SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
O Discurso de Pimandro
                        Hermes Trismegistus
                   Tradu¸ao: Carlos A. P. Campani
                        c˜


1    Introdu¸˜o
            ca
   Este texto ´ uma tradu¸ao para o portuguˆs de parte do Livro Primeiro de
              e           c˜                e
“O Divinio Pimandro” de Hermes Trismegistus. O texto refere-se ao discurso
que Hermes recebe de Pimandro e que cont´m algumas das principais id´ias
                                          e                             e
do Hermetismo.
   Pimandro apresenta-se a Hermes como “Pastor de Homens”, sendo esta
uma das poss´ıveis tradu¸˜es do nome “Pimandro”. O texto completo ´ um
                        co                                            e
conjunto de di´logos e discursos de Hermes dirigidos ao seu filho Tat e ao
               a
seu neto Euscl´pio. O Livro Primeiro come¸a exatamente com o discurso de
              e                           c
Pimandro a Hermes.


2    Hermes Trismegistus
    Hermes Trismegistus ´ a express˜o em Latim para “Hermes o Trˆs-Vezes-
                          e           a                                 e
Grande”. Ele foi um personagem hist´rico ou m´
                                       o          ıtico do antigo Egito (tamb´m
                                                                             e
conhecido como Thoth), que assumuiu conota¸˜es de deus e que foi reveren-
                                                 co
ciado tamb´m na Gr´cia.
            e         e
    Hermes foi considerado pelos eg´  ıpcios o Mensageiro dos Deuses, por ter
transmitido os ensinamentos a este grande povo da antig¨idade e ter im-
                                                                u
plantado a tradi¸ao sagrada, os rituais sagrados, e os ensinamentos das artes
                 c˜
e ciˆncias em suas escolas da sabedoria. A medicina, a astronomia, a as-
    e
trologia, a botˆnica, a agricultura, a geologia, as matem´ticas, a m´sica, a
               a                                              a           u
arquitetura, a ciˆncia pol´
                 e        ıtica, tudo isso era ensinado nessas escolas e em seus
livros, que segundo os gregos somavam 42. Entre eles se encontra ”O Livro
dos Mortos”que ´ tamb´m chamado de ”O Livro da Sa´ da Luz”.
                  e     e                                   ıda


                                       1
“Hermes Trˆs-Vezes-Grande” foi uma deidade sincr´tica que combinava
               e                                      e
aspectos do deus grego Hermes e do deus eg´
                                          ıpcio Thoth.
    Um dos livros mais conhecidos cuja autoria lhe ´ atribuida ´ o “Divino
                                                   e           e
Pimandro”. A ele tamb´m ´ atribu´ o mais famoso texto alqu´
                        e e         ıdo                           ımico, a
“T´bua de Esmeralda”.
   a


3     O Discurso de Pimandro
    1. Todas as coisas que s˜o, s˜o m´veis; somente as coisas que n˜o s˜o,
                              a     a       o                                 a a
s˜o im´veis.
 a     o
    2. Todo Corpo ´ mut´vel.
                     e     a
    3. Nem todo Corpo ´ dissol´vel.
                          e      u
    4. Alguns Corpos s˜o dissol´veis.
                        a        u
    5. Toda coisa viva n˜o ´ mortal.
                          a e
    6. Nem toda a coisa viva ´ imortal.
                               e
    7. Tudo que ´ dissol´vel ´ tamb´m corromp´
                 e        u   e         e             ıvel.
    8. Aquilo que permanece parado sempre ´ imut´vel.
                                                    e     a
    9. Aquilo que ´ imut´vel ´ eterno.
                   e      a    e
    10. Aquilo que ´ sempre feito ´ sempre corromp´
                     e               e                      ıvel.
    11. Aquilo que ´ feito somente uma vez, nunca ´ corromp´
                    e                                    e          ıvel, nem torna-
se qualquer outra coisa.
    12. Primeiro, Deus; em segundo lugar, o Mundo; em terceiro, Homem.
    13. O Mundo para o Homem, o Homem para Deus.
    14. Da Alma, a parte que ´ Sens´ ´ mortal, mas a que ´ Racional ´
                                 e         ıvel e                       e          e
imortal.
    15. Toda essˆncia ´ imortal.
                e      e
    16. Toda essˆncia ´ imut´vel.
                e      e      a
    17. Toda coisa que ´, ´ dobrado.
                         e e
    18. Nenhuma das coisas que ´, permanece.
                                   e
    19. Nem todas as coisas s˜o movidas pela Alma, mas toda coisa que ´, ´
                               a                                                 e e
movida pela Alma.
    20. Toda coisa que sofre ´ Sens´
                              e        ıvel, toda coisa que ´ Sens´ sofre.
                                                                e    ıvel
    21. Toda coisa que ´ triste tamb´m se alegra, e ´ uma Criatura viva
                           e                e                   e
mortal.
    22. Nem toda coisa que alegra ´ tamb´m triste, mas ´ uma coisa viva
                                         e        e               e
eterna.
    23. Nem todo Corpo ´ doente; todo Corpo que ´ doente ´ dissol´vel.
                            e                              e        e       u


