SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
SISTEMAS OPERACIONAIS II
PRINCIPAIS COMANDOS
CÉSAR AUGUSTO PESSÔA
SUMÁRIO
• OBJETIVO DA AULA
• HIERARQUIA DE PASTAS
• CONTINUAÇÃO – PRINCIPAIS COMANDOS
• COMPACTANDO E DESCOMPACTANDO ARQUIVOS
• PRÁTICA EM LABORATÓRIO
OBJETIVOS DA AULA
Apresentar a hierarquia de
pastas comum a maioria dos
sistemas operacionais baseado
na arquitetura Linux.
1
Realizar prática em laboratório
explorando a hierarquia de
pastas e comandos utilizados no
sistema operacional Ubuntu.
2
HIERARQUIA DE PASTAS
HIERARQUIA DE PASTAS
/
bin
home
Usuário 1
Área de Trabalho
Músicas, Documentos,
Imagens, …
Usuário 2
Área de Trabalho
Músicas, Documentos,
usr
bin
…
etc
HIERARQUIA DE PASTAS
HIERARQUIA DE PASTAS
• / : É A PASTA RAIZ DO SISTEMA, O DIRETÓRIO PRINCIPAL EQUIVALENTE AO C: NOS SISTEMA OPERACIONAIS
WINDOWS. TODOS OS DEMAIS ARQUIVOS SÃO SUBDIRETÓRIOS DA PASTA /.
• /BIN : CONTÉM TODAS AS FERRAMENTAS E EXECUTÁVEIS ESSENCIAIS PARA O FUNCIONAMENTO E
OPERAÇÃO DO SISTEMA LINUX.
• /DEV: ARMAZENA OS ARQUIVOS RESPONSÁVEIS PELOS PERIFÉRICOS E DEMAIS HARDWARES INSTALADOS NO
SISTEMA. O TERMO DEV É A ABREVIAÇÃO DE DEVICE – DISPOSITIVO EM INGLÊS.
• /ETC: CONTÉM OS ARQUIVOS DE INICIALIZAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA.
• /HOME: DIRETÓRIO PRINCIPAL DE TODOS OS USUÁRIOS DO SISTEMA. PARA CADA NOVO USUÁRIO CRIADO,
SERÁ CRIADA UM NOVO SUBDIRETÓRIO NESTA PASTA PARA ARMAZENAR SEUS DADOS PESSOAIS.
HIERARQUIA DE PASTAS
• /LIB: NESTE DIRETÓRIO SÃO ARMAZENADAS AS BIBLIOTECAS DO SISTEMA (LIBRARIES), ISTO É, OS PRINCIPAIS
COMPONENTES E COMANDOS UTILIZADOS PELO SISTEMA PARA AMPLIAR SUAS FUNCIONALIDADES.
• /PROC: CONTÉM ARQUIVOS QUE TRAZEM AS INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCESSOS DO SISTEMA.
• /ROOT: É O DIRETÓRIO PRINCIPAL DO SUPER USUÁRIO.
• /SBIN: CONTÉM AS INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA O GERENCIAMENTO DO SISTEMA OPERACIONAL – SYSTEM
BIN.
• /TMP: COMO TAMBÉM OCORRE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS, ESTE DIRETÓRIO SERVE PARA
ARMAZENAR OS ARQUIVOS UTILIZADOS POR PROCESSOS TEMPORÁRIOS.
HIERARQUIA DE PASTAS
• /USR: SUBDIRETÓRIO QUE CONTÉM OS ARQUIVOS DAS FERRAMENTAS E APLICATIVOS COMUNS A TODOS OS
USUÁRIOS.
• /USR/BIN: SUBDIRETÓRIO QUE CONTÉM OS ARQUIVOS DAS FERRAMENTAS E APLICATIVOS ESPECÍFICOS DE
CADA USUÁRIO.
• /USR/DICT: UTILIZADO PARA ARMAZENAR OS DICIONÁRIOS E LISTAS DE TERMOS DO USUÁRIO.
• /USR/DOC: CONTÉM A DOCUMENTAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL EM USO.
• /USR/GAMES: ASSIM COMO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS, O LINUX TAMBÉM POSSUI ALGUNS
JOGOS NATIVOS PARA DIVERSÃO DO USUÁRIO.
• /USR/INFO: DIRETÓRIO DE ARQUIVOS PARA O SISTEMA GNU INFO.
