Sociologia em movimento Capítulo 11

6.599 visualizações

Publicada em

Sociologia do desenvolvimento

Publicada em: Educação
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.599
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
171
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sociologia em movimento Capítulo 11

  1. 1. SOCIOLOGIA em mOVImeNTO DVD do professor ANOTAçõeS em Au LA Unidade 5 Globalização e sociedade no século XXI: dilemas e perspectivas Capítulo 11 Sociologia do Desenvolvimento 1 Capitalismo • Modo de produção que surge na Idade Moderna. Teve base nas propostas liberais, difundidas pelo mundo a partir das Revoluções Industrial e Francesa. • Não deve ser analisado somente pelo viés econômico, mas também como modelo de organização social (a partir da formação das classes sociais e de suas desigualdades). • Tem como características básicas a defesa da propriedade privada,a busca pelo lucro, o livre mercado e a intensa industrialização. • As principais críticas relacionadas a esse sistema referem-se à intensa exploração sofrida pelos traba- lhadores, à reprodução das desigualdades sociais, à defesa do consumismo como ideal de felicidade e à transformação dos elementos essenciais das relações sociais em mercadorias.
  2. 2. SOCIOLOGIA em mOVImeNTO DVD do professor ANOTAçõeS em Au LA Unidade 5 Globalização e sociedade no século XXI: dilemas e perspectivas Capítulo 11 Sociologia do Desenvolvimento 2 ACepal e a construção de um pensamento desenvolvimentista para a América Latina • A Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) foi criada em 1948 como um órgão da ONU para elaborar estudos voltados para o de- senvolvimento da América Latina. • Entre seus principais pesquisadores estiveram os brasileiros Celso Furtado e Fernando Henrique Car- doso, o argentino Raul Prebisch e o chileno Enzo Faletto. • Dos debates realizados surgiram teorias sobre o chamado subdesenvolvimento do continente e os possíveis caminhos para sua superação. • Atualmente, a Cepal busca trabalhar a construção de um desenvolvimento sustentável para o continente latino-americano. • Teorias produzidas pela Cepal: - Teoria do subdesenvolvimento: pensada a partir do antagonismo entre os “países centrais” (carac- terizados pelo intenso desenvolvimento industrial) e os “países periféricos” (nações subdesenvol- vidas), caracterizado pelo comportamento ativo dos primeiros frente a passividade dos segundos no contexto das dinâmicas econômicas globais. - Teoria da dependência: baseada nos princípios da teoria do subdesenvolvimento, buscava ampliar a vi- sãodesta,agregandoanoçãodeimperialismo apartir da dependência queos países periféricos tinham em relação aos países centrais. O atraso tecnológico e a ausência de poder nas relações comerciais por parte dos países periféricos reforçavam esta dependência. A teoria afirmava também que a dominação não era exercida apenas por grupos externos, mas também por elites locais, que colaboravam na reprodução da exclusão das classes populares.
  3. 3. SOCIOLOGIA em mOVImeNTO DVD do professor ANOTAçõeS em Au LA Unidade 5 Globalização e sociedade no século XXI: dilemas e perspectivas Capítulo 11 Sociologia do Desenvolvimento 3 Globalização e desenvolvimento • A consolidação do modelo neoliberal a partir do início da década de 1980 acarretou também a imple- mentação do “Estado Mínimo”. • Algumas de suas características são: o aumento das privatizações de empresas estatais, a redução dos gastos públicos e o fortalecimento das instituições financeiras em detrimento das instituições da so- ciedade civil (como, por exemplo, o enfraquecimento da atuação de sindicatos). • Durante todo o período de auge do modelo neoliberal as tendências desenvolvimentistas foram sendo substituídas por políticas de caráter “global” (como oposição às de desenvolvimento a partir do Estado nacional). • Com as sucessivas crises do neoliberalismo pelo mundo durante todo o início do século XXI, as teorias desenvolvimentistas voltaram a ser pensadas. A partir do viés dos grupos excluídos pela globalização em curso, tem-se tentado estimular a geração de empregos (principalmente para os jovens) e consolidar os direitos das minorias sociais até então marginalizadas.

×