Biblioteca Escolar 2013 - 2018

72 visualizações

Publicada em

Avaliação da Biblioteca Escolar Fernão Mendes Pinto de 2013 a 2017.
Linhas de ação para 2017 - 2018.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
72
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biblioteca Escolar 2013 - 2018

  1. 1. Avaliação da biblioteca escolar Base de Dados e MABE 2013-2017
  2. 2. 1. A biblioteca escolar em números • Atividades previstas Curriculares 6 (22%) Extracurriculares 21 (78%) • Atividades executadas Curriculares 5 (83%) Extracurriculares 24 (114%) Total: 29 (107%)
  3. 3. 1. A biblioteca escolar em números • Intervenientes previstos Alunos EB 99 ES 103 Total 202 • Intervenientes participantes Alunos EB 198 ES 390 Total 588
  4. 4. 1. A biblioteca escolar em números • Intervenientes previstos Professores EB 12 ES 5 Total 17 • Intervenientes participantes Professores EB 16 ES 19 Total 35
  5. 5. 1. A biblioteca escolar em números Nº de documentos da coleção atual = 8750 (julho de 2017) Documentos adquiridos = 183 (verba de escola + Projeto Ler+ Jovem) Documentos doados = 48 Documentos abatidos 1100 (dos quais uma parte se encontra em arquivo) Taxa de renovação da coleção = -8% (-870 documentos)
  6. 6. 1. A biblioteca escolar em números Empréstimos domiciliários = 3077 (dos quais 30 DVD) Empréstimos presenciais = 60 Nº de documentos emprestados para sala de aula = 1433 (dos quais 100 DVD)
  7. 7. 1. A biblioteca escolar em números Utilização de computadores portáteis e fixos 12385 empréstimos para atividades curriculares (51%) 12000 empréstimos para atividades extracurriculares (49%)
  8. 8. 1. A biblioteca escolar em números 2013-14 Empréstimos domiciliários = 1537 2016-17 Empréstimos domiciliários = 3077
  9. 9. 1. A biblioteca escolar em números Média diária de utilizadores da BE Alunos = 60 por dia Professores = 2 por dia
  10. 10. 1. A biblioteca escolar em números • Nº de publicações Web / Facebook no presente ano letivo: 35 • Nº acessos Web estimados: 600
  11. 11. 2. Avaliação da BE por domínios • Domínio A. Currículo, literacias e aprendizagem • Domínio B. Leitura e literacia • Domínio C. Projetos e parcerias • Domínio D. Gestão da Biblioteca Escolar
  12. 12. 2. A BE por domínios • A. Currículo, literacias e aprendizagem 2, 75 • B. Leitura e literacia 3 = • C. Projetos e parcerias 2,33 = • D. Gestão da Biblioteca Escolar 2,5 = Avaliação em 2016 - 2017 Média global = 2,65 em 2016-17 ; Média de 2,77 em 2013-14
  13. 13. 2. A BE por domínios Domínio A. Currículo, literacias e aprendizagem Pontos fortes • Aumento de requisição de obras para sala de aula (752 empréstimos em 2015-16 vs. 1433 no presente ano letivo) • Sessões sobre literacia digital (Baleia Azul, em 2016- 2017; com turmas de 7º e 8º anos por PB e professora de TIC em anos anteriores)
  14. 14. 2. A BE por domínios Domínio A. Currículo, literacias e aprendizagem Pontos fortes • Sessões sobre literacia da informação (ligação com a BMA): 12º ano e projeto Mudar(-se) • Apoio sistemático da PB aos alunos na pesquisa e seleção da informação na BE
  15. 15. 2. A BE por domínios Domínio A. Currículo, literacias e aprendizagem Pontos fracos • Disciplina com maior participação – português (leitura orientada); desvalorização da oferta pelos outros setores • Escola envolvida em diversas atividades sem enfoque nas componentes tecnológica e digital diminuiu procura / disponibilidade de turmas / professores
  16. 16. 2. A BE por domínios Domínio A. Currículo, literacias e aprendizagem Pontos fracos • Professora de TIC com prática na dinamização de sessões de literacia digital destacada para outras funções: falta de disponibilidade horária
  17. 17. 2. A BE por domínios Domínio B. Leitura e literacia Pontos fortes • Domínio forte da BE (não traduzido nos questionários MABE por falta de resposta significativa dos docentes) • Evidências: número crescente de empréstimos domiciliários e para sala de aula; aumento da organização de maletas pedagógicas.
