Aula10 patrimonio brasil

922 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
641
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula10 patrimonio brasil

  1. 1. Técnicas  Retrospec/vas   O  Patrimônio  no  Brasil   Aula  10   Centro  Universitário  Planalto  –  UNIPLAN   Arquitetura  e  Urbanismo   Prof.  Carla  Freitas  
  2. 2. O  Programa  de  trabalho  do  SPHAN     Prioridades  e  Limites   No  primeiro  período  de  atuação  do  SPHAN  (fase   heroica)   -­‐  Tombamento  principalmente  dos  bens  imóveis   do  século  XVI,  XVII  e  XVIII;   -­‐  Prioridade  de  tombamento  dada  aos   exemplares  da  arquitetura  religiosa;   -­‐  A  ins/tuição  desenvolve  uma  metodologia  de   pesquisa  (inventários)  que  embora  não  tenha   caráter  norma/vo  passa  a  cons/tuir  uma   jurisprudência  que  orienta  o  trabalho  de   proteção  do  SPHAN.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  3. 3. O  Programa  de  trabalho  do  SPHAN     Prioridades  e  Limites   A  divulgação  do  conhecimento  produzido  dentro  do   IPHAN  era  considerada  tão  importante  quanto  os   próprios  estudos  de  tombamento,  visto  que  era  sobre   este  conhecimento  que  se  assentava  a  prá/ca  do  órgão.     “Os  trabalhos  de  inventário  e  pesquisa  eram,  portanto,   entendidos  como  etapa  fundamental  da   proteção.”  (Patrimônio  em  Processo)   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  4. 4. O  Programa  de  trabalho  do  SPHAN     Prioridades  e  Limites   “Desde  o  início,  Rodrigo  M.  F.  de  Andrade  solicitava  aos   delegados  regionais  que  as  propostas  de  tombamento   fossem  instruídas  pelo  histórico  da  obra,  sua  descrição   pormenorizada  (técnica  quanto  possível),  informações   sobre  seu  estado  atual  de  conservação,  assim  como  as   alterações  que  /ver  sofrido,  referencias  bibliográficas   que  houver  a  seu  respeito  e  documentação  fotográfica”.   (Patrimônio  em  Processo)   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  5. 5. O  Programa  de  trabalho  do  SPHAN     Prioridades  e  Limites   Inventário  deveria  preceder  ao  tombamento   Na  primeira  fase  do  IPHAN  os  processos  de   tombamento  eram  geralmente  conduzidos  pelos   funcionários  da  ins/tuição  ou  por  seus  colaboradores.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  6. 6. A  Fase  Moderna  do  SPHAN  -­‐  pós  Estado  Novo   “A  instauração  de  um  governo  democrá/co,  em  1945,  não   chegou  a  afetar  a  polí/ca  federal  de  preservação,  que  manteve  o   mesmo  dirigente  e,  pra/camente,  a  mesma  orientação  até  o   final  da  década  de  1960.”   Essa  estabilidade  pode  ser   entendida  como  sintoma  da   pouca  importância  dada  pelos   regimes  pós  Estado  Novo  às   questões  rela/vas  a  proteção  e   preservação  do  patrimônio   histórico  e  args/co  nacional.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  7. 7. A  Fase  Moderna  do  SPHAN  -­‐  pós  Estado  Novo   A  ins/tuição  não  avança  em  seus   estudos  técnicos.     E  no  dizer  de  Antônio  Augusto   Arantes:  não  se  renovou:   tecnificou-­‐se...   E  mais  tarde  com  a  mudança  de  orientação  nos  anos  70-­‐80  a   ins/tuição  se  sen/u  despreparada  para  valorar,  proteger  e   jus/ficar  sua  atuação  em  face  de  novos  /pos  propostos.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  8. 8. A  Fase  Moderna  do  SPHAN  -­‐  pós  Estado  Novo   “Se,  nos  anos  30  e  40,  o  SPHAN  atraía  para  os  seus  quadros   inúmeros  dos  intelectuais  de  maior  presggio  no  momento,  e   iden/ficados  à  vanguarda,  em  60,  o  cenário  era  bem  diferente.   Dado  o  caráter  vitalício  dos  cargos  no  Conselho  Consul/vo,  sua   composição  teve  uma  taxa  muito  baixa  de  renovação.  Nos   quadros  técnicos,  os  arquitetos  modernistas  eram  sucedidos  por   seus  discípulos.  Além  disso,  havia  claros  sinais  de  restrições  das   a/vidades  de  pesquisa  e  de  divulgação,  que,  sob  a  alegação  de   falta  de  recursos,  foram  pra/camente  abandonadas.”   Principal  adversário  do  órgão  agora  passa  a  ser  a   poderosa  especulação  imobiliária.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  

×