Pa hu habitar

1.080 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Pa hu habitar

  1. 1. PROJETO  ARQUITETÔNICO   Centro  Universitário  Planalto  –  UNIPLAN   Arquitetura  e  Urbanismo   Professora  Carla  Freitas   Habitar:  Condição  Humana  
  2. 2. Habitar   Ocupar   como   residência,   morar   em,   residir.   /   Povoar:   diferentes   raças  habitam  a  Europa.  /  Freqüentar.  /  Residir,  morar,  viver,  estar   domiciliado:   habitar   no   campo.   /   Estar:   Deus   habita   na   alma   em   estado  de  graça.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  3. 3. Habitação   Lugar   em   que   se   habita;   casa,   lugar   de   morada;   residência,   vivenda;  domicílio:  habitação  ampla  e  confortável.  /  Dir.  Direito   real  de  habitar,  gratuitamente,  casa  alheia.  //  Habitação  coleVva,   casa  de  cômodos.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  4. 4. Hábito   Comportamento   que   determinada   pessoa   aprende   e   repete   freqüentemente,   sem   pensar   como   deve   executá-­‐lo.   /   Uso,   costume;   maneira   de   viver;   modo   constante   de   comportar-­‐se,   de  agir.         Muitas   ações   da   vida   coVdiana   consVtuem   hábitos.   Imagine   como  seria  dicil  alguém  descer  uma  rua  se  Vvesse  que  pensar   em   cada   um   dos   atos   necessários   a   dar   cada   passo.   O   hábito   difere   do   insVnto,   que   é   um   comportamento   inato,   não   aprendido.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  5. 5. Na  teoria  da  arquitetura  existem  3  arquéVpos  construVvos:   *ArquéVpo  -­‐  Modelo  pelo  qual  se  faz  uma  obra  material  ou  intelectual.  /  Filosofia.  Modelo   ideal,  inteligível,  do  qual  se  copiou  toda  coisa  sensível:  para  Platão,  a  idéia  do  Bem  é  o   arquéVpo  de  todas  as  coisas  boas  da  natureza.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br   A  caverna   A  tenda   A  cabana  
  6. 6. Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br   Quando  o  homem  se  fixa  na  terra,  delimita   seu  espaço  e  passa  a  construir  sua   habitação,  cria  o  hábito  de  habitar...  
  7. 7. A  idéia  da  primeira  casa  está  presente  no  pensamento  dos   arquitetos  de  todos  os  tempos.  Mas  atribui-­‐se  a  Vitrúvio  as   primeiras  invesVgações  sobre  a  essência  da  casa.  E  ele  faz   isso  definindo  a  descoberta  do  fogo  como  sendo  a  origem  da   sociedade  humana  e  com  ela  a  origem  da  aVvidade   construtora  do  homem.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  8. 8. A  primeira  construção  –  o   estabelecimento  de   tradições.   A  cabana  primiVva   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  9. 9. Depois  de  Vitrúvio,  também  AlberV  e  Filareto  se  deVveram  sobre   os   problemas   teóricos   e   filosóficos   da   gênese   da   casa.   E   ainda   Viollet   Le   Duc,   Quatremere   de   Quincy,   Chambers   e   Blondel   e   Laugier  dentre  muitos  outros.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  10. 10. Filareto  trata  a  questão  a  parVr  de  uma  óVca  cristã  e  situa  a  história   da  casa  no  momento  em  que  Adão  (o  homem  original)  é  expulso  do   paraíso  e  vê-­‐se  obrigado  a  abrigar-­‐se.  Segundo  a  explicação  míVca   de   Filareto   inicialmente   Adão   serviu-­‐se   de   suas   mãos   postas   em   oração  por  cima  da  cabeça,  mas  em  seguida  ele  descobre  entre  os   ramos   de   quatro   arbustos   dispostos   em   traves   um   abrigo   mais   eficiente,  pois  serviam  de  apoio  às  paredes  e  ao  telhado.  Assim  esta   cabana  primiVva  estaria  na  origem  de  toda  a  arquitetura  evoluída.   Ainda  segundo  este  mito  Adão  já  calculava  e  media  as  peças  de  que   precisava  para  sua  casa  de  acordo  com  as  medidas  de  seu  próprio   corpo.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  11. 11. Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br   Homo  ad  circulum   As  proporções  do  corpo  humano   inscritas  num  circulo  segundo  Vitrúvio   Fra  Giogondo   Homem  vitruviano   As  proporções  do  corpo  humano   inscritas  num  circulo  segundo  Vitrúvio   Leonardo  da  Vinci  
