Surto urbano 2

3.073 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.073
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
511
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Surto urbano 2

  1. 1. Indicador de aprendizagem• Enquadrar as relações cidade- campo no renascimento de uma economia de mercado• Descrever a configuração da cidade medieval
  2. 2. Dos burgos e abadias fortificadas surgem novas cidadesTípicas criações medievais, os burgos e as abadias fortificadas deram origem a novascidades, aproveitando-se das condições benéficas dos séculos XI e XII.Burgo é a denominação das inúmeras fortalezas edificadas nos inseguros séculos IX eX. Mantinham guarnições permanentes, sediavam os tribunais e as residências dosgrandes senhores e serviam de refúgio às populações vizinhas, tornando-se locaisnaturalmente procurados pelos mercadores. Com o crescimento demográfico, elesficaram pequenos para abrigar o crescente número de viajantes e comerciantes. Estesinstalaram-se então em subúrbios fora das muralhas,novos burgos. Com o tempo, os osnovos burgos cercaram-se também de muralhas que, envolvendo as antigasfortificações senhoriais, deram origem a novas cidades. Foi o caso de Bruges e Gand,na atual região da Bélgica, de Douai e Arras, na atual França.As abadias, fortificadas para dar maior segurança aos monges, também abrigavam oscamponeses da região em caso das invasões. A revitalização comercial fez com que aopé de suas muralhas se estabelecessem núcleos de mercadores, que acabaramatraindo populações que lá se fixaram permanentemente.Assim, muitas abadias constituíram os núcleos de novas cidades, que conservaram osnomes dos santos aos quais eram dedicadas. Foi o que ocorreu com Saint-Omer, Saint-Girons e Saint-Fargeau, na atual França; com San Marino e San Gimignano, napenínsula Itálica. ARRUDA, José Jobson ,Toda a história: história geral e do Brasil
  3. 3. • Embora permanecesse rural, a Europa dos Séculos XII e XIII conheceu um significativo crescimento urbano. O desenvolvimento urbano manifestou-se primeiro pelo crescimento dos velhos centros populacionais ou burgos. A população aumentara de tal forma que a área urbana deixara de a comportar, obrigando à formação de novos bairros fora das muralhas. Os burgos de fora foram crescendo na zona de arrabalde, terras vizinhas onde os moradores da cidade possuíam campos de cultivo, vinhedos e pomares. A partir dos séculos XI e XII em consequência da expansão económica, novas zonas de povoamento urbano nasceram fora das primitivas muralhas, dando origem a burgos novos e a novas muralhas exteriores. Em muitas delas, começaram a ser edificados novos bairros. Eram habitados sobretudo por comerciantes e artesãos e ficavam fora das muralhas, pois já não cabiam no seu interior. Esses bairros constituíam o burgo novo. Por isso se deu, ao grupo social que aí morava, o nome de burguesia.
  4. 4. Nos séculos XII e XIII, muitas cidades europeias, apesar do seu crescimento,continuavam sujeitas ao poder dos grandes senhores feudais e sofriam com as normasfeudais que impedia seu crescimento.Para poder exercer suas atividades as cidades tinham de pagar taxas (Franquia) aossenhores feudais que, em tese, eram proprietários do espaço físico ocupado. Parapoder pagar a franquia os habitantes se reuniam em confrarias: os artesãos se uniamnas Corporações de Oficio e os mercadores nas Guildas. As cidades que conseguiamsuas franquias eram chamadas de cidades Francas.
  5. 5. Para se libertarem do poder senhorial, algumas cidades, sob a direcção dosburgueses mais influentes, tiveram de travar prolongadas lutas, por vezesviolentas para obter a Carta de Franquia. Conquistaram, assim, a sua autonomia epuderam formar governos próprios. Uma vez libertos da tutela feudal, os antigosburgos passavam a ser conhecidos como comunas
  6. 6. Eu, Roberto pela graça de Deus, conde de Dreux, quis através de escritura ,notificar todos os presentes e futuros que, tendo nascido um desacordo entre mime os burgueses de Dreux , concordarmos enfim , com este acordo , pelo qual lheconcedemos ter a comuna que eles tiverem em dias de meu pai.Para mais , jurámos aos ditos burgueses que não cobrearemos, nós e nossossucessores, nenhum imposto sobre os ditos burgueses e não lhe faremosnenhuma violência.Mas , suspenderemos todas as discórdias através um acordo,se isto se puder fazer. Se a sua discórdia não puder ser ultrapassada , pôr-lhe –emos cobro na nossa corte , pelo julgamento de homens sábios e dos nossos fiéis.Concedemos também aos burgueses que não forçaríamos ninguém da suacomuna a usar os nossos moinhos nem a pagar outros foros. Corfirmação da Comuna de Dreux, 11801- Indica os aspetos do compromisso tomado pelo conde de Dreux relativamenete aos burgueses. .
  7. 7. Em geral, entende-se por comuna uma associação jurada que obtém a confirmação dosseus usos e costumes , o direito de escolher no seu seio os magistrados que seencarreguem de defender os seus privilégios e que exerçam em seu nome umajurisdição mais ou menos alargada. A redação de uma carta de comuna expressa o seu reconhecimento por parte dautoridade local. Estes textos são antes de mais, uma garantia contra a arbitrariedade .Eles concediam aos “Conjurados” a liberdade pessoal, corolário da paz , limitam osimpostos , requisições e corveias , fixam os deveres militares dos citadinos , instituemárbitros encarregados de zelar pela manutenção da paz , bem como julgar e aplicarsanções. M. Balard. A Idade Média no Ocidente1-Caracteriza as comunas , indicando as suas especificidades em relação às cidadessenhoriais2- Demonstre como a obtenção de uma carta de comuna possibilitava odesenvolvimento das cidades medievais.
  8. 8. A obtenção de uma carta de comuna possibilitava o desenvolvimento das cidadesmedievais porque naquela estavam definidos os deveres e direitos dos habitantesdas cidades, entre os quais se destacava o direito de se governarem a si próprios,a definição do montante a pagar de imposto, a limitação dos deveres militares.A obtenção de uma carta de comuna possibilitou, dessa forma, odesenvolvimento económico e comercial das cidades medievais e a libertaçãodos abusos cometidos pelos senhores feudais nobres e/ou eclesiásticos.
  9. 9. Mapa da cidade de BragaO ESPAÇO URBANO·É circundado por muralhas, com altas torres de vigia, fora das quais seencontra o arrabalde, local onde se fixam os ofícios poluentes e ruidosos,e o termo, espaço circundante de campos e aldeias.· Possui vulgarmente uma planta irregular, que se distribui organicamente,e algumas vezes uma planta regular, de malha ortogonal, ao estilo romano.· Organiza-se à volta da praça do mercado – a símbolo das actividadeseconómicas –, da câmara municipal – símbolo das actividadesadministrativas – e da catedral – símbolo do poder religioso.
  10. 10. Tem ruas sinuosas e irregulares que se adaptam ao terreno.Dentro dos limites cercados das cidades, os terrenos eram caríssimos e procurava-seaproveitar cada centímetro. As contruções, em geral de madeira, eram colocadasumas às outras, e os andares superiores eram projetados sobre as ruas, que já eramestreitas, tornando-as ainda mais sombrias. O perigo de incêndio era constante.
  11. 11. O incontrolável crescimentodemográfico dificultava aobservância de padrões dehigiene e de conforto. Ascondições sanitárias erampéssimas: o lixo eramdespejado nas ruas e suacoleta ficava a cargo daseventuais chuvas; até que issoocorresse, formavam-semontes de detritos, resolvidospor cães e porcos.

×