Solos do
Rio Grande do Sul:
Argissolo
Discente: Carla Dos Santos Machado
Argissolo: Conceito
• São solos constituídos por material
mineral, que têm como características
diferenciais a presença de...
Características Gerais:
• Relevo suave ondulado até forte
ondulado (maior área do RS);
• Profundos a muito profundos;
• Be...
Formação do Argissolo:
Relevo e Material de Origem
• O argissolo é derivado de
rochas de arenito, basalto ou
granítica e s...
Formação do Argissolo
EVOLUÇÃO NA PAISAGEM
Formação do Argissolo:
Processos Gerais
Adição e Remoção
Translocação
Transformação
A
B
C
Formação do Argissolo:
• Lessivagem ou Desargilização é o transporte mecânico de pequenas
partículas minerais (argilas) em...
Localização:
Topo sequência de unidades de solo na
região da Depressão Central.
Argissolos Subordem:
• 2° nível categórico (Subordem)
Argissolos Grande Grupo:
Eutrófico
• Solos eutróficos são definidos
como os que têm mais de 50%
de sua capacidade de troca...
Subordem Vermelho:
• De textura argilosa, apresentam teores em micronutrientes
superiores aos Argissolos de outras coloraç...
ARGISSOLOS VERMELHOS
Distróficos arênicos
• Solos com textura arenosa
desde a superfície até no
mínimo 50cm e no máximo
10...
ARGISSOLOS
VERMELHOS
Distróficos
Típicos: Outros
solos que não se
enquadram nas
classes anteriores.
Arênicos: Solos com te...
ARGISSOLOS VERMELHOS
Distróficos espessarênicos
• Solos com textura arenosa desde a
superfície até uma profundidade
superi...
ARGISSOLOS VERMELHOS
Distróficos latossólicos
• Solos que apresentam horizonte B
latossólico abaixo do horizonte B
textura...
ARGISSOLOS VERMELHOS Alíticos
abrúpticos
• Solos com caráter alítico na
maior parte dos primeiros 100cm
do horizonte B, co...
Subordem Vermelho-Amarelo:
• Outros solos de cores vermelho-amareladas e amarelo-a-
vermelhadas que não se enquadram nas c...
ARGISSOLOS VERMELHO-
AMARELOS Distróficos úmbricos
• Solos com horizonte A
proeminente.
ARGISSOLOS VERMELHO-AMARELOS
Distróficos arênicos abrúpticos
• Solos com mudança textural abrupta e
com textura arenosa de...
ARGISSOLOS VERMELHO-AMARELOS
Distróficos típicos
• Solos que não se
enquadram nas
classes anteriores.
ARGISSOLOS VERMELHO-
AMARELOS Alumínicos úmbricos
• Solos com caráter alumínico na
maior parte dos primeiros 100cm
do hori...
ARGISSOLOS VERMELHO-AMARELOS
Alíticos típicos
• Solos que não se enquadram na
classe anterior.
Argissolo Acinzentado
• Solos que apresentam a parte superior do horizonte B pouco
mais escurecida (bruno-escuro ou bruno-...
ARGISSOOLOS BRUNO-ACINZENTADOS
Alíticos abrúpticos
• Solos com caráter alítico na
maior parte dos primeiros
100cm do horiz...
ARGISSOOLOS
BRUNO-
ACINZENTADOS
Alíticos úmbricos
• Solos com caráter alítico na
maior parte dos primeiros
100cm do horizo...
ARGISSOOLOS BRUNO-
ACINZENTADOS Alíticos típicos
• solos que não se enquadram
nas classes anteriores
ARGISSOLOS AMARELOS
Alumínicos plínticos
• Solos mais amarelos na maior parte
dos primeiros 100 cm do horizonte B.
• Solos...
Uso e manejo:
• Solos arenosos (uso de implementos);
• Baixa fertilidade natural(Distroficos);
• Forte acidez e alta satur...
MUITO OBRIGADA!!!
“O solo não é uma herança que
recebemos de nossos pais, mas sim um
patrimônio que tomamos emprestado de
...
Argissolos do RS
Argissolos do RS
Argissolos do RS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Argissolos do RS