  12. 12. Para  F.  Blondel  “Os  princípios  de   imitação   e   de   depuração   servem   doravante   de   fundamentos   à   evolução   e   à   avaliação   da   arquitetura.  Os  primeiros  homens   imitaram   e   aperfeiçoaram   a   natureza   construindo   a   cabana   primiVva;   os   gregos   recorreram   aos   mesmos   princípios   para   construir  seus  templos.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  13. 13. Laugier  afirma  que  a  “cabana  primiVva  míVca  é  o  seu  protóVpo:   quatro   troncos   de   árvores   enterrados   no   chão   sobre   um   quadrado   e   cobertos   por   uma   plataforma   rudimentar”   e   esta   descrição  ele  reVra  do  texto  de  Vitrúvio.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  14. 14. Mas  mais  recentemente  já  na  era  moderna   foi   Le   Corbuiser   quem   deu   atenção   ao   tema   em   seu   tratado   “Por   uma   arquitetura”   O  que  diz  Le  Corbusier:   “Arquitetura   se   ocupa   da   casa,   da   casa   comum   e   habitual,   para   homens  normais  e  comuns.  Ela  despreza  os  palácios.  Eis  um  sinal  dos   tempos.”       “Estudar  a  casa  para  o  homem  corrente,  qualquer  um,  é  reencontrar   as   bases   humanas,   a   escala   humana,   a   necessidade-­‐Vpo,   a   função-­‐ Vpo,  a  emoção-­‐Vpo.  Eis  aí.  Isso  é  capital.  Isso  é  tudo.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  15. 15. Então  vamos  a  práVca.  Como  podemos  estudar  a  casa?   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  16. 16. A  resposta  vem  do  próprio  Le  Corbusier....     Ao  arquiteto  3  lembretes  e  um  aviso!     O  volume;   A  supercie;   A  planta.     E  o  aviso:     não  esquecer  do  traçado  regulador,  aquilo  que  coloca  ordem,   define  e  diferencia  toda  arquitetura  do  caos.   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  17. 17. Primeiro  lembrete  –  O  Volume   “A   arquitetura   é   jogo   sábio,   correto   e   magnífico   dos   volumes   reunidos  sob  a  luz.  Nossos  olhos  são  feitos  para  ver  formas  sob  a   luz;  as  sombras  e  os  claros  revelam  as  formas;  os  cubos,  os  cones,  as   esferas,   os   cilindros   ou   as   pirâmides   são   as   grandes   formas   primárias  que  a  luz  revela  bem;  suas  imagens  são  níVdas  e  tangíveis,   sem  ambiguidades.  É  por  isso  que  são  belas  formas,  as  mais  belas   formas.  Todo  mundo  está  de  acordo  com  isso,  a  criança,  o  selvagem   e  o  metasico.  É  a  própria  condição  das  artes  plásVcas.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  18. 18. Segundo  lembrete  –  A  Super<cie   “A   arquitetura   sendo   jogo   sábio,   correto   e   magnífico  dos  volumes  reunidos  sob  a  luz,  o   arquiteto   tem   por   tarefa   fazer   viver   as   supercies  que  envolvem  esses  volumes,  sem   que   essas,   tornadas   parasitas,   devorem   o   volume  e  o  absorvam  em  seu  proveito:  triste   história  dos  tempos  presentes.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  19. 19. Terceiro  lembrete  –  A  Planta   “A  planta  é  a  geradora.   O   olho   do   espectador   se   move   em   um   espaço   feito   de   ruas   e   de   casas.  Recebe  o  choque  dos  volumes  que  se  elevam  à  volta.  Se  esses   volumes  são  formais  e  não-­‐degradados  por  alterações  intempesVvas,   se  a  ordenação  que  os  agrupa  exprime  um  ritmo  claro,  e  não  uma   aglomeração  incoerente,  se  as  relações  entre  os  volumes  e  o  espaço   são   feitas   de   proporções   justas,   o   olho   transmite   ao   cérebro   sensações  coordenadas  e  o  espirito  reVra  delas  saVsfações  de  ordem   superior:  isso  é  arquitetura.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  20. 20. Um  úl@mo  aviso...   O  traçado  regulador   “Do  nascimento  fatal  da  arquitetura.   A  obrigação  da  ordem.  O  traçado  regulador  é  uma  garanVa  contra  o   arbitrário.  Proporciona  a  saVsfação  do  espírito.   O  traçado  regulador  é  um  meio;  não  é  uma  receita.  Sua  escolha  e   suas   modalidades   de   expressão   fazem   parte   integrante   da   criação   arquitetural.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  21. 21. Organização  centralizada   Organização  linear   Organização  radial   Organização  aglomerada   Organização  em  malha   ORGANIZAÇÃO  DA  FORMA   NO  ESPAÇO   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br   Ou  o  traçado  regulador...  
  22. 22. Organização  centralizada   “Um  espaço  central  dominante  ao   redor  do  qual  uma  série  de  espaços   secundários  é  agrupada”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  23. 23. Organização  linear   “uma  sequência  linear  de  espaços   repeVdos”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  24. 24. Organização  radial   “um  espaço  central  a  parVr  do  qual   organizações  lineares  de  espaço  se   estendem  de  maneira  radial.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  25. 25. Organização  aglomerada   “espaços  agrupados  pela   proximidade  ou  pelo  fato  de   comparVlharem  uma   caracterísVca  ou  relação  visual.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  
  26. 26. Organização  malha   “espaços  organizados  dentro  do   campo  de  uma  malha  estrutural   ou  outra  moldura  tridimensional.”   Professora  Carla  Freitas  |  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br    |  estudio@caliandradesenhos.com.br  

×