25 de abril minha terra-9 d-bruna

581 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
581
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
30
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

25 de abril minha terra-9 d-bruna

  1. 1. O 25 de Abril de 1974Escola E.B 2/3 Fernando PessoaO 25 DE Abril de 1974O 25 de AbrilO 25 de Abril na minha terra e no ensinoBrunaSoares da Silva nº7 9ºD
  2. 2. O 25 de Abril de 1974Com este trabalho pretende-se explicar o 25 de Abril, como eleaconteceu e quais as suas consequências a nível local e no que toca aoensino.Grândola, vila morenaTerra da fraternidadeO povo é quem mais ordenaDentro de ti, ó cidade…Recentemente nas manifestações de descontentamento do povoportuguês tem-se ouvido a música de Zeca Afonso, Grândola Vila Morena, querepresenta e simboliza o 25 de Abril de 1974.Mas será que as gerações mais jovens percebem o significado destasmanifestações ou desta canção de tão habituados que estão a usufruir daliberdade que os seus pais e avós conquistaram?
  3. 3. O 25 de Abril de 1974O 25 de Abril: AntecedentesPortugal vivia já numa república, ainda que em faseinicial, quando a 28 de Setembro de 1926, uma Junta militarchefiada pelo general Gomes da Costa partiu de Braga atéLisboa. Quando chegou a Lisboa, a Junta militar tomou contado poder e deu início a uma ditadura militar, onde não haviaparticipação dos representantes dos diferentes grupos sociaise esta era imposta pela força. Devido à ditadura a assembleianacional foi encerrada, abolidos os partidos políticos e asnotícias dos jornais passaram a ser censuradas (ilustração1), não sendopermitidocriticar o estado.Neste período (Estado Novo, inspirado no fascismo italiano) destacou-seAntónio de Oliveira Salazar, que foi ministro das finanças e responsável porrecuperar financeiramente o país. Como aumentou o seupoder, em 1932 foi convidado a ser Presidente do Concelhode Ministros(ilustração 2). Durante 36 anos, Salazar foi ochefe de governo e conseguiu fazer com que este setornasse o principal órgão de soberania, forte e autoritário,em que todo o poder era controlado por ele. O Estado Novoera forte e autoritário visto que tinha sido criada a políciapolítica (PIDE) e todas as notícias transmitidas por rádio etelevisão, e mesmo os livros publicados, eram censurados.Já no final do Estado Novo, Marcelo Caetano, que sucedeua Salazar por motivos de saúde, em 1968, tentou introduzir algumasreformas políticas nacionais, mas de pouco serviram.A revolução de 25 de AbrilComo um grupo de militares estava insatisfeito com orumo político que Portugal levava, decidiu terminar com aditadura do Estado Novo. Organizaram um movimento,conhecido como Movimento das Forças Armadas (MFA) eplanearam um golpe militar para derrubar o regime. Estegolpe foi preparado numa reunião clandestina, realizada a 9de Setembro de 1973, em Bissau. No dia 24 de Março de1974 deu-se a última reunião, onde se decidiu o dia doataque.No dia 24 de Abril de 1974 um grupo de militares instala-sesecretamente no posto de comando do movimento golpista no quartel daPontinha, em Lisboa. Para se desencadear a ação, da primeira fase do golpe,pelas 22h55min, foi transmitida a canção E depois do Adeus, de Paulo deCarvalho. O segundosinal foi dado pelas 0h2min, com a canção Grândola VilaMorena, de Zeca Afonso que confirma o início das operações.Durante as operações Marcelo Caetano foi destituído, como oPresidente da República (Américo Tomás), e deram-lhes a possibilidade deabandonar o país, o que ambos fizeram.Ilustração 1Ilustração 2
  4. 4. O 25 de Abril de 1974Esta revolução também ficou conhecida como Revolução dos Cravos.Os populares da cidade de Lisboa saíram as ruas como forma de apoio aosmilitares e distribuíram cravos vermelhos, que se tornaram o símbolo darevolução. Como as populações apoiaramos militares, evitou-se conflitosarmados e derramamento de sangue. A presidência da Junta de SalvaçãoNacional foi assumidapelo general António Spínola que assegurou o governode Portugal até às eleições.Modificações após 25 de AbrilApós o 25 de Abril, Portugal procurou tornar-se um país diferente do queera no passado. Para isso tomou-se as seguintes medidas: Abolir a censura (o que conduziu à liberdade de expressão); Aparecimento de televisões privadas e rádios(como, por exemplo,SIC, TVI,…); Alterações a nível cultural e das mentalidades (aceitação de novasculturas e raças no país e criação de uma nova cultura); Modificações na Língua Portuguesa (novo acordo ortográfico); No ensino (aumento do número de escolas primárias ecreches; as escolas secundárias começaram a gerir-se a simesmas; no ensino superior, verificou-se o aumento donúmero de escolas superiores públicas e privadas; criaçãode novas universidades públicas e aumento do número decursos; ensinos de massas e grandes reformas ao níveldos curso, surge a escola mediatizada);O 25 de Abril na minha terraAssim como, o 25 de Abril de 1974 repercutiu-se comouma pedra que se atira ao rio e movimenta as suas águastranquilas em várias ondas, a revolução dos cravos decorridaem Lisboa lançou as suas sementes nos quatro cantos dePortugal, chegando à terra onde moro, Ovar.Um dos ex-libris da cidade é o carnaval de Ovar, que jáexistia antes do 25 de Abril. Os