HIERARQUIA DE PASTAS
• /USR/LIB: ASSIM COMO O DIRETÓRIO /LIB DA RAIZ, PORÉM, SOMENTE PARA OS APLICATIVOS E BINÁRIOS
PRESENTES NA PASTA /USR/BIN.
• /USR/LOCAL: ESSA PASTA CONTÉM ARQUIVOS LOCAIS, OU SEJA, EXCLUSIVOS PARA CADA SISTEMA E
DISTRIBUIÇÃO.
• /USR/MAN: DIRETÓRIO PADRÃO PARA ARMAZENAMENTO DE MANUAIS DO SISTEMA.
• /USR/SHARE: CONTÉM OS ARQUIVOS QUE SÃO COMPARTILHADOS POR DIVERSOS SISTEMAS, COMO
IMAGENS, ÍCONES OU ATÉ MESMO SUBAPLICATIVOS.
• /USR/SRC: ESTE DIRETÓRIO CONTÉM O CÓDIGO-FONTE (SOURCE) DE TODOS OS SOFTWARES DISPONÍVEIS
NO SISTEMA.
• /VAR: DIRETÓRIO COM AS VARIÁVEIS DO SISTEMA, COMO LOGS, E SPOOL DA FILA DE IMPRESSÃO.
HIERARQUIA DE
PASTAS
É POSSÍVEL TAMBÉM ACESSAR OS
ARQUIVOS DO SISTEMA OPERACIONAL
POR MEIO DE UM NAVEGADOR WEB,
DE MANEIRA VISUAL E INTUITIVA.
BASTA DIGITAR O COMANDO FILE:/
PRINCIPAIS
COMANDOS –
PARTE II
PRINCIPAIS COMANDOS
• LN: CRIA UM ATALHO FÍSICO PARA UM DETERMINADO ARQUIVO.
• LN –S: CRIA UM ATALHO SIMBÓLICO PARA UM DETERMINADO ARQUIVO.
• *: É UM CARACTERE CORINGA E PODE SER UTILIZADO EM DIVERSOS COMANDOS
PARA APLICAR AÇÕES EM LOTE.
• ?: É UM CARACTERE CORINGA QUE SUBSTITUI APENAS UMA LETRA OU NÚMERO.
AO CONTRÁRIO DO * QUE REPRESENTA UMA SENTENÇA COMPLETA.
• ~: REPRESENTA A PASTA PESSOAL DO USUÁRIO, PODE SER UTILIZADA PARA
ATALHOS PARA DIVERSOS COMANDOS E FUNÇÕES.
• FILE: APRESENTA AS INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS SOBRE UM DETERMINADO
ARQUIVO. USE O PARÂMETRO –Z PAR ARQUIVOS COMPACTADOS.
FERRAMENTA GZIP
A FERRAMENTA GZIP É UTILIZADA PARA COMPACTAR E DESCOMPACTAR
ARQUIVOS NO LINUX. A SEGUIR ALGUNS DE SEUS PARÂMETROS:
• C: MANTÉM O ARQUIVO ORIGINAL INALTERADO. APENAS MOSTRA O NOME
DO ARQUIVO CASO SEJA COMPACTADO.
• L: LISTA O CONTEÚDO DO ARQUIVO COMPACTADO.
• N: ARMAZENA O CAMINHO ORIGINAL DO ARQUIVO PARA FUTURA
DESCOMPACTAÇÃO – USADO PARA BACKUPS.
• R: COMPACTA UM DIRETÓRIO COMPACTANDO TAMBÉM OS SEUS
SUBDIRETÓRIOS DE FORMA RECURSIVA.
FERRAMENTA GZIP
• T: VERIFICA O ARQUIVO COMPACTADO, SERVE COM UM TESTE DE
INTEGRIDADE.
• 9: ATIVA A COMPACTAÇÃO MÁXIMA, MAIS LENTA PORÉM MUITO MAIS
EFICAZ.
• S .<EXTENSÃO DESEJADA>: PERMITE ESPECIFICAR A EXTENSÃO QUE SERÁ
UTILIZADA NO ARQUIVO COMPACTADO.
FERRAMENTA GZIP
PARA DESCOMPACTAR UM ARQUIVOS EXISTEM DUAS FORMAS:
• UTILIZANDO O PARÂMETRO D: PARÂMETRO DA PRÓPRIA FERRAMENTA GZIP.
• GZIP –D MEU_ARQUIVO.TXT.GZ
• UTILIZANDO A FERRAMENTA ESPECÍFICA:
• GUNZIP MEU_ARQUIVO.TXT.GZ
OBRIGADO!
CÉSAR AUGUSTO PESSÔA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Linguagem Lua e suas Aplicações em Jogos
A Linguagem Lua e suas Aplicações em JogosA Linguagem Lua e suas Aplicações em Jogos
A Linguagem Lua e suas Aplicações em Jogos
elliando dias
 
