Estereótipos de género

878 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
878
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estereótipos de género

  1. 1. Projecto Educação Sexual – Secundário 11ºE Estereótipos de Género
  2. 2. Video
  3. 4. Qual o significado de estereótipo? <ul><li>Imagem distorcida de um grupo ou pessoa que muitas vezes conduz a um tratamento injusto </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Maternidade exacerbada - culto da Deusa-Mãe </li></ul>
  5. 6. Homo erectus “ O Homem fez…. O Homem Inventou”
  6. 7. <ul><li>Na democracia de Péricles - exclusão da participação das mulheres da vida na polis. -A educação diferenciada entre rapazes e raparigas </li></ul>
  7. 8. O Gineceu Andrón
  8. 9. <ul><li>Destacou-se nas letras e nas ciências - matemática - filósofa (sécIV) - assassinada por uma seita cristã (xenofobia) emAlexandria onde ensinava: </li></ul><ul><li>Filosofia Álgebra Geometria             </li></ul><ul><li>  Inventou: o astrolábio,  o destilador de água, o hidroscópio, o planisfério </li></ul>Hypatia
  9. 10. <ul><li>Idade Média - mulher ocupava-se da gestão do lar </li></ul><ul><li>a mulher era propriedade do marido </li></ul>O homem nascera para mandar, conquistar, realizar. b) A mulher, por sua vez, nascera para agradar, ser mãe e desenvolver certo pudor natural. Belas aos 13 anos, matronas aos 18, e pesadas senhoras, cercadas de filhos, um pouco depois. Discrição, amabilidade, delicadeza, tais princípios ditavam a vida da mulher em sociedade.
  10. 11. <ul><li>  Detentoras de conhecimentos em matéria de: </li></ul><ul><li>     - religião     -astrologia     - química     - alquimia    - botânica    - farmacologia </li></ul><ul><li>Todas elas ciências cujo conhecimento ultrapassava o dos médicos da altura ou que eram uma alternativa concorrência ao domínio do clero. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>culto da sati - obrigação da auto- incineração da viúva no dia do funeral do marido </li></ul><ul><li>A mulher já não teria necessidade de viver após a morte do marido.  -Procedimentos para aceitação pacífica da morte  na pira:                         - ameaças                         - espancamentos - drogas - invenção de um prémio sagrado = 35 milhões de anos de felicidade celestial para as satis </li></ul>
  12. 13. <ul><li>No século XVIII, cabia ao homem o papel de pai, de chefe de família </li></ul><ul><li>Já mulher deveria ser uma excelente dona-de-casa e incansável mãe. O seu trabalho não era valorizado nem remunerado. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Até o final do século XIX, o casamento por interesse era considerado um “negócio” de importância fundamental para a saúde financeira das famílias mais abastadas , mas também das classes menos favorecidas. </li></ul><ul><li>Devido à inquestionável importância social do Clero era costume condenar-se tudo o que dissesse respeito ao corpo, recusando-se a noção de prazer e exaltando-se a virgindade. </li></ul>A Duqueza
  14. 15. Namoro: pouco ou nenhum. Noivado: rápido. Em primeiro lugar, porque os ritos conjugais eram alheios à vontade dos envolvidos. Em segundo lugar, porque raramente se permitia que o pretendente se encontrasse com sua donzela pessoalmente; quando muito, uma conversa entre os noivos só era possível na presença dos pais. -A violência sexual no casamento não era considerada crime
  15. 16. <ul><li>No século XIX, foi fortalecida a ideia de uma dicotomia entre os géneros. </li></ul><ul><li>Homem = cérebro, inteligência, razão lúcida, capacidade de decisão </li></ul><ul><li>Mulheres = coração,sensibilidade, sentimentos . </li></ul>
  16. 17. A Mulher no século XIX <ul><li>Considerava-se que a mulher era incapaz de assumir responsabilidades, devendo, por isso, estar sujeita à tutela do chefe de família, fosse ele o pai, o marido ou o irmão </li></ul><ul><li>Era educada para ser a «fada do lar», para cuidar da vida doméstica </li></ul>
  17. 23. mudanças no quotidiano feminino A mulher acede ao mundo do trabalho assalariado Com a 1ª Guerra Mundial A mulher foi ganhando uma certa independência económica o que a levou a reivindicar os mesmos direitos que o homem. Nos anos 20, conservaram parte desses postos de trabalho e começaram a libertar-se da sua situação de dependências.
