ApresentaçãO. Rem Koolhas.

3.261 visualizações

Publicada em

TRABALHO REALIZADO PARA A DISCIPLINA DE ARQUITETURA CONTEPORÂNEA - RELATAR UMA OBRA DE INFLUENCIA NA ARQ. CONTEP.

Publicada em: Design, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.261
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
138
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO. Rem Koolhas.

  1. 1. Arquitetura e urbanismo. Estruturas Especiais - N’Diougo Diene. Carla Raíssa G. Santos. A casa da música - Ram Koolhaas. Porto – Portugual.
  2. 2. Casa da Música. Quando foi anunciado que o OMA, escritório de arquitetura liderado pelo holandês, Ram Koolhaas seria autor de uma casa pública de espetáculos no centro histórico da cidade portuguesa do Porto, a simples expectativa sobre o que viria ser construído criou um alvoroço. Afinal o que o mundo e a comunidade local deveriam esperar de um dos arquitetos mais inovadores e provocativos dos últimos tempos? Depois de seis anos de obra e 100 milhões de euros consumidos, o resultado surpreendeu a todos. Inaugurada a 14/04/2005, implantada numa praça, a Casa da Música surge como uma caixa de concreto branco aparente em forma de cristal. Em um artigo para o jornal norte-americano The New York Times, o crítico de arquitetura Nicolai Ouroussoff elogia a construção e afirma que a casa é quot;o mais atraente projeto já criado por Koolhaas“.
  3. 3. Para muitos, o arquiteto conseguiu transpor para a obra a sobriedade arquitetônica do porto. No memorial descritivo da casa da música, koolhaas e van loon explicam porque criaram um edifício solitário em meio à paisagem urbana: segundo a dupla, a casa não foi feita para ser quot;mais um muro curvo em pequena escala ao redor da rotundaquot;, como são, para eles, os demais edifícios. quot;Após essa intervenção, a rotunda da boa vista passou a ser um modelo positivo do encontro entre o antigo e o novo na cidade do porto, reunindo, em um só gesto, simbolismo, visibilidade e acessoquot;, afirmam. Sua concepção teve como base um projeto residencial elaborado pelo ateliê holandês e não executado. Para realizar o projeto, koolhaas venceu um concurso restrito do qual participaram grandes nomes da arquitetura mundial, como dominique perrault, norman foster, peter zumthor, rafael moneo e toyo ito.
  4. 4. Casa da Música – Imagens:Flickr. Situado em um plano urbano bastante heterogêneo, o edifício aparece isolado em um quarteirão todo revestido com mármore travertino. Esse enorme tapete acompanhado de ondulações (acessos ao estacionamento subterrâneo) prepara a aproximação do prédio, que, por sua vez, convida a entrar por meio de suas escadarias, um dos elementos emblemáticos do projeto.
  5. 5. A Casa da Música foi construída junto a um dos principais eixos de tráfego do centro da cidade, a Rotunda da Boavista. O lugar onde está actualmente o edifício era usado para recolha e reparação dos carros eléctricos que circulavam pela cidade do Porto. Ela surge como edifício-ícone que tem o objetivo de requalificar um trecho específico da cidade.
  6. 6. Estruturas. Em termos de estruturas, para além de haver que garantir a estabilidade global do Edifício, merecem destaque as seguintes preocupações fundamentais: - Encontrar um conjunto de elementos estruturais, integrados na arquitectura, que assegurassem a transmissão das cargas à fundação. A complexidade geométrica do edifício, em particular na zona norte, não tornava esta tarefa fácil, obrigando à consideração de um complicado sistema de transferência de cargas, através do aproveitamento estrutural de grande parte das paredes; - Conseguir um elevado rigor de pormenorização que permitisse definir a geometria do edifício e dos seus elementos estruturais, caracterizando com rigor as aberturas e courettes destinadas às - O controlo da fissuração instalações. Tratando-se de um edifício em superficial, dada a sua importância na betão branco aparente, muitas das infra- estruturas encontram-se embebidas no durabilidade de um edifício em betão próprio betão, obrigando a que o rigor da branco aparente; pormenorização se aplicasse igualmente a - A garantia de qualidade da execução da estas instalações; obra, através da realização de protótipos - O estabelecimento de um faseamento construtivo e um sistema de escoramento que permitissem testar materiais e compatível com os prazos da obra e as metodologias de trabalho e do estudo de preferências do construtor; processos e materiais alternativos, em conjunto com o empreiteiro.
