SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
1
Orações
Orações Subordinadas Substantivas
Esse tipo de oração recebe esse nome porque exerce uma função própria dos
substantivos: objeto direto, objeto indireto, sujeito, predicativo, completiva nominal
e aposto.
Ø Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta
A Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta funciona como objeto direto da
Oração Principal.
EX¹: Vinícius pensava / que seu emprego estava perdido. Ex² : Soube / que você
não gosta de dançar. Ex³ : Eu vi / que você estava muito triste na Hora do
Recreio.
Ø Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta
A Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta funciona como objeto indireto
da Oração Principal.
Ex¹ : Eu lembro / de quem você gostava. Ex² : Eu não gosto /de quem maltrata
os animais. Ex³ : Vinícius duvidou / de que sua vida estava em jogo.
Ø Oração Subordinada Substantiva Subjetiva
A Oração Subordinada Substantiva Subjetiva funciona como sujeito da Oração
Principal.
Ex¹ : Era provável que Pedro e Vinícius brigassem. Ex² : Era conveniente que
Bruno e Vinícius estudassem. Ex³ : Que você nade é urgente.
2
Ø Oração Subordinada Substantiva Predicativa
A Oração Subordinada Substantiva Predicativa funciona como predicativo da
Oração Principal.
Ex¹ : O certo / é que ficaríamos separados. Ex² : O conveniente / é que você não
tenha discriminação. Ex³ : O importante / é que haja preconceito.
Ø Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal
A Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal funciona como
complemento nominal da Oração Principal.
Ex¹ : Sou a favor / de que a condenem. Ex² : Vinícius tinha a necessidade / de
que sua namorada fosse morta. Ex³ : Tenho medo/ de que me traias.
Ø Oração Subordinada Substantiva Apositiva
A Oração Subordinada Substantiva Apositiva funciona como aposto da Oração
Principal.
Ex¹ : Só queremos uma coisa: /que você morra. Ex² : Vinícius sentia uma coisa:/
que algo iria acontecer. Ex³ : Bruno queria apenas uma coisa:/ que fosse
aprovado no Vestibular.
Orações Subordinadas Adjetivas
As Orações Subordinadas Adjetivas funcionam como um caracterizador de um
termo da Oração Principal. As Orações Subordinadas Adjetivas classificam-se em
Restritivas e Explicativas.
Ø Oração Subordinada Adjetiva Restritiva
Restringem a significação do nome que se refere.
3
Ex¹ : O homem / que fuma/ vive pouco. EX²: Os jogadores / que foram
convocados/morreram atropelados.
Ex³ : O homem/ que trabalha/ vence na vida.
Ø Oração Subordinada Adjetiva Explicativa
Não restringem a significação do nome; pelo contrário, acrescentam uma
característica que é própria do elemento a que se refere.
Ex¹ : Letícia gosta daquele menino/, que tem olhos azuis,/ que é do 3° Ano. EX² :
Lucas/, que já esta velho,/ já esta casado. Ex³: Edson/, que ainda é novo,/ já esta
na Faculdade Nacional de Direito.
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais são, conforme definidos anteriormente, aquelas
que exercem a função sintática de adjunto adverbial, função própria do advérbio.
Ø Oração Subordinada Adverbial Casual
Exprime uma circunstância de causa, aqui atendida como motivo, ou seja, aquilo
que determina ou provoca um acontecimento.
Ex¹ : Vinícius foi despedido/ uma vez que não obedeceu o seu patrão. Ex² :
Pedro saiu de casa/ já que se separou de sua mulher. Ex³ : Ricardo não gostou
da brincadeira/ porque isso feriu os seus sentimentos.
As principais conjunções casuais são: porque, visto que, já que, uma vez que,
como (equivalendo a porque).
4
Ø Oração Subordinada Adverbial Comparativa
Exprime circunstância de comparação, que é o ato de confrontar dois elementos a
fim de estabelecer semelhanças ou diferenças entre eles.
Ex¹: Paulo é/ tão chato como o meu irmão. Ex²: Patrícia ia para a escola/ assim
como Edson ia para a Faculdade Nacional de Direito. Ex³ Bernardo esta/ tão
alto como seu irmão Fernando.
As principais conjunções comparativas são: como, assim como, tal como, tal qual,
que (menos que, mais que).
Ø Oração Subordinada Adverbial Consecutiva
Exprime circunstância de conseqüência (resultado ou efeito de mais ou de
menos).
Ex¹ : Vinícius ficou/ tão feliz com a notícia que foi alegre para casa. Ex² : Choveu
