Educação On Line: “YouTube” como forma de educação do curso de
engenharia
OLIVEIRA, Carlos E.¹; SOUZA, Aline Aparecida ¹;
...
“§ 1 - A Educação a Distância organiza-se segundo metodologia, gestão e
avaliação peculiares, para as quais deverá estar p...
Normalmente, o que se deseja medir é o nível de concordância ou não concordância
à afirmação. Usualmente são usados cinco ...
1.

Distribuição das respostas ao questionário

7. Resultados da Pesquisa
Com base nas entrevistas foi avaliado que cerca ...
segundo 36% dos entrevistados, os professores ainda não utilizam este recurso
como auxilio para o aprendizados dos alunos....
segundo 36% dos entrevistados, os professores ainda não utilizam este recurso
como auxilio para o aprendizados dos alunos....
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educação on line you tube- como forma de educação do curso de engenharia-1

234 visualizações

Publicada em

Artigo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
234
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação on line you tube- como forma de educação do curso de engenharia-1

  1. 1. Educação On Line: “YouTube” como forma de educação do curso de engenharia OLIVEIRA, Carlos E.¹; SOUZA, Aline Aparecida ¹; BEZERRA, Sinaide Nunez ². Resumo: Com as crescentes demandas por agilidade a utilização das modalidades de ensino distancia vem aumentando cada vez mais. O facil acesso a intenet vem tornando o “YouTube” e outros sites dirigidos a estudantes de diversas áreas como uma nova ferramenta de estudo e aprendizado. Por meio de uma pesquisa qualitativa foi avaliado o índice de atratividade do ponto de vista dos discentes dos cursos de Engenharia Cívil, Engenharia da Automação e Engenharia Química do Centro Universitário Newton Paiva. Será apresentado um breve estudo do histórico da tecnológia de ensino a distância e como a ferramenta de vídeos pela internet foi difundida e sua contribuição para o aprendizado no meio acadêmico. Palavras-chave: Ensino a distância, You Tube, internet, aprendizado e meio acadêmico. 1. Introdução A utilização das novas mídias vem modificando o cotidiano acadêmico, a implementação e a utilização da internet e sites como o “YouTube” como recurso de aprendizado é uma demonstração desta nova tendência. O site www.youtube.com surgiu como ferramenta de interatividade, porém hoje demonstra grande potencial para expor recursos didáticos como, vídeo-aulas, exercícios práticos, seminários e tele-curso A utilização e a aceitação desta ferramenta será avalida a partir de uma pesquisa quantitaitiva entre os alunos dos cursos de Engenharia Cívil, Engenharia da Automação e Engenharia Química do Centro Universitario Newton Paiva campus Buritis da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. Será apresentado ainda um breve histórico da educação a distância no Brasil e o histórico do site You Tube visando o entendimentoe da difusão destes canais e como deu-se a evolução destes meios de proliferação de conhecimento. 2. Educação a distância no Brasil O conceito de Educação a Distância (EAD) no Brasil vem de longa data, tendo seu primeiro registro conhecido em 1904, e a partir de tal data surgiu uma série de outras atividades nessa modalidade. Atualmente o Decreto de lei nº 5.622 de 19 de dezembro de 2005, define a Educação a Distancia: “Art. 1º- Para os fins deste Decreto, caracteriza-se a Educação a Distância como modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnológias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos.” Essa definição da Educação a Distância complementa-se com o primeiro parágrafo do mesmo artigo, onde é ressaltado que esta deve ter obrigatoriamente momentos presenciais, como descrito no trecho a seguir: ¹ Discentes dos cursos de Engenharia da Automação e Química no Centro Universitário Newton Paiva – Unidade Buritis em Belo Horizonte-Minas Gerais. ² Docente da disciplina de Cálculo Numérico no Centro Universitário Newton Paiva – Unidade Buritis em Belo Horizonte Minas Gerais.
  2. 2. “§ 1 - A Educação a Distância organiza-se segundo metodologia, gestão e avaliação peculiares, para as quais deverá estar prevista a obrigatoriedade de momentos presenciais para: I –avaliações de estudantes; II –estágios obrigatórios, quando previstos na legislação pertinente; III –defesa de trabalhos de conclusão de curso, quando previstos na legislação pertinente e IV –atividades relacionadas a laboratórios de ensino, quando for o caso.” 3. Breve história sobre o surgimento do You Tube O “YouTube” que foi fundado por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim, que eram empregados da empresa PayPal (empresa de vendas pela internet). Antes de trabalhar na “PayPal”, Hurley estudou design na Indiana University of Pennsylvania, e Chen e Karim estudaram ciência da computação juntos na University of Illinois at Urbana-Champaign (Estados Unidos). O domínio "YouTube.com" foi ativado em 15 de fevereiro de 2005 e o site foi desenvolvido nos meses seguintes. Os criadores do site ofereceram uma prévia do site ao público em Maio de 2005, seis meses antes do lançamento oficial. Em 9 de outubro de 2006, foi anunciado que a companhia seria comprada pelo grupo Google por 1,65 bilhão de dólares em ações. O negócio entre Google e “You Tube” veio depois que o “You Tube” apresentou três acordos com empresas de comunicação em uma tentativa de evitar processos sobre infração de direitos autorais. O “You Tube” continuou operando independentemente, com seus cofundadores e 67 empregados trabalhando dentro da empresa. A aquisição do YouTube foi fechada em 13 de Novembro, e foi na época a segunda maior aquisição do Google. 