A arquitectura civil românica

9.499 visualizações

Publicada em

1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.499
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.471
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Castillo de los templarios. España
  • A arquitectura civil românica

    1. 1. Os castelos
    2. 3. <ul><li>Os castelos foram das poucas construções civis do românico. </li></ul><ul><li>Tendo evoluído de simples paliçadas de madeira , os 1º castelos apareceram no Ocidente no séc. X </li></ul>
    3. 4. Numa época de guerras e grande insegurança , os castelos assumiram-se como fortificações militares de carácter defensivo. A sua localização, em zonas elevadas , permitia uma melhor defesa do inimigo . Muitos deles eram cercados por água, para dificultar a entrada dos inimigos.
    4. 5. Castelo de Guimarães
    5. 6. Castelo de Óbidos
    6. 7. Castelo da Feira
    7. 8. O Castelo de Almourol, também conhecido como o Castelo dos Templários
    8. 9. Torre de Menagem
    9. 10. As fortalezas constru í am-se para proteger o territ ó rio, sendo esse o papel do castelo e, por isso, a escolha do local é essencial. O castelo pode erguer-se em vastos espa ç os para se aproveitar um grande ângulo de visão, vigiar-se as estradas. Tamb é m pode ser constru í do sobre uma pequena colina para dominar melhor o territ ó rio e se poder defender mais facilmente. Antes de se construir o edif í cio ser á preciso pensar nos materiais necess á rios para a sua constru ç ão, de maneira a que não seja muito dif í cil obter madeira, pedra, cânhamo. Para se poderem defender do inimigo abre-se estradas um pouco por todo o lado. Nos caminhos das rondas, situado na sacada criam-se os mata ç ões, buracos de onde se pode atirar todo o tipo de proj é cteis. Tamb é m se constroem as seteiras, recortes que envolvem as muralhas e permitem simultaneamente a protec ç ão dos ataques dos inimigos e contra-atacar. O cerco de um castelo é uma opera ç ão bastante longa e dif í cil cujo resultado é sempre incerto: se o castelo é tomado, é pilhado e por vezes, é at é mesmo destru í do.
    10. 11. Muralhas Porta d e Entrada Torre Adarve Ameias e Merlões Torre de Menagem
    11. 12. <ul><li>Um castelo é uma edificação complexa, construída tendo por ponto predominante uma torre central, a chamada Torre de Menagem. Era o último reduto de defesa de um castelo quando todas as restantes defesas tivessem sucumbido. Era um edifício com diversos andares, escadas estreitas, paredes muito espessas e porta de difícil acesso. </li></ul>
    12. 13. A Torre de Menagem
    13. 14. <ul><li>Na Torre de Menagem a porta não era ao nível do solo, mas no primeiro andar ou acima. O acesso era feito por uma escada volante, de madeira ou por uma ponte igualmente de madeira sendo assim fácil de tirar em caso de necessidade isolando a Torre do resto do castelo em caso de necessidade. </li></ul>
    14. 15. <ul><li>- Porta de Entrada , era o ponto fraco da defesa de um castelo. Assim sendo era comum que fosse ladeada por duas torres . </li></ul>
    15. 16. A entrada do Castelo
    16. 17. <ul><li>- Muralhas , paredes de 4 a 5 m de espessura com dois paramentos de pedra emparelhadas, com pedras mais pequenas e argamassa a encher os vazios. Não eram habitualmente muito altas, pois obrigaria a serem demasiado espessas, mas eram construídas ao longo do perfil mais inclinado do terreno, dificultando a acção dos invasores. </li></ul>Castelo de Trancoso
    17. 18. <ul><li>- Adarve , caminho no topo das muralhas que percorre todo o perímetro do castelo, permitindo a movimentação rápida dos guerreiros. </li></ul>
    18. 20. <ul><li>- Ameias e merlões , o parapeito da muralha apresentava saliências que serviam de protecção para ataques com bestas e arcos. Os elementos elevados são os merlões e os vazios as ameias. </li></ul>Merlões Ameias
    19. 21. <ul><li>A espaços e pelo menos aos lados da porta principal erguiam-se Torreões cobertos de ameias com objectivos defensivos. </li></ul>
    20. 22. <ul><li>Em volta do castelo medieval, geralmente, era aberto um fosso preenchido com água. Esta estratégia era importante para dificultar a penetração dos inimigos durante uma batalha. Os castelos eram cercados por muralhas e possuíam torres, onde ficavam posicionados arqueiros e outros tipos de guerreiros. O calabouço era outra área importante, pois nele os reis e senhores feudais mantinham presos os bandidos, marginais ou inimigos capturados. </li></ul>
    21. 24. Na época dos castelos as guerras eram muito comuns.
    22. 25. <ul><li>No momento da invasão inimiga, todos corriam para buscar abrigo dentro das muralhas do castelo. </li></ul><ul><li>A ponte levadiça , feita de madeira maciça e ferro, era o único acesso ao castelo e, após todos entrarem, era erguida para impedir a penetração inimiga. </li></ul>
    23. 28. Catapultas
    24. 31. <ul><li>Muitos de nós imaginamos que a vida num castelo medieval era luxuosa, os nobres cheios de jóias e vestindo os mais belos e finos tecidos. Mas, ao contrário de tudo isso, a vida num castelo não era muito fácil. </li></ul>
    25. 32. <ul><li>Trabalho era o que não faltava. Além disso, a vida naquela época não era muito confortável. Não havia aquecedores, a não ser a lareira nos castelos dos nobres senhores feudais. Os servos, soldados e outros tinham pequenos candeeiros e passavam muito frio nas frias noites medievais. </li></ul>
    26. 33. O mobiliário rústico limitava-se geralmente a uma mesa arrumada sobre cavaletes e a um grande baú, no qual se guardava quase tudo (roupas, armas e outros objectos).

    ×