Linda, poderosa e inteligente. Co-
nheça Carmen Siqueira - Pag. 12
Ano 0 - Edição 1 -Fevereiro/2014 - Várzea da Palma, Pir...
VARIEDADES
E D I T O R I A L
CHEGAMOS PARA INCOMODAR
	 Enfim, estamos aqui.
Depois de muitas conver-
sas, reuniões, delibe...
POLÍTICA
D e p u t a d o T a d e u z i n h o
Deputado de-
nuncia atra-
so nas obras
do programa
Brasil Profis-
sionalizado...
REPORTAGEM ESPECIAL
ILUMINAÇÃO PÚBLICA:
P R E S E N T E D E G R E G OReportagem: Grimaulde Gomes
Dois locais completamente...
POLÍTICA
NewtonCardosoJúnior
Comemorando o seu aniversário, o jovem advo-
gado e empresário já carrega consigo uma im-
por...
Por Grimaulde Gomes
No dia 03 de janeiro Thalita Diniz comemorou mais um ano
de vida com seus pais, familiares e amigos, n...
No dia 25 de dezembro, no espaço Gril foi a vez da 9ª Edição do Aloha. Uma das festas
mais legais de Várzea da Palma. Conf...
ESPORTE
Felipe Rodrigues, o de Kimono azul. Mostrando a medalha que elevou o nome de Várzea
da Palma ao esporte Panamerica...
COLUNAS
Grimaulde Gomes é jornalista, escritor,
poeta, roteirista e filósofo
ESTAMOS EM GUERRA
	 “Eu fumo meu ba-
seadinho...
A CIDADE
PREFEITO EDUARDINHO DO POSTO RECUSA MAIOR PIS-
TA DE TESTES VEICULARES DA AMÉRICA LATINA
50 a 70 quilômetros de p...
UM DRAMA URBANO
A CIDADE
		 Quem em
Várzea da Palma nun-
ca ouviu falar no famo-
so Mercadão, que pesa
nas costas dos polí...
No verão, e depois das chuvas, ele vem nos
atormentar. Ao lado, passos simples pra nos
livrarmos da dengue. Vamos fazer no...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal o grito da palma tabloide

589 visualizações

Publicada em

primeiro exemplar de noticias

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
589
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal o grito da palma tabloide

  1. 1. Linda, poderosa e inteligente. Co- nheça Carmen Siqueira - Pag. 12 Ano 0 - Edição 1 -Fevereiro/2014 - Várzea da Palma, Pirapora, Montes Claros, Belo Horizonte e Brasília R$ 1,00A VERDADE DE VERDADE! ILUMINAÇÃO PÚBLICAMAIS UM IMPOSTO PARA O POVO. PRESENTE DO PREFEITO E VEREADORES Contra o povo e a favor da Taxa Eles votaram e san- cionaram uma taxa marginal, e muita gen- te paga sem sequer ter um poste em sua porta. veja o que diz a Constituição, e veja o que o povo pensa. Pag. 04 Contra a Taxa e pelo Povo! Erasmo Diniz e Eremar da Rima dizem não!!! Newton Cardoso Jú- nior: novos ventos na política mineira - Pag. 05 TADEUZINHO COBRA O FIM DO DESCASO CON- TRA O FUNCIONALIS- MO PÚBLICO ESTADU- AL - PAG 03 Contra a Taxa e pelo Povo! E M A I S : Seu evento está aqui. Nossas lentes espertas não dei- xam escapar nada. Pags. 06 e 07 Palavra Certeira: Grimaulde Gomes fala o que pensa, e toca em qualquer fe- rida. Pag. 09 Eduardo Monteiro recusa maior pista de testes automobi- lísticos da América Latina. Pag. 10
  2. 2. VARIEDADES E D I T O R I A L CHEGAMOS PARA INCOMODAR Enfim, estamos aqui. Depois de muitas conver- sas, reuniões, deliberações, aceitei a empreitada de fa- zer esse jornal que pode até não ter vindo pra ficar, mas com certeza, veio para incomodar. A matéria prin- cipal ronda a anos a cabe- ça dos varzeapalmenses: taxa de iluminação pública. Recentemente(vide matéria páginas 04 e 05) a Câma- ra de vereadores, votou na malfadada Taxa de Ilumina- ção pública, como se a con- ta de energia da CEMIG não fosse a mais cara do Brasil. Nossa gente já sofre com tantos encargos, IPTU altís- simo inclusive, agora, essa taxa, que teoricamente co- briria os custos de ilumina- ção pública. Acontece que, a taxa que será cobrada em conta de luz e o dinheiro re- passado à prefeitura, como manda a lei, entretanto, mui- tas pessoas sequer têm pos- tes na frente da sua casa, e quando os têm, estes não possuem luminárias, como é o caso da rua Bárbara Ele- odora, onde uma altura da rua possui três postes, dois sem luminárias e um sem a lâmpada. Queremos saber quando esse problema será resolvido, já que o povo é obrigado a pagar? Mas vamos falar também de coisas boas. Estamos apenas começan- do e gostaríamos de pedir a colaboração dos amigos e leitores, porque deseja- mos fazer um trabalho bem interativo, por isso teremos muitas enquetes, iremos consultar os varzeapalmen- ses sobre os mais diversos assuntos, e gostaríamos de poder contar com todos. Se precisarmos elogiar, elogia- remos prodigamente, mas se precisarmos criticar, sai- bam também que não pou- paremos nem palavras e nem criatividade para que o recado seja dado, tudo evi- dentemente com muito bom gosto. Se você desejar de- nunciar algo, nos ligue, nos mande um email, e iremos verificar e publicar em nos- sas páginas. Se