SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 68
Baixar para ler offline
DECLARAÇÃO DE CONFLITO DE INTERESSES
         Carlos Frederico Pinto

 Honorários/Consultorias/Apoio Científico:
   Aventis, BMS, GSK, Lilly, Novartis, Pfizer,
   Roche, Sandoz.

 Pesquisa Clínica:
   BMS, Novartis, Amgen, Aventis.

 Ações Vínculo Empregatício:
   Nenhum
O Continuum da Assistência
       e Nutrição em Oncologia
Carlos Frederico Pinto
Hospital Regional do Vale do Paraíba
Instituto de Oncologia do Vale

Apresentado no GANEPÃO 2010 - 17/06/2010
carlosfpinto@hotmail.com
@carlosfpinto
ou

Educação Nutricional em
      Oncologia

  Por que isso é importante?
 Como abordar esse problema?
11% !!!
Por que falar em educação
        dietética?
Dieta e câncer

Evidência sólida e crescente de que dieta
inapropriada e/ou obesidade se relacionam com
o aparecimento ou rediciva do câncer:
  Cólon e reto;
  Mama;
  Cabeça e pescoço;
  Bexiga;
  Útero;
  Próstata.
Após 5 anos...

65 % dos adultos estarão vivos
79% das crianças estarão vivas
  Nelas 1/4 das mortes futuras estarão
  relacionadas à sequelas e toxicidades tardias


Hoje são mais de 11 milhões de
americanos.... + de 3,5% da população...
O Continuum do Controle do
                 Câncer

 PREVENÇÃO          DETECÇÃO      DIAGNÓSTICO   TRATAMENTO    SOBREVIVENTE


Controle de        Papanicolau    Decisão       Suporte e     QoL
Tabaco             Mamografia     informada e   desenvolvi-   Seguimento de
Dieta              Colonoscopia   baseada em    mento de      risco
Atividade Física                  evidências    Serviços de   Promoção de
                   PSA                          Saúde e
Exposição          Pele                                       Saúde
                                                Pesquisa
solar
Exposição Viral                   Dieta?                      Dieta?
                   Dieta?                       Dieta?
Uso de álcool
Quimio-
prevenção
Porque falar do “continuum da
           assistência”
A maior parte dos pacientes com câncer recebe um
  tratamento desintegrado, sem um plano terapêutico
  claro e sem intervenções educativas:
  Não há plano terapêutico;
  Não há acompanhamento planejado para os pacientes
  em seguimento;
  Não há orientação integrada sobre sua assistência e
  acompanhamento multiprofissional:
Componentes do Cuidado IOM
                             Coordenação
                    Comunicação adequada entre pacientes,
                   Oncologistas e outros provedores de saúde.                “Lost in Transition”
                              Planos de cuidados.                            IOM Report 2005.
                            Sumários de tratamento.




Prevenção e                   Seguimento                   Intervenções clínicas
Detecção Precoce
                              Acompanhamento de            Relacionadas ao tratamento e/ou
Promoção de comportamentos     recidiva                       à doença
       saudáveis                                           Controle de sintomas
Atividade Física              Efeitos colaterais tardios   Suporte psicossocial
Dieta adequada                                             Manejo de seguros
Cessação do Tabaco                                         Reabilitação
Proteção contra o Sol                                      Empregabilidade
Rastreamento                                               Discriminação
Status do paciente com câncer
           de cólon:

                A MAIOR PARTE DA VIDA
                  DO PACIENTE É SEM
                      TRATAMENTO
                MAS COM AS SEQUELAS,
               RISCOS E COMPLICAÇÕES
                  ASSOCIADAS A ELE...
          ...SEM UM PLANO DE ASSISTÊNCIA
                 ...SEM MANEJO PARA
                 REDUÇÃO DOS RISCOS
                        FUTUROS
Plano Terapêutico Integrado e
        Seguimento
Fisioterapia: atividade física (ANTES DO
DIAGNÓSTICO, durante e após o tratamento) e
reabilitação funcional;
Nutrição: (ANTES DO DIAGNÓSTICO), durante
e após o tratamento;
Psicologia durante e na readaptação;
Serviço Social: benefícios sociais e assistência
familiar;
Médico:
oncologista, clínico geral e outros especialistas;
Assistência espiritual.
Redimensionando o
     cuidado
Sobrevida do câncer ...
...e a era dos antiangiogênicos
Rory Sutherland e o paradoxo
       dos detalhes...
        Coisas que custam
          muito dinheiro

