SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Interpretações sobre a Globalização RMJ
Octavio Ianni O conceito de  Globalização representaria uma última etapa do capitalismo caracterizada por uma expansão das telecomunicações e ocidentalização do oriente. Caracterizado também pelo Neoliberalismo, com cortes no orçamento público, privatizações de estatais, ataques aos sindicatos. Conhecida também como etapa da financeirização capitalista.
Pós modernidade O conceito foi inicialmente utilizado na área de arquitetura e das artes, com o sentido de indicar uma descontinuidade em relação aos valores e normas de comportamento que caracterizam o homem urbano dos séculos passados e retrasado. Por ser conceitualmente ampla e ambígua, a expressão passou a designar todo e qualquer movimento, independentemente da sua natureza, que fosse contestador aos desígnios e princípios elaborados na modernidade.
Pós fordismo (Toyotismo) A questão da informática e da automação no mundo do trabalho. transformação radical na maneira de conceber os processos produtivos. implosão e desregulamentação das formas de regulamentação existentes que organizavam o trabalho, a produção, as relações entre pessoas, e as comunicações.
Pós fordismo (Toyotismo) Estes fenômenos  estão relacionados com políticas neoliberais que tem como características privatizações do serviço públicos, decréscimo relativo dos salários;  precarização das relações laborais, com o aumento das formas flexíveis de contratação e a diminuição da tutela jurídica ao trabalho; em uma crise da representação sindical, e ainda com o enfraquecimento do sindicalismo e o aparente esgotamento das suas estratégias de enfrentamento em face do capital.
Pós fordismo (Toyotismo) Esta ideia de desregulamentação das formas de trabalho podem ser entendidas através dos conceito de  reengenharia industrial, que aparece em alguns autores como reestruturação produtiva, e em outros  como acumulação flexível
Desterritorialização. Esta ligado a uma ideia de um processo pelo qual a comunicação por rede de computadores e pelas alianças entre regiões e países em nível planetário, as relações de distância e proximidade se alteram e não têm por base a geografia, as fronteiras naturais ou vizinhança. E também de uma desconstrução de identidades ligadas a uma noção de território moderna.
Metropolização As cidades se tornam os nós mais importantes dessa rede globalizada e é para lá que fluem pessoas de diferentes origens étnicas, religiosas e racionais. Está vinculada a ideia de novos e pequenos territórios, com identidades próprias dentro da metrópole: Pequenas itálias, bairro latinos, Chinatowns, quarteirões árabes e bairros turcos, sem contar guetos,  favelas e cortiços; as zonas de boemia, as cidades universitárias e as áreas ocupadas por moradores criam pequenos territórios na metrópoles pós-moderna representando as minorias novos movimentos sociais..
Discurso pós moderno Na comunicação pós-moderna, contrariamente ao jogo da linguagem da ciência moderna que baseava suas afirmações na estrutura do enunciado e da sua denotação, o sujeito baseia-se mais no aspecto simbólico do discurso enquanto referencial do self para configurar sua construção e determinar as relações de poder. O sujeito moderno, autônomo, racional e familiar, é “deslocado” pela influência da comunicação que se origina com a tecnologia, transformando-o em “um que seja múltiplo, disseminado e descentrado, interpelado continuamente como uma identidade instável”
Questão 1: As três etapas foram:  1- expansão comercial da Europa sobre o Atlântico, descoberta e povoamento do continente americano; 2-Expansão industrial da Europa sobre o Pacífico e os continentes africano e asiático acompanhada de um processo de “missão civilizadora”; Expansão das telecomunicações e ocidentalização do oriente- Japão, China e Europa Oriental.
Questão 2 A expressão “Pós Modernismo” foi inicialmente utilizada na área da arquitetura e das artes, com o sentido de indicar uma descontinuidade em relação aos valores e normas de comportamento que caracterizam o homem urbano dos séculos passado e retrasado. Por ser conceitualmente ampla e ambígua, a expressão passou a designar todo e qualquer movimento, independente da sua natureza, que fosse aos desígnios e princípios elaborados na Modernidade.
Questão 3 O desenvolvimento das redes e seu alastramento pelo mundo na forma de uma teia valorizou  sobremaneira o que ele é capaz  de transportar à velocidade da luz, date (dados, em inglês) . Para que esses dados, aparentemente caóticos e desconexos, pudessem ser usados proficuamente, foi necessários criar bancos de dados, para armazená-los e ordená-los. Os database torna-se a base fundamental para a geração de informações capazes de indicar as tendências do mercado, das bolsas de valores, dos fluxos de mercadorias e dinheiro, dos avanços tecnológicos, das preferências das pessoas.
Questão 4 Eles estão se referindo ao processo pelo qual, pela comunicação por rede de computadores e pela alianças entre regiões e países em nível planetário, as relações de distância e proximidade se alteram e não tem mais por base a geografia, as fronteiras naturais ou a vizinhança.
Questão 6  O mapa mostra que os fluxos ou infovias criam criam caminhos e, assim como as ferrovias, levam a uma concentração de riqueza em certos centros. A informática não está tornando o mundo mais igualitário ou democrático.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Interpretações sobre a Globalização

