COMO MELHORAR A APRESENTAÇÃO DOS SEUS RELATÓRIOS

1.238 visualizações

Publicada em

Publicada em: Dados e análise
1 comentário
18 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Nossa, vcs são demais!! Que lindo. Profissional e perfeito. Uma inspiração. Parabéns.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
1
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

COMO MELHORAR A APRESENTAÇÃO DOS SEUS RELATÓRIOS

  1. 1. COMO TORNAR 0 1 2 3 4 5 6 7 DIDÁTICOS E DINÂMICOS SEUS RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO E MÉTRICAS Priscila Marcenes | Coordenadora de Social Intelligence da AD.DIALETO Mariana Oliveira | Gerente de Data Intelligence da OGILVY Natalia Traldi | Diretora de Mídia da CLICK ISOBAR Júnior Siri | Analista de Social Intelligence da AD.DIALETO COM DICAS DE ELABORADO POR Marina Bonafé | Conteúdo da 524 Ian Black | Sócio-Diretor da NEW VEGAS
  2. 2. Todo relatório tem um ou mais objetivos Avaliar uma ação; Gerar compreensão; Apresentar um cenário. Transmitir uma ideia;
  3. 3. Nos relatórios de monitoramento e métricas não é diferente Mostrar de que forma extrair insights de um monitoramento; Mostrar qual é a percepção do consumidor acerca de um produto através da análise de sentimento; Fazer o cliente entender por que o target reagiu bem ou mal a uma campanha; Medir os resultados de uma ação através de análise de métricas; Todo relatório tem um ou mais objetivos Avaliar uma ação; Gerar compreensão; Apresentar um cenário. Transmitir uma ideia;
  4. 4. 1 2 3 APESAR DE RELATÓRIOS SEREM ESSENCIAIS NO DIA A DIA DOS PROFISSIONAIS DE SOCIAL E DE CLIENTES, ELES COSTUMAM APRESENTAR ESSES OU OUTROS PROBLEMAS.
  5. 5. 2 3 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 FALTA DE CLAREZA GRÁFICOS REPLETOS DE DADOS, ALTOS E BAIXOS, MAS SEM OS PORQUÊS.
  6. 6. 2 3 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 FALTA DE CLAREZA GRÁFICOS REPLETOS DE DADOS, ALTOS E BAIXOS, MAS SEM OS PORQUÊS. Por que o pico X? Por que a queda Y?
  7. 7. 3 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 DESORGANIZAÇÃO NA DIAGRAMAÇÃO, NAS CORES, NA DATA VISUALIZAÇÃO. 2
  8. 8. 3 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 DESORGANIZAÇÃO NA DIAGRAMAÇÃO, NAS CORES, NA DATA VISUALIZAÇÃO. 2 Por que gráfico em pizza? Uma tabela não melhora a data visualização?
  9. 9. 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 2 3 CRESCIMENTO DE AUDIÊNCIA Slide 1 NENHUMA DINAMICIDADE DADOS ATRÁS DE DADOS, SEM NENHUMA DINÂMICA QUE PRENDA A ATENÇÃO DO LEITOR. Exemplos de slides “secos”, nada dinâmicos.
  10. 10. 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 2 3 Slide 2 NENHUMA DINAMICIDADE DADOS ATRÁS DE DADOS, SEM NENHUMA DINÂMICA QUE PRENDA A ATENÇÃO DO LEITOR. POSTS QUE MAIS REPERCUTIRAM Exemplos de slides “secos”, nada dinâmicos.
  11. 11. 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 2 3 Slide 3 Exemplos de slides “secos”, nada dinâmicos. NENHUMA DINAMICIDADE DADOS ATRÁS DE DADOS, SEM NENHUMA DINÂMICA QUE PRENDA A ATENÇÃO DO LEITOR. ENGAJAMENTO MÊS A MÊS
  12. 12. 2.506 9 5.001 58 4.054 2.506 7.099 3.483 1 2 3 NENHUMA DINAMICIDADE DADOS ATRÁS DE DADOS, SEM NENHUMA DINÂMICA QUE PRENDA A ATENÇÃO DO LEITOR. Por que não diminuir a opacidade de alguns objetos para dar destaque a outros? ENGAJAMENTO MÊS A MÊS
  13. 13. PRECISAMOS DRIBLAR ESSES PROBLEMAS!
