Geografia da Europa - Geografia Física - Vegetação

4.045 visualizações

Publicada em

Conjunto de dispositivos utilizados para o acompanhamento pedagógico da Unidade Curricular «Geografia da Europa» integrada no Programa de Estudos 2012/2013 da Dalian University of Foreign Languages com a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.045
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
139
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia da Europa - Geografia Física - Vegetação

  1. 1. Programa de Estudos 2012/2013Dalian University of Foreign Languages Geografia da Europa Carlos Medeiros
  2. 2. GEOGRAFIA DA EUROPAIntrodução ao conceito de Europa  Marcos históricosGeografia física  Orografia e hidrografia  Climatologia  Vegetação  SolosGeografia humana  Demografia  Atividades económicas  Atividades culturaisGeografia política  Os países da EuropaUnião Europeia – a nova aventura da Europa  Objetivos e valores da construção europeia  Os pais fundadores e os marcos históricos  As instituições europeias  As políticas comuns2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 2
  3. 3. GEOGRAFIA DA EUROPA2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 3
  4. 4. GEOGRAFIA DA EUROPAORGANIZAÇÃO DA FLORESTA• Estrato arbóreo: árvores superiores a 10 metros• Estrato arbustivo: arbustos lenhosos• Estrato herbáceo: plantas não lenhosas• Estrato muscínico: musgos2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 4
  5. 5. 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 5
  6. 6. 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 6
  7. 7. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO MEDITERRÂNICOFloresta Mediterrânica – A floresta mediterrânea é uma formação vegetalpredominantemente de folha persistente e, por isso, sempre verde.É constituída por árvores mais ou menos espaçadas entre si, que permite entreesses espaços, o desenvolvimento de um estrato arbustivo mais ou menosdenso e também de folha persistente. O estrato herbáceo, é poucodesenvolvido, devido a grandes períodos de seca (no período seco).As espécies arbóreas mais características da floresta mediterrânea são:• sobreiro, azinheira, oliveira-brava, pinheiros (pinheiro-manso e pinheiro-de-alepo), cedro, cipreste.A ação humana sobre a floresta (principalmente fogos, pastoreio, agricultura,procura de madeiras...), foi destruindo a floresta mediterrânea original dandoprogressivamente origem  a formações vegetais secundárias: maquis e garrigue. 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 7
  8. 8. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO MEDITERRÂNICOMaquis – Esta formação vegetal, também designada por chaparral, éconstituída principalmente por arbustos, muito densa e fechada, formandoum matagal de difícil penetração. O maquis desenvolve-se, geralmente, emsolos graníticos (siliciosos), onde antes predominou o sobreiro. Entre asvárias espécies de plantas que compõem o maquis, destacam-se omedronheiro, o loureiro, a urze, a giesta espinhosa, a piteira e alguns cactos.Garrigue – É uma formação vegetal mais aberta do que o maquis, constituídapor pequenos arbustos, mais ou menos dispersos. O garrigue desenvolve-se,geralmente, em solos calcários, onde antes predominou a azinheira. Formaáreas muito aromáticas onde predominam o buxo, o carrasco, o alecrim, orosmaninho, a alfazema e o timo.2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 8
  9. 9. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO MEDITERRÂNICOFloresta mediterrânica original – Floresta laurissilva, Madeira (Património Mundial Natural da Humanidade) 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 9
  10. 10. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO MEDITERRÂNICOFloresta mediterrânica atual 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 10
  11. 11. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO MEDITERRÂNICO2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 11
  12. 12. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO OCEÂNICOFloresta caducifólia – a designação significa que é uma floresta compostapor árvores de folha caduca (daí o nome caducifólia). A floresta caducifóliaconstitui um bioma, ocupando áreas maiores do que as regiões de climatemperado marítimo. As espécies mais comuns deste bioma, são: o freixo, ocarvalho, a faia, o castanheiro, a tília, o choupo, o olmo, a bétula, a giesta, aurze e as silvas. Contudo, também podem coexistir algumas espécies defolha persistente, como o pinheiro-bravo, principalmente nas encostasmontanhosas. A diversidade das espécies arbóreas faz com que a variedadede cores seja uma das características deste bioma.Prados - os prados são formações herbáceas, geralmente rasteiras e sempreverdes, devido à abundância de humidade que este tipo de climaproporciona. Os prados são frequentemente resultado da destruição dafloresta caducifólia.2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 12
