Eletrodos de Referência<br />Em aplicações eletroanalíticas, é desejável que um dos eletrodos tenha potencial conhecido, c...
Eletrodos de Referência<br />
Eletrodo de Calomelano<br />Constituído de uma pasta de Mercúrio/Cloreto de mercúrio (I) e cloreto de potássio em um tubo ...
Eletrodo de Calomelano<br />Vantagem:<br />Fácil de ser preparado, por isso,  bastante empregado.<br />Desvantagens:<br />...
Eletrodo de Prata/Cloreto de Prata<br />É um eletrodo muito usado como eletrodo de referência. Consiste em um fio de prata...
Vantagem: <br />Eletrodo de Prata/Cloreto de Prata<br />Podem ser utilizados em temperatura maiores que 60ºC<br />Cuidados...
TITULAÇÕES POTENCIOMÉTRICAS<br />
Titulação Potenciométrica<br />Relembrando....<br />A titulação é uma operação analítica utilizada em análise volumétrica ...
Método Potenciométrico<br />Durante a titulação introduz-se um eléctrodo de pH no titulado, o que permite medir o pH ao lo...
Titulação Potenciométrica<br /><ul><li> Método utilizado para estabelecer  a concentração de uma solução quando o título é...
 Faz-se a leitura do pH (titulado) cada vez que se é adicionado uma fração de titulante;
 Cálculo da concentração;</li></li></ul><li>Titulação Potenciométrica<br />
PRINCÍPIOS GERAIS<br />Titulação Potenciométrica<br />
Titulação Potenciométrica<br /><ul><li>Processo Gráfico</li></ul>... a representação do pH do titulado à medida que se adi...
Titulação Potenciométrica<br />pH inicial<br />zona de variação brusca de pH<br />Ponto de equivalência<br />Volume de tit...
Titulação Potenciométrica<br /><ul><li>Primeira Derivada</li></ul>... O ponto de equivalencia se situa no ponto máximo da ...
Método Potenciométrico<br /><ul><li>  Segunda Derivada</li></ul>... O ponto de equivalencia se situa onde a derivada da se...
Eletrodo de Membrana Dupla<br />
Determinação de Al tóxico ás raízes de trigo <br />por Potenciometria (ESIF)<br /><ul><li>    Estimativa das espécies tóxi...
  pura;
  solos ácidos tratados com calcário;</li></ul>X<br />Método <br />Espectrofotométrico<br />Al- ESIF<br />
Determinação de Al tóxico ás raízes de trigo <br />por Potenciometria (ESIF)<br />Conclusão: <br />Al- ESIF mais eficiente...
Método potenciométrico para <br />Determinação Cu na Cachaça<br /><ul><li>    Métodos avaliados:
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário potenciometria

19.343 visualizações

Publicada em

potenciometria.

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.343
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
378
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário potenciometria

