Ultranacionalismo

370 visualizações

Publicada em

O fascismo, Guerra Civil espanhola, Nazismo com exercício final

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
370
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ultranacionalismo

  1. 1. PERÍODO ENTRE GUERRAS E O ULTRA NACIONALISMO
  2. 2. O SALDO DA GUERRA • 8 milhões de mortos; • 20 milhões de inválidos (1 em cada 10 trabalhadores!); • 40% do potencial industrial da Europa consumido; • Dívida externa cresceu acompanhado com um déficit da balança comercial; • Fortalecimento da economia norte americana • Países não industrializados também lucraram, caso do Brasil e Canadá.
  3. 3. ACORDOS E TRATADOS • A PAZ DOS VENCEDORES: – 14 pontos de Wilson, – Conferência de Paris, – Criação da Liga das Nações e o – Tratado de Versalhes (cláusulas territoriais, militares e financeiras).
  4. 4. O FASCISMO ITALIANO • A ITÁLIA DEPOIS DA GUERRA. – Frustração com o território Iugoslávio; – Economia pior que antes da guerra; – Crises sociais (saques e greves); – A Revolução Russa, Rosa de Luxemburgo e o insucesso do Partido Popular (esquerda), assustaram a elite liberal conservadora burguesa que fizeram por apoiar o Partido Fascista.
  5. 5. O FASCISMO NO PODER Os camisas negras – promovia atentados contra as sedes de esquerdas. Em 1922 o Partido Fascista organiza uma marcha sobre Roma e impotente o rei Vitor III “convida” o Duce para formar um ministério. Mesmo com denúncia de fraude e uso de violência, assumidas por Mussolini, o fascismo avançava.
  6. 6. PRINCÍPIOS DO FASCISMO • Estado totalitário encarnado na mística do chefe; • Existência do indivíduo apenas como fração do Estado, a qual deveria exaltá-lo; • Extinção da luta de classes; • Busca da grandeza italiana, constante apelo às glórias do Império Romano; • Mobilização da juventude, devendo pertencer mais ao Estado do que a família. CRER, OBEDECER, COMBATER
  7. 7. AS REALIZAÇÕES DO REGIME • Acordo com o papa Pio XI – tratado de latrão; • Rápido crescimento industrial; • Para superar a crise de 1929 a Itália voltou-se para o nordeste da África; • Com as sansões da Liga das Nações a Itália se aproxima da Alemanha.
  8. 8. A EUROPA SUCUMBE AO TOTALITARISMO Em Portugal, O Salazarismo, na Romênia, na Grécia, Bulgária, Lituânia, seguiram o mesmo caminho, na Espanha, o Franquismo. Na América do Sul, o Varguismo no Brasil, Peronismo na Argentina são exemplos de governos que surgem da luta ideológica do período.
  9. 9. A GUERRA CIVIL ESPANHOLA • Tem início em julho de 1936, em Marrocos uma rebelião militar, que logo se difundiu por toda a Espanha. • As Brigadas Internacionais, com o auxílio da URSS + republicanos e as forças de Franco, com o auxílio da Itália e Alemanha. • 3 anos de combate e 1 milhão de mortos, Franco ocuparia toda a Espanha até 1975.
  10. 10. O NAZISMO • Fases: – 1º ato: • O cenário gerador para o nazismo: A crise pós I guerra (Elite X operário - Spartacus), • O fracasso do levante bolchevista e uma nova constituição, era o início da república de Weimar, • As dificuldades provenientes as sansões promovida pela Liga das Nações,
  11. 11. 2º ato • Em crise a Alemanha suspende o pagamento de idenizações de guerra, • Primeira tentativa, sem êxito, de Hitler juntamente com o Partido Nacional Socialista de golpe, • Um curto momento de estabilidade (1924 – 1929) auxiliados pelos americanos e ingleses, tendo como garantia as fábricas alemãs.
  12. 12. 3º ato • A crise de 1929 e seus efeitos na Alemanha • O crescente anti-semitismo (a usura dos judeus), • A saída de Hitler da prisão, reorganiza o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães – Nazi (abreviação do alemão NATIONALSOZIALIST), • Cria a SS e SA, Brigadas de seguranças, além de um jornal, • Começaram a fazer comícios, desfiles, promessas, Hitler surgia como catalizador de um momento.