convidados, ire- mos freqüentar o seu even- to, portanto, se quiser ver as suas fotos gratuitamente na nossa página de eventos, basta ligar para o número que estará no expediente, que atenderemos com todo carinho. Enfim, esse jornal não é meu, é da cidade de Várzea da Palma, carente de um meio de informação com conteúdos variados, muita informação, prestação de serviços, saúde, edu- cação, e claro, notícias, mui- tas notícias. Mãos à Obra! ASSUNTO DO DIA R E S P O S T A S DOS LEITORES Você é a favor da Taxa de Iluminação Pública? CONTRA - eu acho que a taxa de iluminação só deveria ser co- Frencisney Siqueira “brada se realmente hou- vesse iluminação para to- dos, passo por muitas ruas onde as pessoas pagam e a porta de suas casas es- tão às escuras. Ana Paula Dornas “ NÃO- Pois já pagamos um ab- surdo de impos- tos e agora eles inventam mais isso. Marcelo Juliano CONTRA. Nós já pagamos muitos impostos, e a ilumi- “nação pública tem que ser por conta da concessionária. EU NÃO CON- CORDO ! Porque pra mim, a gente Jackson Godoy paga pelo que tem, e o que mais tem em Várzea da Palma, são Ruas Escuras, claro que não são todas, mas são muitas. Sendo assim, como a gente vai pagar uma taxa de luz, sendo que a nossa rua é escura ? Eu pas- saria a concordar, se colocassem mais postes, e arru- marem os que estão fracos ! Mas no momento, eu não concordo. “ HUMOR - by grimaulde gomesDIA-A-DIA VÍCIO EM CELULAR Uma pesquisa feita em oito países pela revista “Time” e pela Qualcomm, descobriu que 83% dos brasileiros usuários de smartphones disseram se sentir “perdidos”, “nervo- sos” ou “ansiosos” ao perceber que saíram de casa sem o telefone celu- lar. O estudo ouviu 5.000 consumido- res de tecnologias móveis no Brasil, nos EUA, na China, na Índia, na In- donésia, na Coreia doSul, no Reino Unido e na África do Sul. Do total de consultados, 79% afirmaram sentirse incomodados sem o celular. Na China e na Indonésia, o índice chega a 90%. No Brasil, 35% dos usuários disseram consultar o celular a cada dez minu- tos ou menos e 74% afirmaram dormir com ele perto da cama. Em Várzea da Palma é cada vez mais comum o uso dos pequenos “computadores” postando aqui e ali, coisas nas redes sociais. O uso do smartfone para os usuários de telefone celular em nos- sa cidade já virou moda e está perto de se tornar um vício. Costumamos a ver pessoas com dois ou três celula- res, e sempre há uma boa desculpa para ser ter tanto aparelhinhos. Veja no quadro ao lado como identificar se você é viciado em celular, e o que fa- zer. 2
  3. 3. POLÍTICA D e p u t a d o T a d e u z i n h o Deputado de- nuncia atra- so nas obras do programa Brasil Profis- sionalizado em MG Mas quando aju- da, o Governo do Estado atrapalha”, cobrou Tadeu Martins Leite. Em pronunciamen- to no plenário da Assem- bleia Legislativa, o de- putado estadual Tadeu Martins Leite (PMDB) de- nunciou o atraso na exe- cução do programa “Bra- sil Profissionalizado” em Minas Gerais. De acordo com o parlamentar, já existem recursos na or- dem de R$ 40 milhões disponibilizados pelo Go- verno Federal, mas falta a contrapartida do Governo do Estado de cerca de R$ 30 milhões, comprome- tendo a continuidade das obras. O programa visa incentivar jovens do En- sino Médio das redes es- taduais de ensino do país à profissionalização. Em Minas Gerais, estão sen- do construídos 12 polos, cada um deles com capa- cidade para atender 1.200 estudantes que de- sejam se qualificar para o futu- ro mercado de traba- lho. Dos 12 po- los que estão sendo im- plantados, 9 beneficiarão municípios do Norte de Minas e Vale do Jequi- tinhonha, são eles: Bo- caiuva, Brasília de Minas, Espinosa, Grão Mogol, Janaúba, Joaíma, Manga, Monte Azul e Taiobeiras. “É um exemplo concre- to da ajuda do Governo Federal à educação. Mas quando ajuda, o Governo do Estado atrapalha”, co- brou Ta- deu Mar- tins Leite. Uma das u n i d a - des mais adianta- das é a de B o c a i u - va. No entanto, segundo apurou o deputado, a fal- ta de repasse dos recur- sos para as empreiteiras que estão executando as obras pode paralisar as construções que estão mais avançadas, como é o caso de Bocaiuva. Descaso com os Professores e fim da Previdência são crimes contra o funcionalismo de Minas O deputado Tadeu Martins Leite tem se posi- cionado em defesa dos professores e educadores e dos demais funcionários públicos de Minas Gerais contra o que ele classifica de descaso do Governo do Estado com os servidores. Ele foi um dos sig- natários das emendas propostas pelo Sind-Ute para melhorar as condições de trabalho e salariais da ca- tegoria, que infelizmente foram derrotadas pelos de- putados