O império em crise parte 1

2.359 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
289
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O império em crise parte 1

  1. 2. Que romano, no auge do Império, imaginaria o fim de sua civilização?
  2. 3. <ul><li>Explica de que forma o Cristianismo contribuiu para a queda do Império Romano </li></ul><ul><li>Identifica outras causas da crise do império </li></ul><ul><li>Descreve o modo de vida dos Bárbaros </li></ul>
  3. 4. o Cristianismo Vídeo “A Paixão de Cristo”
  4. 5. O Cristianismo surgiu durante o Alto Império, numa província romana, na Palestina, região árida e pobre, que no decorrer de 600 anos foi dominada por grandes povos (Gregos e Romanos). Habitada por Judeus, um povo muito religioso (monoteístas), acreditavam que Deus enviaria um Messias (salvador) para libertá-los da dominação e exploração romana. O Cristianismo surgiu no séc. I, na Palestina, que então fazia parte do Império Romano. O fundador desta nova religião foi Jesus Cristo , nascido em Belém, na Judeia, que, aos 30 anos, começou a pregar uma mensagem de paz e tolerância entre todos os homens.
  5. 6. O Cristianismo difundiu-se rapidamente a partir da Judeia para, nos séculos II e III, se encontrar já fortemente implantado em várias comunidades do império, nomeadamente em Roma, onde começou a ser perseguido pelo poder político, por ser considerado um factor de instabilidade social e um incentivo à desobediência e sublevação das populações. <ul><li>A todos levava uma mensagem NOVA e encorajadora : </li></ul><ul><ul><li>de igualdade entre os homens e sem distinção entre ricos e pobres; </li></ul></ul><ul><ul><li>de amor a Deus , tendo como recompensa a vida eterna; </li></ul></ul><ul><ul><li>de amor ao próximo como a si mesmo; </li></ul></ul><ul><ul><li>de tolerância, paz e compaixão , </li></ul></ul><ul><ul><li>de salvação para todos os homens , afirmando o carácter </li></ul></ul><ul><ul><li>universal da sua mensagem . </li></ul></ul>
  6. 7. <ul><li>As razões deste antagonismo foram sobretudo político-ideológicas: </li></ul><ul><li>a desigualdade social existente no império. </li></ul><ul><li>Sentido totalitário e universalista da sua doutrina – que defendia a existência de um Deus único e não admitia qualquer outro credo, dirigindo-se a toda a Humanidade sem distinção de raça, sexo ou situação social </li></ul><ul><li>Recusa total quanto a prestar culto a qualquer outra divindade, incluindo o culto ao estado e ao imperador </li></ul><ul><li>Esta nova religião era uma ameaça à ordem Romana porque: </li></ul><ul><ul><li>tinha uma religião politeísta; </li></ul></ul><ul><ul><li>o culto ao imperador era obrigatório; </li></ul></ul><ul><ul><li>era uma sociedade esclavagista. </li></ul></ul><ul><li>A recusa de prestar culto ao Imperador e aos deuses tradicionais, levou alguns Imperadores como Nero e Diocleciano a mover intensas perseguições aos cristão. </li></ul>
  7. 8. Quando os romanos se aperceberam que o Cristianismo era uma ameaça para o Império, pois condenava o culto imperial e a escravatura, moveram uma grande perseguição aos cristãos que eram presos e lançados às feras.
  8. 9. Traído por um de seus apóstolos, Judas, que levou os soldados romanos até o local onde Jesus costumava rezar, foi preso, julgado pelo povo judeu, incitado pelos sacerdotes e crucificado na sexta-feira às 15 horas, sob as ordens do então governador romano, Pôncio Pilatos.
  9. 11. A pregação de Cristo atraiu muita gente e acabou por se tornar incómoda para os Judeus e para os Romanos. Jesus Cristo foi crucificado aos 33 anos.
  10. 12. As perseguições foram mais violentas nos séculos III e IV. Contudo, o Cristianismo ia alastrando, penetrando nos estratos mais elevados da sociedade, ao mesmo tempo que os fiéis praticavam secretamente o culto nas catacumbas de Roma, onde também sepultavam os seus mortos.
  11. 13. <ul><li>Constantino e sua mãe </li></ul>De religião perseguida a religião oficial <ul><li>A conversão ao Cristianismo da mãe do Imperador Constantino , levou o Imperador a conceder a liberdade religiosa em 313 , pelo Édito de Milão. </li></ul><ul><li>Constantino contribuiu para que o cristianismo se tornasse a religião dominante no Império: </li></ul><ul><ul><li>mandou erguer inúmeras igrejas; </li></ul></ul><ul><ul><li>isentou de impostos padres e bispos; </li></ul></ul><ul><ul><li>confiscou os tesouros dos templos pagãos. </li></ul></ul><ul><li>Em 380 o Imperador Teodósio tornou o Cristianismo a religião oficial do Império; </li></ul><ul><li>Proibiu os outros cultos; </li></ul><ul><li>Mandou encerrar os templos pagãos. </li></ul>
  12. 14. A religião fundada por Jesus Cristo foi um dos motivos da queda do império romano . Numa época em que o poder dos imperadores foi enfraquecendo foi o poder espiritual da Igreja que, sobrepondo-se e substituindo o poder imperial desfeito, deu continuidade ao seu legado político-cultural no império fragmentado pelos Bárbaros.

×