  14. 14. PRECISAMOS DRIBLAR ESSES PROBLEMAS! E UM BOM DRIBLE É DEIXAR SOFTWARES DE STAND BY.
  15. 15. PRECISAMOS DRIBLAR ESSES PROBLEMAS! E UM BOM DRIBLE É DEIXAR SOFTWARES DE STAND BY. Power Point Prezi Adobe InDesign Adobe Flash
  16. 16. E FOCAR NUMA COISA
  17. 17. PLANEJAMENTO E FOCAR NUMA COISA
  18. 18. PLANEJAMENTO E FOCAR NUMA COISA priscila marcenes Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados. O que a agência irá entregar é o que o cliente quer receber. AD.DIALETO
  19. 19. PLANEJAMENTO NA HORA DE PLANEJAR, ENUMERE OS CAPÍTULOS DO RELATÓRIO. APROVEITE PARA DEIXAR AS INFORMAÇÕES SUCINTAS, EVITANDO EXCESSO DE SLIDES. 1 CAPA CAPÍTULO 1 CAPÍTULO 2 1.1 1.2 2.1 2.2 SE ESTE FOSSE O ORGANOGRAMA DE UM RELATÓRIO, ELE TERIA 7 SLIDES.
  20. 20. PLANEJAMENTO NA HORA DE PLANEJAR, ENUMERE OS CAPÍTULOS DO RELATÓRIO. APROVEITE PARA DEIXAR AS INFORMAÇÕES SUCINTAS, EVITANDO EXCESSO DE SLIDES. 1 CAPA CAPÍTULO 1 CAPÍTULO 2 1.1 1.2 2.1 2.2 SE ESTE FOSSE O ORGANOGRAMA DE UM RELATÓRIO, ELE TERIA 7 SLIDES. marina bonafé A partir do 30º slide, ninguém mais presta atenção. Sei que às vezes são muitas informações, mas será que precisa? Releia o relatório experimentando agrupar 3 a 4 slides em um só e veja se fica bom. 524
  21. 21. PLANEJAMENTO NA HORA DE PLANEJAR, ENUMERE OS CAPÍTULOS DO RELATÓRIO. APROVEITE PARA DEIXAR AS INFORMAÇÕES SUCINTAS, EVITANDO EXCESSO DE SLIDES. 1 CAPA CAPÍTULO 1 CAPÍTULO 2 1.2 2.1 2.2 SE ESTE FOSSE O ORGANOGRAMA DE UM RELATÓRIO, ELE TERIA 7 SLIDES. mariana oliveira Ter direcionamento claro: quem é o público que irá consumir estas informações? Relatórios para a alta gerência, por exemplo, devem ser mais concisos e estratégicos; entregas para departamentos internos, como planejamento, podem contar com um nível de detalhamento maior. OGILVYmarina bonafé A partir do 30º slide, ninguém mais presta atenção. Sei que às vezes são muitas informações, mas será que precisa? Releia o relatório experimentando agrupar 3 a 4 slides em um só e veja se fica bom. 524 1.2
  22. 22. PLANEJAMENTO 2 CAPÍTULO 1 CAPÍTULO 2 1.1 1.2 2.1 2.2 DÊ CORES DISTINTAS AOS DESDOBRAMENTOS. ISSO AJUDARÁ O LEITOR A IDENTIFICAR OS VÁRIOS CAPÍTULOS QUE VOCÊ DEVE APRESENTAR. NA HORA DE PLANEJAR, ENUMERE OS CAPÍTULOS DO RELATÓRIO. APROVEITE PARA DEIXAR AS INFORMAÇÕES SUCINTAS, EVITANDO EXCESSO DE SLIDES. 1 CAPA
  23. 23. PLANEJAMENTO DE ROTEIRO É A LINHAQUE DEVE LEVAR O LEITOR AO SEU OBJETIVO
  24. 24. Aqui você precisa dar a RESPOSTA ao objetivo do relatório PLANEJAMENTO DE ROTEIRO É A LINHAQUE DEVE LEVAR O LEITOR AO SEU OBJETIVOOBJETIVO
  25. 25. PLANEJAMENTO DE ROTEIRO É A LINHAQUE DEVE LEVAR O LEITOR AO SEU OBJETIVOOBJETIVO Aqui você precisa dar a RESPOSTA ao objetivo do relatório Avaliar uma ação; Gerar compreensão; Apresentar um cenário. Transmitir uma ideia;