ligados ao Governo, durante a votação do reajuste salarial de apenas 5%, duramente criticado pelo deputado. “É um absurdo que uma categoria tão fundamental seja tratada desta forma, sem con- dições adequadas de trabalho e nem mesmo o Piso Nacional a que tem direito”, reclamou Tadeuzinho da Tribuna da Assembleia. O deputado Tadeu Martins Leite também vo- tou contra a extinção do Fundo Previdenciário do Estado, através do qual o Governo se apossou de 3,5 bilhões de reais que haviam sido descontados em folha do funcionalismo e era a garantia da apo- sentadoria de milhares de servidores. “Mais uma vez os deputados que se posicionaram ao lado dos ser- vidores foram derrotados pela máquina do Governo. Agindo desta forma, sem respeito e sem diálogo, o Governo comete um verdadeiro crime contra o que ele tem de mais valioso, que são seus servidores”. DINHEIRO PÚBLICO DESPERDIÇADO: ASFALTO DE QUALIDADE DUVIDOSA . Mais uma vez outro prefeito que mos- trou a que veio. Sem muito alardea admi- nistração de Eduardo Monteiro, está rea- lizando o asfaltamento de ruas do Bairro Serrinha. Mas basta correr a vista e nem é preciso ser um engenheiro para verificar o asfaltamento de má qualidade que está sendo executado, e que não sobreviverá ás próximas chuvas. Mais dinheiro público jogado fora. Nós estamos de olho. Asfaltos com menos de seis meses, mas que já mostram sinais de deteterioração, não resistindo às últimas chuvas, que nem foram tão intensas. 3
  4. 4. REPORTAGEM ESPECIAL ILUMINAÇÃO PÚBLICA: P R E S E N T E D E G R E G OReportagem: Grimaulde Gomes Dois locais completamente abandonados, cheio de mato e sem iluminação noturna. O principal ponto de passagem do centro e do bairro Pinlar para os bairros Princesa e Nossa Senhora de Fátima. A taxa foi instituída em maio de 2013. Já era tempo de o dinheiro começar a ser usado para alguma coisa (...)é inaceitável que o Poder Público crie taxa que tenha como base de cálculo o con- sumo de energia elé- trica, pois, afinal, esta é a base de cálculo da “taxa” ou preço públi- co da energia elétrica, o que já pagamos.” A taxa de Iluminação Pú- blica ou CONTRIBUIÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLI- CA (CIP) é palco de mui- tas discussões pelo País a fora. Considerada incons- titucional por juristas es- pecialistas em tributação, ela divide opiniões, inclu- sive em Várzea da Palma, onde alguns consultados são a favor. O Governo fe- deral teria transferido aos municípios a responsabili- dade de fazer a manuten- ção nos postes públicos, mas os especialistas no assunto são quase unâ- nimes em apontar irre- gularidade na cobrança, baseados na Constituição Federal de 1988, confor- me determinado no art. 149, parágrafo único (a), essa contribuição pode ser cobrada na própria conta de luz, como acre- ditava-se que vinha sen- do feito. Entretanto, com a responsabilidade sendo passada aos municípios, o óbvio seria a concessioná- ria, que deveria ser a ver- dadeira responsável pelo serviço, descontar esse valor dos seus cálculos, o que em tese, não traria alterações à conta. Ela so- mente repassaria o que já deveria estar sendo cobra- do a décadas, à prefeitura. Mas até a isso se encon- tra um dificultador, teori- camente f a l a n d o . André de C a s t r o , advogado tributaris- ta, diz o seguinte: “Não é aceitável que o Po- der Públi- co, como forma de fugir des- tas proibições, estabeleça como fato gerador da taxa de iluminação pública a testada do terreno, o que determina o seu valor e, por conseqüência, o va- lor sobre o qual será cal- culado o IPTU. Também é inaceitável que o Poder Público crie taxa que te- nha como base de cálculo o consumo de energia elé- trica, pois, afinal, esta é a base de cálculo da “taxa” ou preço público da ener- gia elétrica, o que já pa- gamos.” Ou seja, foram criadas alíquotas de co- brança de acordo com o consumo do imóvel, o que é um erro, porque a luz nas vias públicas são uti- lizadas não somente pelo proprietário da casa onde tem um poste na frente, mas também pelas pes- soas que transitam e que nem moram na tal rua. VEREADORES C O N T R A ERASMO DINIZ EREMAR DA RIMA Eremar Zaqueu Francisco Sanguinetti, ou como é conhecido, Eremar da Rima (PPS) é estreante na vida política e um repre- sentante da classe op- erávia, classe essa que se vê prejudicada pela Taxa de iluminação Pública, por isso, também votou contra o projeto De tradicional família política, seu pai, Lourival Diniz foi um dos prefeitos mais benquistos da cidade. Erasmo Diniz (PSDC) já é um conhecido militante contra a taxa de iluminação pública, e se postou cora- josamente contra a mesma, votando contra o projeto de Lei que institui em Várzea da Palma. P r o c u r a m o s o u - v i r a m a i o r i n t e r e s - s a d a n e s s e a s s u n - t o , o u s e j a , a p r ó p r i a p o p u l a ç ã o . O s u s u á r i - o s d a e n e r g i a e l é t r i - c a . A s r e s p o s t a s d a e n q u e t e ( P a g . 