SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
Anelídeos
Filo Annelida
 Reúne animais de corpo alongado e
cilíndrico, formado por anéis dispostos em
sequência.
 Seus representantes mais conhecidos são as
minhocas e sanguessugas.
 Com cerca de 15 mil espécies, os anelídeos
estão divididos em três grupos principais:
Oligochaeta, Polychaeta e Hirudinea.
Principais grupos de
 Os oligoquetas - apresentam poucas cerdas corporais.
anelídeos
Apresentam uma grande variedade de tamanho, vivem em
solos úmidos ou em ambientes de água doce.



Os poliquetas - apresentam numerosas cerdas que estão
implantadas em parápodes, possuem uma cabeça com vários
apêndices sensoriais como palpos, tentáculos e cerdas. Vivem
no mar, alguns são predadoras e saem a procura de animais, já
outros filtram a água em busca dos nutrientes necessários.

 Os hirudíneos - não possuem cerdas e nem parápodes, seu
corpo é ligeiramente achatado. A maioria das espécies vivem
em água doce e no mar, e algumas vivem em pântanos e brejos.
São chamados de sanguessugas por se alimentarem de sangue
de outros animais.
Anatomia e fisiologia dos anelídeos
 Os anelídeos têm simetria bilateral.
 São triblásticos e têm sistema digestório
completo.
 São celomados e apresentam o corpo
dividido em segmentos que se repetem ao
longo do comprimento.
Revestimento corporal e sistema muscular


O corpo da minhoca é revestido
externamente por uma cutícula fina e
transparente, secretada pela epiderme.

 Existem segmentos mais dilatados e claros,
eles formam o clitelo, estrutura importante
na produção de muco e na formação do
casulo.
Sistema digestório
 A boca localiza-se no primeiro metâmero sob o lábio usado
para cavar, o prostômio. Da faringe o alimento segue até o
papo onde é lubrificado e umedecido. Depois passa para a
moela, onde é triturado e fragmentado.


O alimento chega ao intestino. Na região aos cecos, o
alimento mistura-se a enzimas secretadas por células da
parede do tubo digestório e é digerido na cavidade instestinal
(digestão extracelular).



O que não foi aproveitado é eliminado pelo ânus,
juntamente com a terra ingerida. As fezes das minhocas
formam montículos retorcidos, constituindo o húmus,
material usado para adubo.
Sistema circulatório e respiração


Sistema circulatório fechado – o sangue circula dentro de
vasos sanguíneos. O sangue da minhoca é impulsionado
por contrações rítmicas das paredes dos grandes vasos,
que são dotados de células musculares.



O sangue tem cor vermelha devido à presença de
moléculas de hemoglobina. Ela combina-se com o gás
oxigênio, transportando-o pelo sangue.



As minhocas não têm sistema respiratório. A absorção de
gás oxigênio e a eliminação de gás carbônico são efetuadas
pela superfície corporal – respiração cutânea.
Sistema excretor, nervoso e
sensorial
 A excreção é feita por metanefrídios. O principal produto
da excreção da minhoca é a amônia. Essa substância
juntamente com as fezes da minhoca, ajuda a fertilizar o
solo.
 O sistema nervoso é constituído por gânglios cerebrais
localizados sobre a faringe e por cordões nervosos ventrais.
Dos gânglios partem nervos para os músculos e para as
células sensoriais.
 O sistema sensorial das minhocas é pouco desenvolvido e
apresenta células epidérmicas que captam estímulos
mecânicos, químicos e térmicos.
Reprodução dos anelídeos
Anelídeos têm reprodução sexuada. A maioria dos
poliquetos é dióica, com fecundação externa e
desenvolvimento indireto. Oligoquetos e hirudíneos
são monoicos e têm desenvolvimento direto, sem
estágio larval.
Oligoqueto - Minhoca
Poliqueto - Nereide
Hirudíneo Sanguessuga

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Moluscos - Biologia
Moluscos - BiologiaMoluscos - Biologia
Moluscos - Biologia
 
Filo annelida
Filo annelidaFilo annelida
Filo annelida
 
Anelídeos, Moluscos e Artrópodos (Power Point)
Anelídeos, Moluscos e Artrópodos (Power Point)Anelídeos, Moluscos e Artrópodos (Power Point)
Anelídeos, Moluscos e Artrópodos (Power Point)
 
7º ano cap 16 anelideos
7º ano cap 16   anelideos7º ano cap 16   anelideos
7º ano cap 16 anelideos
 
Filo dos cordados
Filo dos cordadosFilo dos cordados
Filo dos cordados
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Poriferos
PoriferosPoriferos
Poriferos
 
2EM #12 Equinodermos
2EM #12 Equinodermos2EM #12 Equinodermos
2EM #12 Equinodermos
 
Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Répteis
 Répteis Répteis
Répteis
 
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal
 
Filo echinodermata
Filo echinodermataFilo echinodermata
Filo echinodermata
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 