  13. 13. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO OCEÂNICOFloresta caducifólia Prados2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 13
  14. 14. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO CONTINENTALPradaria – este bioma é constituída por vegetação herbácea, relativamentealta, contínua, muito densa, formando grandes extensões. Por vezes tambémé designada por estepe temperada. Este imenso manto herbáceo chegaocasionalmente a ultrapassar os 2 metros de altura. Como o clima é rigoroso,praticamente não existem árvores, embora estas surjam com frequência nasencostas montanhosas e ao longo dos cursos de água.Floresta mista – não é propriamente um bioma, mas sim uma mistura, poisfaz a transição entre o bioma de floresta caducifólia e a taiga. Chama-sefloresta mista porque é composta por vegetação de folha caduca, bem comode árvores de folha persistente, principalmente coníferas. A floresta mistasurge em regiões onde a precipitação é relativamente mais abundante, noque respeita a clima temperado continental.2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 14
  15. 15. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA TEMPERADO CONTINENTALPradaria Floresta mista 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 15
  16. 16. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA SUBPOLARTaiga (ou Floresta Boreal) – A taiga não é mais do que uma designação para a floresta deconíferas (os frutos destas árvores agrupam-se em pinhas de forma cónica). A taiga é afloresta mais extensa do mundo, estendendo-se nas regiões setentrionais da América, daÁsia e da Europa.Trata-se duma floresta muito densa, que não possui grande variedade de espécies,sendo as mais vulgares o abeto, o pinheiro, o larício e a bétula. O reduzido número deespécies e a predominância de árvores de folha persistente, fazem da taiga uma florestamonótona e sempre verde, quer no curto Verão, quer no Inverno. Porém, devido aoInverno ser longo e frio, a taiga está quase sempre coberta de neve.As coníferas aguentam bem o frio porque as folhas são pequenas e em forma de agulhas,como possuem uma superfície pequena a área exposta ao frio é pequena, e perdempouca água por transpiração; a resina protege os tecidos do frio e ajuda a diminuir atranspiração; os ramos são muito flexíveis, resistem aos ventos e dobram-se quandocobertos com neve, fazendo-a deslizar até ao chão.2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 16
  17. 17. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA SUBPOLARTaiga (Floresta de coníferas) 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 17
  18. 18. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA SUBPOLARTaiga (Floresta de coníferas) 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 18
  19. 19. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA POLARTundra – Nas regiões de clima polar, a taiga dá lugar à tundra, que é uma formaçãovegetal muito rasteira, constituída por ervas, musgos e líquenes. Contudo, podem surgirna tundra, alguns raros e dispersos tufos de arbustos e árvores anãs.A paisagem é monótona (durante todo o ano é sempre tudo branco e muito plano, paraonde quer que se olhe, é sempre a mesma paisagem).No «Verão» curto, a tundra não forma um tapete herbáceo contínuo, mas antes alternacom superfícies pantanosas e/ou grandes extensões de rocha nua.Uma característica particular da tundra, é o seu tipo de solo permafrost (sempre gelado)que dificulta o crescimento de raízes e a absorção de nutrientes minerais. Por isso (aliadoaos ventos intensos e temperaturas baixas), quase não existe vegetação arbustiva earbórea. E, nas latitudes muito altas, acima dos 80o, a tundra vai-se tornando maisescassa, acabando por desaparecer, já que o solo também desaparece sob um espessomanto de gelo.2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 19
  20. 20. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA POLARTundra2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 20
  21. 21. GEOGRAFIA DA EUROPAAMBIENTE BIOGEOGRÁFICO – CLIMA POLARTundra (Líquenes) Tundra (solo gelado) 2012/2013 FCSH/UNL - DUFL 21

×