0 2 ) n ã o n o s s u r p r e e n d e u , p o i s a m a i o r i a d o s e n t r e v i s - t a d o s s e p o s i c i o n a r a m c o n t r a a c o b r a n ç a d a t a x a . H o u v e a q u e l e s q u e s ã o c o n t r a , m a s q u e p o r a l g u m m o t i v o , o u m e d o d e r e t a l i a ç ã o , p o r f a z e r e m p a r t e d i - r e t a o u i n d i r e t a m e n t e d a A d m i n i s t r a ç ã o , n ã o q u i s e r a m r e s p o n d e r . O q u e s e d e v e l e v a r e m c o n t a é q u e a p e s a r d e o G o v e r n o F e d e r a l e s t a r j o g a n d o p a r a o s M u n i c í p i o s e s s a r e - s p o n s a b i l i d a d e , o m u - n i c í p i o e m t e s e p o d e - r i a s e r e c u s a r , u m a v e z q u e é p r e c i s o v o - t a r u m a l e i m u n i c i p a l p a r a a p r o v á - l a . 4
  5. 5. POLÍTICA NewtonCardosoJúnior Comemorando o seu aniversário, o jovem advo- gado e empresário já carrega consigo uma im- portante bagagem de tradição política em Minas Newton Cardoso Júnior, e a vereadora de Pirapora Djuliane Dias. Newton Cardoso Júnior, juntamente com Gil Antônio Diniz, O Teteco (PMDB), que é Presidente da Câmara de Contagem, e Carlin Moura (PCdo B), prefeito de Contagem Newton Cardo- so Júnior, é filho do De- putado Federal Newton Cardoso (PMDB). Co- memorou no dia 14/12 o seu 33º aniversário junto com amigos e familiares. Advogado e empresário, Newton Cardoso Júnior é daqueles jovens que não se aquieta diante das adversidades. É extrema- mente sensibilizado com os problemas do interior, sobretudo no Semiárido, onde se encontra a nossa cidade. Já vem de uma fa- mília de tradição política, cujo pai foi Governador e hoje é deputado federal, e a mãe, dona Maria Lúcia foi duas vezes deputada federal. Ou seja, a políti- ca corre em suas veias. Repetindo um trecho do discurso do empresário Milton Rocha, do Depó- sito Paraná: “(...) Newton Junior representa uma renovação, levando em conta a sua juventude e a alternância de poder, que é necessária e saudável à política. Ao mesmo tem- po, ele traz a marca da experiência, devidamen- te atestada na sua atua- ção empresarial e no seu espírito empreendedor, além do respaldo político que ele tem. DIVERSOS 5 Bar do Toninho Rua Salvador Roberto 1404 Talvez, um dos poucos acertos da Admin- istração passada, capita- neada por Erasmo Diniz, tenha sido o restaurante popular. Comida boa e barata, acompanhada por nutricionistas, e por um preço simbólico de R$2,00 parecia um sonho, mas es- tava lá, bastava entrar na fila. Um projeto que gerou empregos e resolveu o problema de muitas pes- soas que trabalham no comércio e muitas vezes se deslocam para seus distantes bairros na hora do almoço, encontravam alí uma economia maior, ao se colocar na ponta do lápis o que ele gastava em alimentação. Havia pes- soas que saíam das suas casas para almoçarem no restaurante popular, justa- mente por causa da eco- nomia. RESTAURANTE POPULAR RODOVIÁRIA Um problema anti- go em Várzea da Palma é a rodoviária. Muito se fala sobre a malfadada rodovi- ária da época de Mário Mo- rais, mas por sua vez, nin- guém nunca fez nada para resolver essa questão, e fazer com que finalmente tenhamos uma estrutura respeitável, ou no míni- mo decente. E isso acaba se tornando promessas de campanha, que nun- ca passaram disso, pro- messas. Nunca mesmo. A Administração anterior construiu um local onde se podia chamar de rodo- viária, e até divulgou na sua imprensa institucional, que a mesma estaria já em funcionamento. De fato, al- gumas pessoas perderam ônibus, esperando por lá, sendo que o ônibus ainda estava passando na antiga rodoviária. Um prédio boni- to, mas que mais tarde se converteu em uma enorme dor de cabeça para o en- tão prefeito Luiz Antônio, que o ergueu a “toque de caixa”, por motivos óbvios, mas que se revelou inútil para as empresas de ôni- bus, que alegaram falta de segurança, já que ladrões poderiam invadir pelo teto e roubar coisas como computadores e equipa- mentos. o mais incrível é o engenheiro não ter pen- sado nisso, ou pode ter pensando, e teria seguido o plano de contenção de despesas, vai saber... O fato é que o prédio é inú- til, e não está sendo usado para nada