  Consultoria        Estratégicas
                                         Coisas que
                                         produzem
                                         grande impacto
    Triviais
                            ?
                      Veja em: http://www.ted.com
Inibição tumoral por extrato de
           legumes!!!
Antiangiogenese
Alimentos com potencial
        antiangiogênico
Chá verde    Vinho tinto   Pimentão
Morango      Soja          Berinjela
Blackberry   Ginseng       Atum
Amora        Matake        Alho
Blueberry    Licorina      Tomate
Laranja      Turmerina     Óleo de oliva
Limão        Shitake       Chocolate
Maçã         Artichoque    negro
Abacaxi      Lavanda       Linho/Linhaça
Cereja       Abóbora       Outros
Rory Sutherland e o paradoxo
        dos detalhes...
  As sociedades e os governos sofrem de
 uma espécie de “inveja newtoniana”: eles
pretendem que o mundo seja um lugar onde
 o volume do investimento e o resultado da
       mudança sejam perfeitamente
 proporcionais: numa forma mecanicista de
   mundo perfeito, métrico e mensurável -
      onde todos gostaríamos de viver:
o sucesso da sua empreitada é diretamente
    proporcional a quanto dinheiro você
                  gastou...
Um exemplo cruel....
Câncer de cólon: frequência das
           refeições
Câncer de cólon: pão
Câncer de cólon: Vitamina C
Câncer de cólon: Vitamina C
Câncer de cólon: Queijo
Câncer de cólon: Frutas e
        vegetais
Câncer de cólon: Consumo de
            alho
Câncer de cólon: Consumo de
      frutas e vegetais
Câncer de cólon: Consumo de
            alho
Câncer de cólon: Frutas e
        vegetais
Câncer de cólon: Consumo de 2
 porções de frutas e vegetais
Câncer de cólon: Vegetais crus
Câncer de cólon: Banana
Câncer de cólon: Carne, frango e
             peixe
Câncer de cólon: Carne
      vermelha
Câncer de cólon: Vinho
Câncer de cólon: Café
Câncer de cólon: Carne
vermelha e/ou processada
Câncer de cólon: Saquê
Câncer de cólon: Álcool
Câncer de cólon: Destilados
Câncer de cólon: Carne branca
        (peixe/frango)
Câncer de cólon: Peixe e frango
Câncer de cólon: Vitamina A
Câncer de cólon: Gordura
        saturada
Câncer de cólon: Fibra
O que toda essa informação
           significa?
O Relatório Final é um documento gigantesco, com mais
de 3000 páginas, sem incluir os artigos estudados...
Gerar informações consistentes foi um trabalho hercúleo
(veja o próximo slide)....
Mas, na verdade, boa parte dos estudos não foi capaz
de isolar uma única variável consistente o bastante...
  Estudos positivos podem estar observando resultados indiretos
  de outros hábitos de vida não necessariamente associados ao
  resultado encontrado. O mesmo vale para os estudos
  negativos...
  Por exemplo: sabemos que atividade física muda radicalmente a
  incidência de câncer.... Em quantos desses estudos isso foi
  investigado ???
Ainda assim temos
  evidências...

 Publicado em
 2007
 WCRF/AICR
 Disponível on-line
Há uma Dieta Anticâncer?
Consumo calórico adequado,        Relação equilibrada entre
não excessivo;                    Omega 3 e Omega 6 que
10 ou mais porções por dia de     inclua DHA;
vegetais, incluindo crucíferas,   Linhaça como fonte de
alho e sucos de frutas;           fitoestrógenos e Omega 6;
Sem açúcar refinado;              Selenium;
Sem farinha refinada;             Vitamina B12;
Rica em antioxidantes e           Acido fólico (de vegetais verde
fitoquímicos de frutas e          escuro)
vegetais, incluindo α-caroteno,   Exposição solar adequada ou
β-caroteno, β-criptoxantina,      suplemento de vitamina D
Vitamina C (de alimentos),        Rico em clorofila;
vitamina E ( de alimentos);       Probióticos;
Baixa quantidade de gordura,      Enzimas.
mas com ácidos graxos
essenciais;                                  Donaldson, 2004
Rory Sutherland e o paradoxo
       dos detalhes...
        Coisas que custam
          muito dinheiro

