Aula03 apreensaopaisagemurbana

1.907 visualizações

Publicada em

Paisagem urbana segundo estudos de Gordon Cullen; 3 aspectos a serem considerados - ótico, local e conteúdo.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.907
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
730
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula03 apreensaopaisagemurbana

  1. 1. PROJETO  DE  URBANIZAÇÃO  E   PAISAGISMO   AULA  03  –  PAISAGEM  URBANA     APREENSÃO  DA  FORMA   Universidade  Católica  de  Brasília   Curso  de  Arquitetura  e  Urbanismo   Prof.  Carla  Freitas  
  2. 2. Paisagem  Urbana   Cidade  segundo  Gordon  Cullen:   ¨  mais  do  que  o  somatório  dos  seus  habitantes;   ¨  uma  unidade  geradora  de  um  excedente  de  bem-­‐ estar  e  de  facilidades  que  leva  a  maioria  das  pessoas   preferirem  –  independentemente  de  outras  razões  –   viver  em  comunidade  a  viverem  isoladas.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  3. 3. “Há  uma  série  de  vantagens  a  considerar  na  reunião  de  pessoas   para  formar  uma  cidade.  Uma  família  isolada  no  campo  não  terá   muitas  hipóteses  de  ir  ao  teatro,  ao  restaurante  ou  a  uma   biblioteca,  enquanto  que  na  cidade  tudo  isto  passará  a  estar  ao   alcance.  Os  reduzidos  meios  de  cada  agregado  familiar   mul`plicados  por  dezenas  ou  centenas  de  milhar  permitem   imediatamente  a  criação  de  equipamentos  cole`vos.   Efe`vamente,  uma  cidade  é  algo  mais  do  que  o  somatório  dos   seus  habitantes:  é  uma  unidade  geradora  de  um  excedente  de   bem-­‐estar  e  de  facilidades  que  leva  a  maioria  das  pessoas   preferirem  –  independentemente  de  outras  razões  –  viver  em   comunidade  a  viverem  isoladas.”  Gordon  Cullen   Paisagem  Urbana   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  4. 4. O  meio  ambiente  provoca  reações  emocionais.  Como  as  reações  emocionais  são   processadas,  3  aspectos  a  serem  considerados:   Ó`co  |  Local  |  Conteúdo   Paisagem  Urbana   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   Fotos  de  Henri   Car`er-­‐Bresson  
  5. 5. Paisagem  Urbana   ¨  Óp<ca  –  visão  serial,  a   paisagem  urbana  surge  na   maioria  das  vezes  como   uma  sucessão  de  surpresas   ou  revelações  súbitas.   Pontos  de  vista  –  imagens   emergentes   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  6. 6. Paisagem  Urbana  
  7. 7. Paisagem  Urbana   ¨  Local  –  posição  no  espaço   –  as  reações  humanas   diante  de  seu   posicionamento  no   espaço,  uma  relação   constante  e  ins`n`va  com   o  meio  ambiente.  Este   sen`do  não  pode  ser   ignorado  no  processo  de   projetação  do  ambiente   urbano.  Aqui  e  Além   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  8. 8. Paisagem  Urbana   ¨  Conteúdo  –  a  cons`tuição   do  espaço  da  cidade;  cor,   textura,  escala,  es`lo,   natureza  ou  personalidade   ou  ainda  tudo  aquilo  que   individualiza  a  cidade.  Isto  e   Aquilo   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  9. 9. Para  Cullen  o  planejamento  urbano  deve  ser  visto  como  um  jogo  e  os  3  aspectos   são  os  parâmetros  que  serão  organizados  em  uma  série  de  lances  e  jogadas   ditadas  pela  experiência  adquirida  pelos  jogadores,  ou  seja,  a  arte  de  jogar.     Paisagem  Urbana   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  10. 10. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  Espaço  urbano  e  sociedade  são  faces  da  mesma   moeda:  o  espaço  urbano  é  o  aspecto  estrutural  da   cidade.   ¨  Assim,  como  qualquer  outro  fenômeno  da  realidade,   o  espaço  urbano  é  passível  de  conhecimento.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  11. 11. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   “A   apreensão   dos   lugares   dá-­‐se,   necessariamente,   a   par`r   de   sua   forma   isica,   conforme   diversas   abordagens   arquitetônicas   e   geográficas   da   cidade,   e   também   nos   estudos   centrados   nos   mecanismos   cogni`vos.   Esse   fato   requer   análise   do   espaço   como   forma   isica   e   resultado   da   ordenação   de   elementos   morfológicos  segundo  certas  leis.  Em  outras  palavras,   é  preciso  que  se  observe  os  lugares  como  composição   plás,ca,  isto  é,  elementos  relacionados  em  conjunto,   ou,  ainda,  totalidades.”     M.  Elaine  Kohlsdorf   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  12. 12. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  Composição   Plás<ca   é   o   “conjunto   de   pontos,   linhas,   planos,   volumes   ou   cores   dispostos   de   acordo   com   certas   normas   e   visando   a   uma   determinada   intenção   plás`ca”.   Costa,  Lucio.  Ensino  do  Desenho.  In:  Lucio  Costa:   Sobre  Arquitetura.  Porto  Alegre.  CEUA.1962.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  13. 13. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  Par<do   Plás<co   é   numa   composição   plás`ca   “a   escolha   e   fixação   do   sen`do   geral   a   prevalecer   na   disposição   dos   pontos,   das  linhas,  dos  volumes  ou   cores.”   Costa,   Lucio.   Ensino   do   Desenho.   In:   Lucio   Costa:   Sobre   Arquitetura.   Porto   Alegre.   CEUA.1962   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  14. 14. Resumindo...  composição  plás`ca  de  uma  obra  de  arte  é  a  ar`culação  de   elementos  segundo  certas  normas,  estabelecidas  pelo  próprio  ar`sta  e  visando   uma  intensão  projetual.   Apreensão  da  Forma  da  Cidade   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  15. 15. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   “O  espaço   urbano  é   apreensível  a   par`r  de  suas   manifestações   externas,  em   etapas  de   sucessão   cogni`va  onde   se  desenvolve   um  movimento   de  obje`vação   de   informações.”   M.  Elaine  Kohlsdorf   Apreensão  do  espaço  urbano  :   ¨  análise   ¨  síntese   ¨  verificação     Espaço   urbano   real   –   uma   totalidade   complexa   formada   por   a`vidades,   formas,   significados   e   prá`cas   sociais,   que  é  sensivelmente  captável.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  16. 16. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  Kohlsdorf   chama   de   apreensão   a   etapa   inicial   do   processo   cogni`vo,   que   se   compromete   com   informações  preponderantemente  sensíveis.     ¨  A   importância   do   trabalho   com   a   apreensão   dos   lugares   da   cidade   fica   clara   quando   se   refere   a   planejamento   e   desenho   urbano,   a`vidade   que   envolve  pesquisadores,  técnicos  e  população.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  17. 17. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  As  decisões  projetuais:   construir  espaços  reais  que   serão  lidos  e  interpretados   pelos  habitantes  da  cidade   segundo  seus  modos  de   conhecimento  sensível   ¨  técnicos  e  pesquisadores   habilitados:  interpretar  a   paisagem  urbana  através   de  um  conhecimento   empírico,  ou  sensível,  e   traduzi-­‐lo  em  dados   técnicos  para  projetar.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  18. 18. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  responsável  por   representações   geométricas  do  espaço,   sistemas  de  projeções   ortogonais.  A  ciência     ¨  responsável  por   representações  empíricas   e  arls`cas,  ou  sensíveis  do   espaço.  A  arte   Conhecimento  Racional   Conhecimento  Sensível   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   2  modos  de  conhecer  as  coisas  
  19. 19. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   Conhecimento  sensível:   ¨  sensação   ¨  percepção   ¨  imaginação   ¨  intuição   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  20. 20. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  As  sensações  são   responsáveis  por  nosso   primeiro  contato  com  os   lugares  e  cons`tuem-­‐se   na  ligação  mais  próxima   da  consciência  com  a   realidade  obje`va.   Exercem  um  função   cogni`va;  o  desenho  de   uma  imagem  subje`va   que  tem  a  finalidade  de   orientação  e  sinalização.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  21. 21. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  A  percepção  tem  como   base  ou  matéria  prima  as   sensações,  o  processo  de   percepção  tem  ligação   estrutural  com  a   consciência  e  a  memória  e   principalmente  com  o   grau  de  desenvolvimento   da  inteligência  dos   indivíduos.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  22. 22. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  A  imaginação  é  entendida   como  uma  a`vidade   composta  pela   coordenação  de  imagens   mentais  e  que  aparece   quando  o  indivíduo   adquiriu  certo   desenvolvimento  cogni`vo   que  lhe  permite   simbolizar.   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  23. 