S. Pedro de Cête

1.095 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado pelas alunas Vera Costa e Inês Pinheiro no ano lectivo 2010/2011 na Escola Secundária da Portela no âmbito da disciplina de História da Cultura das Artes.

Publicada em: Negócios, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.095
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

S. Pedro de Cête

  1. 1. Igreja de São Pedro de Cete<br />Escola Secundária da Portela<br />História da Cultura e das Artes<br />Ano Lectivo :2010/2011<br />Trabalho realizado por:<br />Inês Pinheiro Nº18 10ºG <br /> & <br />Vera Costa Nº29 10ºG <br />
  2. 2. Introdução:<br />No âmbito da disciplina História e Cultura das Artes, realizamos este trabalho sobre a Igreja de São Pedro de Cete. Com a realização do mesmo tentamos perceber quais são as características da igreja, a sua história, a sua arquitectura entre outros itens.<br /> Desta forma pretendemos analisar mais um exemplo de um monumento, de forma a aumentar a nossa cultura sobre esta matéria. <br />
  3. 3. Concelho: Paredes <br />Largo do Mosteiro, freguesia de Cête, Concelho de Paredes, Distrito do Porto.<br />Localização: <br />
  4. 4. Tipologia: Igreja/Mosteiro <br />Classificação: Monumento Nacional<br />Estilo: Românico<br />Estado de Conservação: Razoável <br />Sobre a Igreja:<br />
  5. 5. Século. X – Fundação original;<br />Séculos. XIII (finais) e XIV (inícios) – Reedificação da Igreja;<br />1936 – Início da campanha de restauro sob a orientação da DGEMN<br />1966 - Obras de conservação;<br />Anos 90 – A Igreja de São Pedro de Cête passa a ser tutelada pelo IPPAR<br />Cronologia:<br />
  6. 6. História: <br />A implantação deste mosteiro neste local evidência a organização do território à época, através de paróquias e reflecte a importância que as ordens religiosas tiveram na formação e consolidação do reino. A presença de uma igreja garante a ocupação do território.<br />
  7. 7. D. Gonçalo Oveques<br />Sepulturas:<br />
  8. 8. Apesar do interior desta igreja ser correspondente ao gótico, também recebe influências da arte românica, exteriormente. Principalmente nas primeiras fiadas da nave, como na porta sul de acesso ao claustro.<br />De facto, Cête é o monumento-chave no processo de datação do românico tardio da região.<br />Curiosidades: <br />
  9. 9. O Mosteiro de São Pedro de Cête é um exemplar da arquitectura religiosa, românica e gótica, sendo uma igreja monacal<br />Arquitectura: <br />
  10. 10. Nave única<br />Um torre do lado <br /> esquerdo<br />Planta longitudinal <br />Capela-mor de dois<br />tramos com remate <br />Semicircular<br />Claustro <br />Planta :<br />
  11. 11. Algumas imagens:<br />Arcadas cegas na capela mor<br />
  12. 12. Fachada: <br />Uma torre do lado esquerdo com ameias<br />Quatro contrafortes <br />Rosácea de iluminação á <br /> nave<br />Empena (telhado a duas <br /> águas ) <br />Portal com três arquivoltas em arco quebrado<br />
  13. 13. Algumas imagens:<br />
  14. 14. Informações:<br />Festa do Padroeiro: São Pedro - 29 de Junho  <br />Horário do Culto: Domingo - 11h00  <br />Horário da Visita: Por marcação  <br />Preço da Entrada: Gratuito  <br />Telefone : 255 810 706 / 918 116 488  <br />E-Mail: rotadoromanico@valsousa.pt<br />
  15. 15. Conclusão:<br />Com este trabalho concluímos pormenores estéticos e de historia desta igreja . Ficamos a saber que este monumento iniciou-se com um estilo românico mas com as suas reconstruções e alterações acabou por ficar também um pouco gótico. No seu interior ficamos a saber que alçado da cabeceira possui características próprias do românico, ao empregar arcadas-cegas para ritmar e animar a parede. Os cachorros de proa que seguram a cornija são, no entanto, claramente góticos. <br />
  16. 16. No que diz respeito a história é um testemunho tardio da arquitectura românica, iniciado por meados do século XII. É um vasto templo que se ergueu por iniciativa dos beneditinos .<br />

×