  18. 24. A moda feminina tornou-se mais prática e cómoda. O soutien substituiu o espartilho, a saia subiu até ao joelho e o cabelo foi cortado à garçonne . Joan Crawford 1905 - 1977 Louise Brooks 1906 – 1985
  19. 27. Ao tomaram consciência da sua força, as mulheres reivindicaram direitos políticos e sociais. Surgiram movimentos feministas que lutaram pela emancipação da mulher e pela igualdade de direitos.
  20. 28. No entanto… Música- Pretty woman
  21. 29. Frases retiradas de REVISTAS FEMININAS das décadas de 50 e 60:
  22. 30. <ul><li>“ Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas&quot;. </li></ul><ul><li>(Jornal das Moças, 1957) </li></ul><ul><li>&quot;Se desconfiar de infidelidade do marido, </li></ul><ul><li>a esposa deve redobrar os carinhos </li></ul><ul><li>e provas de afecto, </li></ul><ul><li>sem questioná-lo nunca&quot;. </li></ul><ul><li>(Revista Claudia, 1962) </li></ul><ul><li>“ Desordem na casa de banho, desperta no marido </li></ul><ul><li>vontade de ir tomar banho fora de casa&quot;. </li></ul><ul><li>(Jornal das Moças, 1965) </li></ul>
  23. 31. <ul><li>  </li></ul><ul><li>&quot;A mulher deve fazer o marido </li></ul><ul><li>descansar nas horas vagas, </li></ul><ul><li>servindo-lhe uma cerveja bem gelada. </li></ul><ul><li>Nada de incomodá-lo com serviços </li></ul><ul><li>ou notícias domésticas&quot;. </li></ul><ul><li>(Jornal das Moças, 1959) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>&quot;Se o seu marido fuma, </li></ul><ul><li>não discuta pelo simples facto </li></ul><ul><li>de deixar cair cinza no tapete. </li></ul><ul><li>Espalhe cinzeiros por toda a casa&quot;. </li></ul><ul><li>(Jornal das Moças, 1957) </li></ul><ul><li>&quot;O noivado longo é um perigo, </li></ul><ul><li>mas nunca sugira o matrimónio. </li></ul><ul><li>ELE é quem decide - sempre&quot;. </li></ul><ul><li>(Revista Querida, 1953) </li></ul>
  24. 32. <ul><li>&quot;O lugar de mulher é no lar. </li></ul><ul><li>O trabalho fora de casa masculiniza&quot;. </li></ul><ul><li>(Revista Querida, 1955) </li></ul>
  25. 33. <ul><li>&quot;Sempre que o marido sair com os amigos </li></ul><ul><li>e chegar a altas horas da noite, </li></ul><ul><li>espere-o linda, perfumada e dócil&quot;. </li></ul><ul><li>(Jornal das Moças, 1958) </li></ul><ul><li>&quot;É fundamental manter sempre </li></ul><ul><li>uma aparência impecável diante do marido&quot;. (Jornal das Moças, 1957) </li></ul><ul><li>&quot;A esposa deve vestir-se depois de casada, </li></ul><ul><li>com a mesma elegância de solteira, </li></ul><ul><li>pois é preciso lembrar-se de que a caça já foi feita, </li></ul><ul><li>mas é preciso mantê-la bem presa.&quot; </li></ul><ul><li>(Jornal das Moças, 1955) </li></ul>
  26. 34. Já não se fazem revistas como Antes!
  27. 36. Mulheres trajadas com Burqas
  28. 39. Fragilidade, o teu nome é mulher! William Shakespeare A história da mulher é a história da pior tirania que o mundo conheceu: a tirania do mais fraco sobre o mais forte. Oscar Wilde
  29. 40. Não se nasce mulher: torna-se. Simone de Beauvoir É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o trabalho poderá garantir-lhe uma independência concreta. Simone de Beauvoir “ O homem é forte pela razão; a mulher invencível pela lágrima. A razão convence; a lágrima comove.” Victor Hugo
  30. 41. <ul><li>Se lhes recusa uma dimensão humana global que permitiria que fossem reconhecidos como mais do que trabalhadores ou agentes de actividade económica; </li></ul><ul><li>Se lhes atribui, legal ou socialmente, como responsabilidade exclusiva ou principal, o sustento da família, limitando-lhes as opções profissionais, a autonomia e o desenvolvimento pessoal e relacional: </li></ul><ul><li>Se exerce sobre eles uma pressão desproporcionada face ao “muito dinheiro” que teriam que ganhar; </li></ul><ul><li>Se condicionam, para que não sigam carreiras em que as mulheres são maioritárias; </li></ul>A Desigualdade Prejudica os Homens quando: Slideshow Vitor Hugo

×