O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Regimento Interno da
Faculdade de Educação Física

Aprovado na 1ª Reunião Extraordinária do Conselho da Faculdade de Educa...
Regimento Interno da Faculdade de Educação Física
Título I
Da Instituição
Capítulo I
Introdução
Art. 1º - A FACULDADE DE E...
Capítulo III
Das competências
Art. 3º - Compete à Faculdade de Educação Física:
I - coordenar, ministrar e avaliar ativida...
II - todos os bens móveis adquiridos com recursos orçamentários, de
financiamentos, de auxílio e/ou convênios, bem como aq...
Art. 13 - Toda e qualquer proposta de captação de recursos, junto à própria
Universidade, a outras agências financiadoras,...
desenvolvimento e manutenção das boas condições de ensino e trabalho, de
acordo com as finalidades da instituição.

Capítu...
elaboração de lista tríplice pelo mesmo, em conformidade com as leis
vigentes;
IV - elaborar o Plano Diretor de estratégia...
Art. 19 - Compõe-se o Colegiado de Ensino de Graduação:
I - o Diretor como Presidente;
II - todos os professores da FEF-Un...
IX - julgar propostas de reestruturações curriculares referentes aos
cursos de graduação;
X - supervisionar, dentro de sua...
V. aprovar linhas de pesquisas e projetos vinculados;
VI. aprovar a lista de oferta de disciplinas para cada período letiv...
X - 01 (um) representante da Associação dos Servidores da UnB ASFUB;
XI - 01 (um) representante dos ex-alunos da UnB;
XII ...
VI – coordenar todos os órgãos, setores, atos e serviços da FEF-UnB
para garantir a sua regularidade e disciplina, submete...
V - planejar e distribuir as atividades do Centro Olímpico de acordo
com as prioridades estabelecidas pela Faculdade;
VI -...
Art. 36 - A Diretoria se incumbirá de manter as instalações e condições de
funcionamento da Faculdade de forma a propiciar...
IV - manutenção das condições gerais da Faculdade no nível
necessário e imprescindível à realização dos trabalhos;
V - div...
Art. 46 - A Faculdade de Educação Física, através dos seus setores e
coordenações, proporcionará aos demais órgãos e unida...
Art. 54 - Compete ao Conselho de Faculdade apreciação e aprovação de
projetos e convênios de extensão.
Art. 55 - Para todo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Regimento Interno FEF/UnB

663 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Regimento Interno FEF/UnB

  1. 1. Regimento Interno da Faculdade de Educação Física Aprovado na 1ª Reunião Extraordinária do Conselho da Faculdade de Educação Física-UnB, de 12/03/2007 e enviada para homologação pelo Conselho Universitário (CONSUNI), da UnB, em 30/04/2007
  2. 2. Regimento Interno da Faculdade de Educação Física Título I Da Instituição Capítulo I Introdução Art. 1º - A FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA (FEF) é uma unidade acadêmica da Universidade de Brasília (UnB) que exerce as atividades de ensino, pesquisa e extensão e que tem as suas funções administrativas e acadêmicas disciplinadas pelo presente Regimento Interno. Capítulo II Das finalidades Art. 2º - São finalidades da Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília (FEF-UnB): I - proporcionar aos alunos de graduação e pós-graduação que ingressarem na Universidade, por vestibular ou outra forma de ingresso, a formação acadêmica necessária ao exercício profissional, em consonância com os programas curriculares da FEF; II - proporcionar a estes e outros profissionais afins, a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos através de estágios, cursos e programas de pesquisas, extensão e pós-graduação, concedendo-lhes os respectivos graus acadêmicos quando aplicáveis; III - desenvolver pesquisas científicas e/ou acadêmicas em Educação Física, bem como em outras áreas correlatas e interdisciplinares; IV - contribuir, na sua área de atuação, para o estudo de soluções de problemas regionais; V - proporcionar aos profissionais da área a oportunidade de aperfeiçoamento técnico, científico e pedagógico; VI - prestar serviços de interesse da comunidade dentro de sua área de atuação.