  26. 26. mariana oliveira As considerações não devem apenas reportar o que aconteceu, e sim levar a uma tomada de decisão. Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes! OGILVY PLANEJAMENTO DE ROTEIRO É A LINHAQUE DEVE LEVAR O LEITOR AO SEU OBJETIVOOBJETIVO Aqui você precisa dar a RESPOSTA ao objetivo do relatório Avaliar uma ação; Gerar compreensão; Apresentar um cenário. Transmitir uma ideia;
  27. 27. mariana oliveira As considerações não devem apenas reportar o que aconteceu, e sim levar a uma tomada de decisão. Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes! OGILVY PLANEJAMENTO DE ROTEIRO É A LINHAQUE DEVE LEVAR O LEITOR AO SEU OBJETIVOOBJETIVO Aqui você precisa dar a RESPOSTA ao objetivo do relatório Avaliar uma ação; Gerar compreensão; Apresentar um cenário. Transmitir uma ideia; I A N b l a c k Independente do tamanho, relatórios precisam responder perguntas.Normalmente as perguntas não são feitas e o relatório não serve pra nada. NEW VEGAS
  28. 28. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO TODO RELATÓRIO PRECISA TER
  29. 29. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO TODO RELATÓRIO PRECISA TER mariana oliveira Os relatórios devem “contar histórias”, com início, meio e fim. De onde viemos, onde estamos e para onde vamos: a história tem que ter sentido e ser orientada ao negócio do cliente e objetivos do relatório. OGILVY
  30. 30. RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO E MÉTRICAS SÃO COMO A EVOLUÇÃO DO CHARMANDER
  31. 31. RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO E MÉTRICAS SÃO COMO A EVOLUÇÃO DO CHARMANDER ELES DEVEM INTRODUZIR O CENÁRIO (CHARMANDER)
  32. 32. RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO E MÉTRICAS SÃO COMO A EVOLUÇÃO DO CHARMANDER ELES DEVEM INTRODUZIR O CENÁRIO (CHARMANDER), MOSTRAR A EVOLUÇÃO DELE (CHARMELEON) ATRAVÉS DOS DADOS
  33. 33. RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO E MÉTRICAS SÃO COMO A EVOLUÇÃO DO CHARMANDER ELES DEVEM INTRODUZIR O CENÁRIO (CHARMANDER), MOSTRAR A EVOLUÇÃO DELE (CHARMELEON) ATRAVÉS DOS DADOS E DAR FORMA A RESPOSTA (CHARIZARD) DO OBJETIVO.
  34. 34. LEMBRE-SE DE DESTACAR OS PRINCIPAIS PONTOS DO SEU RELATÓRIO
  35. 35. LEMBRE-SE DE DESTACAR OS PRINCIPAIS PONTOS DO SEU RELATÓRIO
  36. 36. LEMBRE-SE DE DESTACAR OS PRINCIPAIS PONTOS DO SEU RELATÓRIO
  37. 37. CASES
  38. 38. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO O B S E R V A Ç Õ E S OS TRECHOS DOS RELATÓRIOS APRESENTADOS A PARTIR DO PRÓXIMO SLIDE NÃO FORAM CRIADOS PARA AS MARCAS CITADAS, MAS COLOCADOS APENAS PARA ILUSTRAR OS EXEMPLOS. TAMBÉM OPTEI POR UTILIZAR GRÁFICOS/ ANÁLISES REAIS, MAS COM PEQUENAS MODIFICAÇÕES. DESSA MANEIRA, MANTIVE O SIGILO DE INFORMAÇÕES DOS REAIS CLIENTES. A TIMELINE ABAIXO SERÁ MANTIDA PARA QUE VOCÊ SAIBA QUAL EXEMPLO ESTÁ SENDO EXIBIDO.