  1. 1. Eletrodos de Referência<br />Em aplicações eletroanalíticas, é desejável que um dos eletrodos tenha potencial conhecido, constante e completamente insensível à composição da solução em estudo.<br /> Eletrodo de referência ideal: <br />i) Reversível e obedece a eq. de Nernst;<br />ii) Exibe potencial constante com o tempo;<br />iii) Retorna ao seu potencial original após submetido a pequenas correntes;<br />iv) Exibe baixa histerese com variações de temperatura;<br />
  2. 2. Eletrodos de Referência<br />
  3. 3. Eletrodo de Calomelano<br />Constituído de uma pasta de Mercúrio/Cloreto de mercúrio (I) e cloreto de potássio em um tubo interno, conectado com uma solução de KCl presente no tubo externo.<br />fio de contato (Pt)<br />solução de KCl<br />A 25 oC, os potenciais desse eletrodo para diferentes valores de x são:<br />mercúrio<br />calomelano (Hg2Cl2)<br />algodão<br />junção<br />
  4. 4. Eletrodo de Calomelano<br />Vantagem:<br />Fácil de ser preparado, por isso, bastante empregado.<br />Desvantagens:<br />Comparado com os outros eletrodos de calomelano, o ECS possui um coeficiente de temperatura significativo e apresenta histerese térmica.<br />
  5. 5. Eletrodo de Prata/Cloreto de Prata<br />É um eletrodo muito usado como eletrodo de referência. Consiste em um fio de prata recoberto com cloreto de prata em contato com uma solução de cloreto de potássio saturada. <br />Fio de Ag<br />AgCl<br />A 25 oC, os potenciais desse eletrodo para diferentes valores de x são:<br />solução de KCl<br />junção<br />
  6. 6. Vantagem: <br />Eletrodo de Prata/Cloreto de Prata<br />Podem ser utilizados em temperatura maiores que 60ºC<br />Cuidados:<br />O nível do líquido interno (KCl) deve ser mantido sempre acima da solução da amostra para impedir a contaminação da solução do eletrodo e o entupimento da junção devido à reação da solução do analítocom os íons Ag ou Hg (I) da solução interna.<br />
  7. 7. TITULAÇÕES POTENCIOMÉTRICAS<br />
  8. 8. Titulação Potenciométrica<br />Relembrando....<br />A titulação é uma operação analítica utilizada em análise volumétrica com o objectivo de determinar a concentração de soluções.<br />
  9. 9. Método Potenciométrico<br />Durante a titulação introduz-se um eléctrodo de pH no titulado, o que permite medir o pH ao longo da titulação e traçar a curva de titulação.<br />O potencial do eletrodo indicador é usado para acompanhar a variação de concentração de uma espécie ionica envolvida em uma reação e assim determinar o Ponto de Equivalência.<br />
  10. 10. Titulação Potenciométrica<br /><ul><li> Método utilizado para estabelecer a concentração de uma solução quando o título é desconhecido;
  11. 11. Faz-se a leitura do pH (titulado) cada vez que se é adicionado uma fração de titulante;
  12. 12. Cálculo da concentração;</li></li></ul><li>Titulação Potenciométrica<br />
  13. 13. PRINCÍPIOS GERAIS<br />Titulação Potenciométrica<br />
  14. 14. Titulação Potenciométrica<br /><ul><li>Processo Gráfico</li></ul>... a representação do pH do titulado à medida que se adiciona o titulante.<br />
  15. 15. Titulação Potenciométrica<br />pH inicial<br />zona de variação brusca de pH<br />Ponto de equivalência<br />Volume de titulante gasto até ao ponto de equivalência<br />
  16. 16. Titulação Potenciométrica<br /><ul><li>Primeira Derivada</li></ul>... O ponto de equivalencia se situa no ponto máximo da curva.<br />
  17. 17. Método Potenciométrico<br /><ul><li> Segunda Derivada</li></ul>... O ponto de equivalencia se situa onde a derivada da segunda se anula.<br />
  18. 18.
  19. 19. Eletrodo de Membrana Dupla<br />
  20. 20. Determinação de Al tóxico ás raízes de trigo <br />por Potenciometria (ESIF)<br /><ul><li> Estimativa das espécies tóxicas de Al ás raízes do trigo em diferentes soluções de solo:
  21. 21. pura;
  22. 22. solos ácidos tratados com calcário;</li></ul>X<br />Método <br />Espectrofotométrico<br />Al- ESIF<br />
  23. 23. Determinação de Al tóxico ás raízes de trigo <br />por Potenciometria (ESIF)<br />Conclusão: <br />Al- ESIF mais eficiente para a detecção de Al tóxico, onde detectou <br />as raízes diminuíram exponencialmente seu aumento , ou seja a técnica mais adequada é Al - ESIF apresentando estimativa superior a do método espectrofotométrico.<br />
  24. 24. Método potenciométrico para <br />Determinação Cu na Cachaça<br /><ul><li> Métodos avaliados:
  25. 25. Espectroscopia de absorção atomica em chama;
  26. 26. Ponteciometria com eletrodo íon-seletivo de Cu;
  27. 27. Titulação Potencimétrica;
  28. 28. Potenciometria direta;</li></li></ul><li>
  29. 29. Método potenciométrico para <br />Determinação Cu na Cachaça<br />Conclusão:<br />O método utilizado mostrou significativa relevância, pois é simples e rápido de custos relativamente baixos, indicado para o controle rotineiro de teor de Cu.<br />

×