                                         2
24. A mente em Deus.
    25. Raz˜o no Homem.
            a
    26. Raz˜o na Mente.
            a
    27. A Mente est´ vazia de sofrimento.
                       a
    28. Nenhuma coisa ´ um Corpo verdadeiro.
                            e
    29. Tudo que ´ incorp´reo, est´ liberto da Mentira.
                    e         o         a
    30. Toda coisa que ´ feita ´ corromp´
                            e      e           ıvel.
    31. Nenhum bem sobre a Terra, nenhum mal nos C´us.        e
    32. Deus ´ bom, o Homem ´ mal.
               e                    e
    33. Bem ´ volunt´rio, ou de seu pr´prio acordo.
              e         a                    o
    34. Mal ´ involunt´rio ou contra seus desejos.
             e            a
    35. Os Deuses escolhem coisas boas, como coisas boas.
    36. Tempo ´ uma coisa divina.
                  e
    37. Lei ´ Humana.
            e
    38. Mal´ ´ o alimento do Mundo.
            ıcia e
    39. Tempo ´ a corrup¸˜o do Homem.
                  e           ca
    40. Qualquer coisa no C´u ´ inalter´vel.
                                 e e          a
    41. Todas as coisas sobre a Terra s˜o alter´veis.
                                             a         a
    42. Nada no C´u ´ servo, nada sobre a Terra ´ livre.
                     e e                                 e
    43. Nada ´ desconhecido no C´u, nada ´ conhecido sobre a Terra.
               e                        e          e
    44. As coisas sobre a Terra n˜o se comunicam com as coisas no C´u.
                                      a                                   e
    45. Todas as coisas no C´u s˜o incensur´veis, todas as coisas sobre a
                                   e a                a
Terra s˜o sujeitas a Repreens˜o.
        a                         a
    46. O que ´ imortal, n˜o ´ mortal; o que ´ mortal n˜o ´ imortal.
                 e             a e                   e        a e
    47. O que ´ plantado, nem sempre ´ gerado; mas o que ´ gerado, sempre
                 e                           e                   e
´ plantado.
e
    48. Para os Corpos dissolv´   ıveis, existem dois Tempos, um de plantar para
gerar, e outro de gerar para morrer.
    49. Para um Corpo maduro, o tempo ´ somente para a Gera¸ao.
                                                 e                   c˜
    50. Corpos dissol´veis aumentam e diminuem.
                        u
    51. Mat´ria dissol´vel ´ alterada em contr´rios; para saber, Corrup¸ao e
            e            u     e                      a                     c˜
Gera¸ao, mas mat´ria Eterna o ´ em si pr´pria, e como ela pr´pria.
     c˜              e                e          o                 o
    52. A Gera¸ao do Homem ´ Corrup¸˜o, a Corrup¸˜o do Homem ´ o in´
                 c˜               e          ca            ca           e     ıcio
da Gera¸ao.
         c˜
    53. Aquilo que gera ou pari outro, ´ ele pr´prio um gerado ou parido por
                                             e        o
outro.
    54. Das coisas que s˜o, algumas s˜o em Corpos, algumas em suas Id´ias.
                            a              a                                 e


