SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
ECOLOGIAECOLOGIA
Cadeias e Teias Alimentares, Pirâmides
Ecológicas, Matéria e Energia no Ecossistema
Cadeias Alimentares
É uma sequência de organismos interligados
por relações de alimentação.
Níveis tróficos
Os níveis tróficos são conjuntos de
organismos que possuem hábitos
alimentares semelhantes, ocupando a
mesma posição no ecossistema. As plantas,
por exemplo, produzem seu próprio
alimento, pois são organismos autotróficos.
Assim, todas as plantas ocuparão o mesmo
nível trófico, pois apresentam hábitos
alimentares semelhantes.
Existem basicamente três níveis tróficos:
• Produtores
• Consumidores
• Decompositores
Produtores
Os organismos incluídos nesse nível trófico
apresentam em comum o fato de serem
autotróficos. Isso quer dizer que todos os
organismos produtores são capazes de
produzir seu próprio alimento por meio de
processos como fotossíntese e
quimiossíntese.
Exemplos: plantas e algas.
Consumidores
Os organismos que fazem parte desse nível
trófico são heterotróficos, ou seja, todos os
organismos desse nível alimentam-se de outro
ser vivo. Os consumidores que se alimentam de
produtores recebem a denominação de
consumidores primários. Os que se alimentam
de consumidores primários são chamados de
consumidores secundários. Já os que se
alimentam dos secundários são chamados de
terciários e assim sucessivamente.
Tipos de Consumidores
• Primários ou de 1ª ordem: se alimentam de
seres produtores.
São os HERBÍVOROS.
• Secundários ou de 2ª ordem: se alimentam
de consumidores primários.
• Terciários ou de 3ª ordem: se alimentam de
consumidores secundários.
• Quaternários ou de 4ª ordem: se alimentam
de consumidores terciários.
São os CARNÍVOROS.
Decompositores
Os organismos heterotróficos que realizam
o processo de decomposição, no qual
devolvem nutrientes ao meio.
Como exemplo de decompositores,
podemos citar bactérias e fungos.
Bactérias
Fungos Microscópicos
Fungos Macroscópicos
Teias Alimentares
É um conjunto de cadeias alimentares
interconectadas, geralmente representado como um
diagrama das relações entre os diversos organismos
de um ecossistema.
FLUXO DE ENERGIAFLUXO DE ENERGIA
EE
DE MATÉRIADE MATÉRIA
NOS ECOSSISTEMASNOS ECOSSISTEMAS
Por que é difícil encontrarmos
cadeias alimentares com muito elos?
A transformação da energia luminosa em química,
denominada fotossíntese, é responsável pela entrada de energia
nos ecossistemas.
Um aspecto importante para se entender a transferência de
energia dentro de uma cadeia alimentar é a compreensão da
primeira Lei da Termodinâmica, que diz: “A energia não pode ser
criada nem destruída, e sim transformada.” Outro aspecto
importante é o fato de que a quantidade de energia disponível
diminui à medida que é transferida de um nível trófico ao outro.
A explicação para este decréscimo energético de um nível
trófico ao outro é o fato de cada organismo gasta grande parte
da energia absorvida na manutenção das funções vitais.
1ª Lei da termodinâmica:
“A energia não pode ser criada ou
destruída”.
2ª Lei da termodinâmica:
“Em todo o processo de transferência de
energia, há uma perda de energia útil”.
 FLUXO UNIDIRECIONAL DE ENERGIA
PIRÂMIDESPIRÂMIDES
ECOLÓGICASECOLÓGICAS
As pirâmides ecológicas representam
graficamente a transferência de matéria e
energia.
As pirâmides ecológicas são a
representação gráfica da quantidade de
indivíduos, da biomassa e da energia EM
CADA NÍVEL TRÓFICO.
Tipos de pirâmides ecológicas:
 pirâmide de números
 pirâmide de biomassa
 pirâmide de energia
PIRÂMIDE DE NÚMEROS
Número de indivíduos da cadeia.
milho (100)
rato (15)
(1)cobra protozoários
cupim (100)
(1) árvore
(1000)
aranhas (100)
drosófilas (300)
(1) bananeira
Não há um padrão único !!!
PIRÂMIDE DE BIOMASSA
Massa de matéria orgânica.
Normalmente se apresenta com a base
alargada.
milho
rato
cobra
ave
homem
No ambiente aquático:
A taxa de reprodução do fitoplâncton é
muito elevada e a reposição de sua
biomassa é muito rápida.
zooplâncton
fitoplâncton
PIRÂMIDE DE ENERGIA
- NUNCA é invertida.
- O fluxo de energia é UNIDIRECIONAL.
Obrigada !!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matériaFluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matériaIsabel Lopes
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasisabelalexandrapinto
 
Metabolismo Energetico
Metabolismo EnergeticoMetabolismo Energetico
Metabolismo EnergeticoFilipe Almeida
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia8ºC
 