  Consultoria        Estratégicas
                                Coisas que
                                produzem
                                grande impacto
    Triviais
                            ?
Como usar essas                                     “Minha intenção é adquirir todas essas
 informações?                                     virtudes através do hábito. Eu não distrairia
                                                  minha atenção tentando alcançar todas ao
                                                   mesmo tempo; mas me fixaria em uma a
1. Temperança:       não coma até o fastio,
                                                   cada vez, e quando me tornasse um
  não beba à afetação.                             mestre nela, passaria à próxima e
2. Silêncio:   fale apenas o que possa            assim por diante. (...) e a conquista anterior
  beneficiar você ou o próximo;                    deve de alguma forma ajudar na próxima

  evite a conversa fútil.                            conquista. Dessa forma, as arranjei
                                                             nessa sequência”.
3. Ordem:   que todas as coisas tenham
  seu lugar; que cada parte de sua vida tenha seu tempo.
4. Resolutividade:   Resolva e execute o que é devido;
  execute com perfeição o que for resolvido.
5. Frugalidade:   não faça despesa que não seja
  para seu bem ou a de outros; não desperdice nada.
6. Produza:    não perca tempo; sempre esteja a trabalho
  de algo útil; elimine todas as ações desnecessárias.              Benjamin
                               ... e outras 7 mais....              Franklin
Componentes do Cuidado IOM
                             Coordenação
                    Comunicação adequada entre pacientes,
                   Oncologistas e outros provedores de saúde.                “Lost in Transition”
                              Planos de cuidados.                            IOM Report 2005.
                            Sumários de tratamento.




Prevenção e                   Seguimento                   Intervenções clínicas
Detecção Precoce
                              Acompanhamento de            Relacionadas ao tratamento e/ou
Promoção de comportamentos     recidiva                       à doença
       saudáveis                                           Controle de sintomas
Atividade Física              Efeitos colaterais tardios   Suporte psicossocial
Dieta adequada                                             Manejo de seguros
Cessação do Tabaco                                         Reabilitação
Proteção contra o Sol                                      Empregabilidade
Rastreamento                                               Discriminação
7. Tratamento Multidisciplinar de Câncer

Um tratamento de câncer ideal deve ser fornecido por
uma equipe que inclua, quando apropriado,
especialidades médicas multidisciplinares, sendo
composta de oncologistas médicos, oncologistas
cirúrgicos, rádio-oncologistas e especialistas em
tratamentos paliativos, bem como enfermeiras da área
de oncologia e assistentes sociais. Os pacientes devem
ter acesso a aconselhamento a respeito de suas
necessidades psico-sociais, nutricionais e outras.
1 ENTRE 3 PESSOAS COM CÂNCER
     MORRERÁ DE CÂNCER!!!

1 DE CADA 3 CASOS DE CÂNCER PODE
 SER EVITADO PELA ALIMENTAÇÃO!!!
Na web

Esta aula e + referências:
http://www.slideshare.com
http://www.slideworld.org
Rory Sutherland: The paradox of small
details http://ht.ly/1Z2z9
William Li: Can we eat to starve cancer?
http://ht.ly/1Z3h5
Donaldson, 2004
http://www.nutritionj.com/content/3/1/19

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alimentos combatem cancer
Alimentos combatem cancerAlimentos combatem cancer
Alimentos combatem cancer
saugor
 
Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010
Dr. Benevenuto
 
Nutrição no idoso internado
Nutrição no idoso internadoNutrição no idoso internado
Nutrição no idoso internado
uhgeri
 
Vencendo a desnutrição
Vencendo a desnutriçãoVencendo a desnutrição
Vencendo a desnutrição
reginamarta1972
 
Desnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamentoDesnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamento
Hamilton Reis Reis
 

Mais procurados (20)

Alimentos combatem cancer
Alimentos combatem cancerAlimentos combatem cancer
Alimentos combatem cancer
 
A dieta vegetariana
A dieta vegetarianaA dieta vegetariana
A dieta vegetariana
 
Terapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerTerapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncer
 
Dietoterapia de pacientes oncológicos - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Dietoterapia de pacientes oncológicos - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.Dietoterapia de pacientes oncológicos - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Dietoterapia de pacientes oncológicos - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
 
Diabetes Tipo 1
Diabetes Tipo 1Diabetes Tipo 1
Diabetes Tipo 1
 
Desnutrição Avaliação Nutricional E Requerimentos Nutricionais
Desnutrição Avaliação Nutricional E Requerimentos NutricionaisDesnutrição Avaliação Nutricional E Requerimentos Nutricionais
Desnutrição Avaliação Nutricional E Requerimentos Nutricionais
 
A saúde e o saudável
A saúde e o saudávelA saúde e o saudável
A saúde e o saudável
 
Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010
 
Alimentos Funcionais
Alimentos FuncionaisAlimentos Funcionais
Alimentos Funcionais
 
Saúde do homem e câncer de próstata
Saúde do homem e câncer de próstataSaúde do homem e câncer de próstata
Saúde do homem e câncer de próstata
 
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultosGuia alimentar de dietas vegetarianas para adultos
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos
 
Alimentacao saudavel e dcnt
Alimentacao saudavel e dcntAlimentacao saudavel e dcnt
Alimentacao saudavel e dcnt
 
Nutrição no idoso internado
Nutrição no idoso internadoNutrição no idoso internado
Nutrição no idoso internado
 
Alimentação na Prevenção de Cálculos Renais - Orientação aos pacientes
Alimentação na Prevenção de  Cálculos Renais - Orientação  aos pacientesAlimentação na Prevenção de  Cálculos Renais - Orientação  aos pacientes
Alimentação na Prevenção de Cálculos Renais - Orientação aos pacientes
 
Cartilha Saúde do Homem - Plano SC Saúde
Cartilha Saúde do Homem - Plano SC SaúdeCartilha Saúde do Homem - Plano SC Saúde
Cartilha Saúde do Homem - Plano SC Saúde
 
Vencendo a desnutrição
Vencendo a desnutriçãoVencendo a desnutrição
Vencendo a desnutrição
 
Desnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamentoDesnutrição grave tratamento
Desnutrição grave tratamento
 
Ca1
Ca1Ca1
Ca1
 
Fitoesteróis e Colesterol
Fitoesteróis e ColesterolFitoesteróis e Colesterol
Fitoesteróis e Colesterol
 
Promoção da Saúde no Climatério
Promoção da Saúde no ClimatérioPromoção da Saúde no Climatério
Promoção da Saúde no Climatério
 

Semelhante a Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010

Dia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancroDia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancro
pief2
 
Aula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao Idoso
Aula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao IdosoAula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao Idoso
Aula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao Idoso
gerontopedia
 
Cartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdf
Cartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdfCartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdf
Cartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdf
maxion03
 
Aula Qualidade De Vida E Trabalho
Aula Qualidade De Vida E TrabalhoAula Qualidade De Vida E Trabalho
Aula Qualidade De Vida E Trabalho
pimpaojf
 

Semelhante a Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010 (20)

Dia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancroDia mundial da luta contra o cancro
Dia mundial da luta contra o cancro
 
Prevenção do câncer de colo uterino e mama e prevenção dos excessos de preven...
Prevenção do câncer de colo uterino e mama e prevenção dos excessos de preven...Prevenção do câncer de colo uterino e mama e prevenção dos excessos de preven...
Prevenção do câncer de colo uterino e mama e prevenção dos excessos de preven...
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
 
Cartilha Campanha Outubro Rosa 2014 - Câncer de Mama: é preciso falar disso
Cartilha Campanha Outubro Rosa 2014 - Câncer de Mama: é preciso falar dissoCartilha Campanha Outubro Rosa 2014 - Câncer de Mama: é preciso falar disso
Cartilha Campanha Outubro Rosa 2014 - Câncer de Mama: é preciso falar disso
 