/ tanto que as ruas ficaram alagadas. Ex³ : Lucas comeu/ tanto bolo que passou
mal.
A principal conjunção Consecutiva é que (precedido de um termo intensivo: tão,
tal, tanto).
Ø Oração Subordinada Adverbial Concessiva
Exprime circunstância de Concessão, que é o ato de conceder, de permitir, de não
negar, de admitir uma idéia contrária.
Ex¹ : Eu sairei/ mesmo que você não concorde. Ex² : Mesmo que você não
concorde comigo/eu não mudarei de idéia. Ex³ : Vinícius não concordou com
Bruno / embora suas opiniões fossem totalmente parecidas.
As principais conjunções Concessivas são: embora, se bem que, ainda que,
mesmo que, por mais que, por menos que, conquanto.
]
5
Ø Oração Subordinada Adverbial Condicional
Exprime circunstância de Condição, entendida como uma obrigação que se impõe
ou se aceita para que um determinado fato se realize.
Ex¹ : Se ele sobreviver ele será / muito feliz em seu futuro. Ex² : Ele será muito
feliz / a não ser que sua felicidade seja arruinada por causa dessa mulher. Ex³ :
Caso ele desanime/ tente anima-lo.
As principais conjunções Condicionais são: se, caso, contanto, que, desde que.
Ø Oração Subordinada Adverbial Conformativa
Exprime circunstância de Conformidade, isto é, de acordo, de adequação, de não -
contradição.
Ex¹: Se você fizer tudo / conforme nós combinamos tudo saíra certo. Ex² :
Segundo o nosso professor/é correto estudar diariamente. Ex³ : Como eu estava
dizendo o mundo/irá acabar.
As principais conjunções Conformativas são: conforme, segundo, como.
Ø Oração Subordinada Adverbial Final
Finalidade, entendida como objetivo, a destinação de um fato.
Ex¹ : Faça os exercícios / para que você possa passar de ano. Ex² : Ele estudou
bastante / a fim de que pudesse passar de ano. Ex³ : Ele trabalhou bastante /
para que pudesse evoluir em sua carreira.
As principais conjunções finais são: a fim de que, para que, que.
6
Ø Oração Subordinada Adverbial Proporcional
Exprime circunstância de proporção, entendida como a relação existente entre
duas coisas, de modo que qualquer alteração em uma delas implique alteração na
outra.
Ex¹ : Nossas opiniões foram sendo formadas / à medida que nós estudávamos
mais. Ex² : O nosso amanha foi sendo formado / à proporção que nós
trabalhamos mais. Ex³ : À medida que íamos construindo o nosso futuro/nós
ficaremos cada vez mais felizes.
As principais conjunções proporcionais são: à proporção que, à medida que,
quanto mais, quanto menos.
Ø Oração Subordinada Adverbial Temporal
Exprime circunstância de tempo.
Ex¹: Logo que saiu,/ Vinícius encontrou seu cachorro. Ex²: Enquanto eu falava/no
telefone a Patrícia Roque estava sendo atropelada. Ex³: Quando ela saiu de
casa, / tropeçou numa pedra e morreu atropelada por um caminhão.
As principais conjunções Temporais são: quando, enquanto, logo que, desde que,
assim que.
Orações Subordinadas Reduzidas
Muitas vezes, as orações subordinadas (substantivas, adjetivas e adverbiais)
podem aparecer sob a forma de orações reduzidas. As orações subordinadas
reduzidas têm duas características: · Apresentam o verbo em uma das formas
nominais: Gerúndio, Particípio e Infinitivo.
· Não vêm introduzidas por conectivos (conjunções subordinadas ou pronomes
relativos).
7
Ø Oração Subordinada Reduzida de Infinitivo
Ex¹: Penso continuar alegre. Desenvolvida: Penso que continuo alegre.
Ex²: Penso existir. Desenvolvida: Penso que existo.
Ex³: Antes de repilir o seu primo tente compreende – lo. Desenvolvida: Antes que
repila seu primo tente compreende – lo.
Ø Oração Subordinada Reduzida de Gerúndio
Ex¹: Vi Maria conduzindo uma cesta de flores Desenvolvida: Vi Maria que
conduzia uma cesta de flores.
Ex²: O advogado fez o testamento partindo os bens como eu pedi. Desenvolvida:
O advogado fez o testamento que partia os bens como eu pedi.
Ex³: Vi meu irmão levando uma mola. Desenvolvida: Vi meu irmão que levava uma
mola.
Ø Oração Subordinada Reduzida de Particípio
Ex¹: Terminado a prova todos saíram Desenvolvida: Quando terminou a prova
todos saíram.
Ex²: Começado o show todos sentaram. Desenvolvida: Quando começou o show
todos sentaram.
Ex³: Chegado ao baile ele dançou. Desenvolvida: Quando chegou ao baile ele
dançou.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações Subordinadas
Jomari
 