Aula 11 françois ascher
Aula 11 françois ascherAula 11 françois ascher
Aula 11 françois ascherRaquelNery
 
Aula 11 francois
Aula 11 francoisAula 11 francois
Aula 11 francoisRaquelNery
 
Aula 12 francois
Aula 12 francoisAula 12 francois
Aula 12 francoisRaquelNery
 
A interface Marxista entre Comunicação e Cultura de Massas
A interface Marxista entre Comunicação e Cultura de MassasA interface Marxista entre Comunicação e Cultura de Massas
A interface Marxista entre Comunicação e Cultura de MassasMontaniniRC
 
Cap 13 teorias da globalização
Cap 13   teorias da globalizaçãoCap 13   teorias da globalização
Cap 13 teorias da globalizaçãomundica broda
 
Cap 13 teorias da globalização
Cap 13   teorias da globalizaçãoCap 13   teorias da globalização
Cap 13 teorias da globalizaçãoColegio GGE
 
Cap 13 teorias da globalização
Cap 13   teorias da globalizaçãoCap 13   teorias da globalização
Cap 13 teorias da globalizaçãomundissa
 
Periferia conceito, e dicotomia
Periferia conceito, e dicotomia Periferia conceito, e dicotomia
Periferia conceito, e dicotomia Epidio Araújo
 
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...claudiocpaiva
 
Pós modernidade e os meios de comunicação
Pós modernidade e os meios de comunicaçãoPós modernidade e os meios de comunicação
Pós modernidade e os meios de comunicaçãoElaine Lima
 
Fichamento - Uma introdução a história do design
Fichamento - Uma introdução a história do designFichamento - Uma introdução a história do design
Fichamento - Uma introdução a história do designVinicius Gomes
 
Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...
Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...
Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...maisumaquestao
 
O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?Aline Corso
 
Hermes introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011
Hermes   introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011Hermes   introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011
Hermes introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011claudiocpaiva
 
Marina vasconcellos.dissertacaomestrado.uff
Marina vasconcellos.dissertacaomestrado.uffMarina vasconcellos.dissertacaomestrado.uff
Marina vasconcellos.dissertacaomestrado.uffMarina de Carvalho
 
Observatório da imprensa
Observatório da imprensaObservatório da imprensa
Observatório da imprensaclaudiocpaiva
 

Semelhante a Interpretações sobre a Globalização (20)

Aula 11 françois ascher
Aula 11 françois ascherAula 11 françois ascher
Aula 11 françois ascher
 
Aula 11 francois
Aula 11 francoisAula 11 francois
Aula 11 francois
 
Aula 12 francois
Aula 12 francoisAula 12 francois
Aula 12 francois
 
Cidadeciborgue
CidadeciborgueCidadeciborgue
Cidadeciborgue
 
A interface Marxista entre Comunicação e Cultura de Massas
A interface Marxista entre Comunicação e Cultura de MassasA interface Marxista entre Comunicação e Cultura de Massas
A interface Marxista entre Comunicação e Cultura de Massas
 
Cap 13 teorias da globalização
Cap 13   teorias da globalizaçãoCap 13   teorias da globalização
Cap 13 teorias da globalização
 
Cap 13 teorias da globalização
Cap 13   teorias da globalizaçãoCap 13   teorias da globalização
Cap 13 teorias da globalização
 
Cap 13 teorias da globalização
Cap 13   teorias da globalizaçãoCap 13   teorias da globalização
Cap 13 teorias da globalização
 
Nestor canclini
Nestor cancliniNestor canclini
Nestor canclini
 
Nestor canclini
Nestor cancliniNestor canclini
Nestor canclini
 
Periferia conceito, e dicotomia
Periferia conceito, e dicotomia Periferia conceito, e dicotomia
Periferia conceito, e dicotomia
 
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...Hermes   cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
Hermes cap. 1 - do cavalo de tróia ao wikileaks. os estilhaços do poder no ...
 
