e a sociedade 3 Arelaçãoentreindivíduoesociedade:perspectivas sociológicas contemporâneas • Norbert Elias – Identifica um processo de influência mútua entre as transformações históricas e o comportamento individual, em que o indivíduo constrói a estrutura e é simultaneamente formado por ela. • Antony Giddens – Considera que a estrutura social não constitui entrave nem limite para a ação já que os indivíduos recriam as estruturas mediante um processo de reflexão sobre sua própria prática. • Richard Sennet – Menciona que a sociedade contemporânea se constitui historicamente em um duplo movimento. O primeiro deles valoriza a sociedade em sua esfera pública e é marcado pela criação de regras coletivas que permitem a convivência entre indivíduos e grupos de tradições e formações distintas. O segundo revela a perda da conexão dos indivíduos com a coletividade, dificultando ações individuais que visem a um horizonte comum. • José Maurício Domingues – Para este sociólogo brasileiro, a experiência fragmentada no contexto das cidades modernas tende a gerar diversas identidades que coexistem em um mesmo indivíduo, dividido entre as escolhas de sua responsabilidade e o pertencimento a diferentes coletividades.

×