A12_HARTEIII_arte gótica

2.799 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.799
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
70
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A12_HARTEIII_arte gótica

  1. 1. ARTE GÓTICA Aula 12 Profª Camila Farina
  2. 2. O estilo Gótico surge no final da Idade Média e recebe esse nome de italianos humanistas do século XIV, que o consideram um período de trevas, escuridão.
  3. 3. Os GODOS, de onde teria surgido a palavra Gótico, eram um dos povos bárbaros, conhecidos por sua brutalidade e grosseria.
  4. 4. Nesse período, sem perder a sua religiosidade, o objeto de estudo passa a ser, ao invés de Deus, o próprio homem e a realidade. Ou seja, os olhos dos estudiosos começavam a se voltar para o mundo real. Nesse período a Igreja era detentora do saber e da arte, a temática mais frequente, dessa forma, era religiosa.
  5. 5. Na Idade Média existe uma importante transição: FEUDALISMO (ALTA IDADE MÉDIA - séc. V a XI) CAPITALISMO COMERCIAL (BAIXA IDADE MÉDIA - séc. XII a XV)
  6. 6. O Abade de Saint-Denis, Suger, chamou um arquiteto e sugeriu a ele um modelo um pouco diferenciado de igreja, que utilizasse ogivas, vitrais e rosáceas. Nasceu, assim, o protótipo da igreja gótica. Isso ocorreu entre 1137 e 1144.
  7. 7. As catedrais góticas trouxeram um estilo inovador de construção. Abriram-se para a luz e para o mundo exterior através do trabalho com vitrais. Estruturas geométricas as possibilitaram atingir grandes alturas.
  8. 8. // estruturação entre contrafortes e arcobotantes, que jogam o peso do teto para fora da construção; // paredes finas, que permitem a inserção de vitrais; // ambiente amplamente iluminado; // altura: quanto mais alto, mais próximo de Deus.
  9. 9. Principais construções góticas Abadia de Saint Denis –1º construção gótica (França) Catedral de Notre Dame (Paris e Chartres - França) St. Chapelle (Paris - França) Catedral de Beauvais (França) Catedral de Colonia (Alemanha) Catedral de Estrasburgo (Alemanha) Catedral de Lincoln (Inglaterra) Abadia de Westminster (Inglaterra) Catedral de Siena (Itália)
  10. 10. rosácea Abadia de Saint Denis, França
  11. 11. Catedral de Notre Dame, Paris construída de 1163 a 1250 (séc. XIII)
  12. 12. O Gótico traz os vitrais, que iluminam as igrejas com reflexos multicoloridos que trazem uma atmosfera divina. Por vezes levavam décadas para serem finalizados. Catedral de Chartres, vitral
  13. 13. // vitrais também tinham função educativa: mostravam para os que não sabiam ler no que deveriam acreditar; // pequenas placas de vidro de diferentes cores eram encaixadas para formar as imagens. Entre elas era aplicada uma liga metálica. Catedral de Chartres, vitral representando Carlos Magno e seus pares, parte da chamada Janela de Carlos Magno, oferecida pelos peleiros da cidade.
  14. 14. St. Chapelle, Paris (séc. XIII)
  15. 15. St. Chapelle, Paris (séc. XIII)
  16. 16. Vitrais St. Chapelle, Paris (séc. XIII)
  17. 17. A ESCULTURA GÓTICA // feições caricatas, fuga da representação da natureza; // preocupação em contar histórias bíblicas; // figuras alongadas; // a população era em sua maioria analfabeta e a igreja catequizava os fiéis através da leitura das imagens e da arquitetura dos prédios.
  18. 18. Figuras do Antigo Testamento. Abraão, com seu filho Isaac pronto para ser sacrificado. Moisés, segurando as tábuas onde estão gravados os Dez Mandamentos e a coluna com a serpente bronzeada por meio da qual ele curou os israelitas. O homem do outro lado de Abraão é Melquisedeque, Rei de Salém, sobre quem lemos na Bíblia (Génese. XIV, 18) que era "sacerdote do Deus Altíssimo" e "trouxe pão e vinho" para receber Abraão depois de uma batalha vitoriosa. Na teologia medieval ele era considerado, portanto, o modelo do sacerdote que administra os sacramentos, sendo por isso que Melquisedeque é assinalado por um cálice e o turíbulo do oficiante. (...) quase todas as figuras que se aglomeram nos pórticos das grandes catedrais góticas estão assinaladas por um emblema, para que o seu significado e mensagem possa ser entendido e meditado pelos fiéis. (Gombrich, A História da Arte) Pórtico da Catedral de Chartres (iniciada em 1194)