  18. 18. 2. A BE por domínios Domínio B. Leitura e literacia Pontos fortes • Evidências: vários projetos dinamizados pela BE com vista à promoção dos hábitos de leitura e ao desenvolvimento da competência leitora, a saber: FcCJ; Projeto Mudar(-se); Projeto Ler+ Jovem.
  19. 19. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Projeto Filosofia com Crianças e Jovens (FcCJ) Objetivo: Associar a prática da leitura ao desenvolvimento do espírito crítico e da capacidade argumentativa (dilemas éticos) Ilustração de Laimonas Smergelis
  20. 20. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Projeto Mudar(-se) Objetivos (entre outros): Promover a leitura de livros e artigos científicos. Promover o recurso a fontes fidedignas de informação, bem como a sua seleção e utilização adequadas.
  21. 21. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Projeto Leituras encenadas e outras (Ler+ Jovem) Os alunos envolvidos neste projeto são os maiores leitores da BE, com maior número de requisições de obras (literárias, filosóficas, científicas ou outras, de acordo com os pressupostos desta iniciativa).
  22. 22. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Projeto Leituras encenadas e outras (Ler+ Jovem) Projeto intergeracional Permitiu 4 idas a lares / centros de dia Sessões antecedidas de treino da comunicação (postura, leitura em voz alta) Audiências de 15 a uma centena de adultos
  23. 23. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Projeto Leituras encenadas e outras (Ler+ Jovem) Desenvolvimento das capacidades de resumo, análise, juízo informado acerca das leituras realizadas. Envolvimento direto de 30 alunos de 10º ano e de 7 professores Alargamento das sessões de leitura a outras turmas (EB e ES) – contágio positivo da vontade de ler
  24. 24. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Projeto Leituras encenadas e outras (Ler+ Jovem) Alguns alunos iniciaram a sua leitura de um livro com este projeto. Acertada seleção de coordenadores das equipas do projeto: professores experientes, empenhados e eficientes na relação pedagógica e na motivação para a leitura.
  25. 25. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fortes Apoio a alunos nepaleses em língua portuguesa não materna (recorrendo ao inglês como “interlangue”) e como iniciação à leitura. Um mês após o início do apoio, cada aluno já era capaz de ler um livro em português.
  26. 26. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fracos • Falta criar uma biblioteca digital para os tablets adquiridos no âmbito do projeto Leituras encenadas e outras. • Visão da leitura na escola: associada apenas e só à ficção. Importa tornar a atividade de leitura transversal, com o empenhamento e planificação de atividades por professores de todas as áreas do conhecimento.
  27. 27. 2. A BE por domínios • Domínio B. Leitura e literacia - Pontos fracos • Concurso Nacional de Leitura com pouca adesão. • Proposta (de 2015-2016) de generalizar a participação dos alunos de início de ciclo não foi tida em consideração. • Os relatórios de aproveitamento dos alunos continuam a identificar “falta de hábitos de leitura e dificuldades na escrita” sem apontar nem aproveitar propostas de promoção da leitura.
  28. 28. 2. A BE por domínios • Domínio C. Projetos e parcerias - Pontos fortes Projeto Mudar(se): • aproximou a ESFMP da Biblioteca Municipal, tendo sido pioneira em sessões de exploração do catálogo coletivo das BM Projeto Leituras encenadas e outras: • estabeleceu e/ou fortificou parcerias com BM, Teatro Municipal, Centros de Dia de Almada.
  29. 29. 2. A BE por domínios • Domínio C. Projetos e parcerias - Pontos fortes Projeto Filosofia com Crianças e Jovens: • estimulou a cooperação entre os professores bibliotecários de Almada, pois vários assistiram a sessões de FcCJ na nossa escola, em espírito de aprendizagem mútua, crítica construtiva e reflexão conjunta.