4. Vantagens dos videos educacionais disponiveis na internet A crescente busca de videos com conteudos educacionais na internet denonstra uma das vantagens nas utilização do “YouTube” como ferramenta de ensino, porém o processo de aprendizagem pode não ser satisfatório. O uso de novas tecnologias em projetos EAD e mesmo presenciais não altera os modelos de ensino-aprendizagem, pois carrega velhas concepções pedagógicas (Andrade, 2007). Apesar de todas as oportunidades oferecidas pela tecnologia, o uso do vídeo não adianta nada sem uma boa estrutura pedagógica (Moran, 1995). As tecnologias necessitam de outro elemento que as completem. E Valle (2003) acredita que esse elemento é o professor. Ele é o elemento de mudança. Ele necessita se preparar para assumir o papel de protagonista (Carneiro, 2001). 5. Informações sobre a escala de classificação Likert A escala Likert ou escala de Likert é uma escala de resposta psicométrica usada habitualmente em questionários, e é a escala mais usada em pesquisas de opinião. Ao responderem a um questionário baseado nesta escala, os perguntados especificam seu nível de concordância com uma afirmação.
  3. 3. Normalmente, o que se deseja medir é o nível de concordância ou não concordância à afirmação. Usualmente são usados cinco níveis de respostas, sendo que alguns pesquisadores preferem usar sete ou mesmo nove níveis. O formato típico de um item Likert é: 1. 2. 3. 4. 5. Não concordo totalmente Não concordo parcialmente Indiferente Concordo parcialmente Concordo totalmente A escala de Likert é bipolar, medindo ou uma resposta positiva ou negativa a uma afirmação. Às vezes são usados quatro itens, o que força o sujeito pesquisado a uma escolha positiva ou negativa, uma vez que a opção central "Indiferente" não existe. Escalas de Likert podem estar sujeitas a distorções por diversas causas. Sujeitos perguntados podem evitar o uso de respostas extremas, concordar com afirmações apresentadas ou tentar mostrar a si ou a suas empresas/organizações de um modo mais favorável. O desenho da escala com respostas mais balanceadas pode resolver a questão dos desvios por aceitação às afirmações, mas as outras duas questões são mais problemáticas. Após o questionário ter sido totalmente respondido, cada item pode ser analisado separadamente ou, em alguns casos, as respostas dadas podem ser somadas para criar um resultado por grupo de itens. 6. Pesquisa com discentes de engenharia em automação Foi realizada uma pesquisa com os discentes dos cursos de Engenharia Cívil, Engenharia da Automação e Engenharia Química do Centro Universitário Newton Paiva, sendo 126 entrevistasnos quais 86% do sexo masculino e 14% feminino entre 19 e 35 anos. O questionário aplicado abordou questões refereantes a aplicação do “YouTube” como ferramenta de ensino mediante a escala de Likert para avaliar o nível de concordância com as afirmações propostas, sendo estas: 1 – O “You Tube” é uma ferramenta para o aprendizado das disciplinas que estudas na faculdade. 2 - Os vídeos explicativos são uma boa alternativa para melhoria dos estudos. 3 – É importante que seus professores disponibilizem ou indiquem vídeos sobre os conteúdos estudados na faculdade. 4 – A busca por novos vídeos referentes às disciplinas vistas em sala de aula é uma atividade cotidiana. 5 – No caso de duvidas com relação às disciplinas vistas em sala o “YouTube” é uma opção para busca de novas explicações. 6 – As explicações obtidas nos vídeos disponibilizados no “YouTube” são satisfatórias. Para as respostas foi utilizada a escala Likert como base para avaliar o nível de aceitação e aplicação dos vídeos como auxilio no ensino superior obtivemos os dados descritos nos gráfico a seguir:
