Mammalia

4.661 visualizações

Publicada em

Seminário Sobre Classe Mammalia, apresentado a disciplina de Zoologia dos Cordados à Universidade Estadual do Ceará, Licenciatura plena em Ciências Biológicas

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.661
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
187
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mammalia

  1. 1. Universidade Estadual do Ceará UECECentro de Educação Ciências e Tecnologia dos Inhamuns CECITEC Ciências Biológicas Zoologia de Cordados Ana Célia de Sousa José Carlos Rodrigues de Matos Rutielle Clarentino da Silva
  2. 2. CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICADomínio • Eukaria Reino • Animalia Filo • Chordata Subfilo • Vertebrata Superclasse • Tetrapoda Classe • Mammalia Ordens Famílias Gêneros
  3. 3. CARACTERÍSTICAS GERAIS• OS MAMÍFEROS SURGIRAM A PARTIR DE UM GRUPO DE RÉPTEIS PRIMITIVOS. CONSTITUEM O GRUPO MAIS EVOLUÍDO DE ANIMAIS.• A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DO GRUPO É A OCORRÊNCIA DE GLÂNDULAS MAMÁRIAS NAS FÊMEAS, QUE PRODUZEM LEITE DESTINADO À NUTRIÇÃO DE SUA PROLE.
  4. 4. É FORMADA POR ANIMAIS QUE POSSUEM GLÂNDULAS (MAMÁRIAS E SUDORÍPARAS).O cuidado a prole é mais desenvolvido nesta classe, principalmente na espécie humana.Vivem em todas as espécies de habitats, desde as regiões polares aos trópicos e desdeo mar até as florestas mais densas e os desertos mais secos. Muitos têm hábitos de seesconder ou são noturnos e raramente vistos, porém juntamente com os artrópodesdominam os habitats terrestres.
  5. 5. Apresentam o corpo coberto de pelos, que é umacaracterística exclusiva dos mamíferos. Os pelosapresentam nos mamíferos a mesma função das penasdas aves, ou seja, auxiliam na manutenção datemperatura corporal.
  6. 6. PÊLO• Crescem da PAPILA DO PÊLO situada no folículo piloso – implantado na pele e forrado pela epiderme;• Folículo ligado a glândula sebácea - situam-se obliquamente na pele e prende-se ao músculo erector.
  7. 7. • Crânio ⇨ 2 Côndilos occipitais e palato secundário;• abertura ouvido externo – pavilhão externo;• coluna vertebral com 5 regiões:
  8. 8. • 4 membros (reduzidos ou ausentes) ; pés com artelhos com garras, unhas ou cascos;• VISÃO, AUDIÇÃO E OLFATO – altamente desenvolvidos
  9. 9. DENTES• Fixam-se em alvéolos;• Dentes são especializados na forma e função – adaptados ao tipo de alimentação do animal;• Dentição uniforme nos répteis ⇨ homodonte• Mamíferos dentição diferenciada ⇨ heterodonte• 4 TIPOS DE DENTES: incisivos, caninos, premolares e molares• Não repõem dente durante toda vida.
  10. 10. Roedor PastadorFrugívoros Onívoros Piscívoros e Insetívoros Comedores plâncton
  11. 11. APARELHO CIRCULATÓRIO• CORAÇÃO formado por 4 câmaras ⇛ 2 átrios e 2 ventrículos• Átrio direito separado ventrículo direito ⇛ válvula tricúspide• Átrio esquerdo separado ventrículo esquerdo ⇛ válvula bicúspide ou mitral.• Eritrócitos dos mamíferos não têm núcleo.