Informática parte 1-introdução
Informática parte 1-introduçãoInformática parte 1-introdução
Informática parte 1-introdução
Mauro Pereira
 
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
Marco Guimarães
 

Mais procurados (20)

6 softwares de manutenção
6 softwares de manutenção6 softwares de manutenção
6 softwares de manutenção
 
Sistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Sistemas Computacionais - Aula 01 - ApresentaçãoSistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Sistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
 
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V3.pdf
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V3.pdfMódulo 3-Sistema Operativo Servidor - V3.pdf
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V3.pdf
 
Banco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Banco de Dados II Aula 01 - ApresentaçãoBanco de Dados II Aula 01 - Apresentação
Banco de Dados II Aula 01 - Apresentação
 
Banco de dados - Aula 1 SQL
Banco de dados - Aula 1 SQLBanco de dados - Aula 1 SQL
Banco de dados - Aula 1 SQL
 
Administração de servidores Linux
Administração de servidores LinuxAdministração de servidores Linux
Administração de servidores Linux
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
A Linguagem Lua e suas Aplicações em Jogos
A Linguagem Lua e suas Aplicações em JogosA Linguagem Lua e suas Aplicações em Jogos
A Linguagem Lua e suas Aplicações em Jogos
 
Aula 3 - Sistemas operacionais - Linux
Aula 3 - Sistemas operacionais - LinuxAula 3 - Sistemas operacionais - Linux
Aula 3 - Sistemas operacionais - Linux
 
Módulo 5 Arquitetura de Computadores
Módulo 5 Arquitetura de ComputadoresMódulo 5 Arquitetura de Computadores
Módulo 5 Arquitetura de Computadores
 
Sistemas Operacionais - Aula 05 (Concorrência)
Sistemas Operacionais - Aula 05 (Concorrência)Sistemas Operacionais - Aula 05 (Concorrência)
Sistemas Operacionais - Aula 05 (Concorrência)
 
Sistemas Operacionais - Aula 04 - Prática 1 - (SOSim)
Sistemas Operacionais - Aula 04 - Prática 1 - (SOSim)Sistemas Operacionais - Aula 04 - Prática 1 - (SOSim)
Sistemas Operacionais - Aula 04 - Prática 1 - (SOSim)
 
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional WindowsInformática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
 
Informática parte 1-introdução
Informática parte 1-introduçãoInformática parte 1-introdução
Informática parte 1-introdução
 
Aula 09 instalação de hardware
Aula 09 instalação de hardwareAula 09 instalação de hardware
Aula 09 instalação de hardware
 
1 - Introdução ao linux
1 - Introdução ao linux1 - Introdução ao linux
1 - Introdução ao linux
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 
Aula 1 sistema operacional linux
Aula 1 sistema operacional linuxAula 1 sistema operacional linux
Aula 1 sistema operacional linux
 
Visão geral do sistema operacional
Visão geral do sistema operacionalVisão geral do sistema operacional
Visão geral do sistema operacional
 