  13. 13. 4º e último ato • A chegada ao poder – Em 1932 já tinham 37% do parlamento, – Em janeiro de 1933 Hitler é nomeado chanceler, – Em 27 de fevereiro de 1933 a SS incendiaram o parlamento, – Suspensão dos partidos políticos, – Em 1934 Hindenburg morre e Hitler acumula as funções de chanceler e presidente.
  14. 14. 3º Reich • Fim da câmara dos deputados, • A bandeira nazista, • O Partido Nazista controlava toda a população e propaganda – Goebbels, • A industria – Goering, • Com frente de trabalho e a retomada da produção industrial, em 1939 a industria Alemanha era a segunda no mundo, • Essa acumulação vinha de encontro da propaganda nazista em torno da questão nacional.
  15. 15. Em 1938 o Fuhrer anexou a Áustria, Depois os Sudetos na Tchecoslováquia. A Conferência de Munique não conseguiu impedir o avanço, e então Hitler invade: • Eslováquia • A Polônia Mas isso já é II Guerra.
  16. 16. QUESTÕES (FGV) Entre as duas Guerras Mundiais (1919 - 1939), ocorreram alguns fatos históricos relevantes. Merecem destaque a: a) ascensão da República de Weimar, a eclosão da Guerra da Coréia e a proclamação da república do Egito; b) quebra da Bolsa de Nova Yorque, a proclamação da República Popular da China e a criação do estado de Israel; c) deflagração da guerra entre Grécia e Turquia, a eleição de presidentes socialistas na França e em Portugal e a constituição do Pacto de Varsóvia; d) ascensão do nazismo na Alemanha, o início da Nova Política Econômica na Rússia e a deflagração da Guerra Civil na Espanha; e) ascensão do fascismo italiano, a criação do Mercado Comum Europeu e a invasão do Afeganistão pela União Soviética. D
  17. 17. • "Hitler considerava que a propaganda sempre deveria ser popular, dirigida às massas, desenvolvida de modo a levar em conta um nível de compreensão dos mais baixos. As grandes massas, dizia ele, têm uma capacidade de recepção muito limitada, uma inteligência modesta, uma memória fraca. Por isso mesmo, a propaganda deveria restringir-se a pouquíssimos pontos, repetidos incessantemente...Tudo interessa no jogo da propaganda: mentiras, calúnias; para mentir, que seja grande a mentira, pois assim sendo, nem passará pela cabeça das pessoas ser possível arquitetar uma tão profunda falsificação da verdade". • Lenharo, Alcir, Nazismo, "o triunfo da vontade". 6ª ed., São Paulo, Ática, 1998, p. 47-48. • A respeito do nazismo é correto afirmar: • a) Não pode ser definido como um regime totalitário, uma vez que a aceitação de sua doutrina foi conseguida pelo convencimento das massas populares, através de uma intensa propaganda. • b) Utilizou-se da propaganda para construir uma imagem grandiosa da Alemanha, para louvar seu líder Adolph Hitler e para estimular a perseguição a grupos considerados perigosos, traidores e inferiores à raça ariana. • c) Os grandes espetáculos eram espontaneamente organizados pelas massas e contavam com uma diversidade de símbolos e bandeiras representando a pluralidade étnica característica da Alemanha. • d) A celebração procurava interferir na educação da juventude alemã, uma vez que as escolas conseguiram manter-se a salvo das influências nazistas. • e) Apesar da intensa propaganda, o número de parlamentares eleitos pelo partido nazista manteve-se estável na década de 1930, formando uma ruidosa minoria que só chegaria ao poder pelo golpe de Estado de 1933. B
  18. 18. Sobre o Fascismo marque a única FALSA: a) regime ditatorial que ganhou força na Europa após o fim da I Guerra Mundial. b) regime liderado na Itália por Mussolini, um dos maiores ditadores da História. c) na Itália, o ambiente de crise fez com que as idéias fascistas ganhassem muita força. d) algumas marcas do governo de Vargas se basearam no fascismo. e) apesar de montar uma ditadura, o fascismo italiano não usava da violência em seu governo. E

×