                                        3
55. Qualquer coisa que pertence ` opera¸˜o ou ao trabalho, est˜o em um
                                        a    ca                   a
Corpo.
    56. Aquilo que ´ imortal, n˜o partilha nada com aquilo que ´ mortal.
                    e            a                              e
    57. Aquilo que ´ mortal, n˜o vai para um Corpo imortal, mas aquilo que
                    e           a
´ imortal, vai para aquilo que ´ mortal.
e                               e
    58. Opera¸˜es ou Trabalhos n˜o s˜o transportados para cima, mas descem
              co                   a a
para baixo.
    59. As coisas sobre a Terra n˜o geram benef´ para o C´u, mas todas
                                     a           ıcio         e
as coisas no C´u beneficiam e ajudam as coisas sobre a Terra.
               e
    60. O C´u ´ um recept´culo capaz e adequado para os Corpos definitivos,
            e e            a
a Terra dos Corpos corromp´   ıveis.
    61. A Terra ´ bestial, o C´u ´ racional.
                 e             e e
    62. Estas coisas que est˜o no C´u s˜o sujeitas e postas abaixo dele, mas
                             a         e a
as coisas da Terra, s˜o postas sobre ela.
                      a
    63. O C´u ´ o primeiro Elemento.
            e e
    64. Providˆncia ´ a Ordem Divina.
               e     e
    65. Necessidade ´ o Minist´rio ou Servo da Providˆncia.
                      e         e                     e
    66. Fortuna ´ a produ¸˜o ou efeito daquilo que ´ sem Ordem; o ´
                 e         ca                       e               Idolo da
opera¸ao, uma fantasia mentirosa ou opini˜o.
      c˜                                    a
    67. O que ´ Deus? O imut´vel e inalter´vel Bem.
               e                a            a
    68. O que ´ o Homem? O mut´vel Mal.
               e                      a




                                     4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cabalá para principiantes Volumen II
Cabalá para principiantes Volumen IICabalá para principiantes Volumen II
Cabalá para principiantes Volumen IIKenya Olivera
 
O poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda berg
O poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda bergO poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda berg
O poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda bergGevluz de Luz
 
Rosarium Philosophorum
Rosarium PhilosophorumRosarium Philosophorum
Rosarium PhilosophorumCarlos Campani
 
Descubra seu arcano pessoal
Descubra seu arcano pessoalDescubra seu arcano pessoal
Descubra seu arcano pessoalPaulo Viana
 
A arvore-da-vida - Israel-Regardie
A arvore-da-vida - Israel-RegardieA arvore-da-vida - Israel-Regardie
A arvore-da-vida - Israel-RegardieMarcelo Ferreira
 
Tratado de numerologia cabalistica
Tratado de numerologia cabalisticaTratado de numerologia cabalistica
Tratado de numerologia cabalisticaAnderson Santana
 
7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf
7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf
7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdfLUCIANA ROCHA
 
O Poder do Tetragrammaton
O Poder do TetragrammatonO Poder do Tetragrammaton
O Poder do TetragrammatonPaulo Viana
 
72 nombres-revisados-tarjetas
72 nombres-revisados-tarjetas72 nombres-revisados-tarjetas
72 nombres-revisados-tarjetasPrema Perez
 
14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)
14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)
14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)Ricardo Akerman
 
Tabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadas
Tabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadasTabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadas
Tabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadasKelly Lima
 
Meditación en los 72 nombres de dios
Meditación en los 72 nombres de diosMeditación en los 72 nombres de dios
Meditación en los 72 nombres de diosSINEXTRA CORP C.A.
 