Pós modernidade e os meios de comunicação
Pós modernidade e os meios de comunicaçãoPós modernidade e os meios de comunicação
Pós modernidade e os meios de comunicação
 
Fichamento - Uma introdução a história do design
Fichamento - Uma introdução a história do designFichamento - Uma introdução a história do design
Fichamento - Uma introdução a história do design
 
Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...
Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...
Muq - simionatto. as expressões ideoculturais da crise capitalista na atualid...
 
O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?
 
Diversidadecibernetica
DiversidadeciberneticaDiversidadecibernetica
Diversidadecibernetica
 
Hermes introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011
Hermes   introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011Hermes   introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011
Hermes introdução - hermes e a complexidade da comunicação 13.05.2011
 
Marina vasconcellos.dissertacaomestrado.uff
Marina vasconcellos.dissertacaomestrado.uffMarina vasconcellos.dissertacaomestrado.uff
Marina vasconcellos.dissertacaomestrado.uff
 
Observatório da imprensa
Observatório da imprensaObservatório da imprensa
Observatório da imprensa
 

Mais de roberto mosca junior

Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade   fordismo e toyotismoTrabalho e sociedade   fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade fordismo e toyotismoroberto mosca junior
 
Cultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria culturalCultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria culturalroberto mosca junior
 
Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)roberto mosca junior
 
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º anoAula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º anoroberto mosca junior
 
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoAula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoroberto mosca junior
 
Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.roberto mosca junior
 
Aula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminaçãoAula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminaçãoroberto mosca junior
 
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisMosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisroberto mosca junior
 
Constituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasilConstituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasilroberto mosca junior
 
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do EDtexto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do EDroberto mosca junior
 

Mais de roberto mosca junior (20)

Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade   fordismo e toyotismoTrabalho e sociedade   fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
 
Cultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria culturalCultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria cultural
 
Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
 
Antropologia alteridade
Antropologia alteridadeAntropologia alteridade
Antropologia alteridade
 
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º anoAula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
 
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoAula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
 
RASCISMO CIENTIFICO
RASCISMO CIENTIFICORASCISMO CIENTIFICO
RASCISMO CIENTIFICO
 
Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.
 
Aula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminaçãoAula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminação
 
Revisão 3º tri
Revisão 3º triRevisão 3º tri
Revisão 3º tri
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Discussão doc. "Atrásdaporta"
Discussão doc. "Atrásdaporta"Discussão doc. "Atrásdaporta"
Discussão doc. "Atrásdaporta"
 
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisMosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
 
Etnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismoEtnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismo
 
Constituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasilConstituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasil
 
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do EDtexto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Aula 25 09_14
Aula 25 09_14Aula 25 09_14
Aula 25 09_14
 