  39. 39. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Neste relatório de monitoramento, foram utilizadas 4 cores distintas que se desmembraram da capa aos 4 capítulos: metodologia, mercado, concorrência e marca.
  40. 40. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE INTRODUÇÃO monitoramentoR E L A T Ó R I O D E S O C I A L I N T E L L I G E N C E
  41. 41. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Incluindoospets. Diariamente,milharesde pessoasfalamsobreanimais nasmídiassociais. EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  42. 42. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Incluindoospets. Diariamente,milharesde pessoasfalamsobreanimais nasmídiassociais. EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  43. 43. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Masquaisplayers, produtos,serviços, problemas,animais esentimentossão relacionadosaospets nasmídiassociais? EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  44. 44. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  45. 45. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE INTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE metodologia mercado concorrência marca 4321 ÍNDICE
  46. 46. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Os dois gráficos/análises dos próximos slides são informações que estavam presentes nos capítulos 2 (mercado) e 3 (concorrência). No primeiro slide está um cruzamento de dados (problema VS animal) e nos últimos estão conclusões feitas sobre o que foi dito sobre os concorrentes da Pedigree.
  47. 47. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE gráfico/análise mercado PROBLEMA VS ANIMAL SENTIMENTO Das menções referentes a cachorro, o principal problema aferido foi carrapato. Se considerarmos as citações em que ele aparece junto com pulga, no total ele foi citado em XX% das menções. Sarna, Leishmaniose e Pulga também obtiveram uma grande representatividade. Todas elas apresentaram valores muito próximos e, na maioria dos casos, são divulgações de pessoas que procuram interessados em adotar e ajudar cães abandonados que estão enfrentando esses problemas. ANIMALPROBLEMA
  48. 48. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO mercado PROBLEMA VS ANIMAL SENTIMENTO Das menções referentes a cachorro, o principal problema aferido foi carrapato. Se considerarmos as citações em que ele aparece junto com pulga, no total ele foi citado em XX% das menções. Sarna, Leishmaniose e Pulga também obtiveram uma grande representatividade. Todas elas apresentaram valores muito próximos e, na maioria dos casos, são divulgações de pessoas que procuram interessados em adotar e ajudar cães abandonados que estão enfrentando esses problemas. ANIMALPROBLEMA priscila marcenes Cruzar dados é muito importante para contextualizar a informação e auxiliar na tradução qualitativa dos números apresentados. AD.DIALETO EXEMPLO DE gráfico/análise ANIMALPROBLEMA
  49. 49. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Oquedetectamos? concorrência Pulgaéoproblemamaisrecorrentetantoemgatoscomoemcachorros. OsprodutosdoConcorrenteXsãoosquemaisgeramrepercussãonasmídiassociais. PulgafoioproblemamaisrecorrentegraçasaoConcorrenteXsermaisassociadoaelas. Assimcomoem“mercado”,ocachorrofoioanimalmaismencionado,obtendoXX%daamostra. Tirandoosentimento“indefinido”,oquemaissedestacoufoiode solidariedade(XX%). ConcorrenteXéoplayerquedetémomaiorshareofvoice. XXéoproblemamaisrecorrentetantoemgatosquantoemcachorros. EXEMPLO DE gráfico/análise
  50. 50. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Oquedetectamos? concorrência Pulgaéoproblemamaisrecorrentetantoemgatoscomoemcachorros. OsprodutosdoConcorrenteXsãoosquemaisgeramrepercussãonasmídiassociais. PulgafoioproblemamaisrecorrentegraçasaoConcorrenteXsermaisassociadoaelas. Assimcomoem“mercado”,cachorrofoioanimalmaismencionado,obtendoXX%daamostra. Tirandoosentimento“indefinido”,oquemaissedestacoufoiode solidariedade(XX%). ConcorrenteXéoplayerquedetémomaiorshareofvoice. XXéoproblemamaisrecorrentetantoemgatosquantoemcachorros. priscila marcenes Sempre que possível, faça as análises qualitativas no decorrer do relatório. Dessa forma, a apresentação fica mais dinâmica e os dados mais claros. Deixe a conclusão apenas para retomar o que já foi pontuado. AD.DIALETO EXEMPLO DE gráfico/análise Oquedetectamos? concorrência Pulgaéoproblemamaisrecorrentetantoemgatoscomoemcachorros. OsprodutosdoConcorrenteXsãoosquemaisgeramrepercussãonasmídiassociais. PulgafoioproblemamaisrecorrentegraçasaoConcorrenteXsermaisassociadoaelas. Assimcomoem“mercado”,ocachorrofoioanimalmaismencionado,obtendoXX%daamostra. Tirandoosentimento“indefinido”,oquemaissedestacoufoiode solidariedade(XX%). ConcorrenteXéoplayerquedetémomaiorshareofvoice. XXéoproblemamaisrecorrentetantoemgatosquantoemcachorros.