ConjunçõEs E LocuçõEs Conjuncionais
ConjunçõEs E LocuçõEs ConjuncionaisConjunçõEs E LocuçõEs Conjuncionais
ConjunçõEs E LocuçõEs Conjuncionais
Rosalina Simão Nunes
 
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pAula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Viviane Oliveira
 
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
Marcos Emídio
 
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquêsSlide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
Jomari
 
Frase simple e complexa
Frase simple e complexaFrase simple e complexa
Frase simple e complexa
Iga Almeida
 

Mais procurados (20)

Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações Subordinadas
 
Subordinação8 ano
Subordinação8 anoSubordinação8 ano
Subordinação8 ano
 
Tipos e formas de frases
Tipos e formas de frasesTipos e formas de frases
Tipos e formas de frases
 
Classificação de orações
Classificação de oraçõesClassificação de orações
Classificação de orações
 
ConjunçõEs E LocuçõEs Conjuncionais
ConjunçõEs E LocuçõEs ConjuncionaisConjunçõEs E LocuçõEs Conjuncionais
ConjunçõEs E LocuçõEs Conjuncionais
 
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°pAula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
Aula 2 sujeito e predicado 7°ano_1°p
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
8ª SéRie - Novo Slide Sobre Orações Subordinadas Substantivas.
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Frase, oração e período
Frase, oração e períodoFrase, oração e período
Frase, oração e período
 
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquêsSlide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
 
Frases complexas
Frases complexasFrases complexas
Frases complexas
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]
 
Frase simple e complexa
Frase simple e complexaFrase simple e complexa
Frase simple e complexa
 
Gramatica do 9º Ano
Gramatica do 9º AnoGramatica do 9º Ano
Gramatica do 9º Ano
 
Frase complexa
Frase complexaFrase complexa
Frase complexa
 

Semelhante a 654

Gramática: classificações do se
Gramática: classificações do seGramática: classificações do se
Gramática: classificações do se
Marcella Rocha
 
Orações subordindas substantivas
Orações subordindas substantivasOrações subordindas substantivas
Orações subordindas substantivas
Edson Alves
 
Gramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e ComoGramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e Como
Carson Souza
 

Semelhante a 654 (20)

Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Conjuncoes2
Conjuncoes2Conjuncoes2
Conjuncoes2
 
Orações Subordinadas
Orações SubordinadasOrações Subordinadas
Orações Subordinadas
 
Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaPrincipais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Orações subordinadas adverbias
Orações subordinadas adverbiasOrações subordinadas adverbias
Orações subordinadas adverbias
 
Aula 3 lp em
Aula 3   lp emAula 3   lp em
Aula 3 lp em
 
Que se-como
Que se-comoQue se-como
Que se-como
 
Sintaxe tudo2
Sintaxe tudo2Sintaxe tudo2
Sintaxe tudo2
 
2022071080703-Aula 3 - Procesos de coordenacao e subordinacao (1).pdf
2022071080703-Aula 3 - Procesos de coordenacao e subordinacao (1).pdf2022071080703-Aula 3 - Procesos de coordenacao e subordinacao (1).pdf
2022071080703-Aula 3 - Procesos de coordenacao e subordinacao (1).pdf
 
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
 
Coord sub
Coord sub Coord sub
Coord sub
 
Gramática: classificações do se
Gramática: classificações do seGramática: classificações do se
Gramática: classificações do se
 
Resumo concordância 06.10.2016
Resumo concordância 06.10.2016Resumo concordância 06.10.2016
Resumo concordância 06.10.2016
 
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docxresumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
 
Orações subordindas substantivas
Orações subordindas substantivasOrações subordindas substantivas
Orações subordindas substantivas
 
Gramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e ComoGramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e Como
 
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.pptSlides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
 
Simple Present X Present Continuous
Simple Present X Present ContinuousSimple Present X Present Continuous
Simple Present X Present Continuous
 

Mais de Carlos Rodrigues Da Silva (19)

Algoritmo
AlgoritmoAlgoritmo
Algoritmo
 
Raciocinio logico
Raciocinio logicoRaciocinio logico
Raciocinio logico
 
Apostila de Português
Apostila de PortuguêsApostila de Português
Apostila de Português
 
667
667667
667
 
666
666666
666
 
660
660660
660
 
658
658658
658
 
653
653653
653
 
596
596596
596
 
594
594594
594
 
590
590590
590
 
589
589589
589
 
588
588588
588
 
Dicas de Português
Dicas de PortuguêsDicas de Português
Dicas de Português
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
582
582582
582
 