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
 

Semelhante a Aula 4 - Hierarquia de pastas no Linux

Guia com mais de 500 comandos do linux
Guia com mais de 500 comandos do linuxGuia com mais de 500 comandos do linux
Guia com mais de 500 comandos do linux
Kalanzans
 
Aula 04 informática aplicada - comando básicos
Aula 04  informática aplicada - comando básicosAula 04  informática aplicada - comando básicos
Aula 04 informática aplicada - comando básicos
Robson Ferreira
 
Sistema Operacional GNU/Linux
Sistema Operacional GNU/LinuxSistema Operacional GNU/Linux
Sistema Operacional GNU/Linux
Pedro Neto
 
(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs
(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs
(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs
Anderson Lago
 

Semelhante a Aula 4 - Hierarquia de pastas no Linux (20)

Guia com mais de 500 comandos do linux
Guia com mais de 500 comandos do linuxGuia com mais de 500 comandos do linux
Guia com mais de 500 comandos do linux
 
Aula 04 informática aplicada - comando básicos
Aula 04  informática aplicada - comando básicosAula 04  informática aplicada - comando básicos
Aula 04 informática aplicada - comando básicos
 
Software
SoftwareSoftware
Software
 
Comandos Linux
Comandos LinuxComandos Linux
Comandos Linux
 
Guia 500 comandos_linux
Guia 500 comandos_linuxGuia 500 comandos_linux
Guia 500 comandos_linux
 
unix_basico.pdf
unix_basico.pdfunix_basico.pdf
unix_basico.pdf
 
Produtividade & elegância com linux
Produtividade & elegância com linuxProdutividade & elegância com linux
Produtividade & elegância com linux
 
Linux - Sobre a Disciplina + Introdução ao Linux
Linux - Sobre a Disciplina + Introdução ao LinuxLinux - Sobre a Disciplina + Introdução ao Linux
Linux - Sobre a Disciplina + Introdução ao Linux
 
Sistema Operacional GNU/Linux
Sistema Operacional GNU/LinuxSistema Operacional GNU/Linux
Sistema Operacional GNU/Linux
 
Estrutura de diretorios
Estrutura de diretoriosEstrutura de diretorios
Estrutura de diretorios
 
I Workshop de Redes do Iespes
I Workshop de Redes do IespesI Workshop de Redes do Iespes
I Workshop de Redes do Iespes
 
Principais Comandos Linux (UBUNTU) 2
Principais Comandos Linux (UBUNTU) 2Principais Comandos Linux (UBUNTU) 2
Principais Comandos Linux (UBUNTU) 2
 
Linux System Administrator | Curso de Redes | 3Way Networks
Linux System Administrator | Curso de Redes | 3Way NetworksLinux System Administrator | Curso de Redes | 3Way Networks
Linux System Administrator | Curso de Redes | 3Way Networks
 
Gnu/Linux - Workshop EACH-USP
Gnu/Linux - Workshop EACH-USPGnu/Linux - Workshop EACH-USP
Gnu/Linux - Workshop EACH-USP
 
Sistemas Operacionais - 06 - Sistemas Operacionais Linux
Sistemas Operacionais - 06 - Sistemas Operacionais LinuxSistemas Operacionais - 06 - Sistemas Operacionais Linux
Sistemas Operacionais - 06 - Sistemas Operacionais Linux
 
Aula 10 semana
Aula 10 semanaAula 10 semana
Aula 10 semana
 
(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs
(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs
(01) intro+inicializacao+boot loader+fhs
 
Aula 10 semana
Aula 10 semanaAula 10 semana
Aula 10 semana
 
GSO II Aula 3 - Principais Comandos Linux (ubuntu)
GSO II Aula 3 - Principais Comandos Linux (ubuntu)GSO II Aula 3 - Principais Comandos Linux (ubuntu)
GSO II Aula 3 - Principais Comandos Linux (ubuntu)
 
Utilizando o open ssh
Utilizando o open   sshUtilizando o open   ssh
Utilizando o open ssh
 

Mais de César Augusto Pessôa

Mais de César Augusto Pessôa (20)

Home office seguro
Home office seguroHome office seguro
Home office seguro
 
Apresentação completa do PITCH do NASA SpaceApps 2019
Apresentação completa do PITCH do NASA SpaceApps 2019Apresentação completa do PITCH do NASA SpaceApps 2019
Apresentação completa do PITCH do NASA SpaceApps 2019
 
14 Princípios de Deming
14 Princípios de Deming14 Princípios de Deming
14 Princípios de Deming
 
Deck de ferramentas para Startups, como começar bem!
Deck de ferramentas para Startups, como começar bem!Deck de ferramentas para Startups, como começar bem!
Deck de ferramentas para Startups, como começar bem!
 