  3. 3. Capítulo III Das competências Art. 3º - Compete à Faculdade de Educação Física: I - coordenar, ministrar e avaliar atividades de ensino de graduação e pós-graduação, de pesquisa e de extensão pelas quais for responsável; II - cumprir os programas de pesquisas propostos; III - prestar serviços à comunidade de acordo com as disponibilidades e as prioridades estabelecidas pelo Conselho da Faculdade de Educação Física-UnB; IV - estreitar relações com outras instituições congêneres do país e do exterior, promovendo a cooperação científica, acadêmica, cultural e profissional, através de convênios, seminários e acordos de intercâmbio; V - buscar o apoio financeiro para as suas atividades fins junto às agências financiadoras e/ou através de parcerias com entidades públicas ou privadas; VI - decidir sobre a organização interna, respeitados os estatutos e o Regimento Geral da Universidade de Brasília, bem como às demais normas estabelecidas pela Universidade; VII - planejar e administrar os recursos humanos, orçamentários, financeiros e materiais sob sua responsabilidade; VIII - contribuir para o fortalecimento das sociedades científicas, acadêmicas e profissionais da área de Educação Física, Dança, Recreação, Lazer e dos Esportes. Título II Do patrimônio e dos recursos financeiros Capítulo I Do patrimônio Art. 4º - Farão parte do cadastro patrimonial da FEF: I - o prédio onde está instalada a administração, denominado Faculdade de Educação Física, e as demais áreas administrativas, denominadas de Centro Olímpico (C.O.); desportivas e
  4. 4. II - todos os bens móveis adquiridos com recursos orçamentários, de financiamentos, de auxílio e/ou convênios, bem como aqueles que forem doados à Faculdade; Art. 5º - Todo o patrimônio registrado será utilizado para atender às necessidades inerentes às suas atividades fins e/ou às de prestação de serviços, conforme prioridades estabelecidas pela FEF-UnB; Art. 6º - Todas as atividades relativas ao tombamento, localização, alienação e outras relacionadas com o controle de patrimônio da FEF deverão ser exercidas pelos órgãos competentes da Universidade. Capítulo II Dos recursos financeiros Art. 7º - Constituem os recursos financeiros da Faculdade: I - dotações a qualquer título que lhe sejam destinadas pela administração superior da UnB; II - àqueles provenientes de captações feitas pela Faculdade através de convênios, auxílios e/ou financiamentos, prestação de serviços, observadas as normas estabelecidas para captação e gestão de recursos financeiros estabelecidas pela Universidade de Brasília. Art. 8º - As dotações orçamentárias da Faculdade serão coordenadas pelo Conselho de Faculdade, observando-se a compatibilização entre as necessidades da unidade e a origem dos recursos captados. Art. 9º - A aplicação dos recursos provenientes da prestação de serviços, farse-á, em cada caso, atendendo a critérios específicos estabelecidos pelo Conselho de Faculdade. Art. 10 - Os preços dos serviços e produtos serão propostos pela área diretamente envolvida e aprovados pelo Conselho de Faculdade. Art. 11 - Toda receita gerada pela Faculdade deve ser recolhida em conta apropriada da FEF, no Banco do Brasil, em outros Bancos credenciados pelo Governo Federal, ou se for o caso, recolhida à conta de Fundação Científica ligada à UnB. Art. 12 - Caberá ao setor de contabilidade da Universidade centralizar todas as atividades de natureza nominalmente a Faculdade contábil que envolva oficialmente e/ou