  4. 4. 1. Distribuição das respostas ao questionário 7. Resultados da Pesquisa Com base nas entrevistas foi avaliado que cerca de 78% dos entrevistados concordam que a aplicação do “YouTube” é uma ferramenta considerável para o ensino superior e 96% que é uma boa ferramenta de aprendizado. Conforme os resultados 64% dos entrevistados acham que os professores deveriam disponibilizar ou indicar videos dos conteúdos aplicados visando melhorar seu aprendizado e apenas 45%, menos da metade dos entrevistados, concordam que buscar videos das disciplinas aplicadas seria uma atividade cotidiana demonstrando ainda uma certa relutância na utilização deste recurso. E por fim 81% dos entrevistados concordam que para sanar duvidas o “YouTube” é uma maneira eficiente de se encontrar explicações referentes aos conteúdos aplicados em sala. Tabela dos resultados obtidos com amostral de 126 entrevistados Questão Concordam Totalmente % Concordam Parcialmente % Indiferentes % Não Concordam Parcialmente % Não Concordam Totalmente % 1 2 3 4 5 6 27 36 51 15 45 12 21% 29% 40% 12% 36% 10% 72 84 30 42 57 90 57% 67% 24% 33% 45% 71% 24 6 30 24 15 6 19% 5% 24% 19% 12% 5% 3 0 12 36 9 9 2% 0% 10% 29% 7% 7% 0 0 3 9 0 9 0% 0% 2% 7% 0% 7% 8. Considerações finais Segundo a pesquisa e conforme avaliado pelo histórico o crescimento e atratividade do ensino com ferramenta de mídia on line é de grande atratividade, tal recurso apresentou um nível de aceitação considerável sendo que mais de 60% dos entrevistados concordam plenamente que a ferramenta é de grande valor ao ensino. Para o amostral percebeu-se que o sexo masculino possui maior interesse e que a faixa etária de 21±3 anos é a que mais se interassa ao mencionar o “YouTube” como forma de ensino. Pelo histórico e dados coletados percebe-se que o uso de videos para ensino tornase uma premissa certa e que segundo seu histórico tem crescimento certo somando um esforço na busca do saber para os discentes, porém não anulando a necessidade do tutor e suas respectivas orientações e exclarescimento, visto que
  5. 5. segundo 36% dos entrevistados, os professores ainda não utilizam este recurso como auxilio para o aprendizados dos alunos. REFERÊNCIAS LIKERT, Rensis (1932), "A Technique for the Measurement of Attitudes", Archives of Psychology 140: pp. 1-55 BERNARDO, V. Educação a distância: fundamen-tos. Universidade Federal de São Paulo UNIFESP. Disponível em: <http://www.virtual.epm.br/material/tis/enf/apostila.htm# INTRODUÇÃO>. Acesso em: 28 dez. 2009. BRASIL. Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o artigo 80 da Lei no9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretri-zes e bases da educação nacional.Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 20 dez. 2005. Disponível em:<http://www.planal-to.gov.br/ccivil_03/_Ato20042006/2005/Decreto/D5622.htm>. Acesso em: 25 jan. 2010. MARCONCIN, M. A. Desenvolvimento histórico da Educação a Distância no Brasil. Disponível em: <http://www.followscience.com/account/blog/article/106/desenvolvimento-historico-da-educacao-a--distancia-no-brasil>. Acesso em: 10 maio 2010. ALEXANDRE, J. W. C.; ANDRADE. D. F.; VASCONCELOS,A. P. & ARAUJO. A. M. S. (2002a) - Uma proposta de análise de um construto para a medição dos fatores críticos da gestão pela qualidade através da teoria da resposta ao item. Revista gestão & produção, v.9, n.2, p. 129-141. Histórico do You tube. Acesso ao site: http://pt.wikipedia.org/wiki/YouTube em 12 de abril de 2013. Legislação da Educação a Distância. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php? option=com_content&view=article&id=12778%3Alegislacao-de-educacao-adistancia&catid=193%3Aseed-educacao-a-distancia&Itemid=865>. Acesso em 12 de abril de 2013.
  6. 6. segundo 36% dos entrevistados, os professores ainda não utilizam este recurso como auxilio para o aprendizados dos alunos. REFERÊNCIAS LIKERT, Rensis (1932), "A Technique for the Measurement of Attitudes", Archives of Psychology 140: pp. 1-55 BERNARDO, V. Educação a distância: fundamen-tos. Universidade Federal de São Paulo UNIFESP. Disponível em: <http://www.virtual.epm.br/material/tis/enf/apostila.htm# INTRODUÇÃO>. Acesso em: 28 dez. 2009. BRASIL. Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o artigo 80 da Lei no9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretri-zes e bases da educação nacional.Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 20 dez. 2005. Disponível em:<http://www.planal-to.gov.br/ccivil_03/_Ato20042006/2005/Decreto/D5622.htm>. Acesso em: 25 jan. 2010. MARCONCIN, M. A. Desenvolvimento histórico da Educação a Distância no Brasil. Disponível em: <http://www.followscience.com/account/blog/article/106/desenvolvimento-historico-da-educacao-a--distancia-no-brasil>. Acesso em: 10 maio 2010. ALEXANDRE, J. W. C.; ANDRADE. D. F.; VASCONCELOS,A. P. & ARAUJO. A. M. S. (2002a) - Uma proposta de análise de um construto para a medição dos fatores críticos da gestão pela qualidade através da teoria da resposta ao item. Revista gestão & produção, v.9, n.2, p. 129-141. Histórico do You tube. Acesso ao site: http://pt.wikipedia.org/wiki/YouTube em 12 de abril de 2013. Legislação da Educação a Distância. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php? option=com_content&view=article&id=12778%3Alegislacao-de-educacao-adistancia&catid=193%3Aseed-educacao-a-distancia&Itemid=865>. Acesso em 12 de abril de 2013.

×