Semelhante a Anelídeos: Filo, Grupos e Características

Biologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeosBiologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeoskarenfreitasRS21
 
Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.
Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.
Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.Laís Uchôa
 
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago SouzaTrabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago SouzaJanaina Luciane Fraga
 
Biologia bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]
Biologia   bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]Biologia   bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]
Biologia bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]Roberto Bagatini
 
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
Zoo 2   de anelídeos a equinodermosZoo 2   de anelídeos a equinodermos
Zoo 2 de anelídeos a equinodermosaulasdotubao
 
Trabalho procordados
Trabalho   procordadosTrabalho   procordados
Trabalho procordadosLeandro Fita
 
Anfíbios e répteis
Anfíbios e répteis Anfíbios e répteis
Anfíbios e répteis bellasmar
 
Platelmintos Nematelmintos Anelideos
Platelmintos Nematelmintos AnelideosPlatelmintos Nematelmintos Anelideos
Platelmintos Nematelmintos AnelideosLuis Otavio Tassinari
 
Platelminto, Nematelminto e Anelideo
Platelminto, Nematelminto e AnelideoPlatelminto, Nematelminto e Anelideo
Platelminto, Nematelminto e AnelideoANA LUCIA FARIAS
 
Plat Nemat Anelidae
Plat Nemat AnelidaePlat Nemat Anelidae
Plat Nemat Anelidaeprofroberio
 

Semelhante a Anelídeos: Filo, Grupos e Características (20)

Biologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeosBiologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e Anelídeos
 
Anelídeos
AnelídeosAnelídeos
Anelídeos
 
Anelídeos
AnelídeosAnelídeos
Anelídeos
 
Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.
Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.
Os mamíferos - Biologia, 1° ano E.M.
 
Anelídeos
AnelídeosAnelídeos
Anelídeos
 
Anelídeos
AnelídeosAnelídeos
Anelídeos
 
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago SouzaTrabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
Trabalho de ciências de Marcos Fraga e Iago Souza
 
Biologia bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]
Biologia   bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]Biologia   bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]
Biologia bianca. d, emanuele, paola e vanessa[1]
 
Anelideos
AnelideosAnelideos
Anelideos
 
Filo_Annelida_Geral.pdf
Filo_Annelida_Geral.pdfFilo_Annelida_Geral.pdf
Filo_Annelida_Geral.pdf
 
ANELIDEOS
ANELIDEOSANELIDEOS
ANELIDEOS
 
Invertebrados prof. simone
Invertebrados   prof. simoneInvertebrados   prof. simone
Invertebrados prof. simone
 
Anelídeos e Moluscos
Anelídeos e MoluscosAnelídeos e Moluscos
Anelídeos e Moluscos
 
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
Zoo 2   de anelídeos a equinodermosZoo 2   de anelídeos a equinodermos
Zoo 2 de anelídeos a equinodermos
 
Trabalho procordados
Trabalho   procordadosTrabalho   procordados
Trabalho procordados
 
Anfíbios e répteis
Anfíbios e répteis Anfíbios e répteis
Anfíbios e répteis
 
Platelmintos Nematelmintos Anelideos
Platelmintos Nematelmintos AnelideosPlatelmintos Nematelmintos Anelideos
Platelmintos Nematelmintos Anelideos
 
Platelminto, Nematelminto e Anelideo
Platelminto, Nematelminto e AnelideoPlatelminto, Nematelminto e Anelideo
Platelminto, Nematelminto e Anelideo
 
Plat Nemat Anelidae
Plat Nemat AnelidaePlat Nemat Anelidae
Plat Nemat Anelidae
 
CLASSE POLYCHAETA.pdf
CLASSE POLYCHAETA.pdfCLASSE POLYCHAETA.pdf
CLASSE POLYCHAETA.pdf
 

Mais de Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Mais de Governo do Estado do Rio Grande do Sul (20)

Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Ecossistemas e Biomas
Ecossistemas e BiomasEcossistemas e Biomas
Ecossistemas e Biomas
 
Sistema Excretor (Urinário) Humano
Sistema Excretor (Urinário) HumanoSistema Excretor (Urinário) Humano
Sistema Excretor (Urinário) Humano
 
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia HumanaGametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Metodologia de projetos
Metodologia de projetosMetodologia de projetos
Metodologia de projetos
 
A crise ambiental - Seminário Integrado - CCTA
A crise ambiental - Seminário Integrado - CCTAA crise ambiental - Seminário Integrado - CCTA
A crise ambiental - Seminário Integrado - CCTA
 
Alimentação e nutrientes
Alimentação e nutrientesAlimentação e nutrientes
Alimentação e nutrientes
 
Mosquito em foco
Mosquito em focoMosquito em foco
Mosquito em foco
 
Ciências da Natureza IEEBA
Ciências da Natureza IEEBACiências da Natureza IEEBA
Ciências da Natureza IEEBA
 
Combate ao Aedes aegypti
Combate ao Aedes aegyptiCombate ao Aedes aegypti
Combate ao Aedes aegypti
 