MVP - O que é e como criar o seu
MVP - O que é e como criar o seuMVP - O que é e como criar o seu
MVP - O que é e como criar o seu
 
A importância do design nos negócios
A importância do design nos negóciosA importância do design nos negócios
A importância do design nos negócios
 
Personas - a dinâmica de vestir os sapatos do cliente
Personas - a dinâmica de vestir os sapatos do clientePersonas - a dinâmica de vestir os sapatos do cliente
Personas - a dinâmica de vestir os sapatos do cliente
 
A rotina de um Scrum Master
A rotina de um Scrum MasterA rotina de um Scrum Master
A rotina de um Scrum Master
 
A vida de um Scrum Product Owner
A vida de um Scrum Product OwnerA vida de um Scrum Product Owner
A vida de um Scrum Product Owner
 
O ecossistema de Startups na região de Araçatuba
O ecossistema de Startups na região de AraçatubaO ecossistema de Startups na região de Araçatuba
O ecossistema de Startups na região de Araçatuba
 
Excelência e Qualidade - Parte 04
Excelência e Qualidade - Parte 04Excelência e Qualidade - Parte 04
Excelência e Qualidade - Parte 04
 
Excelência e Qualidade - Parte 03
Excelência e Qualidade - Parte 03Excelência e Qualidade - Parte 03
Excelência e Qualidade - Parte 03
 
Excelência e Qualidade - Parte 02
Excelência e Qualidade - Parte 02Excelência e Qualidade - Parte 02
Excelência e Qualidade - Parte 02
 
Excelência e qualidade - Parte 01
Excelência e qualidade - Parte 01Excelência e qualidade - Parte 01
Excelência e qualidade - Parte 01
 
User eXperience - como o seu cliente se relaciona com o seu produto
User eXperience - como o seu cliente se relaciona com o seu produtoUser eXperience - como o seu cliente se relaciona com o seu produto
User eXperience - como o seu cliente se relaciona com o seu produto
 
Seja ágil com o Scrum - parte 02
Seja ágil com o Scrum - parte 02Seja ágil com o Scrum - parte 02
Seja ágil com o Scrum - parte 02
 
Seja ágil com o Scrum - parte 01
Seja ágil com o Scrum - parte 01Seja ágil com o Scrum - parte 01
Seja ágil com o Scrum - parte 01
 
Aula 4 - Manipulando e Resgatando Dados 2
Aula 4 - Manipulando e Resgatando Dados 2Aula 4 - Manipulando e Resgatando Dados 2
Aula 4 - Manipulando e Resgatando Dados 2
 
Aula 3 - Manipulando e Resgatando Dados
Aula 3 - Manipulando e Resgatando DadosAula 3 - Manipulando e Resgatando Dados
Aula 3 - Manipulando e Resgatando Dados
 
Aula 2 - Comandos DDL DML DQL E DCL
Aula 2 - Comandos DDL DML DQL E DCLAula 2 - Comandos DDL DML DQL E DCL
Aula 2 - Comandos DDL DML DQL E DCL
 

Último

Último (8)

Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 

Aula 4 - Hierarquia de pastas no Linux

  • 1. SISTEMAS OPERACIONAIS II PRINCIPAIS COMANDOS CÉSAR AUGUSTO PESSÔA
  • 2. SUMÁRIO • OBJETIVO DA AULA • HIERARQUIA DE PASTAS • CONTINUAÇÃO – PRINCIPAIS COMANDOS • COMPACTANDO E DESCOMPACTANDO ARQUIVOS • PRÁTICA EM LABORATÓRIO
  • 3. OBJETIVOS DA AULA Apresentar a hierarquia de pastas comum a maioria dos sistemas operacionais baseado na arquitetura Linux. 1 Realizar prática em laboratório explorando a hierarquia de pastas e comandos utilizados no sistema operacional Ubuntu. 2
  • 5. HIERARQUIA DE PASTAS / bin home Usuário 1 Área de Trabalho Músicas, Documentos, Imagens, … Usuário 2 Área de Trabalho Músicas, Documentos, usr bin … etc
  • 7. HIERARQUIA DE PASTAS • / : É A PASTA RAIZ DO SISTEMA, O DIRETÓRIO PRINCIPAL EQUIVALENTE AO C: NOS SISTEMA OPERACIONAIS WINDOWS. TODOS OS DEMAIS ARQUIVOS SÃO SUBDIRETÓRIOS DA PASTA /. • /BIN : CONTÉM TODAS AS FERRAMENTAS E EXECUTÁVEIS ESSENCIAIS PARA O FUNCIONAMENTO E OPERAÇÃO DO SISTEMA LINUX. • /DEV: ARMAZENA OS ARQUIVOS RESPONSÁVEIS PELOS PERIFÉRICOS E DEMAIS HARDWARES INSTALADOS NO SISTEMA. O TERMO DEV É A ABREVIAÇÃO DE DEVICE – DISPOSITIVO EM INGLÊS. • /ETC: CONTÉM OS ARQUIVOS DE INICIALIZAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA. • /HOME: DIRETÓRIO PRINCIPAL DE TODOS OS USUÁRIOS DO SISTEMA. PARA CADA NOVO USUÁRIO CRIADO, SERÁ CRIADA UM NOVO SUBDIRETÓRIO NESTA PASTA PARA ARMAZENAR SEUS DADOS PESSOAIS.
  • 8. HIERARQUIA DE PASTAS • /LIB: NESTE DIRETÓRIO SÃO ARMAZENADAS AS BIBLIOTECAS DO SISTEMA (LIBRARIES), ISTO É, OS PRINCIPAIS COMPONENTES E COMANDOS UTILIZADOS PELO SISTEMA PARA AMPLIAR SUAS FUNCIONALIDADES. • /PROC: CONTÉM ARQUIVOS QUE TRAZEM AS INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCESSOS DO SISTEMA. • /ROOT: É O DIRETÓRIO PRINCIPAL DO SUPER USUÁRIO. • /SBIN: CONTÉM AS INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA O GERENCIAMENTO DO SISTEMA OPERACIONAL – SYSTEM BIN. • /TMP: COMO TAMBÉM OCORRE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS, ESTE DIRETÓRIO SERVE PARA ARMAZENAR OS ARQUIVOS UTILIZADOS POR PROCESSOS TEMPORÁRIOS.
  • 9. HIERARQUIA DE PASTAS • /USR: SUBDIRETÓRIO QUE CONTÉM OS ARQUIVOS DAS FERRAMENTAS E APLICATIVOS COMUNS A TODOS OS USUÁRIOS. • /USR/BIN: SUBDIRETÓRIO QUE CONTÉM OS ARQUIVOS DAS FERRAMENTAS E APLICATIVOS ESPECÍFICOS DE CADA USUÁRIO. • /USR/DICT: UTILIZADO PARA ARMAZENAR OS DICIONÁRIOS E LISTAS DE TERMOS DO USUÁRIO. • /USR/DOC: CONTÉM A DOCUMENTAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL EM USO. • /USR/GAMES: ASSIM COMO O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS, O LINUX TAMBÉM POSSUI ALGUNS JOGOS NATIVOS PARA DIVERSÃO DO USUÁRIO. • /USR/INFO: DIRETÓRIO DE ARQUIVOS PARA O SISTEMA GNU INFO.
