Projeto inclusão digital

596 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
596
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto inclusão digital

  1. 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARÃO Estado Do Rio Grande Do Sul Praça do Desembarque, 24 – CEP 96300000 Fone/Fax: (53) 3261-2003 E-mail: educacao.jag@focuspro.com.br ou pmj-edu@hotmail.com SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROJETO DE INCLUSÃO DIGITALDA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SME Jaguarão / 2011
  2. 2. NOME DO PROJETOProjeto de Inclusão Digital da Rede Municipal de EducaçãoÓRGÃO PROMOTORSecretaria Municipal de Educação de JaguarãoGESTOR MUNICIPALJosé Cláudio MartinsGESTORA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃOMaria da Graça SouzaPROFESSOR RESPONSÁVEL PELO PROJETOCarmem Angela Corrêa AraujoPERÍODO DE EXECUÇÃOO projeto será desenvolvido no período de abril a outubro de 2011.CARGA HORÁRIA40 horasLOCAL DE EXECUÇÃOTelecentro Municipal – Polo UAB
  3. 3. JUSTIFICATIVA Este projeto foi criado tendo em vista que na atual sociedade da informação ecomunicação é indispensável que se ofereça formação aos profissionais em educação para autilização das NTCIs, uma vez que as escolas possuem os equipamentos tecnológicos, mas ocorpo docente, em grande parte, não se sente preparado para utilizá-los como ferramentas deapoio da sua práxis. Entende-se que a escola não pode ficar a parte de toda a evolução tecnológica e queesta, deve saber aproveitar o grande acervo disponível na Rede Mundial de Computadorespara aplicar na construção do conhecimento. Fiorentini (2003:223) afirma que: [...] torna-se imprescindível que nós, educadores, nos engajemos em reflexões críticas sobre a introdução e a disseminação de computadores na sala de aula, contribuindo para proporcionar aos alunos ambientes educacionais compatíveis com o desenvolvimento tecnológico. Além disso, esperamos que essas reflexões transformem-se em ações concretas, contribuindo para um ensino condizente com os anseios da sociedade. Partindo-se da necessidade de incentivar a inserção da Informática Educativa, com afinalidade de promover a utilização dos Laboratórios de Informática nas escolas da RedeMunicipal de Ensino tomou-se por meta, oferecer formação ao corpo docente e funcionalismodo município de Jaguarão. Borba & Penteado (2007:11) consideram que o tema informática eeducação “[...] tem sido um tema de debate recorrente nas últimas duas décadas no Brasil, e, há umpouco mais de tempo, em outros lugares do mundo”. Busca-se com esse trabalho, na modalidade de oficinas de aprendizagem, facilitar aparticipação de todos, bem como, atender as diversas realidades e níveis de necessidades naárea de Informática Educativa. Moran (2000:23) diz que “Aprendemos melhor quando vivenciamos,experimentamos, sentimos. Aprendemos quando relacionamos, estabelecemos vínculos, laços entre oque estava solto, caótico, disperso, integrando-o em um novo contexto, dando-lhe significado,encontrando um novo sentido”. Com base nesse aspecto fomenta-se a formação dos professores pormeio de oficinas práticas. “Segundo essa epistemologia, a pesquisa associada à formação continuadade professores precisa mudar de sentido, isto é, passar da concepção de pesquisa sobre professorespara uma concepção de pesquisa com professores.” (Fiorentini apud Fiorentini, 2003:245). Cabe ressaltar que torna-se imprescindível que a Secretaria Municipal de Educação,como gestora do processo de ensino precisa buscar e ofertar aos seus servidores a formaçãonecessária para a qualificação do serviço prestado à comunidade. Sobre esse tema, Perrenoud
