O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

A lenda-das-sete-cidades

4.847 visualizações

Publicada em

Leiture

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A lenda-das-sete-cidades

  1. 1. O que vamos fazer nesta aula de Língua Portuguesa? 1º Vamos tentar adivinhar do que fala este conto; 2º Vamos ler, individualmente e em voz alta o conto “A Lenda das Sete Cidades”; 3º Vamos responder a questões de Compreensão do texto e a questões sobre o Funcionamento da Língua (Gramática); 4º Vamos reconstruir o texto que se encontra decomposto em tiras, ordenando-as; 5º Vamos colar essas tiras no painel de papel afixado no quadro; 6º Vamos preencher a Ficha de Leitura;
  2. 2. Mariana Bradford Mariana Magalhães Joana Medeiros CAMINHO
  3. 3. Há muitos, muitos anos existiu no meio do oceano uma terra muito grande e muito linda chamada Atlântida. Nos montes havia grandes bosques de árvores gigantescas. Nos vales cresciam pomares que davam frutos saborosos. As pastagens eram abundantes e as vacas gordas e pachorrentas davam bom leite. Milhares de pássaros cantavam por entre a folhagem. Os atlantes eram belos, saudáveis e inteligentes. Construíram cidades fantásticas, com casas enormes e confortáveis, ruas largas e jardins bem cuidados. Os palácios tinham as paredes cobertas de marfim, ouro e prata. As jóias eram feitas num material que só eles tinham, o oricalco, mais valioso do que o ouro.
  4. 4. A Atlântida desapareceu devido a um tremor de terra violentíssimo. Foi engolida pelo mar numa só noite. A única coisa que ficou de fora foram os cumes das montanhas, que se transformaram em ilhas e essas ilhas são os AÇORES. E como são algumas (nove) e ficam próximas umas das outras tomam o nome de arquipélago.
  5. 5. Numa dessas ilhas, a ilha de S. Miguel, havia um reino maravilhoso chamado Reino das Sete Cidades, onde as pessoas diziam que se nascia para ser feliz. Ninguém nunca soube ao certo por que pensavam assim.
  6. 6. Talvez fosse por causa das suaves colinas cobertas de verdura, dos caminhos cheios de flores, dos ventos brandos, das brumas e neblinas que a tudo emprestavam um ar de doce mistério. A verdade, porém, é que, estando convencidos da sua felicidade, as pessoas eram amáveis com os vizinhos, carinhosas com os mais velhos, ternas com as crianças e viviam num ambiente de grande harmonia.
  7. 7. Quem governava era o rei que vivia num belo palácio com a sua única filha. A princesa adorava passear sozinha, fazer colares de flores, enfeitar-se e ver a sua própria imagem reflectida na água das fontes e dos regatos. Penteava os cabelos loiros com um pente de marfim e sorria aos pássaros que vinham pousar-lhe nas mãos, abrindo muito os lindos olhos azuis.
  8. 8. Certo dia, enquanto descansava à sombra de uma árvore frondosa, pareceu-lhe ouvir uma música, uma música tão suave, que por breves instantes julgou sonhar.
  9. 9. Mas o som continuava alegre, forte chamativo. Ergueu-se então sem fazer barulho e caminhou em bicos de pés ao encontro de um pastor, jovem e belo, que tocava viola para entreter as ovelhas do rebanho.
  10. 10. Quando o pastor viu aquela menina ficou atrapalhado. E quando soube que era a princesa, ficou deslumbrado! Tocou horas sem fim para lhe agradar. Primeiro, melodias que tinha aprendido com o pai e com o avô. Depois deu largas à imaginação e imitou o som das ondas do mar em dia de tempestade, o canto dos pássaros, o sussurro da folhagem ao vento. E a princesa estava deliciada. Já tinha ouvido músicos famosos no palácio, mas nenhum tocava assim.