581
581581
581
 
Acentuação Gráfica
Acentuação GráficaAcentuação Gráfica
Acentuação Gráfica
 
984
984984
984
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
 

654

  • 1. 1 Orações Orações Subordinadas Substantivas Esse tipo de oração recebe esse nome porque exerce uma função própria dos substantivos: objeto direto, objeto indireto, sujeito, predicativo, completiva nominal e aposto. Ø Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta A Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta funciona como objeto direto da Oração Principal. EX¹: Vinícius pensava / que seu emprego estava perdido. Ex² : Soube / que você não gosta de dançar. Ex³ : Eu vi / que você estava muito triste na Hora do Recreio. Ø Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta A Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta funciona como objeto indireto da Oração Principal. Ex¹ : Eu lembro / de quem você gostava. Ex² : Eu não gosto /de quem maltrata os animais. Ex³ : Vinícius duvidou / de que sua vida estava em jogo. Ø Oração Subordinada Substantiva Subjetiva A Oração Subordinada Substantiva Subjetiva funciona como sujeito da Oração Principal. Ex¹ : Era provável que Pedro e Vinícius brigassem. Ex² : Era conveniente que Bruno e Vinícius estudassem. Ex³ : Que você nade é urgente. 2 Ø Oração Subordinada Substantiva Predicativa A Oração Subordinada Substantiva Predicativa funciona como predicativo da Oração Principal. Ex¹ : O certo / é que ficaríamos separados. Ex² : O conveniente / é que você não tenha discriminação. Ex³ : O importante / é que haja preconceito. Ø Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal A Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal funciona como complemento nominal da Oração Principal. Ex¹ : Sou a favor / de que a condenem. Ex² : Vinícius tinha a necessidade / de que sua namorada fosse morta. Ex³ : Tenho medo/ de que me traias. Ø Oração Subordinada Substantiva Apositiva A Oração Subordinada Substantiva Apositiva funciona como aposto da Oração Principal. Ex¹ : Só queremos uma coisa: /que você morra. Ex² : Vinícius sentia uma coisa:/ que algo iria acontecer. Ex³ : Bruno queria apenas uma coisa:/ que fosse aprovado no Vestibular. Orações Subordinadas Adjetivas As Orações Subordinadas Adjetivas funcionam como um caracterizador de um termo da Oração Principal. As Orações Subordinadas Adjetivas classificam-se em Restritivas e Explicativas. Ø Oração Subordinada Adjetiva Restritiva Restringem a significação do nome que se refere. 3
  • 2. Ex¹ : O homem / que fuma/ vive pouco. EX²: Os jogadores / que foram convocados/morreram atropelados. Ex³ : O homem/ que trabalha/ vence na vida. Ø Oração Subordinada Adjetiva Explicativa Não restringem a significação do nome; pelo contrário, acrescentam uma característica que é própria do elemento a que se refere. Ex¹ : Letícia gosta daquele menino/, que tem olhos azuis,/ que é do 3° Ano. EX² : Lucas/, que já esta velho,/ já esta casado. Ex³: Edson/, que ainda é novo,/ já esta na Faculdade Nacional de Direito. Orações Subordinadas Adverbiais Orações Subordinadas Adverbiais são, conforme definidos anteriormente, aquelas que exercem a função sintática de adjunto adverbial, função própria do advérbio. Ø Oração Subordinada Adverbial Casual Exprime uma circunstância de causa, aqui atendida como motivo, ou seja, aquilo que determina ou provoca um acontecimento. Ex¹ : Vinícius foi despedido/ uma vez que não obedeceu o seu patrão. Ex² : Pedro saiu de casa/ já que se separou de sua mulher. Ex³ : Ricardo não gostou da brincadeira/ porque isso feriu os seus sentimentos. As principais conjunções casuais são: porque, visto que, já que, uma vez que, como (equivalendo a porque). 