Vida quotidiana século xix

12.283 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.283
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
107
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
107
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vida quotidiana século xix

  1. 1. A VIDA QUOTIDIANA ÉPOCA DE MUDANÇAS TÉCNICAS E ECONÓMICAS COM REFLEXOS NA VIDA SOCIAL E CULTURAL.
  2. 2. <ul><li>VIDA QUOTIDIANA NAS GRANDES CIDADES: </li></ul><ul><li>Foi nas cidades que mais se sentiram as transformações ocorridas no séc. XIX e o maior aumento da população. </li></ul><ul><li>Nasceram novos bairros, abriram-se ruas e calçadas, surgiram novos transportes. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Sobretudo nas cidades de Lisboa e Porto que controlavam o comércio, a indústria, a actividade bancária, a vida política, que eram ponto de chegada e de partida da rede de transportes. </li></ul>
  4. 4. Porto no século XIX. Lisboa (Rossio) no século XIX. http://atelier.hannover2000.mct.pt/~pr300/rossio.gif http://bp3.blogger.com/_8HLapCX4-gM/RlzSrE9lYkI/AAAAAAAAADQ/lTtpu1jmCs0/s400/sec+xix.jpg
  5. 5. <ul><li>VIDA QUOTIDIANA NAS GRANDES CIDADES: </li></ul><ul><li>As cidades cresceram: abriram-se avenidas, pavimentaram-se ruas, construíram-se passeios e jardins, construíram-se novos edifícios públicos (mercados, tribunais, praças escolas, hotéis, estações ferroviárias…). </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Novos serviços de Higiene e Saúde Públicas tornam a vida social mais agradável e segura: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>recolha de lixo e limpeza de ruas; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>rede de esgotos; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>água canalizada; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>iluminação pública, </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>bombeiros; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Policiamento; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>transportes públicos colectivos; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Cemitérios fora das povoações e cidades ; </li></ul></ul></ul></ul>
  7. 7. http://armandapatricio.paginas.sapo.pt/XIX.ht3.jpg
  8. 8. <ul><li>1 – ACTIVIDADES </li></ul><ul><li>Mas as ruas das cidades eram animadas pela movimentação de pessoas do povo – os vendedores ambulantes com os seus pregões (a varina, o vendedor de enchidos, o aguadeiro, …), os almocreves, os cocheiros, os empregados de balcão, as criadas, os escriturários … </li></ul>
  9. 9. Vendedora de pão, e vendedor de  louça. As fábricas no século XIX eram assim.
  10. 10. <ul><li>1 - ACTIVIDADES </li></ul><ul><li>Com a revolução liberal e os progressos económicos, o grupo que mais se destacou foi a burguesia, a que se associavam alguns nobres. </li></ul><ul><li>A alguns burgueses o rei concedia títulos de nobreza. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>1 - ACTIVIDADES </li></ul><ul><li>O prestígio social da burguesia resultava do sucesso das suas actividades económicas: comerciantes, industriais, banqueiros, ministros, deputados, médicos, advogados, juristas, professores, funcionários públicos, escritores e artistas. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>1 – ACTIVIDADES: </li></ul><ul><li>Com o progresso industrial surgiu um novo grupo social, o dos operários. Estes viviam com muitas dificuldades: homens, mulheres e crianças trabalhavam sem horários definidos, com magros salários e péssimas condições de trabalho. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>1 – ACTIVIDADES: </li></ul><ul><li>As más condições de trabalho e vida de muitos habitantes da cidade facilitaram a propagação de doenças como a tuberculose e o raquitismo, aumentando o número de mendigos, velhos, abandonados, viúvas e órfãos. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>2 - HABITAÇÃO </li></ul><ul><li>As diferenças sociais reflectiam-se na habitação. </li></ul><ul><li>Os mais pobres viviam em bairros miseráveis, nas zonas degradadas ou nos arredores, com péssimas condições de higiene; não tinham água canalizada nem esgotos; vivam muitas pessoas na mesma casa. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>2 – HABITAÇÃO </li></ul><ul><li>Por vezes, junto às fábricas, construíam-se os “bairros operários”:as “ilhas”, no Porto, ou “pátios”, em Lisboa. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>2 – HABITAÇÃO : </li></ul><ul><li>Os burgueses viviam em palacetes ou luxuosas residências: o interior das casas era confortável, com muitas divisões, bem mobilado e decorado. </li></ul><ul><li>A classe média vivia em andares, alguns com algum luxo. </li></ul>
  17. 17.
  18. 18. <ul><li>3 - VESTUÁRIO E MODA </li></ul><ul><li>A senhora usava saia comprida e armada, corpete de cetim, seda ou veludo, mangas largas e tufadas, luvas e sombrinha; </li></ul><ul><li>No Inverno, protegia-se com uma capa e, no verão, com um chapéu. </li></ul><ul><li>Em dias de festa, as senhoras usavam vestidos decotados e enfeitavam os cabelos com flores, rendas e jóias. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>3 - VESTUÁRIO E MODA </li></ul><ul><li>Os mais pobres vestiam os seus trajos remendados e sujos, muitas vezes insuficientes para os protegerem do frio; andavam descalços. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>4 – ALIMENTAÇÃO </li></ul><ul><li>A burguesia tinha uma alimentação variada e rica, com três a quatro refeições por dia. </li></ul><ul><li>Comiam carne, peixe e vários tipos de sobremesa. </li></ul><ul><li>Recebiam convidados em faustosos jantares, servidos por criados. </li></ul><ul><li>Os homens frequentavam ainda os restaurantes e os cafés. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>4 - ALIMENTAÇÃO </li></ul><ul><li>A alimentação dos mais pobres era pobre em quantidade e qualidade. </li></ul><ul><li>A base da alimentação era o pão que acompanhava com bacalhau ou sardinha. </li></ul><ul><li>Comiam sopa de legumes com toucinho. A carne era rara. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>5 - DIVERTIMENTOS </li></ul><ul><li>Quase todos procuravam os espaços públicos para se distraírem, conviver, ouvir música, assistir a pequenas representações teatrais; em Lisboa, no Passeio Público e, no Porto, no Jardim de S. Lázaro. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>5 - DIVERTIMENTOS </li></ul><ul><li>Os burgueses frequentavam o teatro, a ópera, a tourada, o circo; </li></ul><ul><li>Reuniam-se em jantares, festas, bailes; </li></ul><ul><li>Discutiam política nos clubes e cafés, enquanto as senhoras tomavam chá ou sorvetes. </li></ul><ul><li>Organizavam-se recepções em que se cantava, recitavam poemas, dançava-se, exibiam as toilettes e as jóias. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>5 – DIVERTIMENTOS </li></ul><ul><li>No verão, os mais ricos tinham ainda a possibilidade de sair e descansar no campo (em piqueniques, passeios de bicicleta) ou na praia; alguns preferiam as quintas, as termas ou hotéis luxuosos. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>5 – DIVERTIMENTOS </li></ul><ul><li>Praticavam desportos como a equitação, a vela e a esgrima. </li></ul><ul><li>No final do século XIX, filhos de famílias burguesas, trouxeram de Inglaterra, o gosto pelo futebol. </li></ul><ul><li>O povo divertia-se sobretudo nas tabernas (ouvindo o fado), em arraiais, feiras, festas religiosas e romarias. </li></ul>
  26. 26. <ul><li>5 – DIVERTIMENTOS </li></ul><ul><li>O povo divertia-se sobretudo nas tabernas (ouvindo o fado), em arraiais, feiras, festas religiosas e romarias. </li></ul>
  27. 27. <ul><li>UMA NOVA MENTALIDADE </li></ul><ul><li>(O modelo de vida Burguês) </li></ul><ul><li>Valorização da família e da pessoa pelo mérito e não pelo nascimento; </li></ul><ul><li>Ideia de bem-estar e de realização pessoal; </li></ul><ul><li>Preocupação com a higiene, a saúde e a educação; </li></ul><ul><li>Defesa da instrução pública contra a ignorância, causa de todos os males; </li></ul>

×