Sinais e Sintomas do Câncer Infantil
Sinais e Sintomas do Câncer InfantilSinais e Sintomas do Câncer Infantil
Sinais e Sintomas do Câncer Infantil
 
Cartilha: Levantamento da Qualidade Nutricional de Cardápio Africano
Cartilha: Levantamento da Qualidade Nutricional de Cardápio AfricanoCartilha: Levantamento da Qualidade Nutricional de Cardápio Africano
Cartilha: Levantamento da Qualidade Nutricional de Cardápio Africano
 
Centro de prevenção
Centro de prevençãoCentro de prevenção
Centro de prevenção
 
ESF Pirinã G2 (2).pdf diabetes, hipertensão, ists, plantas medicinais e alime...
ESF Pirinã G2 (2).pdf diabetes, hipertensão, ists, plantas medicinais e alime...ESF Pirinã G2 (2).pdf diabetes, hipertensão, ists, plantas medicinais e alime...
ESF Pirinã G2 (2).pdf diabetes, hipertensão, ists, plantas medicinais e alime...
 
A obesidade
A obesidadeA obesidade
A obesidade
 
Aula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao Idoso
Aula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao IdosoAula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao Idoso
Aula 3 Prevenção e Promoção Assistência ao Idoso
 
"A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente" - Sobre o Oncoguia e ...
"A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente" - Sobre o Oncoguia e ..."A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente" - Sobre o Oncoguia e ...
"A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente" - Sobre o Oncoguia e ...
 
Palestra viver bem e melhor através dos hábitos saudáveis de vida vr junho ...
Palestra viver bem e melhor através dos hábitos saudáveis de vida   vr junho ...Palestra viver bem e melhor através dos hábitos saudáveis de vida   vr junho ...
Palestra viver bem e melhor através dos hábitos saudáveis de vida vr junho ...
 
ARTIGO SOBRE DOENÇAS LIGADA AO FIGADO.pdf
ARTIGO SOBRE DOENÇAS LIGADA AO FIGADO.pdfARTIGO SOBRE DOENÇAS LIGADA AO FIGADO.pdf
ARTIGO SOBRE DOENÇAS LIGADA AO FIGADO.pdf
 
Apresentação resumo atenção primaria a saude
Apresentação resumo atenção primaria a saudeApresentação resumo atenção primaria a saude
Apresentação resumo atenção primaria a saude
 
Cartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdf
Cartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdfCartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdf
Cartilha_câncer_de_mama_2023_8_ed.pdf
 
cartilha_cancer_de_mama_2022.pdf
cartilha_cancer_de_mama_2022.pdfcartilha_cancer_de_mama_2022.pdf
cartilha_cancer_de_mama_2022.pdf
 
Outubro Rosa - Emilia_Wilson.pptx
Outubro Rosa - Emilia_Wilson.pptxOutubro Rosa - Emilia_Wilson.pptx
Outubro Rosa - Emilia_Wilson.pptx
 
Reprodução e bioética
Reprodução e bioética Reprodução e bioética
Reprodução e bioética
 
Obesidade na infância
Obesidade na  infânciaObesidade na  infância
Obesidade na infância
 
Aula Qualidade De Vida E Trabalho
Aula Qualidade De Vida E TrabalhoAula Qualidade De Vida E Trabalho
Aula Qualidade De Vida E Trabalho
 

Mais de Carlos Frederico Pinto

Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pintoSobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
Carlos Frederico Pinto
 

Mais de Carlos Frederico Pinto (20)

O que é inovação em saúde?
O que é inovação em saúde?O que é inovação em saúde?
O que é inovação em saúde?
 