  11. 11. Escusado será dizer que a princesa e o pastor se apaixonaram perdidamente. E voltaram a encontrar-se em segredo, sempre que a princesa conseguia escapar à vigilância do pai e da aia que tomava conta dela desde pequena, e que já andava bastante desconfiada com tanto passeio.
  12. 12. De madrugada, a princesa correu até ao cimo da montanha para um último encontro com o pastor. Choraram tanto que ali surgiram duas grandes lagoas. Uma de água azul, como a cor dos olhos da princesa. Outra de água verde, como a cor dos olhos do pastor. FIM
  13. 13. No ano seguinte apresentou-se no palácio o príncipe de um reino vizinho para pedir a princesa em casamento. O rei ficou contente e chamou a filha para lhe dizer: Vais-te casar! Vamos fazer uma grande festa! A pobre princesa ficou louca de desgosto, mas, nesse tempo, quem escolhia o noivo era o pai e ninguém se atrevia a desobedecer.
  14. 14. I - Questões… A – Acerca do Texto  Qual é o título do texto?  Quem é(são) o(s) autor(es) do texto?  Qual a editora do livro?  Que tipo de escrita tem o texto? Justifica.  Quantos parágrafos ou versos tem o texto?  Quantos períodos tem o décimo segundo parágrafo do texto?  Localiza a acção no espaço e no tempo.  Quem são as personagens que participam nesta história?  Qual é/ Quais são a(s) personagem(ns) principal(is)?  Recorda o que estudaste em Estudo do Meio e diz
  15. 15. o que é uma ilha, quantas são as ilhas dos Açores e o que é um arquipélago.  Localiza este arquipélago no mapa da tua sala de aula.  Qual era a profissão do apaixonado da princesa?  O rei sabia que a sua filha se encontrava com este rapaz?  Um dia o que é que aconteceu?  Como ficou a princesa?  O que fez ela então?  Para que tomou ela esta atitude?
  16. 16. O que fizeram os dois?  O que surgiu?  Recordando uma vez mais o que estudaste em Estudo do Meio, diz o que é uma lagoa.  Essas lagoas eram da mesma cor? Porquê?
  17. 17. B – Funcionamento da Língua Usa o teu pequeno quadro  Do sétimo parágrafo e do oitavo parágrafo do texto refere: um nome próprio, um nome comum, um nome colectivo, um adjectivo, um verbo.  Presta atenção ao décimo terceiro parágrafo e reescreve a frase, substituindo a palavra pastor por um pronome pessoal;  No décimo sétimo parágrafo encontras a palavra palácio.
  18. 18. Quantas sílabas tem? Então chama-se um… E quanto à acentuação é uma palavra…, porque a sílaba tónica é a…  No último parágrafo do texto refere uma palavra que tenha acento fónico e uma palavra que tenha acento gráfico.  No 9º parágrafo aparece a palavra verdura. Diz qual é a sua palavra-mãe.  Refere uma área lexical de hidrânjeas ou hortênsias (7), desenho das flores que aparecem ao longo das páginas do teu conto.
  19. 19. II – Formação Cívica Esta é sem dúvida uma história de Amizade e de um grande Amor. O que pensam vocês da Amizade?  O que é para vocês a Amizade?  Amor é diferente de Amizade? Porquê?  Então o que é para vocês o Amor?  Que tipos de amor conhecem?
  20. 20. III - Reconstituição do Conto Acabámos de ler esta linda história de amor. Uma história que acabou de forma cruel para estes apaixonados, também bons amigos, como já vimos. Já exploramos o nosso conto. Agora vamos reconstruir toda a nossa história. É como se fosse um puzzle formado por palavras e frases distribuídas por parágrafos. Vamos então fazer este jogo? Tens de estar muito atento para colocares a tua tira no painel exposto no quadro, quando for a tua vez.
  21. 21. IV - Ficha de Leitura Para terminar o nosso trabalho, vais responder às questões da Ficha de Leitura do conto que acabaste de estudar. Presta atenção. Lê muito bem as questões. Toma atenção aos erros ortográficos. Este trabalho é individual, como já sabes. FIM

×