  5. 5. Art. 13 - Toda e qualquer proposta de captação de recursos, junto à própria Universidade, a outras agências financiadoras, a entidades congêneres ou à iniciativa privada, pleiteada por docente e/ou pessoal técnico administrativo, quer individualmente ou em grupo ou mesmo pelas coordenações, e destinada à execução de projetos, deverá ser aprovada pelo Colegiado competente e homologado pelo Conselho de Faculdade. Art. 14 - Os docentes e técnicos administrativos, poderão participar de serviços remunerados mediante contratos de prestação de serviços ou convênios, observando-se as normas estabelecidas pela Universidade de Brasília, desde que não sejam prejudicadas as suas atividades contratuais junto a FUB, o que será atestado pelo Diretor da Faculdade, respeitadas as devidas cargas horárias. Título III Da estrutura Capítulo I Dos órgãos em geral Art. 15 - A estrutura organizacional da Faculdade de Educação Física compreende: I – o Conselho de Faculdade; II – o Colegiado de Ensino de Graduação; III – o Colegiado de Pesquisa e Pós-Graduação; IV – o Conselho do Centro Olímpico; V – a Direção; VI – a Secretaria Geral; VII – o Centro Olímpico; VIII – a Secretaria do Centro Olímpico. IX – as Coordenações de: a) Graduação, b) de Pesquisa e PósGraduação, c) de Prática Desportiva, d) de Extensão; e e) Coordenação Geral dos Laboratórios. Parágrafo Único: A direção será responsável pelas respectivas funções gerenciais, administrativas, acadêmicas e de supervisão tendo em vista o
  6. 6. desenvolvimento e manutenção das boas condições de ensino e trabalho, de acordo com as finalidades da instituição. Capítulo II Dos órgãos da direção Seção I Do Conselho de Faculdade Art. 16 - O Conselho de Faculdade compõe-se de: I - do Diretor, como Presidente; II - do Vice-Diretor, como Vice-Presidente; III - do Coordenador de Graduação;III – do Coordenador de Pesquisa e Pós-Graduação; IV – do Coordenador de Prática Desportiva; V – do Coordenador de Extensão e Atendimento Comunitário; VI – do Coordenador Geral dos Laboratórios; VI – do Chefe do Centro Olímpico; VII - de 02 (dois) representantes dos servidores técnicoadministrativos; VIII - de 02 (dois) representantes discentes, sendo (um) do ensino de Graduação e (um) do ensino de Pós-Graduação (Stricto-Sensu). IX – de 02 (dois) representantes docentes. Parágrafo único - Os Coordenadores de Graduação, de Prática Desportiva, de Extensão e Atendimento Comunitário e de Pesquisa e Pósgraduação são membros natos do Conselho de Faculdade. Art. 17 - O Conselho de Faculdade é o órgão máximo deliberativo e de recursos, em matéria administrativa e acadêmica. Art. 18 - Compete ao Conselho de Faculdade: I - formular a política geral da Faculdade; II - elaborar a lista tríplice para Diretor e Vice-diretor da Faculdade, em conformidade com a legislação vigente, encaminhando-a para o Reitor para a devida nomeação; III – deverá regulamentar o processo de consulta aos segmentos de pessoal docente, discente e técnico-administrativo, precedendo a
  7. 7. elaboração de lista tríplice pelo mesmo, em conformidade com as leis vigentes; IV - elaborar o Plano Diretor de estratégia política e administrativa a ser sugerido anualmente para melhor concretizar os objetivos da Faculdade; V - homologar o parecer das bancas organizadoras dos concursos para o provimento de cargos do magistério superior; VI - instituir, ouvido o Colegiado de Ensino de Graduação, a banca para julgamento do concurso de professor da carreira do magistério de ensino superior na forma prevista no Regimento Geral da UnB; VII - aprovar os critérios e a lista de pontos das provas propostos pela comissão de julgamento do concurso para carreira de magistério; VIII - articular e compatibilizar as atividades desenvolvidas na Faculdade, de acordo com os planos de trabalhos apresentados, obedecendo às prioridades estabelecidas pela Faculdade, ouvidos o Colegiado de Ensino de Graduação e o Conselho do Centro Olímpico; IX - administrar a dotação orçamentária da Faculdade provisionada pela Administração Superior da UnB, bem como outros recursos ou dotações concedidas extraordinariamente à Faculdade; X - elaborar a proposta orçamentária da Faculdade; XI - homologar convênios, projetos de pesquisa e extensão ou programas de prestação de serviços que envolvam a Faculdade seja por seus docentes individualmente ou em grupo e requeira financiamento proporcionado por recursos extra a Universidade, bem como avaliar os resultados obtidos, emitindo parecer sobre os relatórios conclusivos; XII - aprovar normas de funcionamento para os setores e serviços da Faculdade; XIII - referendar o planejamento e a compatibilização da carga didática, em cada período letivo, ouvido o Colegiado de Ensino de Graduação; XV - apreciar o relatório anual, elaborado pelo Diretor, referente às atividades da Faculdade. Seção II Do Colegiado de Ensino de Graduação