  6. 6. Por Grimaulde Gomes No dia 03 de janeiro Thalita Diniz comemorou mais um ano de vida com seus pais, familiares e amigos, numa linda festa , realizada no Buffet Maria de Neguinho. O Seu aniversário foi no dia 02. Parabéns!!!!! As imagens foram cortesia do site Gps Folia: www.gpsfolia. com.br. Valeu galera!! Quem aniversariou no dia 05/01, foi o nosso amigo Seli- mar dos Reis Ferreira, irmão de Estela do APAE. PARABÉNS 6
  7. 7. No dia 25 de dezembro, no espaço Gril foi a vez da 9ª Edição do Aloha. Uma das festas mais legais de Várzea da Palma. Confira as imagens da galera bonita que compareceu. Uma delas pode ter sido você... IMAGENS: www.upira.com.br Elisângela Sanguinette de Jesus recebeu seus amigos e familiares para comemo- rar mais uma vitória em sua vida. Ela se formou em engenharia mecânica e fez uma grande recepção no Clube Operário, ao som de Rick Swin- gão. Pelo seu su- cesso, ela agradece a todos que foram importantes na sua caminhada, muitas vezes difícil, mas agora, com o sabor da vitória. Deus, em Primeiro Lugar, seus pais, familiares e amigos. Parabéns, gata! ENGENHARIA MECÂNICA Olha o nosso repórter Gri- maulde Gomes, parecendo gente, curtindo um sol em Porto Seguro. Quer as suas fotos publicados nessa colu- na? Ligue 9133-8449, 9956- 1673 ou envie um email: da- guiagomes@gmail.com Com as minhas irmãs Joelma e Juliana, e Lau- rinha, minha sobrinha Meu pai Francisco, meus sobrinhos Pedro e Laura. E quem acende as velinhas dia 18 de fevereiro é a gati- nha Daniele, filha de Nina e Daltinho. Cuidado, bandidos, que aí vem a futura delegada mais gata do pedaço. Parabéns, priminha!!!! A G E N D A Na noite do dia 31 de janeiro, a rede Globo mais uma vez fez história, mostran- do na TV o primeiro beijo gay da história da teledramatur- gia brasileira, protagonizado Escreva para daguiagomes@gmail.com por Felix (Mateus Solano), e Niko (Thiago Fragoso) Discussões à parte, a cena não teve muita repercussão, chegando mesmo a ser frustrante a audiência e comentários pós cena, mas enfim, positivo ou negativo, foi um ato de coragem e elevará a um de- grau no patamar desse assunto que ainda é tabú para muitos, e um caminho sem re- tono para outros e é lógico, cada pessoa tem a sua opinião, e o direito de expressá- la. Qual a sua opinião? Escreva-nos o que você achou. Obs: Comentários que expressam ódio e desrespeito não serão publicados. 7
  8. 8. ESPORTE Felipe Rodrigues, o de Kimono azul. Mostrando a medalha que elevou o nome de Várzea da Palma ao esporte Panamericano, mesmo sem o devido apoio VÁRZEADAPALMATEVEMEDALHISTAPANAMERI- CANO EM JIU-JITSU, E PASMEM, NINGUÉM SABIA Quando se fala em esporte, em Várzea da Palma, já se pen- sa logo em Futebol. A prefeitura já patrocinou campeonatos, o comér- cio já apoiou torneios. Iniciativas louváveis que contribuem para o crescimento interior de jovens e crianças rea- lizados em Várzea da palma, em prol do fute- bol. Mas nem só de fute- bol vive o esporte. Mui- tas outras modalidades esperama boa vontade dos órgãos públicos, dos administradores e dos empresários. Como é o caso do Jiu-Jitsu. Poucas pessoas sabem, mas Várzea da Palma possui um ganhador da medalha de prata do Campeonato Panameri- cano de Jiu-Jitsu. Trata- Poucas pessoas sabem, mas Vár- zea da Palma pos- sui um ganhador da medalha de prata do Campeonato Pa- namericano de Jiu- -Jitsu -se de Felipe Rodrigues. Um jovem, que como qualquer outro, gosta de baladas, festas, garo- tas, escola, futebol. Mas o esporte da sua vida, é aquele que o ensinou a ter autocontrole, a ser um homem de bem, que sabe que seus po- derosos conhecimentos marciais servem para a defesa e para o apri- moramento do espírito. Infelizmente, filosofia não é o bastante, pois a nossa sociedade vive de investimentos. Quem não iria se sentir orgu- lhoso em ter o nome da sua marca, e s t a m p a d a na camiseta de um cam- peão? Felipe R o d r i g u e s treina Jiu-Jit- su numa das maiores aca- demias de ar- tes marciais do Brasil, es- pecializada nessa luta. A GB Brasil, ou Gracie Barra Brasil. Uma esco- la que forma campeões internacionais. Isso não é pouco. O que é pouco é o incentivo que Vár- zea da Palma dá a esse esporte. Empresários, vamos olhar com mais carinho para nossos desportistas. Prefeitu- ra, vamos investir mais na juventude, em seu potencial e em seus so- nhos, e assim, formare- mos campeões e o seu nome irá brilhar junto com eles. HOMENAGEM Morre dona Francis- ca Benzedeira, e deixa Várzea da Palma órfã Dona Francisca era daquelas pessoas que anulava a si mesma pelos outros. Por anos, abriu as portas da sua casa, não importando se de noite ou de dia, para receber pessoas deses- peradas por algum mal do corpo ou da alma. Benzia, aconselhava, ensinava remédios na- turais. Eram filas