5.215 visualizações

Publicada em

Argissolos os perfis, processo de formação, manejo e a localização, com mapa dos solos do RS.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Argissolos do RS

  1. 1. Solos do Rio Grande do Sul: Argissolo Discente: Carla Dos Santos Machado
  2. 2. Argissolo: Conceito • São solos constituídos por material mineral, que têm como características diferenciais a presença de horizonte B textural de argila de atividade baixa, ou alta conjugada com saturação por bases baixa ou caráter alítico. O horizonte B textural (Bt) encontra-se imediatamente abaixo de qualquer tipo de horizonte superficial, exceto o hístico. • Têm profundidade variadas e ampla variabilidade de classes texturais. A E Bt
  3. 3. Características Gerais: • Relevo suave ondulado até forte ondulado (maior área do RS); • Profundos a muito profundos; • Bem a imperfeitamente drenados; • Sequencia de horizontes: A – Bt – C ou A – E – Bt – C; • Gradiente textural (horizonte B mais argiloso do que horizontes A e E); • Transição clara, abrupta ou gradual • Cores variadas • Origem de diversos materiais.
  4. 4. Formação do Argissolo: Relevo e Material de Origem • O argissolo é derivado de rochas de arenito, basalto ou granítica e se forma em áreas de relevo ondulado ou forte ondulado. Basalto Arenito Granito
  5. 5. Formação do Argissolo EVOLUÇÃO NA PAISAGEM
  6. 6. Formação do Argissolo: Processos Gerais Adição e Remoção Translocação Transformação A B C
  7. 7. Formação do Argissolo: • Lessivagem ou Desargilização é o transporte mecânico de pequenas partículas minerais (argilas) em suspensão do horizonte A (ou E) para o horizonte B, produzindo horizontes Bt (B texturais) enriquecidos em argilas. • Pode produzir gradiente textural no perfil • Horizonte de perda material = ELUVIAL (A ou E) cores claras e textura mais arenosa • Horizonte de ganho material = ILUVIAL (Bt ou Bhs) mais argilosos e menos permeáveis • Podzolização é o ato de reduzir a fertilidade das camadas superiores do solo naturalmente. Em solos ácidos as partículas que retêm nutrientes do solo se decompõe na primeira camada de solo, e seus íons solúveis são transportados para baixo e depositados em horizontes mais inferiores.
  8. 8. Localização: Topo sequência de unidades de solo na região da Depressão Central.
  9. 9. Argissolos Subordem: • 2° nível categórico (Subordem)
  10. 10. Argissolos Grande Grupo: Eutrófico • Solos eutróficos são definidos como os que têm mais de 50% de sua capacidade de troca ocupada com as bases (cálcio, magnésio e potássio), sendo portando os mais férteis. Distróficos • Solos distróficos são os que têm mais de 50% de sua capacidade de troca ocupada pelo hidrogênio e alumínio, portanto são os menos férteis.
  11. 11. Subordem Vermelho: • De textura argilosa, apresentam teores em micronutrientes superiores aos Argissolos de outras colorações. A variação das quantidades de óxidos contribui para a variação da intensidade da cor vermelha, podendo indicar a quantidade de ferro herdado do material geológico que deu origem ao solo. • Solos mais vermelho, na maior parte dos primeiros 100cm do horizonte B.
  12. 12. ARGISSOLOS VERMELHOS Distróficos arênicos • Solos com textura arenosa desde a superfície até no mínimo 50cm e no máximo 100cm de profundidade e horizonte B textural dentro de 200cm da superfície do solo