  12. 12. APARELHO RESPIRATÓRIO• Ar  entra pela NARINAS  faringe  glote  laringe  traquéia  brônquios Rã primários e secundários  bronquíolos  alvéolos Salamandra Lagarto circundados por capilares sangüíneos ⇛ onde ocorrem as trocas gasosas• Pulmão revestido pela pleura Aves Mamífero
  13. 13. SISTEMA UROGENITAL• 2 rins  ducto ureter bexiga com paredes musculares que voluntariamente contraídas forçam a saída da urina através da uretra.• Eliminação de resíduos nitrogenados – uréia
  14. 14. AVANÇOS EVOLUTIVOSEssa combinação de fatores evolutivos peculiar aos mamíferos os tornou altamentesucedidos em todos os habitats.
  15. 15. ESTRUTURA DOS MAMÍFEROS
  16. 16. CARACTERES EXTERNOSAs muitas espécies de mamíferos diferem em tamanho, forma, proporções, natureza dapelagem e cor. Espécies que correm rapidamente têm corpo estreito e pernas longas,espécies grandes e sedentárias são pesadas em todos os aspectos, baleias, focas eoutras que nadam têm corpo fusiforme.• A cabeça dos mamíferos é proporcionalmente grande, por causa do maior tamanho do encéfalo.• Os olhos de roedores e de outros herbívoros são laterais (para perceber os inimigos dos dois lados); os de primatas, morcegos e carnívoros são dirigidos para frente permitindo visão binocular, importante para a percepção de profundidade.• Os ouvidos externos são grandes e móveis em veados, cavalos e lebres que pastam, reduzidos nos esquilos-do-chão e GEOMYIDAE que cavam e pequenos ou ausentes em focas e outros mamíferos que nadam.
  17. 17. • O pescoço é longo em veados, cavalos e girafas, mas curto em tipos cavadores e não evidente em baleias.• O tronco é cilíndrico nas ágeis doninhas, em forma de barril nos pesados elefantes, em forma de barco nas baleias, comprimidos em veados e outras espécies de corredores rápidos e achatado em Citellus e toupeiras cavadores.• A cauda dos mamíferos tem forma variada e serve para vários usos – é eriçada e serve como “espanta-moscas” nos mamíferos ungulados, é forte para sustentação e equilíbrio nos cangurus, é achatada como remo em baleias, castores e ratos- almiscarados e preênsil para segurar, nos gambás e em alguns macacos.
  18. 18. • As pernas são delgadas e afiladas nos ágeis veados e antílopes, enormes e em forma de toco em elefantes e hipopótamos, curtas e com palmouras grandes nas toupeiras cavadoras e semelhantes a remos nas focas e baleias. Cangurus, gerbos e ratos-cangurus têm pernas posteriores, pés e cauda longos, que servem para seus saltos. Morcegos têm membros anteriores e dedos longos e delicados para sustentar seus patágios ou asas finas. Outros mamíferos “voadores” – esquilos, lêmures e marsupiais – têm pernas normais com expansões laterais da pele ao longo do corpo, com as quais conseguem descer planando de um ponto alto.
  19. 19. O pé de mamíferos termina tipicamente em cinco artelhos, daí ohomem e outros primatas serem tipos generalizados.Estreitamento do pé e redução do número de artelhos ocorreparticularmente em mamíferos corredores, sendo o cavalo umcaso extremo. Bois, carneiros e veados têm “casco fendido”, oterceiro e o quarto artelhos persistem e o segundo e o quintoaparecem como pequenos cascos rudimentares vestigiais.
  20. 20. TEGUMENTO• A pele produz pelo e varias estruturas córneas ou cornificadas e contém muitas glândulas. Onde está sujeita a uso constante, forma um denso revestimento córneo como as calosidades das palmas da mão e das solas dos pés humanas e as almofadas dos pés dos ursos, camundongos etc.• A pelagem ou revestimento de pelos varia em comprimento, densidade, textura e cor nas diferentes espécies. É mais densa em mamíferos árticos, mas fina e curta em espécies tropicais. Sobre nariz e olhos existem vibrissas sensitivas, com a base de cada pelo circuncidada por fibras nervosas sensitivas.