  4. 4. (2000:164), ressalta que: “Quando há um coletivo forte em nível de instituição, com um andamento deprojeto, é relativamente fácil definir necessidades de formação conectadas ao projeto comum.” Poresse motivo foi inserido no planejamento estratégico da SME do município de Jaguarão o atendimentoàs necessidades de formação de seu quadro de servidores para a utilização dos Laboratórios deInformática das escolas da Rede Municipal.OBJETIVO GERAL Estimular o desenvolvimento de habilidades de utilização, busca, exploração econstrução do conhecimento com a utilização da Internet, de aplicativos e software.OBJETIVOS ESPECÍFICOS Desenvolver conhecimentos básicos para a utilização, em sua prática pedagógica, de Novas Tecnologias da Informação e Comunicação; Capacitar para o desenvolvimento de atividades que necessitam da utilização de aplicativos como: editor de texto, Impress (Power Point) e Calc (Excel); Aliar a utilização das NTICs com a produção do conhecimento colaborativo no ambiente escolar; Despertar o interesse pela exploração de ferramentas, software e objetos de aprendizagem na prática pedagógica.RECURSOS Computador e internet; Material impresso; Software e aplicativos educacionais; Câmera digital.PÚBLICO ALVOProfessores e funcionários da Rede Municipal de Educação de Jaguarão.
  5. 5. CRONOGRAMA / PROCEDIMENTOS OFICINAS CH Oficina Primeiros Passos1ª Etapa: Utilizando o editor de textos (BrOffice – Linux) 4h2ª Etapa: Criando SlideShows (Impress – Linux) 4h3ª Etapa: Introdução ao uso de Planilhas eletrônicas (Calc – Linux) 4h TOTAL PARCIAL 12h Criando e editando páginas Web4ª Etapa: Criando e editando um Blog 4h5ª Etapa: Explorando os recursos do Gmail 4h6ª Etapa: Criando e editando uma página Web no Google Sites 4h7ª Etapa: Criando e editando uma Wiki 4h TOTAL PARCIAL 16h Explorando os recursos do LE8ª Etapa: Explorando os Objetos de aprendizagem do LE 4h9ª Etapa: Analisando e planejando com os DVDs da TV escola no LE 4h10ª Etapa: Explorando os recursos do RIVED no LE 4h TOTAL PARCIAL 12h TOTAL 40hAVALIAÇÃO Será considerado satisfatório se 80% os professores e funcionários inscritos para asoficinas, consigam participar das as etapas e apresentem progressos consideráveis nautilização das NTICs. Receberão certificação de 40h os participantes que frequentarem no mínimo, oito dasdez oficinas oferecidas. Serão dispensados deste item os profissionais que já tiveremconhecimento sobre o conteúdo a ser desenvolvido em determinada oficina, devendo, paraconcorrer ao certificado, apresentar uma atividade à distância, adequada ao tema.
  6. 6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBORBA, Marcelo de Carvalho & PENTEADO, Miriam Godoy; (2007). Informática e Educação Matemática. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica.FIORENTINI, Dario (Org); (2003). Formação de Professores de Matemática: Explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas, SP: Mercado de Letras.FREIRE, Fernanda Maria Pereira & PRADO, Maria Elizabette Brisola Brito. O computador em sala de aula: articulando saberes. – Campinas, SP: UNICAMP/NIED, 2000. Disponível em http://www.nied.unicamp.br.MORAN, José Manuel. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica / José Manuel Moran, Marcos Masetto, Marilda Aparecida Behrens; 14 Ed. Campinas: Papirus, 2000.MORAN, José Manuel. Tendências da Educação online no Brasil. Texto publicado em RICARDO, Eleonora Jorge (org.). Educação Corporativa e Educação a Distância. Rio de Janeiro: Editora Qualitymark, 2005 e disponível no endereço: http://www.eca.usp.br/prof/moran/tendencias.htmPERRENOUD, Philippe. A pedagogia na escola das diferenças: Fragmentos de uma sociologia do fracasso / Philippe Perrenoud; trad. Cláudia Schilling. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2001.PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar; trad. Patrícia Chittoni Ramos. – Porto Alegre: Artmed, 2000.VALENTE, José Armando (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Disponível em http://www.nied.unicamp.br/publicacoes/publicacao_detalhes.php?id=101

×