Nordeste.

480 visualizações

Publicada em

Nordeste parte física e subregiões.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nordeste.

  1. 1. Prof. Camila Alves de Brito
  2. 2.  Devido a diversidade sócio natural a região foi dividida em 4 sub-regiões, são elas: 1 – Zona da Mata 2 – Agreste 3 – Sertão 4 – Meio-norte
  3. 3.  Ocupa a faixa litorânea do nordeste.  Clima – Tropical úmido ou litorâneo, possuem temperaturas elevadas e chuvas abundantes em todo o ano.  Vegetação – Mata Atlântica, possuem árvores altas, densamente distribuídas, copas entrelaçadas e etc.  Relevo – Formada por planícies e tabuleiros
  4. 4.  Hidrografia – é formada por rios que nascem nas serras e planaltos de leste e sudeste e deságuam no oceano atlântico.
  5. 5.  Faixa de transição entre a Zona da Mata e o Sertão.  Apresenta características mescladas das duas sub-regiões.  Clima – Nem tão seco e nem tão úmido, predomina o clima tropical semiúmido.  Vegetação – apresenta a mata tropical e em uma parte a caatinga.
  6. 6.  Relevo – Formado por planaltos e serras. O mais importante deles é o planalto da Borborema.  Hidrografia – A maior parte dos rios do agreste são temporários, ou seja, secam durante as estiagens.
  7. 7.  Transição entre o nordeste e a Amazônia.  Clima – Predomina o clima Equatorial, principalmente no Maranhão. Grandes índices de chuva e temperaturas elevadas.  Vegetação – Encontramos na região a Caatinga, o Cerrado, Mata de Cocais e por fim a Floresta Amazônica.
  8. 8.  Relevo – Predominam os planaltos e as chapadas da bacia do Parnaíba.  Hidrografia – A região é drenada por inúmeros rios, todos perenes, que formam a bacia do Parnaíba.
  9. 9.  É a maior sub-região nordestina.  Clima – Tropical semiárido, marcado principalmente pelas longas estiagens.  Vegetação – Predomina a caatinga, típica de lugares secos, caracterizada pelas cactáceas.  Relevo – Predomina a depressão sertaneja e a do São Francisco.
  10. 10.  Hidrografia – A maioria dos rios da região são temporários. A maior bacia da região, a do Rio São Francisco, banha a região.
  11. 11.  Região reconhecida pelo governo federal, desde 1936, como sujeita a sucessivas estiagens e para a qual devem ser planejadas políticas específicas contra as secas.
  12. 12.  A seca no Nordeste é um problema antigo e que se repete de tempos em tempos.  O eventual desvio de recursos destinados a diminuir os efeitos da desigualdade e das dificuldades do aproveitamento da água no nordeste é o que se denomina “indústria da seca”.  É o dinheiro público que deveria ser investido na construção de açudes para levar água a população mais pobre.
  13. 13.  Um dos grandes projetos de irrigação de terras do Sertão nordestino prevê a transposição das águas do São Francisco, levando as suas águas aos locais mais secos do Sertão.  Esse projeto gera forte polêmica entre técnicos, ambientalistas e políticos.  A Transposição pode gerar problemas na produção de energia elétrica pelas usinas da região.
  14. 14.  Região de ocupação mais antiga, desde a chegada dos colonizadores.  Seu espaço foi organizado em torno da atividade canavieira.  As primeiras cidades surgiram da necessidade de proteção do território da colônia.
  15. 15.  No século XVI, o espaço nordestino esteve relacionado a produção da Cana-de-açúcar. Essa atividade proporcionou poder político e econômico à região.  A pecuária foi utilizada para iniciar a ocupação do interior no nordeste. L E M E
  16. 16.  A cana foi produzida na região, pois ela oferecia os requisitos necessários para o seu plantio, tais como: 1 – Clima litorâneo úmido 2 – Solo fértil (Massapé) 3 – Proximidade com o mar, para serem escoadas para a Europa.