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5hAs colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5hhome
 
Mundos regeneradores dalila melo, julho 2013
Mundos regeneradores   dalila melo, julho 2013Mundos regeneradores   dalila melo, julho 2013
Mundos regeneradores dalila melo, julho 2013Dalila Melo
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintoniajcevadro
 

Mais procurados (20)

Cabalá para principiantes Volumen II
Cabalá para principiantes Volumen IICabalá para principiantes Volumen II
Cabalá para principiantes Volumen II
 
O poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda berg
O poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda bergO poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda berg
O poder da cabala, tecnologia para a alma - yehuda berg
 
Rosarium Philosophorum
Rosarium PhilosophorumRosarium Philosophorum
Rosarium Philosophorum
 
Descubra seu arcano pessoal
Descubra seu arcano pessoalDescubra seu arcano pessoal
Descubra seu arcano pessoal
 
A arvore-da-vida - Israel-Regardie
A arvore-da-vida - Israel-RegardieA arvore-da-vida - Israel-Regardie
A arvore-da-vida - Israel-Regardie
 
conexao
conexaoconexao
conexao
 
A verdadeira propriedade
A verdadeira propriedadeA verdadeira propriedade
A verdadeira propriedade
 
Tratado de numerologia cabalistica
Tratado de numerologia cabalisticaTratado de numerologia cabalistica
Tratado de numerologia cabalistica
 
7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf
7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf
7 Estratégias Poderosas para uma Mante Milionária (1).pdf
 
O Poder do Tetragrammaton
O Poder do TetragrammatonO Poder do Tetragrammaton
O Poder do Tetragrammaton
 
72 nombres-revisados-tarjetas
72 nombres-revisados-tarjetas72 nombres-revisados-tarjetas
72 nombres-revisados-tarjetas
 
14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)
14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)
14 encontro de trabalhadores e dirigentes espíritas (g.e.b.m.)
 
Tabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadas
Tabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadasTabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadas
Tabela com os 72 nomes de deus e suas causas relacionadas
 
Biblia da-numerologia-cabalistica
Biblia da-numerologia-cabalisticaBiblia da-numerologia-cabalistica
Biblia da-numerologia-cabalistica
 
Meditación en los 72 nombres de dios
Meditación en los 72 nombres de diosMeditación en los 72 nombres de dios
Meditación en los 72 nombres de dios
 
124569312 37672976-apostila-mr-antiga
124569312 37672976-apostila-mr-antiga124569312 37672976-apostila-mr-antiga
124569312 37672976-apostila-mr-antiga
 
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5hAs colônias espirituais e a codificação 1,5h
As colônias espirituais e a codificação 1,5h
 
Mundos regeneradores dalila melo, julho 2013
Mundos regeneradores   dalila melo, julho 2013Mundos regeneradores   dalila melo, julho 2013
Mundos regeneradores dalila melo, julho 2013
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
72nombresde diosfichas
72nombresde diosfichas72nombresde diosfichas
72nombresde diosfichas
 

Semelhante a O Discurso de Pimandro

O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Infernoigmateus
 
Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Leonardo Pereira
 
Manifesto Morfoses
Manifesto MorfosesManifesto Morfoses
Manifesto MorfosesRog Reis
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxMarta Gomes
 
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espíritaPalestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espíritacarlos freire
 
Atanagildo semeando e colhendo
Atanagildo semeando e colhendoAtanagildo semeando e colhendo
Atanagildo semeando e colhendoSergio Bscop
 
SEMJASE As Pleiades e a VERDADE Extraterrestre
SEMJASE As Pleiades e a VERDADE ExtraterrestreSEMJASE As Pleiades e a VERDADE Extraterrestre
SEMJASE As Pleiades e a VERDADE ExtraterrestreRita Mitozo
 

Semelhante a O Discurso de Pimandro (8)

O céu e o Inferno
O céu e o InfernoO céu e o Inferno
O céu e o Inferno
 
Hadeslogia sheologia
Hadeslogia sheologiaHadeslogia sheologia
Hadeslogia sheologia
 
Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?
 
