Ccnccap9 fluxo caixa

11.478 visualizações

Publicada em

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.478
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
402
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ccnccap9 fluxo caixa

  1. 1. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA 9.1 – Formas de apuração de resultado; 9.2 – Fluxo de caixa; 9.3 – Principais transações que afetam o caixa; 9.4 – DFC - Método Direto e Método Indireto; 9.5 – Comparação do fluxo de caixa econômico e financeiro.
  2. 2. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA Formas de Apuração de resultado Regime de competência Evento econômico (valores contabilizados conforme ocorrem fato gerador) Receita contabilizada quando for gerada, independentemente de seu recebimento financeiro Despesa contabilizada quando for consumida, independentemente de seu pagamento Regime de caixa Evento financeiro (valores contabilizados quando da entrada ou saída de dinheiro do caixa) Receita/Despesa contabilizada pelo encaixe/desencaixe
  3. 3. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA EXEMPLO DE REGIME DE CAIXA E DE COMPETÊNCIA A cia. XYZ vendeu em 20X1 $ 20.000 e só recebeu $ 12.000 (o restante receberá no futuro); teve como despesa incorrida $ 16.000 e pagou até o último dia do ano $ 10.000 DRE Regime de Regime de Competência Caixa Receita 20.000 12.000 (-) Despesa (16.000) (10.000) Lucro 4.000 2.000
  4. 4. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA • Evidencia a origem das entradas de caixa e a aplicação das saídas de caixa num determinado intervalo de tempo. Considera a movimentação do Disponível (Caixa + Bancos). • Seu objetivo primordial é preservar a liquidez imediata, essencial à manutenção das atividades da empresa. Explica as diferenças entre o Resultado do Exercício versus o Saldo de Caixa. • O planejamento do fluxo de caixa (cash-flow) é um fator crítico. Sem caixa adequado, independentemente do nível de lucros, a empresa poderá tornar-se inadimplente e até falir.
  5. 5. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA O LUCRO E O CAIXA no BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Circulante Circulante Disponível (Caixa e Bancos) 600 Fornecedores 600 Duplicatas a Receber (Clientes) 1.700 Empréstimos a pagar 1200 Estoques 700 Contas a Pagar 800 Total 3.000 Total 2.600 Realiz. L.P. Não Circulante Títulos a Receber 1.000 Empréstimos a Pagar 1.000 Total 1.000 Total 1.000 Patrim. Líquido Investimentos 600 Capital Social 1.600 Imobilizado 1.000 Reservas 100 Intangível 400 Lucro do Exercício 700 Total 2.000 Total 2.400 TOTAL DO ATIVO 6.000 TOTAL DO PASSIVO 6.000
  6. 6. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA Transações que Afetam o Caixa COMPRA PRODUÇÃO VENDA ARRENDAMENTO INTERMEDIAÇÃO PAGAMENTOS RECEBIMENTOS APLICAÇÕES INVESTIMENTOS EMPRÉSTIMOS FINANCIAMENTOS FLUXO DE CAIXA BÁSICO Aumentam o Caixa Diminuem o Caixa . Aportes de Capital pelos sócios/acionistas Pagamento de dividendos aos acionistas . . Empréstimos/Financiamentos Bancários Amortização de empréstimos (principal, juros) . . Vendas de itens do Ativo Fixo Aquisição de item do Ativo Fixo . Vendas a vista Compra a vista e pagamento a fornecedores . Recebimento de Duplicatas a Receber Pagamento de despesas, Contas a Pagar . . Outras entradas Outras saídas .
  7. 7. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA RECEBIMENTOS FLUXO DE CAIXA PAGAMENTOS Vendas a vista Fornecedores Cobranças Pessoal Descontos Dupl. Governo Rec. Financeiras CAIXA Desp.Financeiras Aporte de Capital Pgto. Dividendos Empréstimos Pgto.Empréstimo Outros Outros