  • 10. HIERARQUIA DE PASTAS • /USR/LIB: ASSIM COMO O DIRETÓRIO /LIB DA RAIZ, PORÉM, SOMENTE PARA OS APLICATIVOS E BINÁRIOS PRESENTES NA PASTA /USR/BIN. • /USR/LOCAL: ESSA PASTA CONTÉM ARQUIVOS LOCAIS, OU SEJA, EXCLUSIVOS PARA CADA SISTEMA E DISTRIBUIÇÃO. • /USR/MAN: DIRETÓRIO PADRÃO PARA ARMAZENAMENTO DE MANUAIS DO SISTEMA. • /USR/SHARE: CONTÉM OS ARQUIVOS QUE SÃO COMPARTILHADOS POR DIVERSOS SISTEMAS, COMO IMAGENS, ÍCONES OU ATÉ MESMO SUBAPLICATIVOS. • /USR/SRC: ESTE DIRETÓRIO CONTÉM O CÓDIGO-FONTE (SOURCE) DE TODOS OS SOFTWARES DISPONÍVEIS NO SISTEMA. • /VAR: DIRETÓRIO COM AS VARIÁVEIS DO SISTEMA, COMO LOGS, E SPOOL DA FILA DE IMPRESSÃO.
  • 11. HIERARQUIA DE PASTAS É POSSÍVEL TAMBÉM ACESSAR OS ARQUIVOS DO SISTEMA OPERACIONAL POR MEIO DE UM NAVEGADOR WEB, DE MANEIRA VISUAL E INTUITIVA. BASTA DIGITAR O COMANDO FILE:/
  • 13. PRINCIPAIS COMANDOS • LN: CRIA UM ATALHO FÍSICO PARA UM DETERMINADO ARQUIVO. • LN –S: CRIA UM ATALHO SIMBÓLICO PARA UM DETERMINADO ARQUIVO. • *: É UM CARACTERE CORINGA E PODE SER UTILIZADO EM DIVERSOS COMANDOS PARA APLICAR AÇÕES EM LOTE. • ?: É UM CARACTERE CORINGA QUE SUBSTITUI APENAS UMA LETRA OU NÚMERO. AO CONTRÁRIO DO * QUE REPRESENTA UMA SENTENÇA COMPLETA. • ~: REPRESENTA A PASTA PESSOAL DO USUÁRIO, PODE SER UTILIZADA PARA ATALHOS PARA DIVERSOS COMANDOS E FUNÇÕES. • FILE: APRESENTA AS INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS SOBRE UM DETERMINADO ARQUIVO. USE O PARÂMETRO –Z PAR ARQUIVOS COMPACTADOS.
  • 14. FERRAMENTA GZIP A FERRAMENTA GZIP É UTILIZADA PARA COMPACTAR E DESCOMPACTAR ARQUIVOS NO LINUX. A SEGUIR ALGUNS DE SEUS PARÂMETROS: • C: MANTÉM O ARQUIVO ORIGINAL INALTERADO. APENAS MOSTRA O NOME DO ARQUIVO CASO SEJA COMPACTADO. • L: LISTA O CONTEÚDO DO ARQUIVO COMPACTADO. • N: ARMAZENA O CAMINHO ORIGINAL DO ARQUIVO PARA FUTURA DESCOMPACTAÇÃO – USADO PARA BACKUPS. • R: COMPACTA UM DIRETÓRIO COMPACTANDO TAMBÉM OS SEUS SUBDIRETÓRIOS DE FORMA RECURSIVA.
  • 15. FERRAMENTA GZIP • T: VERIFICA O ARQUIVO COMPACTADO, SERVE COM UM TESTE DE INTEGRIDADE. • 9: ATIVA A COMPACTAÇÃO MÁXIMA, MAIS LENTA PORÉM MUITO MAIS EFICAZ. • S .<EXTENSÃO DESEJADA>: PERMITE ESPECIFICAR A EXTENSÃO QUE SERÁ UTILIZADA NO ARQUIVO COMPACTADO.
  • 16. FERRAMENTA GZIP PARA DESCOMPACTAR UM ARQUIVOS EXISTEM DUAS FORMAS: • UTILIZANDO O PARÂMETRO D: PARÂMETRO DA PRÓPRIA FERRAMENTA GZIP. • GZIP –D MEU_ARQUIVO.TXT.GZ • UTILIZANDO A FERRAMENTA ESPECÍFICA: • GUNZIP MEU_ARQUIVO.TXT.GZ