Manifesto Morfoses
Manifesto MorfosesManifesto Morfoses
Manifesto Morfoses
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
 
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espíritaPalestra o céu e o inferno na visão espírita
Palestra o céu e o inferno na visão espírita
 
Atanagildo semeando e colhendo
Atanagildo semeando e colhendoAtanagildo semeando e colhendo
Atanagildo semeando e colhendo
 
SEMJASE As Pleiades e a VERDADE Extraterrestre
SEMJASE As Pleiades e a VERDADE ExtraterrestreSEMJASE As Pleiades e a VERDADE Extraterrestre
SEMJASE As Pleiades e a VERDADE Extraterrestre
 

Mais de Carlos Campani

Técnicas de integração
Técnicas de integraçãoTécnicas de integração
Técnicas de integraçãoCarlos Campani
 
Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3Carlos Campani
 
Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2Carlos Campani
 
Aplicações da integração
Aplicações da integraçãoAplicações da integração
Aplicações da integraçãoCarlos Campani
 
Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Carlos Campani
 
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃOANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃOCarlos Campani
 
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕESPROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕESCarlos Campani
 
Funções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráficoFunções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráficoCarlos Campani
 
Solução de equações modulares
Solução de equações modularesSolução de equações modulares
Solução de equações modularesCarlos Campani
 
Equações polinomiais
Equações polinomiaisEquações polinomiais
Equações polinomiaisCarlos Campani
 
Instruções de Aprendiz
Instruções de AprendizInstruções de Aprendiz
Instruções de AprendizCarlos Campani
 
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Carlos Campani
 

Mais de Carlos Campani (20)

Técnicas de integração
Técnicas de integraçãoTécnicas de integração
Técnicas de integração
 
Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3
 
Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2
 
Aplicações da integração
Aplicações da integraçãoAplicações da integração
Aplicações da integração
 
Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1
 
Integral
IntegralIntegral
Integral
 
Semana 14
Semana 14 Semana 14
Semana 14
 
Semana 13
Semana 13 Semana 13
Semana 13
 
Semana 12
Semana 12Semana 12
Semana 12
 
Semana 11
Semana 11Semana 11
Semana 11
 
Semana 10
Semana 10 Semana 10
Semana 10
 
Semana 9
Semana 9 Semana 9
Semana 9
 
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃOANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
 
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕESPROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
 
Funções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráficoFunções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráfico
 
Solução de equações modulares
Solução de equações modularesSolução de equações modulares
Solução de equações modulares
 
Equações polinomiais
Equações polinomiaisEquações polinomiais
Equações polinomiais
 
PROVAS DE TEOREMAS
PROVAS DE TEOREMASPROVAS DE TEOREMAS
PROVAS DE TEOREMAS
 
Instruções de Aprendiz
Instruções de AprendizInstruções de Aprendiz
Instruções de Aprendiz
 
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
 

Último

O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfO Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfSUELLENBALTARDELEU
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 

Último (10)

O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfO Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 

