Agrupamento de Escolas de Abação
Guimarães
Projeto 2013/2014
“duas escolas, duas histórias…Um Olhar
Especial!”
Agrupamento...
Introdução
Este projeto tem como objetivo fundamental efetuar intercâmbio de comunicação com
outras ”crianças”, através da...
Tema
“Duas Escolas, duas Histórias… Um Olhar Especial!”
Objetivos/Finalidades
- Promover o intercâmbio entre diferentes me...
Material Necessário/ Orçamento
. Papel de carta/fotografias/postais, músicas, filmes, imagens …;
. Envelopes, Selos;
. Tra...
Conclusão
“O ato transforma o pensamento, o gesto transforma a palavra e o corpo
transforma a consciência”.
Vítor da Fonse...
Conclusão
“O ato transforma o pensamento, o gesto transforma a palavra e o corpo
transforma a consciência”.
Vítor da Fonse...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

0 projeto inter câmbio j. meira[jú]

150 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

0 projeto inter câmbio j. meira[jú]

  1. 1. Agrupamento de Escolas de Abação Guimarães Projeto 2013/2014 “duas escolas, duas histórias…Um Olhar Especial!” Agrupamento de Abação Agrupamento João de Meira (alunos de Educação Especial)
  2. 2. Introdução Este projeto tem como objetivo fundamental efetuar intercâmbio de comunicação com outras ”crianças”, através da troca de cartas, contendo textos, desenhos, fotografias, músicas, filmes, imagens, símbolos, entre outros sistemas de comunicação. Assim, o Intercâmbio Escolar será utilizado como um material de apoio e suporte à aprendizagem dos alunos. Longe de se construir apenas de palavras, a comunicação é anterior ao som, ao código a até ao desejo de iniciá-la. A comunicação perpassa os gestos, os olhares e atravessa os silêncios. A comunicação é transversal a todos os seres vivos e transversalmente complexificada à medida que se avança na hierarquia dos atos comunicacionais. Diremos que a palavra surge como corolário de um extenso processamento hierárquico de gestos, intenções e afetos sustentados por essa atadura que por ser o sinal que fica é a base que a sustenta. Comunicamos mesmo quando o não desejamos fazer. Será pois à volta do infinito universo de significações que atravessam as nossas interações comunicativas que se estrutura o presente trabalho que pretende, fundamentalmente, eliminar barreiras de comunicação/informação entre as duas escolas. “(…) a aprendizagem humana não se explica ou esgota apenas pela integridade biológica dos genes e dos cromossomas, nem se limita a uma pura exposição direta a objetos, a conhecimentos, a atitudes e a situações, mas emerge de uma relação indivíduo-meio que é mediatizada por outro indivíduo mais experiente, cujas práticas e crenças culturais são transmitidas às gerações futuras, promovendo nelas zonas mais amplas de desenvolvimento crítico e criativo” (op. Cit: 1998:9). Surge aqui, com toda a pertinência, Morin para nos dizer que “o homem é um ser cultural por natureza, por ser natural por cultura”. 2 “duas escolas, duas histórias…Um Olhar Especial!”
  3. 3. Tema “Duas Escolas, duas Histórias… Um Olhar Especial!” Objetivos/Finalidades - Promover o intercâmbio entre diferentes meios escolares; - Valorizar o significado pessoal e social entre as duas escolas; - Desenvolver a identidade pessoal e coletiva; - Desenvolver a curiosidade intelectual, o gosto pela troca de informações / experiências; - Desenvolver competências sociais como a comunicação, a cooperação e a negociação; - Utilizar as tecnologias da informação e da comunicação; - Conhecer e utilizar os meios de comunicação (CTT, telefone, Internet, etc); - Envolver os alunos no projeto privilegiando o trabalho de grupo; - Promover a participação das duas escolas e da comunidade na construção de uma “Sociedade para Todos”; - Garantir a igualdade de oportunidades às pessoas com deficiência através da eliminação de todas as barreiras socialmente impostas, que excluam ou limitem a sua participação plena na vida em sociedade. População alvo Alunos de Educação Especial do Agrupamento de Abação – Abação – Guimarães Alunos de Educação Especial do Agrupamento João de Meira – Oliveira do castelo - Guimarães (alunos com NEE envolvidos no projeto) Aplicação temporal Ao longo de todo o ano letivo 2013/2014. 3 “duas escolas, duas histórias…Um Olhar Especial!”