  30. 30. 2. A BE por domínios • Domínio C. Projetos e parcerias - Pontos fortes Projeto Filosofia com Crianças e Jovens: • proporcionou a integração da escola no projeto “Quem somos? Ler o nosso mundo”, dinamizado pela Biblioteca Municipal ao longo do ano letivo, bem como a nossa participação na Semana da Filosofia (junho de 2017) com um vídeo representativo das sessões de FcCJ
  31. 31. 2. A BE por domínios • Domínio C. Projetos e parcerias - Pontos fracos Projeto Filosofia com Crianças e Jovens: • falta de equidade dos participantes devido a mancha horária • mantiveram-se os alunos que tinham aulas antes das sessões de FcCJ e tenderam a abandonar os que se deslocavam de propósito na sua manhã livre
  32. 32. 2. A BE por domínios • Domínio C. Projetos e parcerias - Pontos fracos Projeto Mudar(-se): • constante sobreposição de atividades a colidir com as já planeadas tornou difícil a monitorização do projeto e levou à desistência da entidade patrocinadora
  33. 33. 2. A BE por domínios Domínio C. Projetos e parcerias Entidades envolvidas em projetos/atividades com a BE: PNL / Concurso Nacional de Leitura Fundação Francisco Manuel dos Santos (PORDATA) USALMA - Universidade Sénior (Comunidade de Leitores) CONSULAI – empresa agroalimentar (Projeto Mudar(-se)) Centro de Dia Padre Ricardo Gameiro (diferentes polos) e Teatro Municipal Joaquim Benite (Projeto Leituras encenadas e outras) Pontos fortes no quadriénio 2013 – 2017
  34. 34. 2. A BE por domínios Domínio C. Projetos e parcerias Entidades envolvidas em projetos/atividades com a BE: Editoras , livrarias e livreiro (Justino Barreiros) Biblioteca Municipal de Almada Rede de Bibliotecas Escolares BAD (Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas) Pontos fortes no quadriénio 2013 – 2017
  35. 35. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fortes Equipa e colaboradores da BE (nem sempre existentes no quadriénio) Horário compatível entre PB e equipa para reunião / trabalho conjunto semanal Assistente Operacional exclusivamente dedicada à BE e suas atividades BE como local aprazível para os alunos, por eles procurado com muita assiduidade (várias vezes por dia) para lazer e trabalho individual e em grupo Serviço wifi como atrativo dos mais novos
  36. 36. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fortes Aumento da taxa de utilização da coleção de 3% (em 2014- 2015) e de 8% (em 2015-2016) para 43% no presente ano, devido ao desbaste da coleção, tornando o universo de livros interessantes e adequados ao nosso público forçosamente menor, mas mais atrativo.
  37. 37. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fortes Coleção mais próxima dos interesses dos alunos e mais sugestiva, devido a renovação de títulos e, sobretudo, ao desbaste de monografias contaminadas por fungos, com folhas amarelecidas, com conteúdo científico desatualizado, por um lado, e livros destinados a estudantes universitários e investigadores, por outro.
  38. 38. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fortes Todos os livros e DVD estão registados. Cerca de 70% dos livros estão catalogados na base de dados (CATWIN) segundo as regras de catalogação consignadas para as BE. Nos últimos anos, a não ficção tem vindo a ser indexada, o que permite encontrar um livro a partir de um tema ou palavra-chave. Alguns títulos ficcionais que se prestam a trabalhos dos alunos também estão indexados.
  39. 39. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fracos Subsistem erros no catálogo (maioritariamente de livros introduzidos em 2001), o que reforça a importância de pessoal qualificado nas bibliotecas. Cerca de 15% dos livros em catálogo não têm nº de registo, o que inviabiliza o empréstimo informatizado. No entanto, em 2014, esse nº era mais do dobro.
  40. 40. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fracos Pouco acesso de alunos e professores aos catálogos (livros e DVD), fomentando assim a busca por fontes fidedignas de conhecimento. Verba de escola insuficiente para renovar a coleção na área de não ficção, de apoio a trabalhos e pesquisas dos alunos.