  51. 51. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Na conclusão, a resposta ao objetivo do relatório foi dada através de telas que mostrassem o cruzamento dos capítulos apresentados anteriormente: mercado (da cor verde), concorrência (da cor amarela) e marca( da cor azul).
  52. 52. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão conclusão mercado concorrência marca C R U Z A M E N T O D E D A D O S E I N S I G H T S
  53. 53. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão conclusão mercado concorrência marca C R U Z A M E N T O D E D A D O S E I N S I G H T S I A N b l a c k Relatórios didáticos demandam algumas horas de direção de arte (ao menos na composição). NEW VEGAS
  54. 54. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão VISÃO HOLÍSTICA
  55. 55. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão mercado VISÃO HOLÍSTICA
  56. 56. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão concorrência mercado VISÃO HOLÍSTICA
  57. 57. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão marca concorrência mercado VISÃO HOLÍSTICA
  58. 58. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão VISÃO HOLÍSTICA conclusão
  59. 59. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão VISÃO HOLÍSTICA conclusão
  60. 60. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE conclusão VISÃO HOLÍSTICA conclusão Conclui-se que a marca mais citada nas redes sociais é o Concorrente X, que, inclusive conta com mais de XX mil fãs em sua página do Facebook, fazendo com que a sua lembrança seja facilitada no ambiente online. Os produtos XX combatem pulgas e carrapatos. Todavia, de acordo com a análise, eles são mais relacionados ao combate contra pulgas, enquanto que os de XX apresentaram números mais expressivos no combate a carrapatos. Com isso, o ideal será desenvolver conteúdos com mais apelo ao problema de pulgas, tentando alavancar o share.
  61. 61. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Neste relatório de métricas, foram utilizados os ícones das 4 plataformas em que o cliente está presente. Eles serviram de tags que marcaram os capítulos apresentados.
  62. 62. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  63. 63. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  64. 64. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  65. 65. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  66. 66. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  67. 67. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  68. 68. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE INTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE COMO ESTÁ A PERFORMANCE DOS CANAIS DIGITAIS DA VIVO?
  69. 69. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Os próximos slides mostram dois exemplos de data visualização que otimizam informações: um gráfico que exibe o paralelo entre crescimento de audiência e evolução; e um dashboard semanal que mostra dados básicos da Vivo e dos seus concorrentes.
  70. 70. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE CRESCIMENTO DE AUDIÊNCIA Fãs(valoresabsolutos) Evolução(%) EXEMPLO DE gráfico/análise
  71. 71. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO CRESCIMENTO DE AUDIÊNCIA Fãs(valoresabsolutos) Evolução(%) NATALIA TRALDI Além de ilustrar variações absolutas e relativas ao longo do tempo, você também pode indicar a evolução ocorrida de um período ao outro. CLICK ISOBAR EXEMPLO DE gráfico/análise
  72. 72. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE DASHBOARD SEMANAL EXEMPLO DE gráfico/análise ENGAJAMENTO POR DIA COMPARATIVO DO ENGAJAMENTO POST QUE MAIS ENGAJOU POST QUE MAIS ENGAJOU ENTRE OS CONCORRENTES 2,10% 1,58%
  73. 73. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO metodologia mercado concorrência marca ÍNDICE DASHBOARD SEMANAL EXEMPLO DE gráfico/análise ENGAJAMENTO POR DIA COMPARATIVO DO ENGAJAMENTO POST QUE MAIS ENGAJOU POST QUE MAIS ENGAJOU ENTRE OS CONCORRENTES 2,10% 1,58% I A N b l a c k Use dashboards (como o geckoboard e cyfe). Eles deixam o relatório dinâmico e acessível a qualquer instante. NEW VEGAS
  74. 74. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Neste relatório de monitoramento, foram utilizadas imagens dos personagens da Marvel e tags para deixar o material mais didático.