  4. 4. Material Necessário/ Orçamento . Papel de carta/fotografias/postais, músicas, filmes, imagens …; . Envelopes, Selos; . Transporte; . Almoço/lanche para os alunos/professores envolvidos no projeto. Programa/ Dinâmica 1.º Momento . Troca de correspondência (carta, postais e/ou online) entre os alunos envolvidos no projeto; . Pesquisa e “tratamento” de informação sobre as duas escolas envolvidas; 2.º Momento (18 de março de 2014) Os alunos de Educação Especial do Agrupamento de Abação recebem os alunos de Educação Especial do Agrupamento João de Meira (ver programa em anexo). Das 10 horas às 13: 30h com almoço na cantina, escola Básica de Abação. 3.º Momento Troca de correspondência/ fotografias (carta e/ou online) entre os alunos envolvidos no projeto; 4.º Momento (data a definir - 2014) Os alunos de Educação Especial do Agrupamento João de Meira recebem os alunos de Educação Especial do Agrupamento de Abação. 5.º Momento Troca de correspondência/ fotografias (carta e/ou online) entre os alunos envolvidos no projeto. 4 “duas escolas, duas histórias…Um Olhar Especial!”
  5. 5. Conclusão “O ato transforma o pensamento, o gesto transforma a palavra e o corpo transforma a consciência”. Vítor da Fonseca A comunicação abrange uma dimensão especial sendo uma necessidade fundamental na vida das pessoas, tornando-se para o sujeito, fonte do seu bem-estar, psíquico, biológico e social. Todo o trabalho desenvolvido favoreceu uma maior interação com a comunidade educativa/familiar/social, conferindo maior dinamismo e participação nas aulas e interiorizou plenos direitos de livre expressão das suas ideias. Procuramos salientar que a igualdade de oportunidades não é mais do que um conceito essencial e mentor de políticas e estratégias de mobilização de ações que favoreçam os grupos sociais em risco de exclusão ou socialmente desfavorecidos. Existem, contudo, pessoas que por diversas causas encontram-se limitadas para comunicar com as restantes através da fala ou mesmo da escrita natural. O reconhecimento das diferenças individuais e a aceitação de novas formas de comunicação e de participação social, capazes de consentir às pessoas com incapacidade o lugar que lhes corresponde em todas as áreas da vida (familiar, educativa, laboral, recreativa e comunitária) tem despertado ao longo das últimas décadas um crescente interesse pelos enfoques educativos e terapêuticos baseados na habilitação. Estes enfoques defendem que a habilitação deve dirigir-se tanto à pessoa com incapacidade como ao meio envolvente, ou seja, apresentasse com um duplo objetivo: por um lado, pretende maximizar o desenvolvimento das capacidades e habilidades das pessoas com incapacidades; por outro, pretende modificar o espaço físico, as prestações sociais e atitudes, conhecimentos e habilidades de todos os membros da sociedade, com o objetivo de suprimir os obstáculos físicos, as barreiras linguísticas e as atitudes desfavoráveis que limitam o crescimento pessoal e a qualidade de vida destas pessoas. Escola Básica de Abação, 13 de novembro de 2013 O Grupo de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Abação 5 “duas escolas, duas histórias…Um Olhar Especial!”
  6. 6. Conclusão “O ato transforma o pensamento, o gesto transforma a palavra e o corpo transforma a consciência”. Vítor da Fonseca A comunicação abrange uma dimensão especial sendo uma necessidade fundamental na vida das pessoas, tornando-se para o sujeito, fonte do seu bem-estar, psíquico, biológico e social. Todo o trabalho desenvolvido favoreceu uma maior interação com a comunidade educativa/familiar/social, conferindo maior dinamismo e participação nas aulas e interiorizou plenos direitos de livre expressão das suas ideias. Procuramos salientar que a igualdade de oportunidades não é mais do que um conceito essencial e mentor de políticas e estratégias de mobilização de ações que favoreçam os grupos sociais em risco de exclusão ou socialmente desfavorecidos. Existem, contudo, pessoas que por diversas causas encontram-se limitadas para comunicar com as restantes através da fala ou mesmo da escrita natural. O reconhecimento das diferenças individuais e a aceitação de novas formas de comunicação e de participação social, capazes de consentir às pessoas com incapacidade o lugar que lhes corresponde em todas as áreas da vida (familiar, educativa, laboral, recreativa e comunitária) tem despertado ao longo das últimas décadas um crescente interesse pelos enfoques educativos e terapêuticos baseados na habilitação. Estes enfoques defendem que a habilitação deve dirigir-se tanto à pessoa com incapacidade como ao meio envolvente, ou seja, apresentasse com um duplo objetivo: por um lado, pretende maximizar o desenvolvimento das capacidades e habilidades das pessoas com incapacidades; por outro, pretende modificar o espaço físico, as prestações sociais e atitudes, conhecimentos e habilidades de todos os membros da sociedade, com o objetivo de suprimir os obstáculos físicos, as barreiras linguísticas e as atitudes desfavoráveis que limitam o crescimento pessoal e a qualidade de vida destas pessoas. Escola Básica de Abação, 13 de novembro de 2013 O Grupo de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Abação 5 “duas escolas, duas histórias…Um Olhar Especial!”

×