  19. 19. A morte da virgem. catedral de Estrasburgo. (cerca de 1230)
  20. 20. O artista gótico estava preocupado com a representação das passagens bíblicas. Aqui, temos a representação da morte da Virgem, cercada pelos apóstolos e por Santa Maria Madalena, ajoelhada. Cristo, ao centro, recebe a Virgem. O artista preocupa-se com a expressão de dor no rosto dos apóstolos e em manter alguma simetria na composição. Três dos apóstlos erguem as mãos para o rosto, no gesto tradicional de aflição e luto. A figura de Maria Madalena, agachada junto ao leito e torcendo as mãos, é extremamente expressiva e existe um forte contraste entre sua fisionomia com a expressão serena no rosto da Virgem.
  21. 21. Nicola Pisano. Anunciação, Natividade e Pastores. Batistério de Pisa. (concluído em 1260)
  22. 22. O escultor italiano Nicolas Pisano seguiu os passos dos mestres franceses à procura de uma representação mais fiel da natureza. O púlpito esculpido por ele segue a prática medieval de representar várias histórias em um só quadro.
  23. 23. A PINTURA Os pintores da Idade Média não trabalhavam com modelos reais e sim com figuras que eram representadas conforme um padrão estabelecido. Na Idade Média não existiam retratos. A pintura gótica vai desenvolver-se no século XV, quando já apresenta características de associação ao real, prenunciando o Renascimento.
  24. 24. OS PRINCIPAIS PINTORES Simone Martini Giotto Jan Van Eyk
  25. 25. Giotto, a lamentação de Cristo (séc. XIII)
  26. 26. x Mesma cena representada em uma miniatura do século XIII, sem preocupação do artista com questões de representação do real, com preocupação em encaixar todos elementos na página, preocupado apenas em contar a história. Giotto preocupa-se em representar a cena como se ela fosse real. Respeitando emoções e proporções.
  27. 27. Giotto deu ares de homem comum aos santos. Essa era uma visão humanista que foi se firmando ao final da Idade Média e ganhou força no Renascimento. Com provável influência das esculturas, inicia o trabalho tridimensional.
  28. 28. Jan Van Eyk, O casal Arnolfini (séc. XIII)
  29. 29. Jan Van Eyk tinha como foco de seus trabalho a vida urbana da época e personagens comuns, como O Casal Arnolfini. Van Eyk tinha especial atenção à perspectiva e ao homem em seu estado natural (veja a mulher do casal Arnolfini, representada grávida).
  30. 30. Simone de Martini e Lippo Memmi; A anunciação (séc. IV)
  31. 31. Simone de Martini; St. Martin renuncia a espada; Mural na Igreja de São Francisco de Assis (1317)
  32. 32. Simone de Martini era italiano e especializou- se na pintura de afrescos, cuja técnica foi apresentada por ele à escola de Siena. Assim vai se falar em um estilo gótico internacional, que ganha os demais países europeus.
  33. 33. AS ILUMINURAS
  34. 34. As ILUMINURAS eram as imagens criadas para adornar os manuscritos da Idade Média. Os manuscritos (livros, pergaminhos), eram transcritos por monges copistas, que viviam enclausurados nos monastérios. As iluminuras eram trabalhadas com cores fortes e ganhavam interferências de tinta dourada. A arte da ilustração ganhava um caráter individualista, pois poucos as podiam adquirir (eram patrimônio dos mosteiros, mas também encomendados por aristocratas e burgueses) .
  35. 35. Database francesa do Ministério da Cultura que reúne mais de 8000 iluminuras: http://www.enluminures.culture.fr
  36. 36. O Mais famoso dos Livros de Horas foi encomendado pelo Duque de Berry e retratava cenas do cotidiano. Esse livro representava uma evolução nas Iluminuras, em direção à estética renascentista. Paul e Jean de Limbourg. Página do Livro de Horas, pintada para o Duque de Berry (séc XV)

×