  8. 8. Art. 19 - Compõe-se o Colegiado de Ensino de Graduação: I - o Diretor como Presidente; II - todos os professores da FEF-UnB do quadro permanente em efetivo exercício; III – todos os professores extra-quadro em efetivo exercício; IV - 01 (um) representante da Faculdade de Ciências da Saúde V - 01 (um) representante da Faculdade de Educação; VI - 01 (um) representante do Instituto de Psicologia; VII - representantes dos servidores técnico-administrativo até um quinto dos professores do quadro permanente da FEF-UnB em efetivo exercício; VIII - representantes discentes até um quinto dos professores do quadro permanente da FEF-UnB em efetivo exercício. Art. 20 - Ao Colegiado de Ensino de Graduação compete: I - administrar as atividades didático-científicas de todos os trabalhos referentes às disciplinas de graduação, atividades de extensão e atividades comunitárias da FEF-UnB; II - administrar e supervisionar as atividades docentes e de apoio na graduação, extensão e atividades comunitárias; III - julgar processos de aproveitamento de estudo e revisão de menção referentes às disciplinas de graduação; IV - julgar os recursos interpostos das decisões das coordenações referentes aos estudos de graduação; V - escolher os representantes da unidade na Câmara de Ensino de Graduação; VI – definir através de norma especifica, compatibilizando o interesse da FEF-UnB, dos discentes e a demanda, a carga horária semanal mínima de trabalho e de aula dos professores; VII - aprovar a oferta de disciplinas da graduação para cada período letivo; VIII - examinar e avaliar as ementas e os programas das disciplinas oferecidas na graduação, bem como as propostas de inclusão, retirada ou alteração destes;
  9. 9. IX - julgar propostas de reestruturações curriculares referentes aos cursos de graduação; X - supervisionar, dentro de suas atribuições, toda e qualquer atividade de estagio e monitoria que se realize no âmbito curricular; XI - deliberar sobre os processos de transferência obrigatória, transferência facultativa e admissão de aluno especial ou de qualquer outra forma de mudança de curso; XII - propor formas de acompanhar o desempenho dos estudantes de graduação, mantendo as informações acadêmicas atualizadas; XIII - manter contatos e entendimentos com instituições nacionais e estrangeiras congêneres com a finalidade do estabelecimento de intercâmbio em Educação Física, Desporto, Recreação, Lazer e áreas afins; XIV - julgar projetos acadêmicos de Graduação, Extensão e Atividades Comunitárias da FEF-UNB; XV - eleger os Coordenadores de Graduação, Extensão e Atendimento Comunitário e da Prática Desportiva, os quais terão mandatos de dois anos. Seção III Do Colegiado de Pesquisa e Pós-Graduação Art. 21 – Compõe o Colegiado de Pesquisa e Pós-graduação: I – O Coordenador de Pesquisa e Pós-graduação; II – Os professores credenciados como orientadores do programa; III – 01 (um) representante dos discentes matriculados no programa; IV – 01 (um) representante dos professores orientadores credenciados e vinculados a instituições com as quais a UnB mantém convênio. Art. 22 - Ao Colegiado de Pesquisa e Pós-graduação compete: I. definir políticas do programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física (PPGEF) e seu acompanhamento; II. aprovar os planos de aplicação dos recursos colocados à disposição do Programa; III. propor alterações no regulamento e na estrutura curricular do PPGEF; IV. designar os professores que, juntamente com o Coordenador, comporão a Comissão de Pós-Graduação em Educação Física;