  21. 21. GLÂNDULAS1. Sebáceas2. Odoríferas de vários tipos3. Mamárias4. Sudoríparas no cavalo e homem5. LacrimaisMarcar território individual ou trilha por pistas odoríferas.Aproximar os sexos para reprodução.DefesaSecreção para resfriar o corpoAlimentação
  22. 22. DENTESOs dentes de mamíferos diferem dos da maioria dos vertebrados inferiores na forma efunção; em cada ordem de mamíferos são especializados para a espécie de alimentousado.
  23. 23. TRATO DIGESTIVOO intestino é curto nas espécies que consomem alimento concentrado, como insetos oucarne, mas longo nos roedores e ungulados nos que comem capim ou vegetação defolhas. Em bois, veados, antílopes, camelos etc., os ruminantes possuem um ceco queoferece espaço adicional para o alimento.
  24. 24. HISTÓRIA NATURAL DISTRIBUIÇÃOOs mamíferos abrigam praticamente todas as partes do mundo – terra, água e ar. Diversosmamíferos vivem em diferentes altitudes desde o nível do mar até altas montanhas. Cadaespécie têm distribuição geográfica e ecológica definida. A limitação do habitat pode serestreita, como para o castor que requer a casca de árvores de folhas largas como alimentoe água doce calma para abrigo, ou mais larga, como para os ratos que se acomodam emdiversos ambientes.
  25. 25. POPULAÇÕESMuitos são noturnos ou vivem escondidose assim escapam de serem notados pelohomem e diversos predadores, ouutilizam-se da noite para caçar animaisdiurnos que se tornam presas fáceis.
  26. 26. A densidade das populações varia de acordo com o abrigo ealimento disponíveis. Pequenos camundongos podem alcançar de125 a 250 por hectare e veados americanos precisam de 4 a 16hectares por animal e urso preto até a área de aproximadamente 100KM² para cada indivíduo. Em diversas espécies a população é constante a não ser queseja modificada por seca, inundação, escassez de alimento,interferência humana ou similares.
  27. 27. NINHOS E ABRIGOSMuitas espécies usam abrigos onde descansam, dormem, evitaminclemências do clima e criam suas proles.Ex.: fendas entre rochas, oco de árvores, cavernas, árvores, túneis eetc.
  28. 28. ALIMENTAÇÃOUngulados e a maioria dos roedores transformam primariamente vegetais; por sua vezservem de alimento para comedores de carne. Os mamíferos herbívoros comem folhas,ramos de arbustos e árvores, ervas e capim. Mamíferos onívoros são aqueles que sealimentam tanto de matéria vegetal como de animal; exemplos são ratos caseiros, ursos,porcos e o homem. Os mamíferos carnívoros incluem gatos, doninhas, e martas. Focas ebaleias com dentes alimentam-se predominantemente de peixes, sendo piscívoros.
  29. 29. Muitos morcegos pequenos são exclusivamente insetívoros bemcomo toupeiras, musaranhos, gambás e outros. Outros morcegos sãofrugívoros (alimentam-se de frutos, néctar e pólen) e o vampiro dostrópicos é hematófago, subsistindo inteiramente de sangue. Algunsmamíferos requerem desproporcionalmente uma grande quantidade dealimento (alguns animais comem o equivalente ao próprio peso pordia).
  30. 30. Migrações como sobrevivência a escassez de alimento.Hibernação para sobrevivência a períodos de inverno e pouco alimento
  31. 31. INIMIGOSMamíferos herbívoros são presas para vários carnívoros deacordo com o tamanho. O homem é o maior inimigo;persegue, faz armadilhas, mata predadores e roedores quese alimentam de colheitas. Mamíferos são hospedeiros devários parasitos e doenças que podem reduzir suavitalidade ou causar a morte.