  7. 7. Casa da Música A forma de poliedro do prédio em nada facilitou a concepção de sua estrutura. Muitas idéias surgiram e viriam a ser testadas pela primeira vez. Depois de numerosos ensaios, em computador e com protótipos, chegou-se à impressionante estrutura de concreto autoportante. Para sua realização foram necessárias inspeções minuciosíssimas em obra, que seguiu passo a passo uma seqüência de 85 fases.
  8. 8. Funcionalidade. A Casa da Música possui dois auditórios principais, mas muitas outras áreas do edifício podem facilmente ser adaptadas para concertos e outras actividades musicais (oficinas, actividades educacionais, etc.). O auditório grande tem uma capacidade inicial de 1.238 lugares, mas pode variar de acordo com a ocasião. O auditório pequeno é muito flexível, e não tem um número fixo de lugares . Em média o auditório tem a capacidade para 300 lugares sentados e 650 lugares de pé, embora estes possam mudar drasticamente dependendo do tamanho do palco, da sua localização, da disposição das cadeiras, da presença e do tamanho do equipamento de som e de gravação, etc.
  9. 9. No interior, logo se nota a contraposição de materiais. As Funcionalidade. circulações internas mantêm sempre o perfil neutro, com vidros e chapas de alumínio presentes em todo o espaço. Já nas salas especiais há uma explosão de cores e texturas. Os revestimentos aparecem como se fossem papéis de parede que anunciam cada programa. Encontram-se nesses ambientes desde réplicas de painéis de azulejos portugueses até esponjas, borrachas, aco lchoados, mosaicos e folhas de ouro.
  10. 10. A Sala Suggia é o Funcionalidade. coração da Casa da Música, tem o formato de caixa de sapato. O acabamento das paredes é feito em painéis de madeira e o detalhe da folha de ouro parece ter surgido através de um alargamento da escala dos veios do próprio material. A sala de concertos deixa penetrar a luz do dia através de vãos que chegam a alcançar cinco metros de altura, vedados por vidros ondulados.
  11. 11. Funcionalidade. A Sala 2 é a segunda maior sala da Casa da Música e é caracterizada pela polivalência. O piso é plano, sem cadeiras fixas. Possui uma acústica natural optimizada e infra- estruturas de luz e som pensadas para servir a convertibilidade do espaço. O vermelho preponderante nas salas é inspirado nos teatros barrocos italianos.
  12. 12. - As sinuosidades fazem do material um elemento acústico. Além de proporcionar vista para exterior, esses vidros criam ligações entre o auditório principal e as salas vip, de cibermúsica e reservada para crianças. De certa forma, pode-se dizer que a casa da música é toda composta por essas ligações visuais entre os espaços. Mesmo as salas de ensaios, implantadas no mesmo piso da bilheteria, podem ser vistas através de uma chapa perfurada. O terraço oferece belíssima visão da praça e o vértice do edifício condiciona nosso olhar ao monumento central.
  13. 13. Imagens. Cybermúsica - é uma sala com condições sonoras privilegiadas. Está vocacionada para a apresentação pública de projectos musicais e para o desenvolvimento de pesquisa e experimentação no âmbito das tecnologias da informação. Camarim.
  14. 14. A Casa da Música é um edificio de extrema importância para a arquitetura contemporânea. Não só pela estrutura e tecnologia empregadas, mas também pela abordagem de materiais e manipulação dos espaços. De fato, o prédio é um exemplo da atitude contemporânea frente à arquitetura.
  15. 15. Croquis.
  16. 16. Perspectivas.
  17. 17. Perspectivas.
  18. 18. Fonte: http://www.casadamusica.com http://www.saplei.eesc.usp.br/alunos_2007 IMAGENS. http://www.flickr.com Fim.
  19. 19. quot;Há alguns edifícios que oferecem uma continuidade, mas este tem esta espécie de elementos autónomos e abruptos, que se ligam através de um espaço fluido. Assim, vejo-o como uma espécie de ensaio acerca de autonomia e fluidez, separação e ligação. Para mim, é importante que os elementos fixos estejam rodeados por uma experiência muito mais fluida.“ Rem Koolhaas.

×