  10. 10. V. aprovar linhas de pesquisas e projetos vinculados; VI. aprovar a lista de oferta de disciplinas para cada período letivo; VII. propor os critérios de seleção do PPGEF, respeitada a regulamentação geral da Universidade; VIII. propor à Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação o número de vagas a serem oferecidas a cada seleção; IX. apreciar propostas e recursos de professores e de alunos do Programa, no âmbito de sua competência; X. pronunciar-se nos casos de desligamento de estudante por conduta ética inadequada; XI. propor o credenciamento e descredenciamento de professores do PPGEF; XII. solicitar desligamento de estudantes; XIII. julgar projetos acadêmicos de Pós-Graduação da FEF-UnB; XIV. eleger o Coordenador de Pós-Graduação, o qual terá mandato de dois anos; XV. eleger os representantes da unidade na Câmara de Pesquisa e PósGraduação. Seção IV Do Conselho Consultivo ndo Centro Olímpico Art. 23 - Compõe o Conselho Consultivo do Centro Olímpico: I – o Chefe do Centro Olímpico; II – o Coordenador da Prática Desportiva; III - o Coordenador de Extensão e Atendimento Comunitário; IV - 01 (um) representante do Decanato de Assuntos Comunitários; V - 01 (um) representante do Decanato de Extensão; VI – 01 (um) representante dos Servidores Técnicos Administrativos; VII -01 (um) representante dos Docentes do quadro permanente da FEF-UnB; VIII - 01 (um) representante da Associação Atlética Acadêmica da UnB (AAAUnB); IX - 01 (um) representante dos discentes da FEF-UnB;
  11. 11. X - 01 (um) representante da Associação dos Servidores da UnB ASFUB; XI - 01 (um) representante dos ex-alunos da UnB; XII – 01 (um) representante discente da UnB indicado pelo DCE. Art. 24 - O Conselho Consultivo do Centro Olímpico é um órgão de apoio da FEF-UnB, com a função de propor aos órgãos deliberativos da Faculdade de Educação Física diretrizes políticas de prestação de serviços em Educação Física, Esportes, Recreação, Lazer e áreas afins. Parágrafo Único - O Conselho Consultivo do Centro Olímpico reunir-se-á 02 (duas) vezes por semestre, ordinariamente, ou quando convocado pelo Chefe do Centro Olímpico, pelo Diretor da Faculdade ou pela maioria dos membros do Conselho do Centro Olímpico. Seção V Da Diretoria Art. 25 - A Diretoria, órgão executivo e de Coordenação, fiscalização e superintendência da FEF, é exercida pelo Diretor. Parágrafo Único - O Diretor terá uma função executiva, ouvido os órgãos colegiados, coordenadores e chefia que a administração da unidade abranger. Art. 26 - O Diretor e o Vice-Diretor são nomeados pelo Reitor da UnB na forma prevista pela legislação vigente. ART 27 - Compete ao Diretor: I - administrar a Unidade conjuntamente com assessores; II - cumprir e fazer cumprir as normas estabelecidas no Estatuto, no Regimento Geral da UnB, no Regimento Interno da Faculdade de Educação Física e as normas editadas pelo Conselho de Faculdade e pelos órgãos da Administração Superior da Universidade; III - designar, através de Ato de Direção, membros de Comissões de trabalho no âmbito da FEF; IV - dar cumprimento às determinações dos Colegiados de Ensino de Graduação e Pesquisa e Pós-Graduação e do Conselho de Faculdade; V - convocar e presidir as reuniões do Conselho de Faculdade e do Colegiado de Ensino de Graduação;
  12. 12. VI – coordenar todos os órgãos, setores, atos e serviços da FEF-UnB para garantir a sua regularidade e disciplina, submetendo as falhas possíveis à apreciação dos órgãos da administração superior, quando for o caso, e respondendo por suas omissões; VII – tomar conhecimento e vigilância sobre processo de captação, gestão e aplicação de recursos financeiros de qualquer natureza, executado no âmbito da FEF e ou em nome da mesma; VIII - apresentar, anualmente, a FEF um relatório dos trabalhos da unidade; IX - supervisionar os recursos gerados pela prestação de serviço à comunidade. Art. 28 - Compete ao Vice-Diretor: I - substituir o Diretor em suas faltas e impedimentos; II – exercer atribuições delegadas pelo Diretor; Seção VI Do Centro Olímpico Art. 29 - O Centro Olímpico é uma unidade especial de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Educação Física, cuja finalidade é de prestar serviços em Educação Física, Esportes, Recreação, Lazer e Dança. Art. 30 - A chefia do Centro Olímpico será exercida por um servidor do quadro permanente da UnB, designado pelo