O Discurso de Pimandro

  • 1. O Discurso de Pimandro Hermes Trismegistus Tradu¸ao: Carlos A. P. Campani c˜ 1 Introdu¸˜o ca Este texto ´ uma tradu¸ao para o portuguˆs de parte do Livro Primeiro de e c˜ e “O Divinio Pimandro” de Hermes Trismegistus. O texto refere-se ao discurso que Hermes recebe de Pimandro e que cont´m algumas das principais id´ias e e do Hermetismo. Pimandro apresenta-se a Hermes como “Pastor de Homens”, sendo esta uma das poss´ıveis tradu¸˜es do nome “Pimandro”. O texto completo ´ um co e conjunto de di´logos e discursos de Hermes dirigidos ao seu filho Tat e ao a seu neto Euscl´pio. O Livro Primeiro come¸a exatamente com o discurso de e c Pimandro a Hermes. 2 Hermes Trismegistus Hermes Trismegistus ´ a express˜o em Latim para “Hermes o Trˆs-Vezes- e a e Grande”. Ele foi um personagem hist´rico ou m´ o ıtico do antigo Egito (tamb´m e conhecido como Thoth), que assumuiu conota¸˜es de deus e que foi reveren- co ciado tamb´m na Gr´cia. e e Hermes foi considerado pelos eg´ ıpcios o Mensageiro dos Deuses, por ter transmitido os ensinamentos a este grande povo da antig¨idade e ter im- u plantado a tradi¸ao sagrada, os rituais sagrados, e os ensinamentos das artes c˜ e ciˆncias em suas escolas da sabedoria. A medicina, a astronomia, a as- e trologia, a botˆnica, a agricultura, a geologia, as matem´ticas, a m´sica, a a a u arquitetura, a ciˆncia pol´ e ıtica, tudo isso era ensinado nessas escolas e em seus livros, que segundo os gregos somavam 42. Entre eles se encontra ”O Livro dos Mortos”que ´ tamb´m chamado de ”O Livro da Sa´ da Luz”. e e ıda 1
  • 2. “Hermes Trˆs-Vezes-Grande” foi uma deidade sincr´tica que combinava e e aspectos do deus grego Hermes e do deus eg´ ıpcio Thoth. Um dos livros mais conhecidos cuja autoria lhe ´ atribuida ´ o “Divino e e Pimandro”. A ele tamb´m ´ atribu´ o mais famoso texto alqu´ e e ıdo ımico, a “T´bua de Esmeralda”. a 3 O Discurso de Pimandro 1. Todas as coisas que s˜o, s˜o m´veis; somente as coisas que n˜o s˜o, a a o a a s˜o im´veis. a o 2. Todo Corpo ´ mut´vel. e a 3. Nem todo Corpo ´ dissol´vel. e u 4. Alguns Corpos s˜o dissol´veis. a u 5. Toda coisa viva n˜o ´ mortal. a e 6. Nem toda a coisa viva ´ imortal. e 7. Tudo que ´ dissol´vel ´ tamb´m corromp´ e u e e ıvel. 8. Aquilo que permanece parado sempre ´ imut´vel. e a 9. Aquilo que ´ imut´vel ´ eterno. e a e 10. Aquilo que ´ sempre feito ´ sempre corromp´ e e ıvel. 11. Aquilo que ´ feito somente uma vez, nunca ´ corromp´ e e ıvel, nem torna- se qualquer outra coisa. 12. Primeiro, Deus; em segundo lugar, o Mundo; em terceiro, Homem. 13. O Mundo para o Homem, o Homem para Deus. 14. Da Alma, a parte que ´ Sens´ ´ mortal, mas a que ´ Racional ´ e ıvel e e e imortal. 15. Toda essˆncia ´ imortal. e e 16. Toda essˆncia ´ imut´vel. e e a 17. Toda coisa que ´, ´ dobrado. e e 18. Nenhuma das coisas que ´, permanece. e 19. Nem todas as coisas s˜o movidas pela Alma, mas toda coisa que ´, ´ a e e movida pela Alma. 20. Toda coisa que sofre ´ Sens´ e ıvel, toda coisa que ´ Sens´ sofre. e ıvel 21. Toda coisa que ´ triste tamb´m se alegra, e ´ uma Criatura viva e e e mortal. 22. Nem toda coisa que alegra ´ tamb´m triste, mas ´ uma coisa viva e e e eterna. 23. Nem todo Corpo ´ doente; todo Corpo que ´ doente ´ dissol´vel. e e e u 2