4 Ø Oração Subordinada Adverbial Comparativa Exprime circunstância de comparação, que é o ato de confrontar dois elementos a fim de estabelecer semelhanças ou diferenças entre eles. Ex¹: Paulo é/ tão chato como o meu irmão. Ex²: Patrícia ia para a escola/ assim como Edson ia para a Faculdade Nacional de Direito. Ex³ Bernardo esta/ tão alto como seu irmão Fernando. As principais conjunções comparativas são: como, assim como, tal como, tal qual, que (menos que, mais que). Ø Oração Subordinada Adverbial Consecutiva Exprime circunstância de conseqüência (resultado ou efeito de mais ou de menos). Ex¹ : Vinícius ficou/ tão feliz com a notícia que foi alegre para casa. Ex² : Choveu / tanto que as ruas ficaram alagadas. Ex³ : Lucas comeu/ tanto bolo que passou mal. A principal conjunção Consecutiva é que (precedido de um termo intensivo: tão, tal, tanto). Ø Oração Subordinada Adverbial Concessiva Exprime circunstância de Concessão, que é o ato de conceder, de permitir, de não negar, de admitir uma idéia contrária. Ex¹ : Eu sairei/ mesmo que você não concorde. Ex² : Mesmo que você não concorde comigo/eu não mudarei de idéia. Ex³ : Vinícius não concordou com Bruno / embora suas opiniões fossem totalmente parecidas. As principais conjunções Concessivas são: embora, se bem que, ainda que, mesmo que, por mais que, por menos que, conquanto. ]
  • 3. 5 Ø Oração Subordinada Adverbial Condicional Exprime circunstância de Condição, entendida como uma obrigação que se impõe ou se aceita para que um determinado fato se realize. Ex¹ : Se ele sobreviver ele será / muito feliz em seu futuro. Ex² : Ele será muito feliz / a não ser que sua felicidade seja arruinada por causa dessa mulher. Ex³ : Caso ele desanime/ tente anima-lo. As principais conjunções Condicionais são: se, caso, contanto, que, desde que. Ø Oração Subordinada Adverbial Conformativa Exprime circunstância de Conformidade, isto é, de acordo, de adequação, de não - contradição. Ex¹: Se você fizer tudo / conforme nós combinamos tudo saíra certo. Ex² : Segundo o nosso professor/é correto estudar diariamente. Ex³ : Como eu estava dizendo o mundo/irá acabar. As principais conjunções Conformativas são: conforme, segundo, como. Ø Oração Subordinada Adverbial Final Finalidade, entendida como objetivo, a destinação de um fato. Ex¹ : Faça os exercícios / para que você possa passar de ano. Ex² : Ele estudou bastante / a fim de que pudesse passar de ano. Ex³ : Ele trabalhou bastante / para que pudesse evoluir em sua carreira. As principais conjunções finais são: a fim de que, para que, que. 6 Ø Oração Subordinada Adverbial Proporcional Exprime circunstância de proporção, entendida como a relação existente entre duas coisas, de modo que qualquer alteração em uma delas implique alteração na outra. Ex¹ : Nossas opiniões foram sendo formadas / à medida que nós estudávamos mais. Ex² : O nosso amanha foi sendo formado / à proporção que nós trabalhamos mais. Ex³ : À medida que íamos construindo o nosso futuro/nós ficaremos cada vez mais felizes. As principais conjunções proporcionais são: à proporção que, à medida que, quanto mais, quanto menos. Ø Oração Subordinada Adverbial Temporal Exprime circunstância de tempo. Ex¹: Logo que saiu,/ Vinícius encontrou seu cachorro. Ex²: Enquanto eu falava/no telefone a Patrícia Roque estava sendo atropelada. Ex³: Quando ela saiu de casa, / tropeçou numa pedra e morreu atropelada por um caminhão. As principais conjunções Temporais são: quando, enquanto, logo que, desde que, assim que. Orações Subordinadas Reduzidas Muitas vezes, as orações subordinadas (substantivas, adjetivas e adverbiais) podem aparecer sob a forma de orações reduzidas. As orações subordinadas reduzidas têm duas características: · Apresentam o verbo em uma das formas nominais: Gerúndio, Particípio e Infinitivo. · Não vêm introduzidas por conectivos (conjunções subordinadas ou pronomes relativos).
  • 4. 7 Ø Oração Subordinada Reduzida de Infinitivo Ex¹: Penso continuar alegre. Desenvolvida: Penso que continuo alegre. Ex²: Penso existir. Desenvolvida: Penso que existo. Ex³: Antes de repilir o seu primo tente compreende – lo. Desenvolvida: Antes que repila seu primo tente compreende – lo. Ø Oração Subordinada Reduzida de Gerúndio Ex¹: Vi Maria conduzindo uma cesta de flores Desenvolvida: Vi Maria que conduzia uma cesta de flores. Ex²: O advogado fez o testamento partindo os bens como eu pedi. Desenvolvida: O advogado fez o testamento que partia os bens como eu pedi. Ex³: Vi meu irmão levando uma mola. Desenvolvida: Vi meu irmão que levava uma mola. Ø Oração Subordinada Reduzida de Particípio Ex¹: Terminado a prova todos saíram Desenvolvida: Quando terminou a prova todos saíram. Ex²: Começado o show todos sentaram. Desenvolvida: Quando começou o show todos sentaram. Ex³: Chegado ao baile ele dançou. Desenvolvida: Quando chegou ao baile ele dançou.