Diretor da FEF. Art. 31 - Compete ao chefe Centro Olímpico: I – cumprir e fazer cumprir a finalidade do Centro Olímpico obedecidas às prioridades estabelecidas pela Faculdade e ouvidos os Conselhos do Centro Olímpico e da Faculdade de Educação Física; II - administrar os recursos orçamentários e financeiros que lhes forem conferidos pela administração superior, bem como os demais recursos financeiros captados em outras fontes; III - administrar toda a área física exercendo os controles sobre o acesso e cadastramento de usuários, a manutenção das instalações do Centro Olímpico e do Almoxarifado da Faculdade; VI - administrar o Centro Olímpico e representá-lo junto aos demais órgãos da Universidade quando couber;
  13. 13. V - planejar e distribuir as atividades do Centro Olímpico de acordo com as prioridades estabelecidas pela Faculdade; VI - presidir o Conselho do Centro Olímpico; VII - estabelecer interface entre a FEF-UnB e a comunidade, ouvido o Conselho do Centro Olímpico. Título IV Das atividades Capítulo I Das definições Art. 32 - A Faculdade de Educação Física desenvolverá atividades que, segundo a natureza se classificam em: I - ensino; II - pesquisa; III - extensão; IV - outros serviços. Capítulo II Do ensino Art. 33 - O ensino será ministrado pela Faculdade de Educação Física visando oferecer: I – cursos de graduação em Educação Física; II - aos portadores de diploma de graduação na área de Educação Física e outras afins, cursos de pós-graduação; III - aos membros da comunidade em geral, cursos de extensão universitária na área de Educação Física e outras afins; IV – a disciplina prática desportiva para os estudantes da UnB; Art. 34 - A lista de oferta de disciplinas será aprovada pelos Colegiados de Ensino de Graduação e de Pesquisa e Pós-Graduação considerando os subsídios dos Coordenadores. Art. 35 - Os afastamentos de docentes para seguir programa de PósGraduação, bem como para licenças sabática e especial, serão concedidos obedecendo às políticas estabelecidas pela Faculdade.
  14. 14. Art. 36 - A Diretoria se incumbirá de manter as instalações e condições de funcionamento da Faculdade de forma a propiciar as melhores condições para o ensino. Art. 37 - A responsabilidade pela Coordenação de Graduação será exercida por um professor do quadro da UnB em efetivo exercício das suas funções na Faculdade. Capítulo III Da pesquisa Seção I Das definições e competências Art. 38 - A Faculdade é autônoma e soberana na escolha de sua identidade de pesquisa, na definição das linhas e na elaboração dos projetos a serem desenvolvidos por seus docentes, sendo responsável, também, por sua execução. Parágrafo Único - Compete ao Conselho de Faculdade a apreciação e aprovação das diretrizes de pesquisa da unidade, bem como a definição da política a ser adotado na consecução desta atividade, ouvido o colegiado de pesquisa e pós-graduação. Art. 39 - As pesquisas desenvolvidas pelos professores constituem a pesquisa da Faculdade, a qual, através da Diretoria e do Conselho da Faculdade deve coordenar os esforços e harmonizar os interesses de seus professores, assim como incentivar e apoiar por todos os meios estas atividades, especialmente pela: I - promoção da qualificação de seu corpo docente através do incentivo à realização de cursos e estágios de pós-graduação, participação em simpósios e congressos científicos, proporcionando as condições necessárias para isto; II - captação e disponibilização de recursos suplementares à dotação orçamentária da UnB junto à administração superior para a execução de projetos específicos; III - celebração de acordos e/ou convênios com outras instituições para intercâmbio e cooperação científica;