imen- sas. Houve quem trou- xesse até mesmo cães para que ela os benzes- se. Uma vida dedicada á caridade. Mas os anos foram passando e os problemas gerados pela idade avançada foram chegando, como chegam para qualquer pessoa. A sua voz se calou, mas no coração dos varzeapal- menses, ela continuava falando, aconselhando. Nos últimos anos ela não recebia mais muitas visi- tas. Onde será que es- tavam aquelas centenas de pessoas que ela ben- zia e curava? Ao menos a família e uns poucos amigos estavam lá, auxi- liando e acompanhando. Ela que agora dependia de terceiros para comer, tomar banho, ir ao ba- nheiro. Felizmente Deus colocou pessoas boas em sua família, que a au- xiliasse: Maria, a sua fi- lha, que estava 24 horas disponível; Hosana, que mesmo de longe sempre enviava auxílio; Lili, dona Efigênia e os demais fi- lhos e parentes que vez por outra apareciam para visitar ou ajudar. Claro, seria injusto esquecer de Soninha Ávila que a atendia com fraldas ge- riátricas, que eram por demais onerosas para a família. Dona Francisca benzedeira, cidadã ho- norária de Várzea da Palma, título dado pelo então vereador Erasmo Diniz, pelos relevantes serviços prestados à co- munidade, porque muitas vezes a benzeção era o único recurso disponível, faleceu no dia 25 de ja- neiro de 2014 . Sabemos, dona Francisca, que do Céu, a senhora não é ci- dadã honorária, mas uma cidadão de fato e de di- reito e que Deus já está com a sua recompensa em mãos, porque ele a enviou para um traba- lho árduo e a senhora o abraçou com todo amor e dedicação. Merecidamente, dona Francisca recebe o título de cidadã Hon- orária do então vereador Erasmo Diniz 8
  9. 9. COLUNAS Grimaulde Gomes é jornalista, escritor, poeta, roteirista e filósofo ESTAMOS EM GUERRA “Eu fumo meu ba- seadinho, e não prejudi- co a ninguém!” Quantas vezes já ouvimos essa frase insensata e im- becil? Maconha não se compra em farmácias ou lojas credenciadas, se compra no trafican- te, principal responsável pelo crime organizado. Ou seja, quem fuma seu baseadinho, está sim prejudicando não uma ou duas pessoas, mas a toda uma sociedade. Foi muito discutido o fato de o Congresso colocar em pauta a liberação da ma- conha no Brasil. Não sei como seria distribuída, e também nem me interes- sa. O fato é que prova- velmente ela seria vendi- da em farmácias ou lojas especializadas, em do- ses pequenas para uso pessoal, e provavelmen- te só para uso medicinal, e com isso se pensaria li- quidar com um grande fi- lão do tráfico. Ledo enga- no! A maconha responde hoje por uma pequena fatia nos “negócios”, pois o grande boom do mo- mento é o crack. Quem tem “grana”, ainda vai de cocaína. O proble- Se não tiver cliente, não tem vendedor, é assim que fun- ciona a lei de mercado. En- tão por que culpar apenas o traficante, e deixar sua prin- cipal fonte de renda como vítima? ma é que o do traficante sempre vai ser mais ba- rato, afinal de contas, ele não paga impostos, e se ele só vive disso, nem tem direito à pensão de R$917,00 como auxílio reclusão. (risos). O que se conclui de tudo isso? Que o usuário deveria ser tão ou mais responsável que o próprio traficante, pois este último vive da demanda. Se não tiver cliente, não tem vende- dor, é assim que funciona a lei de mercado. Então por que culpar apenas o traficante, e deixar sua principal fonte de renda como vítima? Não! Vítima é quem não usa. Quem trabalha arduamente, pra no fim da tarde ter que ficar dando cinco reais aqui, dois reais ali, com medo de ser agredido, por “noiados” que viru- lentamente invadiram a cidade e também infes- tam as clínicas de desin- toxicação, que são caras e muitas vezes não resol- vem o problema. Muitos usuários querem deixar o vício e se tratar, mas o que eles querem mesmo é não sofrer as consequ- ências do vício, como a fissura e a síndrome de abstinência, mas como “o barato” é legal, poucos querem deixar o vício real- mente. E as fa- mílias sofrem, a sociedade sofre, só quem não sofrem são os advogados das Comissões de direitos hu- manos, que provavelmente nunca fo- ram assaltados ou abor- dados por viciados e são contra as internações compulsórias, porque estas “ferem o direito de escolha do cidadão”. To- dos já estão fartos dessa situação, mas estamos de pés e mãos atadas, porque, mesmo com a violência tão banalizada: assaltos, roubos e as- sassinatos todos os dias, a Justiça teima e ver os criminosos como vítimas da sociedade. Viramos apenas estatísticas, nú- meros que engordam os bolsos de advogados e emagrecem a nossa se- gurança e nos faz perder de uma vez por todas a confiança na própria Jus- tiça. daguiagomes@gmail.com 9 