  75. 75. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE INTRODUÇÃO REPERCUSSÃODOFILME THOR:OMUNDOSOMBRIO NASMÍDIASSOCIAIS RELATÓRIODEMONITORAMENTO
  76. 76. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO REPERCUSSÃODOFILME THOR:OMUNDOSOMBRIO NASMÍDIASSOCIAIS RELATÓRIODEMONITORAMENTO EM6ANOS,AMARVELLANÇOU NOCINEMAVÁRIOSHEROIS QUECONVERGIRAMPARAO FILMEOSVINGADORES. EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  77. 77. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO REPERCUSSÃODOFILME THOR:OMUNDOSOMBRIO NASMÍDIASSOCIAIS RELATÓRIODEMONITORAMENTO EM6ANOS,AMARVELLANÇOU NOCINEMAVÁRIOSHEROIS QUECONVERGIRAMPARAO FILMEOSVINGADORES. ENTREELES,THOR,QUEESTÁ NOCINEMADESDE01/11 COMOSEUSEGUNDOFILME. EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  78. 78. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO REPERCUSSÃODOFILME THOR:OMUNDOSOMBRIO NASMÍDIASSOCIAIS RELATÓRIODEMONITORAMENTO EM6ANOS,AMARVELLANÇOU NOCINEMAVÁRIOSHEROIS QUECONVERGIRAMPARAO FILMEOSVINGADORES. ENTREELES,THOR,QUEESTÁ NOCINEMADESDE01/11 COMOSEUSEGUNDOFILME. COMOTODO LANÇAMENTODA MARVEL,THORTEM GERADOREPERCUSSÃO NASMÍDIASSOCIAIS. EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  79. 79. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO REPERCUSSÃODOFILME THOR:OMUNDOSOMBRIO NASMÍDIASSOCIAIS RELATÓRIODEMONITORAMENTO EM6ANOS,AMARVELLANÇOU NOCINEMAVÁRIOSHEROIS QUECONVERGIRAMPARAO FILMEOSVINGADORES. ENTREELES,THOR,QUEESTÁ NOCINEMADESDE01/11 COMOSEUSEGUNDOFILME. COMOTODO LANÇAMENTODA MARVEL,THORTEM GERADOREPERCUSSÃO NASMÍDIASSOCIAIS. COMOTODO LANÇAMENTODA MARVEL,THORTEM GERADOREPERCUSSÃO NASMÍDIASSOCIAIS. MASOQUETEMSIDO DITOSOBREOFILME? EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  80. 80. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Perguntas ligadas aos objetivos do relatório foram feitas e respondidas posteriormente através das tags “atores”, “projeto da Marvel”, “com quem assistiu” e “antes e depois”.
  81. 81. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE OFILME Desdeasuaestreia,ofilmelevoumilhõesdebrasileirosparaassalasdecinema,mas: Qualatormaissedestacou? AlgumoutroprojetodaMarvelfoi associadoaofilme? Comquemessaspessoasforamaocinema? Qualeraosentimentodaspessoasantesedepoisdeassistir? ATORES PROJETO DA MARVEL COM QUEM ASSISTIU ANTES E DEPOIS
  82. 82. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE OFILME ATORES PROJETO DA MARVEL COM QUEM ASSISTIU ChrisHemsworth|15% TomHiddleston|15% NataliePortman|13% AnthonyHopkins|11% 11% Cristopher Eccleston Jaimie Alexander Stellan Skarsgard Kat Dennings Rene Russo Ray Stevenson Idris Elba Zachary Levi Tadanobu Asano Osquatrosatoresmaismencionadosforamosqueinterpretam Thor,Loki,JaneeOdin.Apesardosoutrosatoresteremsido poucomencionados,namaioriadasvezestodosreceberam elogiosdoscríticosdeplantão.PrincipalmenteoatorTom Hiddleston(Loki),quefoimuitoelogiado,sendocitadoinúmeras vezescomoomelhoratordofilme. Qualatormaissedestacou? ANTES E DEPOIS 7% 6% 6% 5% 1%2% 4%4%
  83. 83. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE OFILME ATORES PROJETO DA MARVEL COM QUEM ASSISTIU ANTES E DEPOIS Comquemaspessoas foramaocinema?
