Apresentação sobre a visita à fábrica Prado Cartolinas Lousã

698 visualizações

Publicada em

Inserido num projeto sobre a sustentabilidade na Lousã

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
698
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação sobre a visita à fábrica Prado Cartolinas Lousã

  1. 1. Todas as árvores possuem uma substância-celulose. O eucalipto é cortado e levado para a indústria. Na fábrica, é cortado, descascado e picado. Papel O papel é feito a partir do eucalipto e do pinheiro-bravo.
  2. 2. Os pedacinhos de madeira são colocados num grande tanque, com substâncias químicas, para cozinhar. Depois de algumas horas, obtém-se uma pasta de celulose. Essa pasta passa por um processo de lavagem para retirar as substâncias químicas e as impurezas.
  3. 3. Por fim, a pasta é levada para uma máquina, chamada mesa plana, que irá transformá- la numa folha contínua e lisa. Essa pasta, em folha, é enviada para as fábricas de papel, como a Prado-Cartolinas da Lousã.
  4. 4. A Prado-Cartolinas da Lousã foi fundada em 1715, com o nome de Engenho do Papel da Lousã. Hoje, trabalham nesta fábrica 110 pessoas.
  5. 5. No laboratório da Prado- Cartolinas da Lousã ficámos a saber que utilizam carbonato de cálcio e amido nativo para produzirem cartolinas. Carbonato de Cálcio: substância química de fórmula CaCO3. É o principal componente de rochas como os calcários. Tem características alcalinas (ou seja, é um sal com características básicas que aumenta pH de uma solução aquosa), e é resultado da reação do óxido de cálcio ( cal virgem ) com dióxido de carbono. Esta fábrica também reutiliza as cartolinas com defeito. Assim, a fábrica poupa pasta de papel e evita o corte de árvores.
  6. 6. Estivemos na sala de controlo de qualidade e aprendemos a enrolar uma cartolina. Conhecemos o laboratório onde se vê se o papel e a água estão contaminadas e vimos uma colónia de bactérias.
  7. 7. Também nos disseram que, por dia, gastam cerca de 60 mil metros cúbicos de água e cerca de 80 mil milhões de fibras.
  8. 8. Fomos a primeira turma do 1º Ciclo a visitar a secção de produção desta fábrica!
  9. 9. Nesta fábrica, a pasta de papel é misturada com muita água, em grandes tinas. Depois, essa pasta é estendida em longos tapetes rolantes, que passam por um secador.
  10. 10. Depois de enrolado, o papel passa por bobinas que irão cortá-lo seguindo padrões de tamanho e gramatura.
  11. 11. Depois, as máquinas empacotadeiras separam a quantidade de folhas em cada pacote, que colocam em caixas. Os pacotes de 500 folhas chamam-se resmas. Posteriormente, as caixas serão levadas para livrarias, papelarias, lojas de informática e supermercados, onde serão comercializadas.
  12. 12. Trabalho realizado por: Débora Paiva, João Dias, Leonardo Pinto e Rodrigo Marques

×