Lanchonete A Favorita Rua Salvador Roberto 1806 NOITE SOLENE, DE SAGRA- ÇÃO E POSSE DOS NOVOS MEMBROS DA ACADEMIA VAR- ZEAPALMENSE DE LETRAS, CIÊNCIAS E ARTES C U L T U R A O dia 12 de dezembro de 2013, foi festivo para a Academia Varzeapalmense de Let- ras, Ciências e Artes, não somente pelo aniversário de Várzea da Palma, mas também porque recebe- mos novos membros. De- pois da reestruturação da Academia, a posse da nova direto- ria, a Aca- demia con- vidou mais membros, en- tre moradores de Várzea da Palma que se destacam na arte e na edu- cação: A can- tora, poeta e educadora Tânia Mara; a educadora Maria das Graças, representante de Barra do Guaicuí; o can- tor e compositor Pedro Humberto, uma das mais privilegiadas vozes do MPB (se não, a mais privi- legiada) de nossa cidade; Marco Antônio Ramos, que também é educador e um homem de vasta cultu- ra, e também a educado- ra Cleonice Cardoso, que goza de muita admiração entre seus colegas de trabalho. Foi ainda uma noite de exposição de belos trabalhos artísti- cos do confrade Eliseu e da artista plástica Gleyci Viana, e também da boa música com a potente voz de Ruth Rodrigues, filha do confrade Eliseu, Alice Entreportes., e claro, do nosso novo confrade Pe- dro Humberto; ale da dec- lamação de poemas dos nossos diversos poetas. Ocasiãopropíciaparaolançamentodoslivros“Ar- voredos” e “Palma Velha” dos Confrades Roberto Sanguinette e Pedro Oliveira, respectivamente.
  10. 10. A CIDADE PREFEITO EDUARDINHO DO POSTO RECUSA MAIOR PIS- TA DE TESTES VEICULARES DA AMÉRICA LATINA 50 a 70 quilômetros de pista. 150 a 500 empregos diretos e indiretos. Faculdades, cursos profissionalizantes, aqueci- mento da economia. Foi isso que Eduardo Monteiro recu- sou. Essa é uma da- quelas notícias que nos deixam revoltados. Re- centemente a imprensa regional noticiou o fato de que a cidade de La- goa dos Patos, no Nor- te de Minas irá servir de base para a maior pis- ta de testes veiculares da América Latina. Um empreendimento com um investimento inicial de R$ 16 milhões de re- ais, que vai alavancar de vez a economia da cidade. A pista terá uma área total de 3 milhões de metros quadrados, e servirá para testes de diversas montadoras. O projeto é da Partner Parcerias Industriais e Automotivas, e terá outras duas filiais, em P a t r o c í n i o e em Pira- pora. Junta- mente com a pista, a cidade es- pera inves- timentos da Petrobras, com a criação de postos de combustíveis e ou- tros benefícios, tornan- do competitivo o preço dos mesmos. Além dis- so, a primeira fase do projeto, que termina a no fim de 2014, abrirá 700 postos de traba- lho diretos e indiretos, e será uma alavanca para o desenvolvimen- to da região, fomentan- do inclusive, a criação de universidades e di- versos cursos técnicos e profissionalizantes. Agora vem a per- gunta: “por que essa notícia nos deixa- ria revoltados?” Pelo simples fato de que o projeto era para ser desenvolvido em Vár- zea da Palma, e foi re- cusado pelo atual pre- feito Eduardo Monteiro de Morais. O motivo? Não sabemos. Mas não deve ser difícil de chegar a uma conclusão, já que a Petro- bras vem de carona com a empresa, ins- talando diver- sos postos de combus- tíveis para atender à demanda, atendendo inclusive à demanda da cidade. E o prefeito se- ria proprietário de um posto e sócio de outro. Não estamos afirman- do nada. Só chamando o povo à razão, para que cada um tire suas próprias conclusões. Trafegar pelo cen- tro de Várzea da Palma sem tropeçar nos in- úmeros cães espalhados pela cidade está se tor- nando uma tarefa difícil. São cães abandonados pelos seus donos, out- ros ainda nasceram nas ruas, e todos eles com sinais de graves doen- ças acometidas aos cães e que podem ser trans- mitidas aos humanos, como a leishmaniose, e até mesmo a hepatite. Em Várzea da Palma já foram registrados casos graves de leishmani- ose, e não se vê nen- hum serviço do setor de controle de zoonoses na prefeitura preocupado com isso. Deveria haver um local de apreensão e tratamento, cuidando dos animais que ainda podem ser adotados e, para aqueles que não tiverem jeito, até mes- mo o sacrifício, porque neste caso, a vida hu- mana deve estar sempre em primeiro lugar. Se existe esse lugar, per- guntamos, por que ain- da existem tantos cães abandonados? CÃES ABANDONADOS As chuvas dos úl- timos dias demonstrou como Várzea da Palma, mesmo estando em um local privilegiado no que toca à enchentes, ain- da sofre com as águas pluviais que não respei- tam barreiras. Enchem as ruas, invadem as calçadas e en- tram pelas lojas adentro. Um sinal de que o sistema de captação de águas pluviais em Várzea da Palma, já antigo, não su- porta mais os anos de impermeabilização do solo, pelo crescimento da cidade. Esperamos da administração atual um estudo sobre essa situação, e lógico, um projeto para tentar sa- nar esse problema. C H U V A Bar e Restaurante Lider A melhor comida da cidade Rua Salvador Roberto, 1035 Fone 3731-1179 Gostou deste e de outros artigos? Sua opinião é muito im- portante. Comente, opine, critique. Não deixe sua voz se ca- lar. estamos espe- rando a sua opinião. 10 VÁRZEA DA PALMA PERDE EMPRESA E EMPREGOS