  84. 84. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO OFILME ATORES PROJETO DA MARVEL COM QUEM ASSISTIU ANTES E DEPOIS Comquemaspessoas foramaocinema? NATALIA TRALDI Tag clouds são extremamente úteis quando são muitas as categorias e/ou quando se pretende dar ênfase imediata a uma categoria. CLICK ISOBAR EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE
  85. 85. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Neste relatório anual de métricas e monitoramento de 6 marcas da Coca-Cola, foi essencial o uso de cores distintas para cada uma. Já na capa, eu mostro quais cores vão “seguir” as respectivas marcas durante o relatório.
  86. 86. CASES EXEMPLO DE INTRODUÇÃO fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO 2013 COCA RELATÓRIO ANUAL DA
  87. 87. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Í N D I C E capítulo CRYSTAL páginas SCHWEPPES COCA-COLA BURN FANTA DEL VALLE FRUT #água #refrigerante 03 - 30 31 - 75 76 - 134#refrigerante #refrigerante #energético #refresco 135 - 159 160 - 192 193 - 210 EXEMPLO DE INTRODUÇÃO
  88. 88. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Para mostrar gráficos/análises desse relatório, me limitei a exemplos somente da Coca-Cola. Como houve necessidade de analisar dados de métricas e monitoramento, além das tags que identificam as plataformas analisadas, utilizei tons diferentes de vermelho para distinguir os dados de owned media (métricas) e earned media (monitoramento).
  89. 89. CASES EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO
  90. 90. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LEGENDA DE TAGS Facebook Twitter Instagram Monitoramento OWNED MEDIA EARNED MEDIA EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE marina bonafé O cliente nunca saberá o mesmo que você, pois não acompanha a conta diariamente, por isso se você precisa explicar uma situação, dê o contexto. 524
  91. 91. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO CONCEITOS ENTRE OS PLAYERS EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE SABOR EMBAL- AGEM PREÇO NOTAS DE DESEMPENHO POR MARCA 10 8 6 4 2 0 COCA-COLA CRYSTAL SCHWEPPES BURN FANTA DEL VALLE FRUT SABOR (MELHOR NOTA: COCA-COLA E SCHWEPPES PREÇO (MELHOR NOTA: BURN) EMBALAGEM (MELHOR NOTA: CRYSTAL)
  92. 92. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO CONCEITOS ENTRE OS PLAYERS EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE SABOR EMBAL- AGEM PREÇO CONCEITO POR MARCA 10 8 6 4 2 0 COCA-COLA CRYSTAL SCHWEPPES BURN FANTA DEL VALLE FRUT NATALIA TRALDI Quando o conceito sendo comparado for uma nota de desempenho, opte por uma visualização que entregue imediatamente o melhor resultado. CLICK ISOBAR
  93. 93. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LOCALIZAÇÃO DOS FÃS EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE
  94. 94. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LOCALIZAÇÃO DOS FÃS 1º São Paulo | 356.485 fãs EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE
  95. 95. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LOCALIZAÇÃO DOS FÃS 1º São Paulo | 356.485 fãs 2º Bahia | 293.781 fãs EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE
  96. 96. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LOCALIZAÇÃO DOS FÃS 1º São Paulo | 356.485 fãs 2º Bahia | 293.781 fãs 3º Amazonas | 240.599 fãs EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE
  97. 97. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LOCALIZAÇÃO DOS FÃS 1º São Paulo | 356.485 fãs 2º Bahia | 293.781 fãs 3º Amazonas | 240.599 fãs EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE 1º São Paulo | 356.485 fãs 2º Bahia | 293.781 fãs 3º Amazonas | 240.599 fãs ESSAS PRAÇAS CONCENTRAM 30% DA AUDIÊNCIA DA COCA-COLA NO BRASIL.