23. Apreensão  da  Forma  da  Cidade   ¨  A  intuição  apela  aos  sen`dos,   à  percepção  e  à  imaginação,   mas  não  se  reduz  a  esta   recorrência,  não  se  limita  a   efetuar  uma  leitura  das   propriedades  fornecidas  pelas   coisas,  mas  exerce  ação  sobre   as  mesmas,  caracterizando-­‐se   como  inteligência  em  nível   ainda  não  formalizado.     Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  24. 24. A  intuição  do  espaço  permite  que  haja  o  desenvolvimento  cogni`vo   necessário  à  organização  de  seus  elementos,  a  par`r  do  primeiro  contato.   Apreensão  da  Forma  da  Cidade   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  25. 25. Esta   noção   inicia-­‐se   desde   o   nascimento   do   indivíduo   e   desenvolve-­‐se  com  a  própria  inteligência.   A  idéia  de  lugar  origina-­‐se  de  espaços  orgânicos  próprios   do   indivíduo   e   inicia-­‐se   na   primeira   infância   através   das   primeiras   experiências   sensíveis   e   de   movimento   que   a   criança  realiza  no  mundo  que  a  cerca.   O  espaço  concebido  neste  estágio  de  vida  caracteriza-­‐se   por:   •  Ação  e  Vivencia     A  formação  da  noção  de  espaço   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  26. 26. Ação  e  Vivencia  =  Relação  Topológica   A  formação  da  noção  de  espaço   Estabelecimento  de  vínculos  entre  o  corpo    e  os  limites   isicos  e  perceplveis  dos  lugares  onde  se  esta  no  espaço.   proximidade  /  afastamento   Localização  do  corpo  no  espaço   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  27. 27. O  espaço  topológico  não  se  realiza  pela  noção  de   deslocamento  do  corpo  no  espaço,  mas  de  movimento   aparente  dos  elementos  configuradores  dos  lugares,  ou   seja,  de  efeitos  de  percepção:  paredes,  tetos,  pisos  ou   objetos  isolados  que  se  avizinham  ou  se  distanciam  do   observador.     Importante:   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  28. 28. A  noção  de  espaço   “...  mesmo  que  as  sensações  do  indivíduo  estejam   sujeitas  ao  desenvolvimento  da  inteligência,  sua   apreensão  de  qualquer  ambiente  reproduz  os  passos  da   formação  da  noção  de  espaço  na  gênese  das  estruturas   cogni`vas.  Assim,  parte-­‐se  sempre  da  percepção  de  um   espaço  topológico,  caracterizado  por  efeitos  como,  por   exemplo,  envolvimento  ou  amplidão,  que  se   complementa  por  efeitos  perspec`vos  (como,  por   exemplo,  direcionamento).”     M.  Elaine  Kohlsdorf   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  29. 29. A  noção  de  espaço   ¨  “Logo,  o  que  se  olha  não  é  o  que  se  percebe.  A   percepção  realiza,  necessariamente,  um  movimento   de  transformação  de  sinais  (emissões  de  luz  pelos   eslmulos  cons`tuintes  dos  espaços)  em  signos   (representações  segundo  as  estruturas  percep`vas).   Se  quisermos  entender  quais  são  as  caracterís`cas   percebidas  de  certo  lugar,  temos  de  selecionar  seus   atributos  de  estruturação  topológica  e  perspec`va   ao  invés  de  representa-­‐lo  por  qualidades  aleatórias.”   M.  Elaine  Kohlsdorf   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  30. 30. A  noção  de  espaço   ¨  “  O  espaço  euclidiano  é  eminentemente  representa`vo   e  ocorre,  como  gênese,  em  um  segundo  nível  de   apreensão,  na  imagem  mental  quando  o  individuo  não   se  encontra  mais  fisicamente  no  lugar  considerado.”                    M.  Elaine  Kohlsdorf   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  31. 31. Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção     ¨  fornece  indicações  que   oriente  as  pessoas  ou  não   ¨  permite  que  haja  uma   iden`ficação  de  lugar   ¨  quan`dade  de  eslmulos   visuais   ¨  qualidade  dos  eslmulos   visuais   *  Eslmulos  visuais  –  capacidade  de   inovação  trazida  pelo  meio   ambiente.   O  comportamento  do  espaço  da   cidade     As  condições  da  informação  que  a   forma  do  espaço  da  cidade  oferece   Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  32. 32. Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção     Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br  
  33. 33. Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção    
  34. 34. Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção    
  35. 35. Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção    
  36. 36. Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção    
  37. 37. Prof.  Carla  Freitas  |  estudio@caliandradesenhos.com.br|  www.caliandradesenhos.blogspot.com.br   Desempenho  Topocep`vo  na  Percepção    

×