Aula 1: Virtualização

880 visualizações

Publicada em

Slide apresenta o tema máquinas virtuais em conjunto com a conceituação de Virtualização. Abordando suas vantagens, desvantagens e justificativas embasadas por Tanenbaum, Gabriel Torres e Silberchatzk.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
880
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
62
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1: Virtualização

  1. 1. CONCEITOS  VIRTUALIZAÇÃO É UMA PRÁTICA QUE PERMITE QUE UM ÚNICO COMPUTADOR HOSPEDE VÁRIAS MÁQUINAS VIRTUAIS, CADA UMA COM SEU PRÓPRIO SISTEMA OPERACIONAL.
  2. 2. JUSTIFICATIVA  SEGUNDO TANENBAUM “A RAZÃO PARA A EXISTENCIA DA VIRTUALIZAÇÃO É QUE A MAIORIA DAS INTERRUPÇOES NO SERVIÇO NÃO É CAUSADO POR FALHAS NO HARDWARE E SIM PELO CONJUNTO DE SOFTWARE INCHADO, NÃO CONFIÁVEL E CHEIO DE ERROS, EM ESPECIAL OS SISTEMAS OPERACIONAIS. ”
  3. 3. VANTAGENS  A falha de uma das máquinas virtuais não faz com que as outras falhem também.  Economia de dinheiro em hardware, eletricidade e menos espaço ocupado.  O Sistema hospedeiro fica protegido e isolado das máquinas virtuais.
  4. 4. DESVANTAGENS  A falha da máquina/sistema principal pode trazer problema a todas as máquinas virtuais armazenadas.  Grande uso de espaço em disco, já que é preciso armazenamento de todos os arquivos, de cada sistema operacional instalado em cada máquina virtual.  Grande consumo de memória RAM dado que cada máquina virtual vai ocupar uma área separada da mesma
  5. 5. APLICABILIDADE  Para desenvolvimento de software.  Armazenamento de aplicações antigas que não possuem mais suporte ou não funcionam no hardware atual.  Testes e Experimentações de redes e sistemas.
  6. 6.  Ao contrário das máquinas físicas, as máquinas virtuais não são máquinas estendidas.  São cópias exatas do hardware, inclusive com núcleo, E/S, interrupções e tudo que uma máquina real tem.
  7. 7. Para virtualizar ou simular roteadores, switches e demais equipamentos de rede utiliza-se:  Packet Tracer Para virtualização de máquinas, servidores voltados para testes em sistemas desktop:  VirtualBox  VmWare  Microsoft Virtual PC Para virtualização de servidores em ambiente de produção:  Xen  VMWare
  8. 8. FUNÇÕES DO HYPERVISOR  Gerencia a distribuição dos recursos de hardware para cada SO convidado.  Garante a independência das máquinas virtuais.  Realoca dinamicamente os recursos das máquinas virtuais.
  9. 9. REFERÊNCIAS WEBGRÁFICAS  SILBERCHATZK, Abraham. Fundamentos de Sistemas Operacionais. 8° ed. Rio de Janeiro: LTC, 2010.  TORRES, Gabriel. Hardware. Rio de Janeiro: Nova Terra, 2013.

×