  32. 32. REPRODUÇÃOA fecundação é sempre interna e os filhotes são alimentados com leiteapós o nascimento. Os mamíferos mais inferiores, o ornitorrinco e aéquidna, põem ovos semelhante ao de répteis. Gambás, cangurus eoutros MARSUPIALIA têm ovos diminutos que se desenvolvem durantealguns dias no útero; depois os “fetos” imaturos rastejam para fora até abolsa ventral onde se prendem as tetas para nutrição e permanecem aiaté o desenvolvimento completo.
  33. 33. DOMESTICADOSVários são amansados e criados em cativeiros para servirem àsnecessidades humanas; iniciado há séculos na Ásia onde muitos dosestoques selvagens são nativos. O cavalo, boi e o camelo servem paratransporte de tração; ovinos, caprinos e bovinos fornecem carne e leite;outros carne somente e fornecem peles que são curtidas; lã e pelos sãofiados ou tecido em fábricas; o cão serve de guarda e utilizado na caça.
  34. 34. FÓSSEISProvavelmente surgiram no Triássico Superior a partir dos répteiscinodontes, com dentes diferenciados. As formas primitivas erampequenas e seus fósseis são escassos. Cinco ordens extintas sãoconhecidas através de dentes e mandíbulas do Jurássico. Mamíferosposteriores aumentaram de tamanho e tornaram-se diversificados naestrutura. Marsupiais e insetívoros semelhantes a musaranhosapareceram no cretáceo; provavelmente é destes que surgiram osmamíferos placentários superiores.
  35. 35. Com o fim do Cretáceo a maioria dos “répteis superiores (dinossauros)desapareceu e os mamíferos se proliferaram. Primeiro veio uma série deformas arcaicas desajeitadas (Ordens † TAENIODONTA, † CREODONTA, †CONDYLARTHRA, † AMBLYPODA), depois apareceram tipos modernos. Aera Cenozoica (Paleoceno ao Pleistoceno) é chamada de era dosmamíferos porque nela predominaram os representantes dessa classe.Aproximadamente metade das ordens conhecidas consiste inteiramente deformas extintas e todas as outras contêm, ao lado de representantes vivos,alguns ou muitos que são extintos.
  36. 36. Diz-se que os fatores que levaram ao desenvolvimentos dos mamíferos foram oaumento de aridez do Permiano em diante, favorecendo os de locomoção maisveloz e os de clima glaciais mais frios nos quais os animais de temperatura docorpo regulada e que se locomoviam com o corpo elevado do solo teriam maiorprobabilidade de sobrevivência.
  37. 37. Oligoceno é a terceira época da era Cenozóica, está compreendidaentre cerca de 36 e 23 milhões de anos atrás. A fauna do Oligocenofoi, praticamente, uma consequência da Grande Coupure, a extinçãono final do Eoceno que tirou da Terra a maioria dosmamíferos primitivos, o que deu oportunidade para os ancestrais dosatuais mamíferos herbívoros se desenvolverem. Preguiça Gigante encontrada no município de Tauá-ce, 1998.
  38. 38. A CLASSE DOS MAMÍFEROS COMPREENDE 34 ORDENS, DESTACAMOS ALGUMAS DELAS:Monotremados; ovíparos e dotados de bico.Ex.: equidna
  39. 39. Marsupiais; glândulas mamárias localizadas numa bolsa chamadamarsúpio.Ex.: cangurú, gambá, cauíca (catita)
  40. 40. Quirópteros; mamíferos capazes de voar.Ex.: morcegos
  41. 41. Cetáceos; mamíferos aquáticosEx.: baleias, golfinhos
  42. 42. Sirênios; apresentam membros anteriores (nadadeiras), nãopossuem membros posteriores e são herbívorosEx.: peixe-boi
  43. 43. Primatas; possuem mãos e pés com dedos distintos.Ex.: macaco, homem.
  44. 44. BIBLIOGRAFIA• ZOOLOGIA GERAL; STORER, Tracy Irwin, 2002• A VIDA DOS VERTEBRADOS; POUGH. F. Harvey, 2003

×