1930 -  Clique para continuar
 
Foi diretor general de Radio Ragamuffin, director, produtor e apresentador da antiga TV Piratini; comentarista na TV Difus...
Atualmente continua  exercendo sua profissão com a inserção de colunas diárias nos jornais do  Grupo Editorial Sinos.  Nas...
 
 
Desejo primeiro, que você ame, e que amando, também seja amado.  E que se não for, seja breve em esquecer  e esquecendo nã...
Desejo também que tenha amigos,  que mesmo maus e inconseqüentes,  sejam corajosos e fiéis, e que em pelo menos  num deles...
E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos;  Nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algu...
Desejo depois que você seja útil,  mas não insubstituível.  E que nos maus momentos,  quando não restar mais nada,  essa u...
Desejo ainda que você seja tolerante;  não com os que erram pouco, porque isso é fácil,  mas com os que erram muito e irre...
Desejo que você sendo jovem não amadureça depressa demais, e que sendo maduro, não insista em rejuvenescer  e que sendo ve...
Desejo por sinal que você seja triste;  não o ano todo, mas apenas um dia.  Mas que nesse dia descubra que o riso diário é...
Desejo que você descubra,  com o máximo de urgência,  acima e a despeito de tudo,  que existem oprimidos,  injustiçados e ...
Desejo ainda que você afague um gato,  alimente um cuco e ouça o João-de-barro  erguer triunfante o seu canto matinal;  po...
Desejo também que você plante uma semente,  por mais minúscula que seja,  e acompanhe o seu crescimento,  para que você sa...
Desejo outrossim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático.  E que pelo menos uma vez por ano  coloque um pou...
Desejo também  que nenhum dos seus afetos morra,  por ele e por você, mas que se morrer, você possa chorar  sem se lamenta...
Desejo por fim que  você sendo um homem, tenha uma boa mulher,  e que sendo uma mulher, tenha um bom homem  e que se amem ...
E se tudo isso acontecer,  não tenho nada mais a te desejar.
Criação original de Alberto L.G . (Dado não confirmado) onde este poema foi atribuído a Victor Hugo. Música: Chopin  - Val...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Os Votos [reivindicação para Sérgio Jockymann, em português] (por: carlitosrangel) - NO es de Victor Hugo

1.892 visualizações

Publicada em

(Maio.2010) Formoso poema do jornalista, romancista, poeta e dramaturgo brasileiro Sérgio Jockymann, erroneamente atribuído a Victor Hugo, sob o título "desejo".
Edição de reivindicação: Carlos Rangel

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Os Votos [reivindicação para Sérgio Jockymann, em português] (por: carlitosrangel) - NO es de Victor Hugo

  1. 1. 1930 - Clique para continuar
  2. 3. Foi diretor general de Radio Ragamuffin, director, produtor e apresentador da antiga TV Piratini; comentarista na TV Difusora (atual Banda RS) y TV Gaúcha (atual RBS). No final dos anos 80, depois de trabalhar como escritor de telenovelas e séries de televisão, fundou e editou o Jornal RS, Porto Alegre. Quando a RV Guaíba foi à falência, Sergio Jockymann assumiu as rédeas da emissora temporariamente e durante esse tempo e criou muitas atracções locais. Ele também criou e dirigiu O Tempo e A Hora da Grande Rio, entrevistas com José Fontela.
  3. 4. Atualmente continua exercendo sua profissão com a inserção de colunas diárias nos jornais do Grupo Editorial Sinos. Nas eleições de 1988 foi candidato derrotado à prefeitura de Porto Alegre pelo Partido Liberal. Autor de inúmeras obras, desde 1957, já recebeu prêmios importantes em poesia, conto e romance, tanto a qualidade literária como se o sucesso em vendas. Em 1980, sua peça teatral Spiros Stragos foi publicada pelo Ministério da Educação e Cultura e obteve o 2º lugar no IX Congresso Nacional de Dramaturgia.
  4. 7. Desejo primeiro, que você ame, e que amando, também seja amado. E que se não for, seja breve em esquecer e esquecendo não guarde magoa. Desejo pois, que não seja assim, mas se for, saiba ser sem desesperar.
  5. 8. Desejo também que tenha amigos, que mesmo maus e inconseqüentes, sejam corajosos e fiéis, e que em pelo menos num deles você possa confiar sem duvidar,
  6. 9. E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos; Nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas. E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiado seguro.
  7. 10. Desejo depois que você seja útil, mas não insubstituível. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
  8. 11. Desejo ainda que você seja tolerante; não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente, e que fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.
  9. 12. Desejo que você sendo jovem não amadureça depressa demais, e que sendo maduro, não insista em rejuvenescer e que sendo velho não se dedique ao desespero. Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e é preciso deixar que eles escorram por entre nós.
  10. 13. Desejo por sinal que você seja triste; não o ano todo, mas apenas um dia. Mas que nesse dia descubra que o riso diário é bom; o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
  11. 14. Desejo que você descubra, com o máximo de urgência, acima e a despeito de tudo, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
  12. 15. Desejo ainda que você afague um gato, alimente um cuco e ouça o João-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal; porque assim, você se sentirá bem por nada.
  13. 16. Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.
  14. 17. Desejo outrossim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga "Isso é meu", só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
  15. 18. Desejo também que nenhum dos seus afetos morra, por ele e por você, mas que se morrer, você possa chorar sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
  16. 19. Desejo por fim que você sendo um homem, tenha uma boa mulher, e que sendo uma mulher, tenha um bom homem e que se amem hoje, amanhã e no dia seguinte, e quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor para recomeçar.
  17. 20. E se tudo isso acontecer, não tenho nada mais a te desejar.
  18. 21. Criação original de Alberto L.G . (Dado não confirmado) onde este poema foi atribuído a Victor Hugo. Música: Chopin - Vals op.69 n.1 Primeira reedição gráfica com integração de dados biográficos de Victor Hugo cortesia de Carlos Rangel, Junho de 2008 com o reconhecimento a seu autor original. Nova edição da recuperação com dados de Sergio Jockymann extraídos da rede cortesia de Carlos Rangel Obrigado por respeitar sem alterar Santiago de Querétaro, Mex. May.2010 [email_address] http://www.slideshare.net/carlitosrangel/

×