  17. 17.  No final do século XVII, a agricultura canavieira entrou em crise, devido a forte concorrência das Antilhas (preços mais baixos).  No século XIX, o algodão (Agreste) sofreu com a concorrência dos EUA.  Enquanto essas atividades entravam em forte crise, a mineração passou a ser desenvolvida fortemente na região sudeste.
  18. 18.  A região ocupa uma área que representa 18% do território do Brasil, com cerca de 51 milhões de habitantes, concentrados em sua maioria na Zona da Mata.  Os indicadores sociais demonstram grandes desigualdades verificadas entre regiões e no interior de uma mesma área.
  19. 19.  Essa área foi intensamente explorada do ponto de vista econômico.  Por essa razão, houve um forte desaparecimento da mata atlântica.  Concentra a maior parte das capitais e grandes cidades do nordeste.  Concentra a maior parte da população e a maior densidade demográfica.
  20. 20.  É a região mais desenvolvida e industrializada do nordeste.  Também sofre com muitos problemas sociais, como: forte desemprego, salários reduzidos e etc.  A Zona da Mata pode ser dividida em 3 áreas, são elas: Zona da Mata açucareira, Zona da Mata cacaueira e Recôncavo Baiano.
  21. 21.  Zona da Mata Açucareira – corresponde a área produtora de cana-de-açúcar, do Rio Grande do Norte ao norte da Bahia.  Zona da Mata Cacaueira – Corresponde ao sul da Bahia, com destaque para a cidade de ilhéus. Forte produtora de Cacau, sendo responsável por 65% da produção brasileira.  Recôncavo Baiano – corresponde a vários municípios em torno de Salvador. Importante pólo industrial e berço de atividades extrativas.
  22. 22.  Predominam as atividades primárias em minifúndios policultores.  Desenvolve-se também atividades ligadas a pecuária leiteira.  Desenvolveu-se atividade industrial que vem em forte crescimento.  Algumas cidades importantes: Feira de Santana, Caruaru e Campina Grande.
  23. 23.  Predominam as atividades primárias, em especial o extrativismo vegetal (Carnaúba e babaçu) e o extrativismo mineral.  Pratica-se também a pecuária e a agricultura.
  24. 24.  A pecuária extensiva e a agricultura comercial de frutas, café, algodão, soja, milho, feijão, arroz e mandioca são as principais atividades econômicas do sertão.  As áreas irrigadas do sertão são muito importantes. São elas: Vale do Açu (RN), Polo Juazeiro (BA) – Petrolina (PE), Oeste da Bahia.
  25. 25.  A economia nordestina apresentou nos últimos anos, um crescimento em todos os setores. Acompanhando a evolução da economia brasileira.  Esse crescimento tem como causa o processo de integração cada vez maior da região com as demais e com outros países.
  26. 26.  As atividades ligadas ao setor primário (agricultura e pecuária), setor secundário (indústria) e setor terciário (comércio e serviços).  Os setores secundário e terciário são os que empregam a maior parte da população economicamente ativa (PEA).  O setor secundário vem se destacando, graças aos seguintes fatores:
  27. 27.  Isenção de impostos;  Cessão de terrenos;  Investimento em infraestrutura  Descontos nos pagamentos de produtos e serviços;  Mão-de-obra barata;  Proximidade aos portos e facilidade na exportação.
  28. 28.  Em 2000, correspondia a 55% do PIB da região.  Destaca-se o turismo na região devido as belezas naturais existentes, em especial as praias.
  29. 29.  Nos últimos anos, os indicadores sociais do Nordeste tiveram uma melhora, assim como os do Brasil em geral.  Mesmo assim, a região apresenta profundas desigualdades e os mais baixos indicadores sociais do país.  Entre os motivos que levam os aspectos sociais a terem esse desempenho, destaca-se:
  30. 30.  Concentração de renda e de terra nas mãos de poucos;  Aplicação inadequada dos investimentos públicos em benefício de latifundiários, empresários e políticos e não da maioria da população.

×