  98. 98. CASES fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO LOCALIZAÇÃO DOS FÃS NATALIA TRALDI Lembre-se que é possível tornar visualizações muito mais interessantes, utilizando referências culturais das localizações (como as bandeiras ou as cores das mesmas) e jogando com as proporções desses elementos. CLICK ISOBAR EXEMPLO DE GRÁFICO/ANÁLISE 1º São Paulo | 356.485 fãs 2º Bahia | 293.781 fãs 3º Amazonas | 240.599 fãs
  99. 99. fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO Especificamente nesse relatório, a conclusão (resposta ao objetivo do relatório) foi feita retomando os principais pontos apresentados.
  100. 100. CASES EXEMPLO DE conclusão fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO
  101. 101. CASES EXEMPLO DE conclusão fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO CONCLUSÃO PONTOS PRINCIPAIS CRESCIMENTO DE AUDIÊNCIA ÍNDICE DE ENGAJAMENTO
  102. 102. CASES EXEMPLO DE conclusão fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO CONCLUSÃO PONTOS PRINCIPAIS CRESCIMENTO DE AUDIÊNCIA A página da Coca-Cola, no Brasil, cresceu XX% (comparando-se os meses de fevereiro e dezembro de 2013), 6 vezes mais em relação à página global, no mesmo período. O principal fator que contribuiu para esse crescimento no número de fãs foi o XX, ação patrocinada que através do seu grande alcance conseguiu angariar novos fãs, motivados pelos prêmios da promoção, entre eles uma viagem para Paris.
  103. 103. CASES EXEMPLO DE conclusão fimmeioinício OBJETIVOGRÁFICOS E ANÁLISESINTRODUÇÃO CONCLUSÃO PONTOS PRINCIPAIS Com o crescimento de fãs através de campanhas patrocinadas, o índice de engajamento sofre uma queda brusca, devido ao alto alcance que esses investimentos atingem. Ou seja, o objetivo da página tem que ser estrategicamente traçado com antecedência, prevendo essas oscilações quando houver estratégia de paid media. CRESCIMENTO DE AUDIÊNCIA ÍNDICE DE ENGAJAMENTO
  104. 104. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!”
  105. 105. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...”
  106. 106. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...”
  107. 107. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...”
  108. 108. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Faça as análises qualitativas no decorrer do relatório...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...”
  109. 109. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Faça as análises qualitativas no decorrer do relatório...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...” “... Se você precisa explicar uma situação, dê o contexto.”
  110. 110. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Faça as análises qualitativas no decorrer do relatório...” “Use dashboards (como o geckoboard e cyfe)...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...” “... Se você precisa explicar uma situação, dê o contexto.”
  111. 111. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Faça as análises qualitativas no decorrer do relatório...” “Use dashboards (como o geckoboard e cyfe)...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...” “... Se você precisa explicar uma situação, dê o contexto.” “Tag clouds são extremamente úteis quando são muitas as categorias...”
  112. 112. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Faça as análises qualitativas no decorrer do relatório...” “Use dashboards (como o geckoboard e cyfe)...” “Relatórios precisam responder perguntas...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...” “... Se você precisa explicar uma situação, dê o contexto.” “Tag clouds são extremamente úteis quando são muitas as categorias...”
  113. 113. R E S U M Ã O COMO TORNAR SEU RELATÓRIO DIDÁTICO E DINÂMICO “... Pense em conclusões diferentes para demandas e setores diferentes!” “Apresente ao cliente o escopo do relatório para que ambos estejam alinhados...” “Faça as análises qualitativas no decorrer do relatório...” “Use dashboards (como o geckoboard e cyfe)...” “Relatórios precisam responder perguntas...” “Se a sua explicação num gráfico precisa de 5 linhas, refaça. Tente resumir em palavras-chave...” “Os relatórios devem ‘contar histórias’...” “... Se você precisa explicar uma situação, dê o contexto.” “Tag clouds são extremamente úteis quando são muitas as categorias...” “Lembre-se que é possível tornar visualizações muito mais interessantes, utilizando referências culturais...”

×