  8. 8. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA TRANSAÇÕES QUE NÃO AFETAM O CAIXA Depreciação Amortização Exaustão Provisões Devedores Duvidosos Férias 13º Salá 13º Salário
  9. 9. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA MODELOS DE FLUXO DE CAIXA Método Direto: demonstra quanto entrou no Caixa (origem) e o montante que saiu (reduzindo o Caixa), destacando as principais entradas e saídas de recursos. Método Indireto: mostra as alterações no giro (Ativo Circulante e Passivo Circulante) que provocaram aumento ou redução no Caixa.
  10. 10. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA O Fluxo de Caixa se divide em: Fluxo das Operações: atividades normais da empresa (vendas, compras, despesas...) Fluxo dos Financiamentos: financiamentos, empréstimos, aumento de capital em dinheiro, pagamentos de financiamentos e de dividendos, etc. Fluxo dos Investimentos: aquisição de ativo fixo, venda de imobilizado, de ações, etc.
  11. 11. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA ATIVO X0 X1 PASSIVO Caixa 200 250 Fornecedores 500 600 Contas a receber 450 550 Financiamentos - LP 3.000 2.700 Imobilizado 6.000 6.600 Capital 1.000 1.000 Depr. Acumulada (1.200) (2.400) Reservas de lucros 950 700 Total 5.450 5.000 Total 5.450 5.000 DRE X1 DLPA X1 Receita 5.650 Lucro 31/12/X0 950 Custo de Serviços (3.600) Prejuízo Exercício (50) Depreciação (1.200) Dividendos (200) Lucro Bruto 850 Lucros Acumulados Desp. Operacional (900) 31/12/X1 700 Prejuízo Exercício (50) Meta com o Fluxo de Caixa Explicar a variação do Caixa de $ 50, ou seja, de $ 200 para $ 250
  12. 12. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA Fluxo de Caixa pelo Método Direto DFC - 20X1 Operações Receita recebida 5.550 (-) Caixa despendido nos custos (3.500) 2.050 (-) Despesas pagas (900) Caixa gerado no negócio 1.150 Financiamentos Novos financiamentos 0 (-) Amortização de financiamento (300) (-) Pagamento de dividendos (200) (500) Caixa após financiamento 650 Investimentos (-) Compra de imobilizado (600) Resultado do Caixa no Período 50 Receita Recebida: $ 5.650 vendido (-) $ 550 a receber = $ 5.100 Então, em X1 entrou para o Caixa: $ 450 decorrente das vendas de X0 $ 5.100 decorrente das vendas de X1 $ 5.550 total
  13. 13. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA Fluxo de Caixa pelo Método Indireto DFC - 20X1 Resultado no fluxo econômico (DRE) (50) + Depreciação 1.200 Resultado que efetivamente afeta o Caixa 1.150 Variações Circulantes Aumento de duplicatas a receber (aumento AC: reduz o Caixa) (100) Aumento em fornecedores (aumento PC: aumenta o Caixa) 100 Resultado do Fluxo das Operações 1.150 Financiamentos (idem Modelo Direto) (-) Amortização de financiamento (300) (-) Pagamento de dividendos (200) Caixa após financiamento 650 Investimentos (idem Modelo Direto) (-) Compra de imobilizado (600) Resultado do Caixa no Período 50
  14. 14. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA Exemplo de Análise do Fluxo de Caixa: Caixa Gerado no Negócio: $ 1.150 Considerando apenas o negócio principal, a empresa poderá pagar juros, amortizar dívidas e realizar novos investimentos. $ 1.150 (-) $ 300 (-) $ 200 (-) $ 600 = $ 50 Financ. Div. Imob. Se negativo: descontinuidade da empresa
  15. 15. 9 – FLUXO DE CAIXA 9 – FLUXO DE CAIXA Comparação Itens DRE DFC Variação Receita 5.650 5.550 (100) (-) Custo Serv. (3.600) (3.500) 100 (-) Deprec. (1.200) 0 1.200 Lucro Bruto 850 2.050 1.200 (-) Desp. Operac. (900) (900) 0 Resultado parcial (50) 1.150 1.200 Investimentos 0 (600) (600) Amortização Financ. 0 (300) (300) Dividendos 0 (200) (200) Resultado Final (50) 50 100

×