IOV no Lean Management Journal - UK
IOV no Lean Management Journal - UKIOV no Lean Management Journal - UK
IOV no Lean Management Journal - UK
 
Mentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Mentalidade Enxuta na Fornecedores HospitalaresMentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Mentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
 
Value Stream Mapping at HRVP case report
Value Stream Mapping at HRVP case reportValue Stream Mapping at HRVP case report
Value Stream Mapping at HRVP case report
 
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores PráticasCase Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
 
Case Presentation Eliminating waste and building capacity
Case Presentation Eliminating waste and building capacityCase Presentation Eliminating waste and building capacity
Case Presentation Eliminating waste and building capacity
 
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
 
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
 
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pintoSobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
 
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases  Moleculares Da OncologiaCarcinogenese e Bases  Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
 
Relato de Caso Lean IOV 2009
Relato de Caso  Lean IOV 2009Relato de Caso  Lean IOV 2009
Relato de Caso Lean IOV 2009
 
Liderança Lean
Liderança LeanLiderança Lean
Liderança Lean
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
 
Carcinoma Diferenciado De TiróIde 2008
Carcinoma  Diferenciado De TiróIde 2008Carcinoma  Diferenciado De TiróIde 2008
Carcinoma Diferenciado De TiróIde 2008
 
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
 
CâNcer De CabeçA E PescoçO VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
CâNcer De CabeçA E PescoçO  VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...CâNcer De CabeçA E PescoçO  VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
CâNcer De CabeçA E PescoçO VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
 
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo GrauRituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
 
Bh Abril 2006
Bh Abril 2006Bh Abril 2006
Bh Abril 2006
 
Nets 2008 Carlos F Pinto
Nets 2008 Carlos F PintoNets 2008 Carlos F Pinto
Nets 2008 Carlos F Pinto
 
Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Simposio 2006 Hrvp Ovario2Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Simposio 2006 Hrvp Ovario2
 

Último

relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (7)

Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 

Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010

  • 1. DECLARAÇÃO DE CONFLITO DE INTERESSES Carlos Frederico Pinto Honorários/Consultorias/Apoio Científico: Aventis, BMS, GSK, Lilly, Novartis, Pfizer, Roche, Sandoz. Pesquisa Clínica: BMS, Novartis, Amgen, Aventis. Ações Vínculo Empregatício: Nenhum
  • 2. O Continuum da Assistência e Nutrição em Oncologia Carlos Frederico Pinto Hospital Regional do Vale do Paraíba Instituto de Oncologia do Vale Apresentado no GANEPÃO 2010 - 17/06/2010 carlosfpinto@hotmail.com @carlosfpinto
  • 3. ou Educação Nutricional em Oncologia Por que isso é importante? Como abordar esse problema?
  • 5. Por que falar em educação dietética?
  • 6. Dieta e câncer Evidência sólida e crescente de que dieta inapropriada e/ou obesidade se relacionam com o aparecimento ou rediciva do câncer: Cólon e reto; Mama; Cabeça e pescoço; Bexiga; Útero; Próstata.
  • 7.
  • 8. Após 5 anos... 65 % dos adultos estarão vivos 79% das crianças estarão vivas Nelas 1/4 das mortes futuras estarão relacionadas à sequelas e toxicidades tardias Hoje são mais de 11 milhões de americanos.... + de 3,5% da população...
  • 9. O Continuum do Controle do Câncer PREVENÇÃO DETECÇÃO DIAGNÓSTICO TRATAMENTO SOBREVIVENTE Controle de Papanicolau Decisão Suporte e QoL Tabaco Mamografia informada e desenvolvi- Seguimento de Dieta Colonoscopia baseada em mento de risco Atividade Física evidências Serviços de Promoção de PSA Saúde e Exposição Pele Saúde Pesquisa solar Exposição Viral Dieta? Dieta? Dieta? Dieta? Uso de álcool Quimio- prevenção
  • 10. Porque falar do “continuum da assistência” A maior parte dos pacientes com câncer recebe um tratamento desintegrado, sem um plano terapêutico claro e sem intervenções educativas: Não há plano terapêutico; Não há acompanhamento planejado para os pacientes em seguimento; Não há orientação integrada sobre sua assistência e acompanhamento multiprofissional:
  • 11. Componentes do Cuidado IOM Coordenação Comunicação adequada entre pacientes, Oncologistas e outros provedores de saúde. “Lost in Transition” Planos de cuidados. IOM Report 2005. Sumários de tratamento. Prevenção e Seguimento Intervenções clínicas Detecção Precoce Acompanhamento de Relacionadas ao tratamento e/ou Promoção de comportamentos recidiva à doença saudáveis Controle de sintomas Atividade Física Efeitos colaterais tardios Suporte psicossocial Dieta adequada Manejo de seguros Cessação do Tabaco Reabilitação Proteção contra o Sol Empregabilidade Rastreamento Discriminação
  • 12. Status do paciente com câncer de cólon: A MAIOR PARTE DA VIDA DO PACIENTE É SEM TRATAMENTO MAS COM AS SEQUELAS, RISCOS E COMPLICAÇÕES ASSOCIADAS A ELE... ...SEM UM PLANO DE ASSISTÊNCIA ...SEM MANEJO PARA REDUÇÃO DOS RISCOS FUTUROS
  • 13. Plano Terapêutico Integrado e Seguimento Fisioterapia: atividade física (ANTES DO DIAGNÓSTICO, durante e após o tratamento) e reabilitação funcional; Nutrição: (ANTES DO DIAGNÓSTICO), durante e após o tratamento; Psicologia durante e na readaptação; Serviço Social: benefícios sociais e assistência familiar; Médico: oncologista, clínico geral e outros especialistas; Assistência espiritual.
  • 14.
  • 15. Redimensionando o cuidado
  • 17. ...e a era dos antiangiogênicos
  • 18. Rory Sutherland e o paradoxo dos detalhes... Coisas que custam muito dinheiro Consultoria Estratégicas Coisas que produzem grande impacto Triviais ? Veja em: http://www.ted.com
  • 19. Inibição tumoral por extrato de legumes!!!
  • 21.
  • 22. Alimentos com potencial antiangiogênico Chá verde Vinho tinto Pimentão Morango Soja Berinjela Blackberry Ginseng Atum Amora Matake Alho Blueberry Licorina Tomate Laranja Turmerina Óleo de oliva Limão Shitake Chocolate Maçã Artichoque negro Abacaxi Lavanda Linho/Linhaça Cereja Abóbora Outros
  • 23.
  • 24. Rory Sutherland e o paradoxo dos detalhes... As sociedades e os governos sofrem de uma espécie de “inveja newtoniana”: eles pretendem que o mundo seja um lugar onde o volume do investimento e o resultado da mudança sejam perfeitamente proporcionais: numa forma mecanicista de mundo perfeito, métrico e mensurável - onde todos gostaríamos de viver: o sucesso da sua empreitada é diretamente proporcional a quanto dinheiro você gastou...
  • 26. Câncer de cólon: frequência das refeições
  • 28. Câncer de cólon: Vitamina C
  • 29. Câncer de cólon: Vitamina C
  • 31. Câncer de cólon: Frutas e vegetais
  • 32. Câncer de cólon: Consumo de alho
  • 33. Câncer de cólon: Consumo de frutas e vegetais
  • 34. Câncer de cólon: Consumo de alho
  • 35. Câncer de cólon: Frutas e vegetais