  15. 15. IV - manutenção das condições gerais da Faculdade no nível necessário e imprescindível à realização dos trabalhos; V - divulgação dos resultados das pesquisas realizadas por seus professores; VI - realização e promoção de eventos como congressos, simpósios e seminários, para estudos e debates de temas específicos. Art. 43 - No que se refere à pesquisa compete ao Conselho da Faculdade: I - a compatibilização da programação e da execução das pesquisas realizadas pela Faculdade; II - apreciação e aprovação, ouvido o Colegiado de Pesquisa e PósGraduação, de projetos e convênios; III – administrar carga patrimonial e promover facilidades na utilização dos diferentes laboratórios de pesquisa, ouvido o Coordenador Geral dos laboratórios. Art. 44 - A Diretoria e o Conselho de Faculdade serão assessorados nos assuntos de pesquisa, pelo Coordenador de Pesquisa e Pós-graduação da FEF. Seção II Dos laboratórios Art. 45 – A Faculdade de Educação Física possui laboratórios de ensino, pesquisa e apoio às atividades de extensão e prestação de serviços. I - Os Laboratórios da Faculdade de Educação Física e suas respectivas cargas patrimoniais ficarão sob responsabilidade técnica e operacional do Coordenador Geral dos Laboratórios; II - O Coordenador Geral dos Laboratórios será eleito pelo Colegiado de Pesquisa e Pós-Graduação entre os professores do quadro permanente da FEF; III – Os laboratórios da FEF seguem o regimento interno próprio. Capítulo IV Dos outros serviços Seção I Da enumeração e das definições
  16. 16. Art. 46 - A Faculdade de Educação Física, através dos seus setores e coordenações, proporcionará aos demais órgãos e unidades da UnB e à comunidade em geral, quando possível, serviços especializados, tais como: I - programas de atividades físicas para manutenção da saúde e melhoria da qualidade de vida; II - programas de treinamento desportivo para diversas modalidades em diferentes níveis de exigência; III - avaliação de efeitos funcionais da atividade física e da eficiência motora; IV - atividades, com uso de espaço da FEF-UnB, em programas da área de educação física e/ou áreas afins desde que aprovados pelo Colegiado e Conselho da Faculdade. Art. 47 - Compete à Direção da FEF-UnB a coordenação geral e administração dos serviços prestados pela Faculdade. Parágrafo Único - O Conselho de Faculdade baixará normas regulamentando a coordenação e a administração referidas no caput deste artigo. Art. 48 - Caberá ao professor ou ao pessoal responsável por projetos a execução dos serviços oferecidos pela Faculdade. Art. 49 - As atividades fins da Universidade, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Conselho de Faculdade, terão prioridades de execução sobre a demanda de outros usuários da comunidade interna e externa. Capítulo V Da Extensão Art. 50 - A extensão tem como objetivo intensificar relações transformadoras entre a Universidade e a Sociedade, por meio de um processo educativo, cultural e científico. Art. 51 - Cabe à Universidade assegurar o desenvolvimento dos programas e projetos de extensão, e consignar em seu orçamento recursos para este fim. Art. 52 - A Faculdade utilizará também as atividades de extensão e de prestação de serviços para captar recursos, obedecidas às normas estabelecidas pela Universidade. Art. 53 - A extensão será coordenada por um professor do quadro permanente e em efetivo exercício das suas funções na Faculdade.
  17. 17. Art. 54 - Compete ao Conselho de Faculdade apreciação e aprovação de projetos e convênios de extensão. Art. 55 - Para todo instrumento celebrado pela FEF-UnB, serão designados um executor e um executor substituto, os quais serão responsáveis pelo acompanhamento e fiscalização dos serviços executados ou produtos obtidos e também pela consecução dos objetivos, compatíveis com os fluxos administrativo, orçamentário e financeiro. Art. 56 - As disposições do presente regimento interno da Faculdade de Educação Física da UnB (FEF-UnB) serão complementadas por meio de normas baixadas pelo Conselho de Faculdade, pelos Colegiados de Ensino de Graduação e de Pós-Graduação, nos limites de suas competências. Art. 57 - O presente regimento interno da FEF-UnB será revisado pelo Conselho de Faculdade após 02 (dois) anos de sua entrada em vigor. Art. 58 - Este regimento interno da FEF-UnB entrará em vigor a partir da data da sua aprovação. Art. 59 – Revogam-se as disposições em contrário. Brasília, Distrito Federal, 12 de março de 2007.

×