foliões aproveitavam esteacontecimento festivo para criticar, com as suas piadas, ogoverno ditatorial, fintando a censura para escapar à PIDE. Ecuriosamente (ou não) as recorrentes fotos de piadas doCarnaval vareiro presentes nos jornais da época eramfrequentemente apresentadas pelo governo como uma prova e umademonstração da liberdade de expressão em Portugal, de modo a enganar aopinião pública (anexo vídeo1).Em 1975, o carnaval de ovar não saiu às ruas uma vez que tinha sidodestituída a comissão responsável pela sua realização e devido à confusão pós25 de Abril que ainda se sentia no ar, pois os portugueses e nomeadamente osovarenses ainda não se tinham acostumado a viver num país livre e semcensura. Foi no ano seguinte que o Carnaval renasceu em liberdade e que,ainda hoje, todos aguardam porque diz o povo “no carnaval ninguém leva aCartaz de 1973/74Símbolo da escolamediatizada
  5. 5. O 25 de Abril de 1974mal”, e assim a população descontente pode agora criticar o que vai mal nonosso país sem recear ir presa (anexo vídeo 2).EntrevistaNo âmbito deste trabalho entrevistei a professora Helena Sá, quelecionou antes e depois do 25 de Abril de 1974. Com 64 anos, encontra-seagora reformada, tendo sido até então professora de educação musical. Boa tarde! Obrigado por me ter recebido em sua casa e por semostrar disponível para responder a algumas perguntas minhassobre o ensino antes e depois do 25 de Abril. Professora Helenapode-me dizer quais são as suas habilitações literárias?R.: Boa tarde, Bruna! Fico feliz por te poder ajudar. Tenho o curso superiorde Violino que obtive no Conservatório Superior de Violino em Lisboa e fuidurante muitos anos professora de educação musical. Terminei a minhacarreira de docente na escola do Cavaco. O que me pode dizer sobre o funcionamento da escola quando eraestudante?R.: Ora bem… era totalmente diferente da escola atual nomeadamente narelação que existia entre professores e alunos. Era uma escola rigorosa,havia disciplina e respeito. O professor era visto como detentor de toda asabedoria e como tal representava autoridade a quem ninguém faltava aorespeito. Não havia desobediência. Até porque nesta altura os castigoscorporais eram permitidos, não que concorde plenamente com ele! O que mudou depois do 25 de Abril de 1974?R.: Após o 25 de Abril, começou a haver mais liberdade, pois os alunos eos pais começaram a exigir comportamentos menos rígidos por parte dosdocentes. Não permitiam que os professores batessem e castigassem osalunos, e deste modo, as faltas de respeito e desobediências tornaram-se maise mais frequentes. O que acha que falta ao ensino de hoje e que poderíamosaproveitar do ensino de antes do 25 de Abril?R.:O poder que o professor tinha como formando, exigindo, deste modo, aeducação, o respeito e a obediência dentro da escola. Em relação aos pais,que estes tornassem a ver os professores como grandes responsáveis pelaeducação dos seus filhos, e deixar que este sejam vistos como alguém a quemos seus filhos devem manter um grande respeito. Pois penso que muito doinsucesso escolar deve-se ao mau comportamento. Existia algum “ritual” antes de iniciar a aula? Se sim, qual (ais)?
  6. 6. O 25 de Abril de 1974R.: Sim posso dizer que sim. O professor era sempre o primeiro a entrar nasala.Os alunos só se sentavam ou levantavam quando o professor mandasse.Isto é um dos exemplos de respeito e de obediência que os alunos revelavampelos professores. E, por fim, uma última questão mas não menos importante. Todasas pessoas tinham acesso à escola? Os que não tinham o quefaziam?R.: Pois… nem todos tinham acesso à escola, que era limitada aos quetinham mais posses. Os que não iam à escola tinham que trabalhar. Asraparigas que não estudavam eram iam servir em casas de gente rica outrabalhavam em fábricas. Quanto aos rapazes trabalhavam na construção civilou iam trabalhar para fábricas. Isto acontecia porque não era um ensino demassa nem obrigatório. Agradeçomais uma vez o tempo disponibilizado e desejo-lhecontinuação de uma boa tarde.Esta entrevista serviu para conhecer melhor as mudanças que se deramcom a revolução dos cravos, a nível do ensino, pela voz de quem a viveu eexperienciou.
  7. 7. O 25 de Abril de 1974Com este trabalho pretendeu-se, alargar o conhecimento sobre o 25 deAbril, não só a nível nacional como a nível regional, o que me permitiuconhecer um pouco melhor a história da minha terra, em particular. Estetrabalho foi interessante exatamente por causa disso, uma vez que pudeconhecer e compreender, na vida real, um 25 de Abril diferente do ensinadohabitualmente na sala de aula.
  8. 8. O 25 de Abril de 1974Para realizar o trabalho proposto utilizei as seguintes fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_dos_Cravos; http://ceolino.blogspot.pt/2008/04/25-de-abril.html; http://www.infopedia.pt/$cultura-e-ensino-no-portugal-democratico; enciclopédia “História de Portugal”; http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=QeHtkMkSTcY(video 2); http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ZBC8PxMpaNU(vídeo 1); http://carnaval.ovar.net/.http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=QeHtkMkSTcY(video 2);
  9. 9. O 25 de Abril de 1974Capas de alguns jornais da época

×