  • 3. 24. A mente em Deus. 25. Raz˜o no Homem. a 26. Raz˜o na Mente. a 27. A Mente est´ vazia de sofrimento. a 28. Nenhuma coisa ´ um Corpo verdadeiro. e 29. Tudo que ´ incorp´reo, est´ liberto da Mentira. e o a 30. Toda coisa que ´ feita ´ corromp´ e e ıvel. 31. Nenhum bem sobre a Terra, nenhum mal nos C´us. e 32. Deus ´ bom, o Homem ´ mal. e e 33. Bem ´ volunt´rio, ou de seu pr´prio acordo. e a o 34. Mal ´ involunt´rio ou contra seus desejos. e a 35. Os Deuses escolhem coisas boas, como coisas boas. 36. Tempo ´ uma coisa divina. e 37. Lei ´ Humana. e 38. Mal´ ´ o alimento do Mundo. ıcia e 39. Tempo ´ a corrup¸˜o do Homem. e ca 40. Qualquer coisa no C´u ´ inalter´vel. e e a 41. Todas as coisas sobre a Terra s˜o alter´veis. a a 42. Nada no C´u ´ servo, nada sobre a Terra ´ livre. e e e 43. Nada ´ desconhecido no C´u, nada ´ conhecido sobre a Terra. e e e 44. As coisas sobre a Terra n˜o se comunicam com as coisas no C´u. a e 45. Todas as coisas no C´u s˜o incensur´veis, todas as coisas sobre a e a a Terra s˜o sujeitas a Repreens˜o. a a 46. O que ´ imortal, n˜o ´ mortal; o que ´ mortal n˜o ´ imortal. e a e e a e 47. O que ´ plantado, nem sempre ´ gerado; mas o que ´ gerado, sempre e e e ´ plantado. e 48. Para os Corpos dissolv´ ıveis, existem dois Tempos, um de plantar para gerar, e outro de gerar para morrer. 49. Para um Corpo maduro, o tempo ´ somente para a Gera¸ao. e c˜ 50. Corpos dissol´veis aumentam e diminuem. u 51. Mat´ria dissol´vel ´ alterada em contr´rios; para saber, Corrup¸ao e e u e a c˜ Gera¸ao, mas mat´ria Eterna o ´ em si pr´pria, e como ela pr´pria. c˜ e e o o 52. A Gera¸ao do Homem ´ Corrup¸˜o, a Corrup¸˜o do Homem ´ o in´ c˜ e ca ca e ıcio da Gera¸ao. c˜ 53. Aquilo que gera ou pari outro, ´ ele pr´prio um gerado ou parido por e o outro. 54. Das coisas que s˜o, algumas s˜o em Corpos, algumas em suas Id´ias. a a e 3
  • 4. 55. Qualquer coisa que pertence ` opera¸˜o ou ao trabalho, est˜o em um a ca a Corpo. 56. Aquilo que ´ imortal, n˜o partilha nada com aquilo que ´ mortal. e a e 57. Aquilo que ´ mortal, n˜o vai para um Corpo imortal, mas aquilo que e a ´ imortal, vai para aquilo que ´ mortal. e e 58. Opera¸˜es ou Trabalhos n˜o s˜o transportados para cima, mas descem co a a para baixo. 59. As coisas sobre a Terra n˜o geram benef´ para o C´u, mas todas a ıcio e as coisas no C´u beneficiam e ajudam as coisas sobre a Terra. e 60. O C´u ´ um recept´culo capaz e adequado para os Corpos definitivos, e e a a Terra dos Corpos corromp´ ıveis. 61. A Terra ´ bestial, o C´u ´ racional. e e e 62. Estas coisas que est˜o no C´u s˜o sujeitas e postas abaixo dele, mas a e a as coisas da Terra, s˜o postas sobre ela. a 63. O C´u ´ o primeiro Elemento. e e 64. Providˆncia ´ a Ordem Divina. e e 65. Necessidade ´ o Minist´rio ou Servo da Providˆncia. e e e 66. Fortuna ´ a produ¸˜o ou efeito daquilo que ´ sem Ordem; o ´ e ca e Idolo da opera¸ao, uma fantasia mentirosa ou opini˜o. c˜ a 67. O que ´ Deus? O imut´vel e inalter´vel Bem. e a a 68. O que ´ o Homem? O mut´vel Mal. e a 4