  • 36. Câncer de cólon: Consumo de 2 porções de frutas e vegetais
  • 37. Câncer de cólon: Vegetais crus
  • 39. Câncer de cólon: Carne, frango e peixe
  • 40. Câncer de cólon: Carne vermelha
  • 43. Câncer de cólon: Carne vermelha e/ou processada
  • 46. Câncer de cólon: Destilados
  • 47. Câncer de cólon: Carne branca (peixe/frango)
  • 48. Câncer de cólon: Peixe e frango
  • 49. Câncer de cólon: Vitamina A
  • 50. Câncer de cólon: Gordura saturada
  • 52. O que toda essa informação significa? O Relatório Final é um documento gigantesco, com mais de 3000 páginas, sem incluir os artigos estudados... Gerar informações consistentes foi um trabalho hercúleo (veja o próximo slide).... Mas, na verdade, boa parte dos estudos não foi capaz de isolar uma única variável consistente o bastante... Estudos positivos podem estar observando resultados indiretos de outros hábitos de vida não necessariamente associados ao resultado encontrado. O mesmo vale para os estudos negativos... Por exemplo: sabemos que atividade física muda radicalmente a incidência de câncer.... Em quantos desses estudos isso foi investigado ???
  • 53. Ainda assim temos evidências... Publicado em 2007 WCRF/AICR Disponível on-line
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61. Há uma Dieta Anticâncer? Consumo calórico adequado, Relação equilibrada entre não excessivo; Omega 3 e Omega 6 que 10 ou mais porções por dia de inclua DHA; vegetais, incluindo crucíferas, Linhaça como fonte de alho e sucos de frutas; fitoestrógenos e Omega 6; Sem açúcar refinado; Selenium; Sem farinha refinada; Vitamina B12; Rica em antioxidantes e Acido fólico (de vegetais verde fitoquímicos de frutas e escuro) vegetais, incluindo α-caroteno, Exposição solar adequada ou β-caroteno, β-criptoxantina, suplemento de vitamina D Vitamina C (de alimentos), Rico em clorofila; vitamina E ( de alimentos); Probióticos; Baixa quantidade de gordura, Enzimas. mas com ácidos graxos essenciais; Donaldson, 2004
  • 62. Rory Sutherland e o paradoxo dos detalhes... Coisas que custam muito dinheiro Consultoria Estratégicas Coisas que produzem grande impacto Triviais ?
  • 63. Como usar essas “Minha intenção é adquirir todas essas informações? virtudes através do hábito. Eu não distrairia minha atenção tentando alcançar todas ao mesmo tempo; mas me fixaria em uma a 1. Temperança: não coma até o fastio, cada vez, e quando me tornasse um não beba à afetação. mestre nela, passaria à próxima e 2. Silêncio: fale apenas o que possa assim por diante. (...) e a conquista anterior beneficiar você ou o próximo; deve de alguma forma ajudar na próxima evite a conversa fútil. conquista. Dessa forma, as arranjei nessa sequência”. 3. Ordem: que todas as coisas tenham seu lugar; que cada parte de sua vida tenha seu tempo. 4. Resolutividade: Resolva e execute o que é devido; execute com perfeição o que for resolvido. 5. Frugalidade: não faça despesa que não seja para seu bem ou a de outros; não desperdice nada. 6. Produza: não perca tempo; sempre esteja a trabalho de algo útil; elimine todas as ações desnecessárias. Benjamin ... e outras 7 mais.... Franklin
  • 64. Componentes do Cuidado IOM Coordenação Comunicação adequada entre pacientes, Oncologistas e outros provedores de saúde. “Lost in Transition” Planos de cuidados. IOM Report 2005. Sumários de tratamento. Prevenção e Seguimento Intervenções clínicas Detecção Precoce Acompanhamento de Relacionadas ao tratamento e/ou Promoção de comportamentos recidiva à doença saudáveis Controle de sintomas Atividade Física Efeitos colaterais tardios Suporte psicossocial Dieta adequada Manejo de seguros Cessação do Tabaco Reabilitação Proteção contra o Sol Empregabilidade Rastreamento Discriminação
  • 65. 7. Tratamento Multidisciplinar de Câncer Um tratamento de câncer ideal deve ser fornecido por uma equipe que inclua, quando apropriado, especialidades médicas multidisciplinares, sendo composta de oncologistas médicos, oncologistas cirúrgicos, rádio-oncologistas e especialistas em tratamentos paliativos, bem como enfermeiras da área de oncologia e assistentes sociais. Os pacientes devem ter acesso a aconselhamento a respeito de suas necessidades psico-sociais, nutricionais e outras.
  • 66.
  • 67. 1 ENTRE 3 PESSOAS COM CÂNCER MORRERÁ DE CÂNCER!!! 1 DE CADA 3 CASOS DE CÂNCER PODE SER EVITADO PELA ALIMENTAÇÃO!!!
  • 68. Na web Esta aula e + referências: http://www.slideshare.com http://www.slideworld.org Rory Sutherland: The paradox of small details http://ht.ly/1Z2z9 William Li: Can we eat to starve cancer? http://ht.ly/1Z3h5 Donaldson, 2004 http://www.nutritionj.com/content/3/1/19