Interpretações sobre a Globalização

  • 1. Interpretações sobre a Globalização RMJ
  • 2. Octavio Ianni O conceito de  Globalização representaria uma última etapa do capitalismo caracterizada por uma expansão das telecomunicações e ocidentalização do oriente. Caracterizado também pelo Neoliberalismo, com cortes no orçamento público, privatizações de estatais, ataques aos sindicatos. Conhecida também como etapa da financeirização capitalista.
  • 3. Pós modernidade O conceito foi inicialmente utilizado na área de arquitetura e das artes, com o sentido de indicar uma descontinuidade em relação aos valores e normas de comportamento que caracterizam o homem urbano dos séculos passados e retrasado. Por ser conceitualmente ampla e ambígua, a expressão passou a designar todo e qualquer movimento, independentemente da sua natureza, que fosse contestador aos desígnios e princípios elaborados na modernidade.
  • 4. Pós fordismo (Toyotismo) A questão da informática e da automação no mundo do trabalho. transformação radical na maneira de conceber os processos produtivos. implosão e desregulamentação das formas de regulamentação existentes que organizavam o trabalho, a produção, as relações entre pessoas, e as comunicações.
  • 5. Pós fordismo (Toyotismo) Estes fenômenos  estão relacionados com políticas neoliberais que tem como características privatizações do serviço públicos, decréscimo relativo dos salários;  precarização das relações laborais, com o aumento das formas flexíveis de contratação e a diminuição da tutela jurídica ao trabalho; em uma crise da representação sindical, e ainda com o enfraquecimento do sindicalismo e o aparente esgotamento das suas estratégias de enfrentamento em face do capital.
  • 6. Pós fordismo (Toyotismo) Esta ideia de desregulamentação das formas de trabalho podem ser entendidas através dos conceito de  reengenharia industrial, que aparece em alguns autores como reestruturação produtiva, e em outros  como acumulação flexível
  • 7. Desterritorialização. Esta ligado a uma ideia de um processo pelo qual a comunicação por rede de computadores e pelas alianças entre regiões e países em nível planetário, as relações de distância e proximidade se alteram e não têm por base a geografia, as fronteiras naturais ou vizinhança. E também de uma desconstrução de identidades ligadas a uma noção de território moderna.
  • 8. Metropolização As cidades se tornam os nós mais importantes dessa rede globalizada e é para lá que fluem pessoas de diferentes origens étnicas, religiosas e racionais. Está vinculada a ideia de novos e pequenos territórios, com identidades próprias dentro da metrópole: Pequenas itálias, bairro latinos, Chinatowns, quarteirões árabes e bairros turcos, sem contar guetos, favelas e cortiços; as zonas de boemia, as cidades universitárias e as áreas ocupadas por moradores criam pequenos territórios na metrópoles pós-moderna representando as minorias novos movimentos sociais..
  • 9. Discurso pós moderno Na comunicação pós-moderna, contrariamente ao jogo da linguagem da ciência moderna que baseava suas afirmações na estrutura do enunciado e da sua denotação, o sujeito baseia-se mais no aspecto simbólico do discurso enquanto referencial do self para configurar sua construção e determinar as relações de poder. O sujeito moderno, autônomo, racional e familiar, é “deslocado” pela influência da comunicação que se origina com a tecnologia, transformando-o em “um que seja múltiplo, disseminado e descentrado, interpelado continuamente como uma identidade instável”
  • 10. Questão 1: As três etapas foram: 1- expansão comercial da Europa sobre o Atlântico, descoberta e povoamento do continente americano; 2-Expansão industrial da Europa sobre o Pacífico e os continentes africano e asiático acompanhada de um processo de “missão civilizadora”; Expansão das telecomunicações e ocidentalização do oriente- Japão, China e Europa Oriental.
  • 11. Questão 2 A expressão “Pós Modernismo” foi inicialmente utilizada na área da arquitetura e das artes, com o sentido de indicar uma descontinuidade em relação aos valores e normas de comportamento que caracterizam o homem urbano dos séculos passado e retrasado. Por ser conceitualmente ampla e ambígua, a expressão passou a designar todo e qualquer movimento, independente da sua natureza, que fosse aos desígnios e princípios elaborados na Modernidade.
  • 12. Questão 3 O desenvolvimento das redes e seu alastramento pelo mundo na forma de uma teia valorizou sobremaneira o que ele é capaz de transportar à velocidade da luz, date (dados, em inglês) . Para que esses dados, aparentemente caóticos e desconexos, pudessem ser usados proficuamente, foi necessários criar bancos de dados, para armazená-los e ordená-los. Os database torna-se a base fundamental para a geração de informações capazes de indicar as tendências do mercado, das bolsas de valores, dos fluxos de mercadorias e dinheiro, dos avanços tecnológicos, das preferências das pessoas.
  • 13. Questão 4 Eles estão se referindo ao processo pelo qual, pela comunicação por rede de computadores e pela alianças entre regiões e países em nível planetário, as relações de distância e proximidade se alteram e não tem mais por base a geografia, as fronteiras naturais ou a vizinhança.
  • 14. Questão 6 O mapa mostra que os fluxos ou infovias criam criam caminhos e, assim como as ferrovias, levam a uma concentração de riqueza em certos centros. A informática não está tornando o mundo mais igualitário ou democrático.