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;s1lv1alouro
 
03 ecologia relacoes troficas
03 ecologia   relacoes troficas03 ecologia   relacoes troficas
03 ecologia relacoes troficasrommel andrade
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaReinan Santos
 
Fluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materiaFluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materiaRita Pereira
 
Fluxo de energia e cadeias alimentares
Fluxo de energia e cadeias alimentaresFluxo de energia e cadeias alimentares
Fluxo de energia e cadeias alimentaresPelo Siro
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iCristina Vitória
 
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.Allef B. Santos
 
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresAngela Boucinha
 
Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Filipe Almeida
 
Fluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaFluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaadelinacgomes
 

Mais procurados (19)

Fluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matériaFluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matéria
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
 
Metabolismo Energetico
Metabolismo EnergeticoMetabolismo Energetico
Metabolismo Energetico
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
 
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
Fluxo de Energia e Ciclo de matéria; Sucessões Ecológicas;
 
Fluxo de energia
Fluxo de energia Fluxo de energia
Fluxo de energia
 
03 ecologia relacoes troficas
03 ecologia   relacoes troficas03 ecologia   relacoes troficas
03 ecologia relacoes troficas
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
 
Fluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materiaFluxo de energia e ciclos de materia
Fluxo de energia e ciclos de materia
 
Fluxo de energia e cadeias alimentares
Fluxo de energia e cadeias alimentaresFluxo de energia e cadeias alimentares
Fluxo de energia e cadeias alimentares
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
 
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
 
Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
Fluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaFluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matéria
 

Semelhante a Ecologia

Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptLarissiFial
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptxresumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptxMarcelinoAraujo3
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraCarla Brites
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Leonardo Alves
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02helder raposo
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power pointSuely namaste
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoAndrea Barreto
 
Ciências transferência de matéria e energia em um ecossistema
Ciências transferência de matéria e energia em um ecossistemaCiências transferência de matéria e energia em um ecossistema
Ciências transferência de matéria e energia em um ecossistemaDorinha Matias
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º testeanocas_rita
 

Semelhante a Ecologia (20)

Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentar Cadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Metabolismo
MetabolismoMetabolismo
Metabolismo
 
Ecossistemas matéria e energia (2) (1)
Ecossistemas   matéria e energia (2) (1)Ecossistemas   matéria e energia (2) (1)
Ecossistemas matéria e energia (2) (1)
 
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptxresumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
resumo de ppt para cadeia-alimentar.pptx
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
 
Ecologia socorro
Ecologia socorroEcologia socorro
Ecologia socorro
 
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Seminário "
Seminário "Seminário "
Seminário "
 
Individuos nos ecossistemas
Individuos nos ecossistemasIndividuos nos ecossistemas
Individuos nos ecossistemas
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
 
ecologia
ecologiaecologia
ecologia
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Ciências transferência de matéria e energia em um ecossistema
Ciências transferência de matéria e energia em um ecossistemaCiências transferência de matéria e energia em um ecossistema
Ciências transferência de matéria e energia em um ecossistema
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
 

Mais de Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Mais de Governo do Estado do Rio Grande do Sul (20)

Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Ecossistemas e Biomas
Ecossistemas e BiomasEcossistemas e Biomas
Ecossistemas e Biomas
 
Sistema Excretor (Urinário) Humano
Sistema Excretor (Urinário) HumanoSistema Excretor (Urinário) Humano
Sistema Excretor (Urinário) Humano
 
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia HumanaGametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
 
Metodologia de projetos
Metodologia de projetosMetodologia de projetos
Metodologia de projetos
 
A crise ambiental - Seminário Integrado - CCTA
A crise ambiental - Seminário Integrado - CCTAA crise ambiental - Seminário Integrado - CCTA
A crise ambiental - Seminário Integrado - CCTA
 
Alimentação e nutrientes
Alimentação e nutrientesAlimentação e nutrientes
Alimentação e nutrientes
 
Mosquito em foco
Mosquito em focoMosquito em foco
Mosquito em foco
 
Ciências da Natureza IEEBA
Ciências da Natureza IEEBACiências da Natureza IEEBA
Ciências da Natureza IEEBA
 
Combate ao Aedes aegypti
Combate ao Aedes aegyptiCombate ao Aedes aegypti
Combate ao Aedes aegypti
 
Surto, Epidemia, Pandemia e Endemia
Surto, Epidemia, Pandemia e EndemiaSurto, Epidemia, Pandemia e Endemia
Surto, Epidemia, Pandemia e Endemia
 
Portfólio - Seminário Integrado
Portfólio - Seminário IntegradoPortfólio - Seminário Integrado
Portfólio - Seminário Integrado
 
Reprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º anoReprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º ano
 
Movimento e Medidas Astronômicas - 9º ANO
Movimento e Medidas Astronômicas - 9º ANOMovimento e Medidas Astronômicas - 9º ANO
Movimento e Medidas Astronômicas - 9º ANO
 