  11. 11. UM DRAMA URBANO A CIDADE Quem em Várzea da Palma nun- ca ouviu falar no famo- so Mercadão, que pesa nas costas dos políticos como um verdadeiro “elefante branco”. Em meio à paisagem deso- lada, ao perigo de gra- ves acidentes, e à falta de condições mínimas de higiene, aquele local possui moradores, mui- tos dos quais vieram de longe. Como é o caso de dona Maria Geralda, viú- va, natural de Jequitaí, e que vive a dez anos no mercadão. Ela conta tra- balhava nas fazendas da região, e teve que dei- xar o trabalho por moti- vos de saúde. Sem ter para onde ir, ocupou um dos cômodos do edifí- cio abandonado, e vive de ajuda da população. A água é conseguida através de um cami- nhão-pipa da prefeitura e de poços artesianos dos postos de combus- tível. Segundo dona Geralda(até a data em que foi feita a entrevis- ta) a prefeitura nunca os procurou para oferecer qualquer assistência. O abandono e o local ermo também se torna pro- pício a situações vicio- sas, como o tráfico e a utilização de drogas, e esconderijo para todos os tipos de criminosos; e também a furtos, que segundo a Polícia militar, já ocorre- ram muito naquelas ime- diações; além de pode- rem ocorrer assassinatos e agressões. Essas pes- soas geralmente não são da cidade, o que dificul- ta à prefeitura prestar qualquer apoio da se- cretaria de assistçencia social. em contraste a essa situação, falamos com uma moradora que não somente é de Vár- zea da Palma, como foi funcionária efetiva da prefeitura. Vitória Maria de Jesus reclama que foi obrigada a se afastar do trabalho em virtude de três de três cirurgias que fez, mas nem conseguiu se aposentar nem rece- ber auxílio doença. Sem ter como custear um alu- guel, foi obrigada a vi- ver no Mercadão. Não a encontramos mais para saber se essa situação foi resolvida Chamamos a atenção das autori- dades para resolverem essa verdadeira “cica- triz” bem numa área no- bre de Várzeada Palma. Um verdadeiro albergue para incentes abandona- dos, mas também para ladrões e usuários de drogas. N O I A D O S Não se p o d e m a i s andar pelo cen- tro da cidade sem ser abordado aqui e ali por dependentes químicos, quase na totalidade vi- ciados em crack, a pedir dinheiro para manter o vício. Havia um projeto da administração pas- sada, que como mui- tos outros não foram adiante ainda naquela administração, para a construção de uma clínica para depend- entes químicos, que ia atender somente adul- tos, e que inclusive este repórter havia sido convidado a fazer parte da associação que ia gerir aquele local. Se fosse adi- ante, poderia resolver grande parte do prob- lema. Os assim chama- dos “noiados”, cujo ter- mo vem de “noia”, que por sua vez provêm da palavra “paranóia”, que é um dos estágios da abstinência à droga, adentram lanchonetes, bares, lojas, perdendo completamente a dig- nidade e o seu senso de humanidade. Mui- tos deles se tornam agressivos, e alguns até mesmo costumam assaltar para manter o vício.E todos eles an- dam para-lá-e-para-cá, como verdadeiros zum- bis, alheios a tudo, ten- do somente a “fissura” pela droga. As clínicas são muito caras, e nem todos têm condições financeiras para ser internado. Cobramos das autoridades maior atenção à essa infes- tação de dependentes químicos, não somente do crack, mas também do álcool, o que por incrível que pareça, lotam mais as clínicas do que a própria “pe- dra”. BAR SÃO GONÇALO Do amigo Napoleão Rua Gualberto Lorde 1256 Bar e Mercearia DM Do amigo Luquinha Rua Esmeraldas - 1538 11
  12. 12. No verão, e depois das chuvas, ele vem nos atormentar. Ao lado, passos simples pra nos livrarmos da dengue. Vamos fazer nossa parte. 12 Jornal O GRITO DO POVO - Publicação mensal - Tiragem:3000 exemplares - Redação, e publicidade Plan Publicidades e Eventos - -CNPJ: 07.269.940/0001-20 - Rua Dona HelenaDiniz, 183 - Bairro Planalto - Edição, reportagens, redação, projeto gráfico: Rua Milton Campos, 1121, Princesa - 3731-1673/9956-1673 - Grimaulde Go- mes - Email: ogritodevarzeadapalma@gmail.com - Textos assina- dos são de inteira responsabilidade do autor. Plan Publicidade e Eventos

×