  41. 41. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fracos Professores da Equipa com escasso tempo de atividade na biblioteca para trabalho conjunto (gestão, acompanhamento de alunos, redação de documentos e acompanhamento de projetos): 45 ou 90 minutos semanais é claramente insuficiente. Atribuição de outras funções a membro da equipa no decurso do ano, o que inviabilizou a redação/ revisão do Regulamento da BE.
  42. 42. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fracos Equipamento informático lento, desatualizado, com pouca memória, escasso e com deficiente manutenção (7 computadores fixos para cerca de mil alunos) Portáteis deslocados da BE para uma única sala, afetando negativamente o trabalho individual e de grupo na biblioteca.
  43. 43. 2. A BE por domínios • Domínio D. Gestão da biblioteca escolar - Pontos fracos Omissão do Regulamento da Biblioteca Escolar no Regulamento Interno da escola, apesar de ter sido elaborado em 2010 e posteriormente revisto e aprovado em sede de Conselho Pedagógico. (Caso esta falha tivesse sido notada superiormente, a BE não poderia ter sido selecionada a nível nacional no Projeto Ler+ Jovem, como o foi no presente ano letivo).
  44. 44. Conclusão Nota final: Uma maior utilização dos recursos da biblioteca, que se pretende sempre crescente, requer uma aposta da escola na dimensão da leitura e das literacias como fatores promotores de sucesso educativo de forma lenta, mas transversal e eficaz. Ilustração de Laimonas Smergelis
  45. 45. Recomendações do Conselho Pedagógico 1) Articulação da BE com os Domínios de Articulação Curricular (DAC) no 7º ano de escolaridade, no âmbito da flexibilização curricular, facilitando a pesquisa, seleção e tratamento da informação, com obrigatoriedade de planificação conjunta (da BE com os professores titulares de turma) de sessões de literacia da informação e de literacia digital dirigidas aos alunos. O apoio da biblioteca aos professores nos DAC, sempre que solicitado pelos mesmos, deverá ter por base uma planificação anual e a definição clara dos projetos e turmas a acompanhar pela equipa da BE;
  46. 46. Recomendações do Conselho Pedagógico 2) Explicitação, por parte da direção e do departamento de línguas, junto dos professores de Português Língua Não Materna (PLNM) da oferta da biblioteca no desenvolvimento de competências em português como 2ª língua, de modo a reforçar e aprofundar o apoio prestado já em 2016-2017 a docentes e alunos;
  47. 47. Recomendações do Conselho Pedagógico 3) Adesão obrigatória das turmas de 7º e 10º anos ao Concurso Nacional de Leitura, podendo estudar-se a possibilidade de serem selecionadas, na 1ª fase do concurso, obras (literárias ou científicas) em articulação com os projetos dos alunos; 4) Aposta em formação para o uso responsável da internet através de sessões de literacia digital dirigidas a alunos do 3º ciclo e do ensino secundário.
  48. 48. Recomendações do Conselho Pedagógico 5) Continuação da articulação curricular com os professores de Educação Física na promoção de “Encontros com…” entidades e personalidades que vão ao encontro dos conteúdos estudados pelos alunos na disciplina, podendo contemplar trabalho prévio (organização de questões a colocar aos oradores) e/ou posterior (por exemplo, relatórios) dos participantes.
  49. 49. Recomendações do Conselho Pedagógico 6) Replicar das sessões de leitura (projeto “Leituras encenadas e outras”) em alguma(s) turma(s) de 10º ano ou de outro ano de escolaridade, conforme já sucedeu em 2016-2017; 7) Maior envolvimento dos Encarregados de Educação, convidando-os a assistir a sessões de leitura ou outras; 8) Manutenção da equipa da Biblioteca Escolar e dos coordenadores do projeto “Leituras encenadas e outras”.
  50. 50. Obrigada pela vossa atenção! Professora bibliotecária: Maria Carla Crespo Conselho Pedagógico de 18 de julho de 2017
  51. 51. Avaliação da biblioteca escolar Base de Dados e MABE 2013-2017

×