Sistema nervoso - 8º ANO
Sistema nervoso - 8º ANOSistema nervoso - 8º ANO
Sistema nervoso - 8º ANO
 
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela PeriódicaLixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
 
Sistema cardiovascular - 8º ano
Sistema cardiovascular - 8º anoSistema cardiovascular - 8º ano
Sistema cardiovascular - 8º ano
 
Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)
Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)
Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 

Último

EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdflbgsouza
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 

Último (20)

Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 

Ecologia

  • 1. ECOLOGIAECOLOGIA Cadeias e Teias Alimentares, Pirâmides Ecológicas, Matéria e Energia no Ecossistema
  • 2.
  • 3. Cadeias Alimentares É uma sequência de organismos interligados por relações de alimentação.
  • 4. Níveis tróficos Os níveis tróficos são conjuntos de organismos que possuem hábitos alimentares semelhantes, ocupando a mesma posição no ecossistema. As plantas, por exemplo, produzem seu próprio alimento, pois são organismos autotróficos. Assim, todas as plantas ocuparão o mesmo nível trófico, pois apresentam hábitos alimentares semelhantes.
  • 5. Existem basicamente três níveis tróficos: • Produtores • Consumidores • Decompositores
  • 6. Produtores Os organismos incluídos nesse nível trófico apresentam em comum o fato de serem autotróficos. Isso quer dizer que todos os organismos produtores são capazes de produzir seu próprio alimento por meio de processos como fotossíntese e quimiossíntese. Exemplos: plantas e algas.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Consumidores Os organismos que fazem parte desse nível trófico são heterotróficos, ou seja, todos os organismos desse nível alimentam-se de outro ser vivo. Os consumidores que se alimentam de produtores recebem a denominação de consumidores primários. Os que se alimentam de consumidores primários são chamados de consumidores secundários. Já os que se alimentam dos secundários são chamados de terciários e assim sucessivamente.
  • 10.
  • 11. Tipos de Consumidores • Primários ou de 1ª ordem: se alimentam de seres produtores. São os HERBÍVOROS.
  • 12. • Secundários ou de 2ª ordem: se alimentam de consumidores primários. • Terciários ou de 3ª ordem: se alimentam de consumidores secundários. • Quaternários ou de 4ª ordem: se alimentam de consumidores terciários. São os CARNÍVOROS.
  • 13. Decompositores Os organismos heterotróficos que realizam o processo de decomposição, no qual devolvem nutrientes ao meio. Como exemplo de decompositores, podemos citar bactérias e fungos.
  • 14.
  • 16. Teias Alimentares É um conjunto de cadeias alimentares interconectadas, geralmente representado como um diagrama das relações entre os diversos organismos de um ecossistema.
  • 17. FLUXO DE ENERGIAFLUXO DE ENERGIA EE DE MATÉRIADE MATÉRIA NOS ECOSSISTEMASNOS ECOSSISTEMAS
  • 18. Por que é difícil encontrarmos cadeias alimentares com muito elos? A transformação da energia luminosa em química, denominada fotossíntese, é responsável pela entrada de energia nos ecossistemas. Um aspecto importante para se entender a transferência de energia dentro de uma cadeia alimentar é a compreensão da primeira Lei da Termodinâmica, que diz: “A energia não pode ser criada nem destruída, e sim transformada.” Outro aspecto importante é o fato de que a quantidade de energia disponível diminui à medida que é transferida de um nível trófico ao outro. A explicação para este decréscimo energético de um nível trófico ao outro é o fato de cada organismo gasta grande parte da energia absorvida na manutenção das funções vitais.
  • 19. 1ª Lei da termodinâmica: “A energia não pode ser criada ou destruída”. 2ª Lei da termodinâmica: “Em todo o processo de transferência de energia, há uma perda de energia útil”.  FLUXO UNIDIRECIONAL DE ENERGIA
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 24. As pirâmides ecológicas representam graficamente a transferência de matéria e energia.
  • 25. As pirâmides ecológicas são a representação gráfica da quantidade de indivíduos, da biomassa e da energia EM CADA NÍVEL TRÓFICO. Tipos de pirâmides ecológicas:  pirâmide de números  pirâmide de biomassa  pirâmide de energia
  • 26.
  • 27. PIRÂMIDE DE NÚMEROS Número de indivíduos da cadeia. milho (100) rato (15) (1)cobra protozoários cupim (100) (1) árvore (1000) aranhas (100) drosófilas (300) (1) bananeira Não há um padrão único !!!
  • 28. PIRÂMIDE DE BIOMASSA Massa de matéria orgânica. Normalmente se apresenta com a base alargada. milho rato cobra ave homem
  • 29. No ambiente aquático: A taxa de reprodução do fitoplâncton é muito elevada e a reposição de sua biomassa é muito rápida. zooplâncton fitoplâncton
  • 30. PIRÂMIDE DE ENERGIA - NUNCA é invertida. - O fluxo de energia é UNIDIRECIONAL.