Surto, Epidemia, Pandemia e Endemia
Surto, Epidemia, Pandemia e EndemiaSurto, Epidemia, Pandemia e Endemia
Surto, Epidemia, Pandemia e Endemia
 
Portfólio - Seminário Integrado
Portfólio - Seminário IntegradoPortfólio - Seminário Integrado
Portfólio - Seminário Integrado
 
Reprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º anoReprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º ano
 
Movimento e Medidas Astronômicas - 9º ANO
Movimento e Medidas Astronômicas - 9º ANOMovimento e Medidas Astronômicas - 9º ANO
Movimento e Medidas Astronômicas - 9º ANO
 
Sistema nervoso - 8º ANO
Sistema nervoso - 8º ANOSistema nervoso - 8º ANO
Sistema nervoso - 8º ANO
 
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela PeriódicaLixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
 
Sistema cardiovascular - 8º ano
Sistema cardiovascular - 8º anoSistema cardiovascular - 8º ano
Sistema cardiovascular - 8º ano
 
Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)
Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)
Atividades do PIBID Heloisa Louzada (Apresentação em Bagé 11/06)
 

Último

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 

Último (20)

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 

Anelídeos: Filo, Grupos e Características

  • 2. Filo Annelida  Reúne animais de corpo alongado e cilíndrico, formado por anéis dispostos em sequência.  Seus representantes mais conhecidos são as minhocas e sanguessugas.  Com cerca de 15 mil espécies, os anelídeos estão divididos em três grupos principais: Oligochaeta, Polychaeta e Hirudinea.
  • 3. Principais grupos de  Os oligoquetas - apresentam poucas cerdas corporais. anelídeos Apresentam uma grande variedade de tamanho, vivem em solos úmidos ou em ambientes de água doce.  Os poliquetas - apresentam numerosas cerdas que estão implantadas em parápodes, possuem uma cabeça com vários apêndices sensoriais como palpos, tentáculos e cerdas. Vivem no mar, alguns são predadoras e saem a procura de animais, já outros filtram a água em busca dos nutrientes necessários.  Os hirudíneos - não possuem cerdas e nem parápodes, seu corpo é ligeiramente achatado. A maioria das espécies vivem em água doce e no mar, e algumas vivem em pântanos e brejos. São chamados de sanguessugas por se alimentarem de sangue de outros animais.
  • 4. Anatomia e fisiologia dos anelídeos  Os anelídeos têm simetria bilateral.  São triblásticos e têm sistema digestório completo.  São celomados e apresentam o corpo dividido em segmentos que se repetem ao longo do comprimento.
  • 5. Revestimento corporal e sistema muscular  O corpo da minhoca é revestido externamente por uma cutícula fina e transparente, secretada pela epiderme.  Existem segmentos mais dilatados e claros, eles formam o clitelo, estrutura importante na produção de muco e na formação do casulo.
  • 6. Sistema digestório  A boca localiza-se no primeiro metâmero sob o lábio usado para cavar, o prostômio. Da faringe o alimento segue até o papo onde é lubrificado e umedecido. Depois passa para a moela, onde é triturado e fragmentado.  O alimento chega ao intestino. Na região aos cecos, o alimento mistura-se a enzimas secretadas por células da parede do tubo digestório e é digerido na cavidade instestinal (digestão extracelular).  O que não foi aproveitado é eliminado pelo ânus, juntamente com a terra ingerida. As fezes das minhocas formam montículos retorcidos, constituindo o húmus, material usado para adubo.
  • 7. Sistema circulatório e respiração  Sistema circulatório fechado – o sangue circula dentro de vasos sanguíneos. O sangue da minhoca é impulsionado por contrações rítmicas das paredes dos grandes vasos, que são dotados de células musculares.  O sangue tem cor vermelha devido à presença de moléculas de hemoglobina. Ela combina-se com o gás oxigênio, transportando-o pelo sangue.  As minhocas não têm sistema respiratório. A absorção de gás oxigênio e a eliminação de gás carbônico são efetuadas pela superfície corporal – respiração cutânea.
  • 8. Sistema excretor, nervoso e sensorial  A excreção é feita por metanefrídios. O principal produto da excreção da minhoca é a amônia. Essa substância juntamente com as fezes da minhoca, ajuda a fertilizar o solo.  O sistema nervoso é constituído por gânglios cerebrais localizados sobre a faringe e por cordões nervosos ventrais. Dos gânglios partem nervos para os músculos e para as células sensoriais.  O sistema sensorial das minhocas é pouco desenvolvido e apresenta células epidérmicas que captam estímulos mecânicos, químicos e térmicos.
  • 9. Reprodução dos anelídeos Anelídeos têm reprodução sexuada. A maioria dos poliquetos é dióica, com fecundação externa e desenvolvimento indireto. Oligoquetos e hirudíneos são monoicos e têm desenvolvimento direto, sem estágio larval.