  13. 13. ARGISSOLOS VERMELHOS Distróficos Típicos: Outros solos que não se enquadram nas classes anteriores. Arênicos: Solos com textura arenosa desde a superfície até no mínimo 50cm e no máximo 100cm de profundidade e horizonte B textural dentro de 200cm da superfície do solo. Espessarênicos: Solos muito arenosos até a profundidade superior a 100 cm; suscetíveis à erosão.
  14. 14. ARGISSOLOS VERMELHOS Distróficos espessarênicos • Solos com textura arenosa desde a superfície até uma profundidade superior a 100cm e com horizonte B textural dentro de 200cm da superfície do solo.
  15. 15. ARGISSOLOS VERMELHOS Distróficos latossólicos • Solos que apresentam horizonte B latossólico abaixo do horizonte B textural, dentro de 150cm da superfície do solo.
  16. 16. ARGISSOLOS VERMELHOS Alíticos abrúpticos • Solos com caráter alítico na maior parte dos primeiros 100cm do horizonte B, com mudança textural abrupta. Figura .Crescimento radicular da cana-de-açúcar em solos quimicamente muito contrastantes.
  17. 17. Subordem Vermelho-Amarelo: • Outros solos de cores vermelho-amareladas e amarelo-a- vermelhadas que não se enquadram nas classes anteriores. • Os teores de Fe2O3 normalmente são menores que 11%. • São profundos a pouco profundos, moderado a bem drenados.
  18. 18. ARGISSOLOS VERMELHO- AMARELOS Distróficos úmbricos • Solos com horizonte A proeminente.
  19. 19. ARGISSOLOS VERMELHO-AMARELOS Distróficos arênicos abrúpticos • Solos com mudança textural abrupta e com textura arenosa desde a superfície do solo até no mínimo 50cm e no máximo 100cm de profundidade e horizonte B textural dentro de 200cm da superfície do solo.
  20. 20. ARGISSOLOS VERMELHO-AMARELOS Distróficos típicos • Solos que não se enquadram nas classes anteriores.
  21. 21. ARGISSOLOS VERMELHO- AMARELOS Alumínicos úmbricos • Solos com caráter alumínico na maior parte dos primeiros 100cm do horizonte B, e com horizonte A proeminente.
  22. 22. ARGISSOLOS VERMELHO-AMARELOS Alíticos típicos • Solos que não se enquadram na classe anterior.
  23. 23. Argissolo Acinzentado • Solos que apresentam a parte superior do horizonte B pouco mais escurecida (bruno-escuro ou bruno-avermelhado-escuro) em relação aos subhorizontes inferiores, e espessura do solum normalmente entre 60 e 100cm. Argissolo Bruno-Acinzentado • Solos com cores acinzentadas na maior parte dos primeiros 100 cm do horizonte B, o qual tem sua parte superior escurecida, e ocorre em áreas de clima subtropical.
  24. 24. ARGISSOOLOS BRUNO-ACINZENTADOS Alíticos abrúpticos • Solos com caráter alítico na maior parte dos primeiros 100cm do horizonte B, com mudança textural abrupta.
  25. 25. ARGISSOOLOS BRUNO- ACINZENTADOS Alíticos úmbricos • Solos com caráter alítico na maior parte dos primeiros 100cm do horizonte B, com horizonte A proeminente.
  26. 26. ARGISSOOLOS BRUNO- ACINZENTADOS Alíticos típicos • solos que não se enquadram nas classes anteriores
  27. 27. ARGISSOLOS AMARELOS Alumínicos plínticos • Solos mais amarelos na maior parte dos primeiros 100 cm do horizonte B. • Solos com caráter plíntico dentro de 150cm da superfície do solo ou horizonte plíntico em posição não diagnóstica para Plintossolos.
  28. 28. Uso e manejo: • Solos arenosos (uso de implementos); • Baixa fertilidade natural(Distroficos); • Forte acidez e alta saturação por alumínio(alítico e alumínicos); • Limitações na drenagem natural (Bt); • Erosão em sulcos, culminado com formação de voçorocas; • Praticas conservacionistas.
  29. 29. MUITO OBRIGADA!!! “O solo não é uma herança que recebemos de nossos pais, mas sim um patrimônio que tomamos emprestado de nossos filhos”. L. Brown

×