Cultura da Internet (Castells)

9.217 visualizações

Publicada em

Aula de Carlos d'Andréa na disciplina Cibercultura (UFV/2001-1)

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.217
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.048
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
112
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura da Internet (Castells)

  1. 1. A Cultura da Internet, por M. CastellsCASTELLS, Manuel. A Galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. Carlos dAndréa - disciplina “Cibercultura” (2012/1)
  2. 2. Manuel Castells Sociólogo espanhol (nascido em 1942) Professor da University of Southern California (USC) Autor da trilogia “A Era da Informação”, uma das mais importantes pesquisas sobre a sociedade atual. Antes, estudava Sociologia Urbana.Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  3. 3. Manuel Castells Livro “A Galáxia da Internet” é uma referência à obra de Mcluhan (“A Galáxia de Gutemberg”) Posiciona-se contra “profecias futurológicas ou distopias críticas”. “Você não encontrará nenhuma previsão sobre o futuro (…) também nenhuma advertência moral ” (p.9)Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  4. 4. Manuel Castells Idéia central “A Internet é – e será ainda mais – o meio decomunicação e de relação essencial sobre o qual se baseia uma nova forma de sociedade que nós já vivemos – (...) Sociedade em Rede” É reconhecida como uma “tecnologia genérica” (CARR, 2008), portanto. Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  5. 5. A cultura da internet “A cultura da internet é a cultura dos criadores da internet” Surgiu da interação entre ciência, pesquisa universitária, pesquisa militar e contracultura libertáriaQuatro camadas: cultura tecnomeritocrátrica, cultura hacker, cultura comunitária virtual e cultura empresarial Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  6. 6. Arpanet - 1971Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  7. 7. História da internet - Financiamento militar, mas uso acadêmico. - a internet não é um projeto empresarial (não tem “dono” ou “inventor”)- arquitetura informática aberta e de livre acesso (ex.: protocolo TCP/IP, que permite que todos conectados comuniquem-se entre si).- desenvolvida pelos próprios usuários, em cooperação internacional. Ex.: E-mail (1971) Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  8. 8. Cultura tecnomeritocrátrica Baseada na academia e na ciência, herdeira do Iluminismo Características: - Foco na inovação (descoberta tecnológica)- Relevância é determinada pelos pares (reputação) a partir da contribuição para o campo - Coordenação de tarefas por uma autoridade Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  9. 9. Cultura tecnomeritocrátrica Características:- Obediências às normas formais e informais: vantagem pessoal sem detrimento do coletivo - Colaboração em rede(inclusive em função da abertura do software) Exemplo: Tim Berners Lee e a World Wide Web, a interface gráfica da internet Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  10. 10. Cultura hacker O que é um hacker? E um cracker?Inovação através da cooperação e comunicação livre Duas características:- autonomia dos projetos em relação às instituições - interconexão como base material da autonomia Fazem a ponte entre a cultura tecnomeritocrática e cultura empresarial Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  11. 11. Cultura hacker Ética hacker: como pode dar certo? Meta de excelência no desempenho e na tecnologia Valor supremo: liberdadeEconomia da doação (ou dádiva): prestígio, reputação e estima social são moedas de troca “Há na cultura hacker um sentimento comunitário, baseado na integração ativa a uma comunidade, que se estrutura em torno de costumes e princípios de organização informal” (p.43) Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  12. 12. Cultura hacker Exemplos: Movimento do software livre GNU/Linux e a “Lei de Linus” Onda de ataques no início de 2012 Exemplo editorial: WikipédiaNo Brasil: política de cultura digital do Minc Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  13. 13. Comunidades virtuaisSua consolidação está ligada à popularização da internet junto aos leigos (não-técnicos) Influência direta dos movimentos contraculturais dos anos 1960 Duas características fundamentais (p.48): - “valor da comunicação livre, horizontal” - “formação autônoma de redes” Individualismo em rede Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  14. 14. Comunidades virtuais Barry Wellman:“Comunidades são redes de laços interpessoais que proporcionam sociabilidade, apoio, informação, um senso de integração e identidade social” (p.108). “As comunidades virtuais são os agregados sociais surgidos na Rede, quando os intervenientes de um debate o levam por diante em número e sentimento suficientes para formarem teias de relações pessoais no ciberespaço” (RHEINGOLD,1996, p.18) Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  15. 15. Cultura empresarial Vale do Silício, Califórina, anos 1990Internet com base da “nova economia”: bens intangíveis, serviços, trabalho em rede etc Inovação (e não o capital ou a matéria-prima) como força propulsoraStart ups alavancadas por pelo “capital de risco” e pela oferta pública de ações (IPO). Início dos anos 2000: Bolha da internet Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  16. 16. Cultura empresarial Cultura do dinheiro: gratificação imediata“É uma cultura em que a soma de dinheiro a ganhar e a velocidade em que isso ocorrerá são os valores supremos” (p.90). O fenômeno Facebook Comportamento: “mundo de pessoas solteiras, sem tempo para encontrar um companheiro compatível, apenas corpos disponíveis ocasionalmente” (p.52) Individualismo é a regra Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com
  17. 17. Em síntese... “A cultura da internet é uma cultura feita de uma crença tecnocrática no progresso dos seres humanos através da tecnologia, levado a cabo por comunidades de hackers que prosperam na criatividade tecnológica livre e aberta, incrustada emredes virtuais que pretendem reinventar a sociedade, e materializada por empresários movidos a dinheiro na nova economia” (p.59) Cibercultura – Carlos dAndréa - www.carlosdand.com

×